Aparelhos Auditivos Destaques Notícias

10 mitos sobre a deficiência auditiva

Fonte: AARP.org por Katherine Bouton

1. A perda auditiva é consequência da idade e não há nada que se possa fazer sobre isso.

Falso! Isso pode ter sido verdade há muitos anos e para alguns casos, mas com os atuais avanços da tecnologia, perto de 95% das pessoas com perda auditiva causada por problemas do ouvido interno podem ser ajudadas com aparelhos auditivos, de acordo com o Better Hearing Institute.

2. Um pouco de dificuldade para ouvir é normal! Mas espere até piorar bem para procurar um especialista.

Falso! Quanto mais você esperar mais difícil será tratar a sua perda auditiva. Isso acontece porque o sistema auditivo central no cérebro pára de reconhecer os sons à medida em que sua surdez piora. Se você usar aparelhos auditivos regularmente, seu cérebro pode aprender a se reprogramar uma vez que o sistema auditivo começa a ganhar estimulação neural.

3. Pessoas com perda auditiva vão lhe entender melhor se você falar gritando.

Falso! Coloquei o título de “Gritar não vai adiantar” no meu livro sobre perda auditiva porque realmente não adianta. Gritar distorce o movimento dos lábios e torna a leitura labial difícil. Fale num tom de voz normal, olhe para o seu interlocutor e articule claramente os lábios.

4. Meu clínico geral vai me falar se eu precisar de aparelho auditivo e me mandar para um especialista.

Falso, na maioria das vezes. Estudos mostram que apenas 17 a 30% dos médicos generalistas pedem uma audiometria, mesmo em pacientes idosos.

5. Um intérprete de LIBRAS é útil para pessoas com perda auditiva.

Verdadeiro, mas apenas para um pequeno número de pessoas. Dos 48 milhões de americanos com perda auditiva apenas 500.000 usam língua de sinais. Mas como ela é uma expressão visual da surdez, e porque a surdez é invisível, a percepção geral é que a maioria das pessoas que não ouve é usuária de língua de sinais. Só que não!

6. Aulas em língua de sinais podem ser muito úteis para aqueles com perda auditiva severa.

Verdadeiro, mas apenas no sentido de que aprender o básico de qualquer língua é muito útil. A verdade é que se tornar fluente em língua de sinais quando se é adulto é um trabalho muito árduo. A língua americana de sinais é uma estrutura complexa de imagens e letras. Não há tradução direta do inglês falado para o inglês sinalizado. Isso torna especialmente difícil aprender tarde na vida.

7. Pessoas com perda auditiva podem ler lábios.

Verdadeiro, em parte. Alguns de nós lêem lábios muito melhor do que outros. Tenha certeza se a pessoa surda ou com alguma dificuldade auditiva com a qual você está conversando é capaz de ler lábios.

8. Aparelhos auditivos não funcionam. Melhor esperar até poder fazer um implante coclear.

Falso! Aparelhos auditivos funcionam muito bem para a maioria das pessoas com perda auditiva moderada e severa, e são considerados mais efetivos que IC’s para estas pessoas. Os especialistas só irão recomendar um implante coclear quando os aparelhos auditivos não são mais capazes de ajudar o paciente. Se você está hesitando para usar um AASI por achar que vai poder pular direto pro implante quando for necessário, um conselho: não faça isso! Quanto mais você demorar para tratar a sua falta de audição, mais difícil será tratá-la depois.

 9. Perda auditiva é coisa de velho!

Falso! A perda auditiva é mais visível nos idosos pois eles geralmente têm surdez severa e usam aparelhos. Mas 65% das pessoas com perda auditiva fazem parte da faixa etária abaixo dos 65 anos, e 60% ainda está na escola ou no mercado de trabalho.

10. O único jeito de tratar a perda auditiva é com aparelho auditivo ou implante coclear.

Falso! Aparelhos auditivos funcionam muito bem, mas são caros e custam em média 2.400 dólares cada um. Para algumas pessoas, um aparelho eletrônico chamado PSAP (personal sound amplification program) que é vendido por cerca de 300 dólares é suficiente. Se a surdez piorar, aí você pode migrar para um aparelho auditivo. PS: os PSAP’s não são vendidos no Brasil, mas nos EUA os conselheiros do presidente Barack Obama o orientaram a divulgar e ampliar o uso desta tecnologia, assim pessoas que não podem pagar por um AASI conseguem ajuda para ouvir melhor (o programa de saúde auditiva dos EUA não fornece AASI gratuitos).

26 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

3 Comentários

  • Olá , boa noite!
    Sou Juliana, surda bilateral de nascença devido a rubéola da gravidez de minha mãe !
    Então, acredito que sou profunda, ou seja com 90 a 110 decibéis e alguns graus que chega 70 decibéis! Tenho muito desejo de colocar IC, 3 médicos em lugares diferentes impediam de eu colocar o IC e me orientava usar os AASI! E uso desde então, apesar de escutar algumas coisas, como pequenas palavras e ou alguns barulhos que dá pra identificar, mas sinto que preciso mais do que aquilo, sabe! Até hoje tenho dúvidas, se posso ou não posso… Agora tem novos ICs que podem ser usado para as pessoas que escutam bem pouco? Tipo severa a profunda? Tenho 3 amigas que estão usando IC com menos de 1 ano! Fiquei pasma, uma delas escutava mais que eu! Ou não me engano, pode ter colocado no ouvido q não escutava bem!
    Então, a dúvida fica comigo! Esses 3 médicos dizem a mesma coisa que não devo colocar por escutar um pouco! Mas, esse pouco que tenho não escuto direito o telefone, não consigo identificar tais musicas, nem de pessoas falavas diretamente em frases ou comunicação sem ter olhar a leitura labial!

    Abraços e aguardo o retorno da resposta!

    Obrigada,

Deixe seu comentário