Crônicas da Surdez

Acessibilidade para surdos oralizados em bancos: inexistente!!!

**o post é longo, mas leiam até o final!!

Toda vez que vou viajar, é o mesmo lero-lero. Preciso avisar os cartões de crédito de que vou para o exterior, caso contrário, eles bloqueiam na primeira tentativa de uso. E aí, como faz?? Sou cliente de dois bancos. O Banrisul e o Santander.  Com o Santander, envio um email para o gerente da conta e faço a solicitação – minha reclamação a respeito deste banco é que trocam o gerente da minha conta sei lá quantas vezes por ano, e isso me irrita, pois tenho que explicar toda a minha história repetidamente. Pelo menos, nas últimas trocas de gerente, as pessoas que assumiram a conta já me conheciam. Com o Banrisul, peço para a minha mãe ligar para o 0800.

Agora, convenhamos: em pleno ano de 2011, com toda a tecnologia disponível, certas coisas não funcionam por um único motivo. A má vontade humana. Quando um banco me manda ligar pro 0800 (por si só, já acho o fim da picada, se existe gerente de conta, ele pode atender esse tipo de solicitação) de deficientes auditivos e de fala, não se se rio, choro ou faço um escândalo. Estou colocando este post no ar porque CANSEI. Cansei desse papo bonito de acessibilidade que é uma grande enganação quando se trata de SURDOS ORALIZADOS. O preconceito velado é muito grande no nosso caso.

Vamos raciocinar: para me comunicar através desse 0800 “especial” (só rindo), preciso ter um telefone TDD (foto acima) em casa ou no local em que eu estiver (só aqui já se nota o ridículo disso, pois como a pessoa faz se estiver no meio do mato ou sei lá em que lugar onde não exista um desses?). Esse telefone TDD é uma tecnologia completamente OBSOLETA (se me mandassem utilizar um celular analógico talvez o celular ganhasse em termos de utilidade), e eu nunca tive conhecimento de alguém que tivesse um desses em casa – se alguém tiver, me explique o motivo. Um telefone TDD não faz parte da rotina nem da vida de um surdo oralizado. Se acessibilidade é “para todos“, porque nos excluem, tentando nos obrigar a usar algo tão sem cabimento?

Falei com a Lak Lobato, do Desculpe Não Ouvi, sobre o assunto, e olha só o que ela me contou:

 Uma vez, fui na minha agência resolver um problema na conta. Não era nada sério e poderia ser facilmente resolvido pelo telefone. Mas, aproveitei que estava perto (tinha ido ao médico por conta de uma infecção na retina, então imagina o meu humor de além surda estar caolha). Chego lá, minha gerente não estava. Fui falar com outra gerente, porque não era nada demais, dava pra ela entrar na minha conta e resolver.

Quando soube que era surda, me empurrou pro TDD que tinha na agência. Falei que não sabia usar. Ela insistiu… Como eu já estava pra mandá-la pra PQP, resolvi usar. Digitei sem saber que tinha que colocar uns códigos tipo TS antes de começar a frase e PT quando terminava….Obviamente, foi um saco conversar com a atendente, que achava que eu tinha obrigação de saber usar aquela porcaria. No fim, aquilo NÃO podia ser resolvido pelo TDD. Tem serviços que via TDD não fazem!! Ela me mandou falar com a gerente da agência.

Juro que fiz um escândalo e fechei a conta com uma carta de reclamação!! É mole?”

Não, Lak, não é.

Entrei no site da FEBRABAN – mais especificamente naquele que nos pede para avaliar o SAC dos bancos nos quais temos conta. Encontrei o email de contato imprensa@febraban.org.br e enviei a seguinte solicitação:

“Boa tarde.
 
Escrevo o www.cronicasdasurdez.com e vou colocar no ar uma matéria a respeito da falta de acessibilidade para deficientes auditivos – surdos oralizados – nos bancos brasileiros.
 
Qual a posição da Febraban sobre o assunto?
 
Pergunto porque os bancos acham que acessibilidade é nos dizer: ligue para o 0800 de deficientes auditivos e de fala. Acontece que esse 0800 é uma enganação. Requer que a pessoa possua um telefone especial TDD que ninguém quase tem, porque se trata de uma ‘tecnologia’ totalmente obsoleta. Nos dias de hoje, chega a ser uma piada pedir que um surdo oralizado (que se comunica oralmente e não utiliza Língua de Sinais) tenha um TDD em casa.
 
Os bancos necessitam urgentemente de gerentes capacitados para lidar com clientes com deficiência auditiva. É muito fácil nos mandar ligar para o 0800. Mas e como fazemos? Peço para um parente ou amigo fingir que sou eu ao telefone? Isso é fraude, além de nunca dar certo. Pergunto: qual é a dificuldade em prestar 100% de atendimento por email? Ou SMS, quando necessário, como quando viajamos, por exemplo, e acontece algum problema inesperado?
 
Agradeço se a Febraban puder manifestar sua opinião sobre este assunto.
Atenciosamente,”
 
Não sei se vão me responder, mas espero que sim. Aconselho vocês a também enviarem email para a Febraban pois, pelo jeito, nenhum surdo oralizado alguma vez já fez isso.
 
Voltando ao assunto.
 
O que eu acho que é ACESSIBILIDADE PARA SURDOS ORALIZADOS nos bancos brasileiros?? 
  •  gerente capacitado para atender um surdo oralizado
  •  atendimento por email 
  • atendimento por SMS
  • cadastramento de 1 ou 2 pessoas de confiança, mediante documentação registrada em cartório, para que elas possam falar por nós no 0800 em casos de extrema emergência
  • cadastro da informação de que sou surda oralizada nas informações da minha conta, para que eu não precise contar minha vida inteira de novo a cada troca de gerente
  • chat disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, no site dos bancos, com funcionário capacitado a resolver problemas para clientes cadastrados como surdos oralizados

Agora parem para pensar sobre a utilidade de um 0800 para deficientes auditivos e da fala que utiliza TDD nos seguintes casos:

  • assalto
  • sequestro
  • problemas em viagem ao exterior
  • surdo oralizado que não possui telefone TDD
  • cartão clonado
  • cartão extraviado
  • surdo oralizado que trabalha em local sem TDD
  • qualquer eventualidade que ocorra em local sem TDD
  • solicitações que as atendentes do TDD não consigam resolver

Eu não acho justo ter que pedir pra minha mãe se passar por mim no telefone. Faço isso porque, se ela disser que é mãe de uma surda oralizada, simplesmente desligam o telefone na cara dela. Eu não acho justo ter que me ausentar do trabalho e encarar uma fila quilométrica no banco só para bater papo ao vivo com gerente – principalmente porque todas as vezes em que fiz isso, voltei para casa sem ter as minhas dúvidas sanadas e solicitações atendidas, me sentindo uma palhaça. Eu não acho justo que me mandem ‘dar um jeitinho’, ‘pedir para um parente ligar‘, se tenho email e qualquer funcionário de banco também, com acesso à internet durante todo o expediente. Eu não acho justo ter que arcar com os custos do uso indevido de um cartão clonado ou extraviado, porque a única forma de resolver o assunto é através de telefone. Eu não acho justo ter deficiência auditiva e me ver forçada a ficar dependente de algo que sequer combina com a minha deficiência: o telefone.

E penso que, em vez de continuarmos o resto da vida ‘dando um jeitinho’, pedindo pra mãe, pro pai, pro periquito ou pro papagaio falarem no telefone por nós, temos que LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS. Um banco me atender por email NÃO É FAVOR. Um banco querer que eu use telefone TDD NÃO É ACESSIBILIDADE.

Vamos entrar em contato com os nossosbancos (e operadoras de cartão de crédito), mostrar esse post e solicitar um atendimento diferenciado? Gente, estamos falando de banco, de taxas que pagamos a eles, de custos que pagamos a qualquer mísera transação financeira que fizermos, de anuidades caríssimas de cartões de crédito, de empréstimos com juros altíssimos. A palavra FAVOR não existe aqui. É um SERVIÇO, que deve ser adequado às necessidades do cliente – ainda mais quando se trata de uma pessoa com deficiência. Se estamos de falando de $$$, não quero me sentir uma idiota toda vez que preciso resolver algo. Quero minha independência, quero atendimento coerente. Cansei de palhaçada! Quero eu mesma resolver qualquer pepino com banco e cartão de crédito, sem ter que pedir ajuda a ninguém.

Já passou da hora dos bancos capacitarem seus funcionários a nos atender. Culpa, eles nem têm, porque não são treinados para isso. Minha gerente, por exemplo, achou que o 0800 “especial” era uma super novidade! E outra: se nos oferecessem a possibilidade de um chat 24hs ou atendimento total no internet banking para tudo, nem precisaríamos ‘pentelhar’ nossos gerentes com solicitações – nós mesmos resolveríamos qualquer parada. As duas partes sairiam ganhando.

Em tempo: entrei no chat do Santander, fiz esta reclamação, e a atendente me disse “sugiro que a senhora vá até a sua agência utilizar o telefone TDD“. Oiii????

5 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

56 Comentários

  • Estou passando por um problema sério também com esses 0800 de cartão de crédito. Preciso pedir um boleto para pgto e… como faz???????? E o pior é que nao tenho nenhuma parente que more na minha cidade para me ajudar. É uma piada sem graça.

  • Paula,
    sou a primeira surda oralizada onde eu trabalho. Na verdade, neste prédio, sou a primeira deficiente, já que o prédio e o pessoal está em fase de “adaptação” e quando algum deficiente entra, fica lotado em outro prédio, que é “mais preparado” para recebê-lo.
    Assim que entrei, um psicólogo e uma assistente social vieram conversar comigo sobre acessibilidade. Eles disseram que fazem a menor ideia do que pode ser feito para que eu me “sentir à vontade”, então o combinado foi o seguinte: qualquer problema eu entraria em contato com eles. Ganhei defensores, não é o máximo?! Felizmente me adaptei fácil aqui: pedi para mudar de lugar para ficar em um local estratégio para a leitura labial e quase não uso o telefone.
    O mais legal é que eles (o psicólogo e a assistente social) querem saber de qualquer coisa que possa atrapalhar meu desempenho profissional e pessoal. Como aqui é uma repartição pública, quanto mais eles conhecerem os surdos oralizados, mais fácil será o atendimento a outras pessoas. Então, tenho aproveitado tuas dicas no blog para passar a eles, não só tuas como dos leitores, já que posso não ter dificuldades em alguma coisa (telefone, por exemplo), mas que atrapalham outros SO.
    Muito boas as dicas, Paula! Você não faz ideia do quanto ajuda muita gente =)

  • Cada empresa dispõe de um número absurdo de computadores, tablets, smartphones, etc etc etc. Realmente, em pleno 2011 é ridículo que não exista uma interação de 100% por meio online. Se até ouvintes preferem muitas vezes usar e-mails e SACs online para sanar dúvidas, por que o mesmíssimo meio que já existe não pode ser usado para fazer mais operações ?
    (Paula, espero que vc não se incomode, indiquei seu blog no meu Face ! É Luiza Gallas Brasil, infelizmente existem duas hahahah, eu sou a branquinha de olho azul do RJ)

  • O ESTADO DO MARANHÃO – SÃO LUÍS, 16 DE FEVEREIRO DE 2011 – (QUARTA-FEIRA)
    * ENTIDADE QUER GARANTIA DE VAGAS NO IFMA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA
    Estudante reivindicam no Ministério Público Federal o direito de ingressar no Instituto Federal do Maranhão por meio de cotas no seletivo para o ensino médio.
    A presidente da Associação Maranhense de Surdos, Lídia Arouche, com estudante, ontem, no MPF.
    “Teremos que aguardar até o mês que vem para que os interessados possam ser ouvidos. Enquanto isso, vamos juntar todos os materiais necessários, como edital e resultado do seletivo , para provar que houve discriminação para com os deficiência. O direito deles de ter acesso aos estuda foi negado”, afirmou o coordenador do Fórum Maranhense das Entidades das Pessoas com deficiência e Patologias, Genilson Protásio.
    Além de procurar o MPF, o Fórum Maranhense das Entidades das Pessoas com Deficiência e Patologias reivindicará direitor na defensoria Pública da União. “Vamos continuar reclamar os direitor dos candidatos. A Constituição Federal não está sendo atendida. O que está sendo feito é um crime e não pode ficar dessa forma”, declarou Protásio.
    Dois dias após a aplicação da prova, um documneto com o nome dos deficiência foi enviado á pró-Reitoria de Ensino do IFMA (Proen) solicitando que os candidatos tivessem as vagas reservadas, mas eles não foram atendidos. Os deficiêntes auditivos fizeram a prova do seletivo em janeiro, fora do sistema de cotas, mas não obtiveram êxito com o resultado.
    “Eles teriam sido aprovados caso fizessem através do sistema de cotas, pois obtiveram boa pontuação”, disse a presidente da Associação dos Surdos do Maranhão-ASMA, Lídia Maria Trinta Arouche. De acordo com a presidente, o acesso dos surdos no IFMA deveria ser garantido. “É um direito que não está sendo respeitado. esse problema de discriminação não é só aqui, mas em todo o estado. faltam profissionais para auxiliar os surdos com a intérpretetação e eles ficam sem estudar”, disse.

    * Dificuldades
    Ao realizar a inscrição para concorrer a uma vaga, o candidato deficiente auditivo Pablo José Correa de Jesus lembra que sentiu dificuldades, pois as dúvidas não eram esclarecidas por falta de intérpretes. “Não basta apenas a minha vontade de estudar no IFMA. O Instituto precisa disponibilizar pessoas para nos auxiliar. Para fazer a inscrição, tive que recorrer a uma intérprete para me ajudar, caso contrário nem teria participado”, enfatizou. Segundo a pró-reitora de Ensino do IFMA, Marise Piedade de Carvalho, hoje a instituição não tem condições para manter alunos com essas necessidades especiais. “Nenhum dos nossos campi, no momento, têm as condições necessárias para receber deficientes físicos. Além dos mais, os portadores de deficiência auditiva carecem de uma exigência maior, com o auxílio de equipamentos e intérpretes de libras. O recurso financeiro do Governo Federal não nos permite que agora sejam realizados concursos para a efetivação de profissionais que trabalhem com essa necessidade”, justificou Marise de Carvalho. Ela informou que no próximo seletivo haverá vagas para cotas de portadores de necessidades especiais. Esse ano, a oferta de vagas por cotas foi somente para o nível superior. “Estamos trabalhando para receber portadores de necessidades especiais em 2012 para o nível de ensino médio, mas ainda não podemos dizer ao certo qual a porcentagem de vagas que serão oferecidas”, informou a pró-reitora.

  • Oi Paulinha e demais!

    Embora não seja surda me solidarizo com o problema da surdez e todos os demais que envolvem acessibilidade e cidadania.

    Minha sugestão em relação aos bancos é vocês registrarem queixa no site do Banco Central, em:
    http://www.bcb.gov.br/?RECLAMACAODENUNCIA (ou diretamente em: https://www3.bcb.gov.br/rdr/preparaDemanda.paint?method=inicializar&natureza=I&tipo=R&assunto=Reclamacoes e denuncias)

    Na página http://www.bcb.gov.br/Pre/bc_atende/port/politica.asp?idPai=PORTALBCB tem explicando a política de atendimento ao cidadão.

    Da mesma forma, procurem denunciar nas ouvidorias, corregedorias e nos serviços de atendimento ao cidadão dos órgãos, associações, ministérios, assembléias – todos os lugares envolvidos no mal atendimento. Só com nosso envolvimento (todos os cidadãos), conseguiremos mudar as leis e fazê-las serem cumpridas.

    Outra coisa importante é ter o “closed caption” presente em todos os filmes, seriados e programas gravados nos canais de TV (pagos ou não) – e em português, mesmo para produções brasileiras. Muitos acham que legenda é só para quem não sabe o idioma – ledo engano.

    Boa sorte a todos!

    Abraços fraternos,
    Patrícia

  • Muito bom o post!

    Sou surda oralizada, mas perfeitamente adaptada a aparelho auditivo, e praticamente não tenho dificuldade ao telefone.

    Mas gostaria de contar aqui um episódio que mostra a falta de preparo e capacitação do pessoal de serviços em geral, não apenas de bancos, e sim, como bem lembram Giseli e Paula, policia, bombeiros, saúde, etc., em lidar com deficientes auditivos oralizados (e todos os outros, por tabela).

    Há pouco tive uma otite que, de tão dolorosa, impedia-me de colocar a prótese auditiva no ouvido. Ou seja, eu estava sem escutar nada, sem meu aparelho. Mas faço leitura labial, o que diminuiu um pouco minha dificuldade. Bem, por conta dessa otite, procurei um serviço público de saúde, onde havia Pronto Atendimento de Otorrino. Já na recepção eu expliquei meu problema, e a atendente escreveu na folha de atendimento: SURDA. Deu-me essa folha e eu mesma fui até a sala de espera, dando-a a outra atendente que organizava as consultas. Expliquei novamente, dizendo que se o médico chamasse eu NÃO iria ouvir, e pedi por favor para sinalizarem a chamada de alguma maneira. Ela, muito sorridente, disse que podia deixar, era só esperar. Fui sentar e esperar, então.

    E dali a pouco, uma médica aparece, fica de pé em frente às pessoas ali sentadas e começa a GRITAR – o que “percebi” ser meu nome. Vexada, fui ver: a atendente colocou na ficha, ao lado do “SURDA”: “CHAMAR ALTO” (!!!).

    E o pior: após o atendimento médico (com essa médica estúpida), fui encaminhada à sala de medicação. Novamente, fiquei esperando. Dali a pouco, uma enfermeira COM MÁSCARA começa a gritar ali também… incrível!!!

    Será que não entendem que NÃO adianta ficar gritando, e pior, com máscara cobrindo a boca, impedindo qualquer tentativa de leitura labial???

    Precisamos mesmo fazer MUITO BARULHO para mudar essa situações vexatórias! É uma verdadeira vergonha!

  • Muito bom o post viu. Mostra exatamente as situações pelas quais eu passo… é chato depender de outros que nem podem ajudar 24 horas.
    Já divulguei no twitter… e quando tiver tempo, no meu blog 🙂 Excelente iniciativa, acho que está na hora dos surdos oralizados fazerem um pouco de barulho.

    Entendo que a questão da segurança possa complicar e atrasar essas coisas de acessibilidade, mas é só pensar em maneiras práticas para os dois lados e ainda assim garantir a segurança. Sei lá, a princípio, treinar os gerentes e funcionários para lidar com surdos oralizados. E em casos de emergências e roubos, tipo, nos fds, algum protocolo entre a polícia e o banco, agilizando assim o bloqueio.

    Os bancos devem zelar pela seguranças das contas, mas também devem atender bem as pessoas que têm essas contas né? De qualquer modo, seria ótimo iniciar um diálogo com os bancos para ver soluções e não ficar só esperando eles terem ideias (se é que as têm).

    • Giseli,
      Alem disso nos falta acessibilidade com a policia, bombeiros, ambulancia….serviços de primeira necessidade precisam estar prontos para receber chamadas de pessoas que nao escutam no telefone e moram sozinhas.
      Afinal, ninguem esta livre de qqr eventualidade.
      bjo,

      • Exatamente! Temos que começar primeiro por esses serviços essenciais. Quem sabe assim dá o exemplo ao resto dos outros serviços….

        Aliás, curti o blog, conheci por meio do blog da Lak, vou passar a frequentar (só não sou de comentar muito hehe). Continue assim! 🙂

  • Olá Carlos. Na verdade a concessionária de rodovia que cuida da BR-290 (entre Porto Alegre e Osório, masi conhecida como Free Way) é a Triunfo Concepa. E atende por SMS pelo telefone (51) 8416 2000.

  • Carlos Paiva, eu não acho que nós surdos oralizados somos em maior número do que os não oralizados. Essa impressão pode relacionada com o fato que os surdos oralizados pela sua fluencia com a escrita e por terem uma boa condição sócio-econômica, acabam sendo mais presentes nas redes sociais.

    Pois é – a não presença dos surdos oralizados no FORUM DE ACESSIBILIDADE DA ANATEL é um erro gravíssimo, mas reforça ainda mais o descaso que a FENEIS tem pelos oralizados. E acabam pagando o preço por isso.

    Todos nós sabemos que a luta pela acessibilidade REAL é de todos nós!

  • Lak e Raul, a luta é uma só. Eu sou ouvinte e abracei a causa da acessibilidade para TODOS os deficientes auditivos.
    Tenho cada vez mais contato com os surdos oralizados, que são em muito maior número que os usuários de LIBRAS.
    Eu luto pela existencia de um atendimento decente em todos os SAC. O Atendimento por texto deve SEMPRE existir.
    O nosso governo não reconhece este atendimento. O Ministério da Justiça, responsável pelo Decreto 6.523 (Decreto do SAC) só quer saber de atendimento telefonico e com isto incentiva o obsoleto e caquético TDD.
    Entrem no Portal do Surdo e vejam que já existem empresas que atendem por webchat e 2 que atendem por SMS: a EMBRACON – Consórcios e a ECOSUL – Estrada Porto Alegre a Osório
    Eu reconheço que falta divulgar quais são as empresas que já atendem por TEXTO e com isto formar um movimento pró ativo que faça com que as outras empresas também atendam por texto.
    Também reconheço que os Surdos Oralizados não foram chamados para o Forum na ANATEL – erro grave, não pode mais acontecer.
    Contem comigo na batalha pela Acessibilidade!

  • Concordo com a Lak, vocês da comunidade surda não oralizada já têm representantes fortissimos como a FENEIS e são reconhecidos pela sociedade, ao contrário de nós, surdos oralizados.

    Convenhamos: estamos aqui tentando corrigir a cagada que vocês fizeram quando exigiram o TDD como forma de acessibilidade em bancos para todos os surdos.

    Você esteve no forum de acessibilidade da ANATEL e isso foi divulgado para os surdos oralizados? Não!

    Mas de qualquer modo, essa campanha é para todos. Apenas estamos fazendo o nosso papel como vocês podem fazer o de vocês também – todos unidos por uma acessibilidade de VERDADE!

  • Concordo em GENERO, NÚMERO e GRAU com todos os comentários a respeito da FALTA DE ACESSIBILIDADE nos BANCOS. E não é só nos Bancos!
    O TDD tem que ser BANIDO, ninguém usa! Refraseando, no 142 da Telefonica existem 40 pessoas usando em média. No Estado de São Paulo existem 500.000 deficientes auditivos e somete 40 usam TDD?
    Participei do FORUM DE ACESSIBILIDADE da ANATEL e o Presidente da ANATEL foi bombardeado pelos surdos presentes. Eram todos usuários de LIBRAS.
    A Acessibilidade tem que ser pertinente a TODA COMUNIDADE SURDA! Tanto os ORALIZADOS, Usuarios de Língua Portuguesa, como os Usuários de LIBRAS.
    A comunicação do Surdo deve ser feita por TEXTO ou VIDEO.
    Deve ser usado WEB CHAT, SMS CELULAR e VIDEO CHAMADA.
    E sempre lembrar que existem 2 comunidades a serem atendidas: Oralizados: atendimento por texto
    Usuarios de LIBRAS: atendimento por texto e / ou vídeo

    • Carlos, a gente não nega a existencia da comunidade surda, apenas está aproveitando pra divulgar o nosso grupo também, que a sociedade tanto ignora. Os sinalizados tem representantes fortes, a sociedade sabe que eles existem. Dê-nos a chance de falar do nosso lado também, tal como vocês fazem.
      Mas sim, o serviço que pedimos serve pra todos os deficientes auditivos!
      Beijocas

    • É verdade, Carlos.
      Inclusive, seria legal se você pudesse nos passar um contato na Anatel para que possamos conversar com eles.
      Pelo que parece, não havia nenhum surdo oralizado presente, confere?
      Um abraço!

  • Eu empresto a minha irmã para passar-se por mim,e falar com o/a atendente, para resolver as coisas que precisa de telefone. Que vergonha.
    Acho que antes de inventar qualquer coisa para determinada deficiência deveria perguntar para o público que quer atinger a melhor forma de uso. Não sai criando coisas inúteis, olho pro TDD não sei nem por onde começar.

  • Paula,
    Já aconteceu umas xs comigo nestas cirscunstâncias e lhe informo que NADA FOI AGRADÁVEL. Exatamente como você deixou na sua postagem.
    TODA VEZ que me falam para ligar para 0800, sabe como eu reajo com isso? Só fico irritada, já sinto a porta do desânimo bater muito forte!! Horrível essa sensação! Essas coisas, essa teconologia, por aí, falam, MAS eu considero que NADA serve, NADA presta. Já pedi ajuda do meu marido ou do gerente somente nos últimos casos.
    Me lembro de um caso irônico. Muito IRÔNICO. Explico! Um dia, me preocupei com a fatura de cartão de crédito atrasada. E aí, fui verificar lá nas outras faturas. Eu descobri que estava com o endereço errado. Procurei no site do banco e da operadora de cartão de crédito, como me disponbilizar para alterar o endereço. NADA! E aí, decidi ir ao banco. Conversei com uma gerente sobre o ocorrido. Sabe o que ela me falou?? Advinhe! Tchan, tchan, ligar para 0800!!! Então, eu falei para ela que não posso ligar no telefone. Sabe o que ela fez? Ela ficou sensibilizada e ligou para 0800 no MEU lugar. E tem mais! Como não prestei atenção no que ela falava no telefone, ao acabar isso, ela me falou que CANCELOU o meu cartão de crédito! Fiquei perplexa! Ela continuou: “Pedi outro número!” Credooooo!!! Fui embora, com aquela situação constrangedora. Um tempo depois, mandou outra via de fatura com o velho número com o endereço certo. E ainda recebi um outro cartão de crédito com outro número!! Essa nãoooo!!!
    Paula, concordo com você sobre o barulho que devemos fazer. Lutar pelos direitos! Observo que nestes casos, é importante que o banco É OBRIGADO a oferecer MAIS segurança para os surdos/deficientes auditivos, principalmente naquelas circunstâncias, naqueles imprevistos.
    Beijos.

  • Esse Neivaldo Zovico é uma enganação! Na época (acho que foi em 2001 por aí) que se discutia a melhor forma de acessibilidade aos surdos junto à prestadora de serviços, seja qual for, ele defendia junto com a Feneis o 0800 especial para surdos com TDD. Sabem POR QUE? Por que na epoca ele trabalhava na Koller, loja que vendia TDDs! Tudo puro interesse comercial! Pelo visto o feitiço virou contra o feiticeiro…

    Mas fiquem atentos! Ele está junto com um amigo desenvolvendo um projeto de videos com LIBRAS, ou seja, hoje o interesse deles é defender a mudança do 0800, mas desta vez usando o software de video com LIBRAS!

    Mais uma vez, usando o interesse dos surdos através de capital! E mais uma vez vão deixar os surdos oralizados de fora…

    • afffffffff….

      Não é mais simples, tanto para oralizados como sinalizados, implementarem o chat, e-mail, msn etc e tal?

      mais um trambolho inútil!

  • Realmente, acho que não existe coisa pior do que esses 0800 de qualquer tipo.
    Eu fico extremamente irritada e cansada quando eu tenho que usar esse tipo de serviço.
    Com banco então é pior ainda, quando eu abri uma conta no Santander, e eles não entregavam meu cartão em casa, eu ia no banco pegar e o maldito cartão não estava lá, fiz isso umas trocentas vezes até que me irritei e fui cancelar a conta, e lá vou eu falar com o gerente (que nesse interim já tinha mudado umas 10 vezes), e falo que não quero mais a conta, etc etc, sabe o que ele me faz? liga para o 0800 do banco e me dá o telefone para eu cancelar com a atendente!!!! eu olhei para ele e disse “não tem como ser sem falar no telefone? eu tenho problema auditivo e não escuto direito!” o cara me fala que já tinha feito a parte dele na agência, só que para finalizar eu tinha que falar com a atendente do 0800 para cancelar de vez o serviço.
    Na hora eu fiquei frustrada e encarei o telefone com o maior esforço, por que queria me livrar logo daquela conta problema.
    Mas isso não foi nada perto de que um mês depois começou a chegar uma fatura de anuidade de uma cartão de crédito que eu nem tinha recebido (foi por isso que eu fechei a tal conta), imagine o drama! lá vou eu novamente na agencia, pq por telefone não resolvo mesmo, e o gerente diz que a conta já tá fechada e não tem nada,só que passa mais dois meses e continua achegar a tal fatura do cartão. Aí irritei e cheguei para outra gerente e disse olha eu já estou cansada, venho aqui direto, o cara fala que já tá cancelado isso e continua a chegar essas faturas em casa? A mulher olhou lá e viu que o cara tinha cancelado a conta mas não o cartão de crédito, sendo que foi por causa do tal cartão que eu acabei com tudo! Ela cancela o cartão na agência e me fala que para finalizar eu vou ter que falar com a moça do 0800 para fechar o processo, e foi o mesmo drama que da outra vez.
    Eu já vi que o problema no Santander é que tudo que eles fazem depende do maldito 0800, a minha sorte é que não me forçaram a usar o TDD, pq se me fizessem usar esse trombolho eu juro que ia fazer O escândalo lá. Acredito que minha perda auditiva não é tão grave, pq mesmo com muita dificuldade ainda consigo usar o telefone, mas só com situações muito específicas.

    Temos é que fazer barulho mesmo!!!!

    Estamos juntos nessa!

  • O problema do 0800 para surdos via TDD é resolução do ANATEL, que escolheu essa tecnologia ultrapassada. Portanto, devemos reclamar com ANATEL ao invés de FEBRABAN.

  • olá, pessoal.
    imagino a preocupação de vocês quanto a inacessibilidade em bancos.
    muitos sites de empresas tem o serviço de chat, tal, no atendimento ao cliente, alguma coisa do tipo, mas por que os bancos também não fazem isso?
    pra cegos, também existe uma certa inacessibilidade.
    não lembro em qual banco agora, acho que é no banco do brasil, existe um caixa eletrônico, tooooooooodo bonitinho, com entrada pra fone de ouvido. mas tem dois problemas:
    1. o banco não tem a porra do fone de ouvido. pô, os caras acham que o cego vai sair de casa e lembrar que precisa levar um fone de ouvido pra ir no banco?
    2. o caixa eletrônico não é totalmente acessível. é acessível por causa do áudio, e tals, mas um cego não consegue fazer muita coisa no caixa eletrôncio acessível. um amigo meu postou no blog dele faz um tempo, como funciona esse caixa, posso te mandar por e-mail, Paula? só pra colocar aqui, a título de curiosidade.
    se puder, vou caçar por aqui e mando.

  • Quem tiver twitter, podia dar uma força nos RTs. Eu mandei pra vários deputados e jornais. Estou pensando em criar um hastag para ficar registrado no twitter.

  • Pois é Paula, é uma vergonha, hoje mesmo fui desbloquear o cartão do Santander e descobri que a Chave de Segurança ( as letras) e a Senha só podem ser obtidas por telefone….minha tia até tentou ver isso pra mim, mas ela e tecnologia não se entendem muito bem, ai acontece também que não tinha opção de falar com atendentes, senão ela se passaria por mim, no fim das contas amanhã terei que ir ao banco só pra fazer o desbloqueio e solicitar a chave e a senha diretamente com o meu gerente, porque ADIVINHE, pelo caixa eletronico precisa das senhas que não tenho.
    Nos EUA, eu tinha cartões de crédito e de débito e todos podiam ser desbloqueados pelo site, as solicitações também podiam ser feitas por e-mail ou chat. Ja aqui, mesmo banco ou empresas que possuem chat, uma porrada de coisas não podem ser resolvidas por esse meio. JURO que tem dia que tenho vontade de mandar todo mundo à merda.

  • Eu contei o meu caso para FEBRABAN:

    Recentemente, eu tive um problema seríssimo com meu cartão de crédito do Banrisul/Mastercard, o qual foi clonado. Eu descobri quando vi a fatura do meu cartão de crédito com compras que eu não tinha feito. Vi a fatura no sábado e bateu aquele desespero – como vou bloquear o cartão no 0800? Me recuso a pedir para alguém se passar por mim por ser FRAUDE! Tive que recorrer à minha mãe para ligar para o 0800, explicando ser mãe de um surdo oralizado que não podia falar no telefone e solicitava o bloqueio do cartão de crédito por suspeita dele ter sido clonado. A sugestão brilhante da atendente foi: ou eu usava o telefone 0800 específico para os surdos ou iria pessoalmente no banco, resolver com gerente! A resposta da minha mãe foi a seguinte: Será que o banco vai abrir no sábado especialmente para o meu filho que necessita bloquear o cartão? Pronto, desligou na cara da minha mãe. Pode parecer piada, mas a atendente achou mais confortável o estelionatário roubar mais no sábado e domingo (dias que eu não poderia bloquear o cartão pois o banco não estava em funcionamento) ao invés de acreditar na palavra da minha mãe.

    Não satisfeito, eu fui na policia registrar o boletim de ocorrência comunicando as compras feitas no meu cartão sem o meu conhecimento e comuniquei também que fui IMPEDIDO pela atendente de bloquear o cartão.

    Somente consegui bloquear o cartão de crédito na 2a feira – tive que faltar ao trabalho para resolver um probleminha simples que poderia ser resolvido por um chat online ou serviço SMS.

    Pergunto: qual é a dificuldade em prestar 100% de atendimento por email ou por chat? Ou SMS, quando necessário, como quando viajamos, por exemplo, e acontece algum problema inesperado?

    Não venham me falar de segurança. Pense bem: se conseguiram clonar meu cartão e usar meus dados para fazer compras pela internet, essa pessoa poderia muito bem se passar por mim no telefone solicitando “n” coisas.

  • Perfeito!

    Mandei também um e-mail pra FEBRABAN e estou divulgando no twitter e facebook. Eu acho que deveríamos organizar uma espécie de abaixo-assinado online. Acho que o impacto seria bem maior.

    Vou mandar para a Deputada Federal Manoela e deputado Chico Alencar.

    Abraços

  • É um absurdo e uma vergonha alheia. Até hj sempre pedi/peço a minha mãe resolver algum pepino através do 0800. Fico me sentindo dependente, sabe? é um saco isso! Tenho que sentir independente de fazer qualquer coisa ne?! =//

    Triste isso!

  • Também já tive que usar 0800, e sei que usarei no futuro, pedi ajuda para que meu irmão se passasse por mim, mas a coisa não engrenou quando o atendente pediu a data do meu nascimento.

    Imaginem a cena: é… humm… quando tu nasceu, mesmo? …Olha é o seguinte meu irmão é surdo e blá, blá, blá… desligaram.

    Tive que encarar o o8ooprasurdo, tremendo sufoco, não entendia nada, ainda mais com sotaque, depois de mais de 20 minutos consegui o cancelamento de um seguro, cobrado indevidamente.

    É humilhante e pouca alternativa me resta porque e-mail é sumariamente ignorado.

  • Paula,
    Infelizmente a LEI DE ACESSIBILIDADE até agora só serviu pra começar a conscientizar a sociedade, mas acessibilidade e INCLUSÃO, verdadeiramente pode-se dizer que não existe…
    Tenho vergonha alheia… A ‘mentinha’ medíocre e mesquinha dessas pessoas é caso de muitas e muitas reportagens, até que a coisa comece verdadeiramente a mudar… Infelizmente, isso ainda levará muitos anos… Pra se ter uma idéia, lembra da mobilização sobre legenda??? Pois é… anos e anos…
    Vergonha de ser brasileira…

    • Sheila, a gente tem que lutar por ela!
      Tbem sinto vergonha várias vezes, mas ultimamente decidi colocar a cabeça no travesseiro sabendo que fiz alguma coisa em direção a alguma mudança.
      Um beijo,

  • o800 é a coisa mais inútil que já inventaram, não somente para nós surdos, até ouvinte tem de ter um “saco” daqueles para aguentar!
    Hoje, trabalho com apenas um banco, como minha empresa tem o Posto de Atendimento deles dentro, esse estresse na minha vida acabou, adoro minha gerente, quando preciso ela se dispõe a me ajudar.

    O que me irrita profundamente são as operadoras de cartão de crédito, porque elas são “escondidas”??? porque tudo tem de ser via telefone???

    Quanto a esse trambolho de TDD nem vou comentar, pois você disse tudo no post. E sim, qual o problema dos bancos e operadoras de cartão de crédito nos atenderem via e-mail, chat, enfim em qualquer nova tecnologia que surja??? Já questonei a minha gerente, “sabe como é…por segurança, blábláblá”, conversa pra boi dormir, pois como fica o fato de eu fazer outra pessoa se passar por mim no telefone? Não é burlar a segurança?

    Enfim, se eu posso fazer várias transações via internet, no qual utilizo muito, o mesmo sistema de segurança não poderia ser utilizado para um canal de chat?

    Hoje podemos inclusive sacar $$$ nos caixas automáticos com nosso CPF, sem o cartão magnético.

    Não é difícil, é má vontade mesmo, além de desconhecer a real necessidade de um surdo.

    • Deni,
      Esse papo de ‘segurança’ é papo pra boi dormir.
      Pensa comigo: se nossas mães se passam por nós na hora do aperto, o que impede que qualquer outra pessoa faça o mesmo? NADA!
      Então, essa desculpa não cola. Eles que inventem uma melhor.
      Eu tbem nao consigo entender qual é o problema de nos atenderem via chat ou email – mas tem q ser um canal de comunicação aberto 24hs por dia e 7 dias por semana, senão, não adianta!
      Bjo,

  • A coisa é tão, mas tão triste que dá vontade de rodar a baiana nos bancos… Eu nem sei mais o que faço pra solucionar este problema, porque já falei, falei e as pessoas não tomam nenhuma providência para adaptar o atendimento ou mudar as coisas!

  • Ola pessoal , O TDD além de feio , obsoleto é caro , a minha chefia tinha me dito que ia me arrumar um desses , ai parei pensei , para que ? Ele pensava que alguem ia ligar falando e a maquina ia digitando haha eu ri tanto nesse dia , Eu informei que ia ter que disponibilizar para a repartição toda , quanto iam gastar com esse trambolho ? no mercado dizem que custa algo de 2000 reais eu vi essa informação . 2000 reais nessa coisa horrorosa ? pow a maioria aqui provavelmente tem um smartphone que faz o que tdd faz para que inventar ? faz por msg etc .
    Quanto aos bancos eu “treinei” dois amigos para essa tarefa ingrata , cartoes de credito etc , ate fazer o hã corretamente o cara fala , no unibanco/itau eu quando preciso resolvo por email mesmo , nunca mudaram o gerente , alguns são realemente comédias certa vez um banco qualquer me ligou , e uma amiga atendeu e falou , o cara é surdo nao tem como falar no telefone , pode ser comigo , ai o cara fala pra ele me ligar nesse tal numero kkkkkk , não da para entender , se lascaram a amiga minha era uma dessa bem grossas mesmo falou ate o que não devia é isso ai pessoal abcs. Fora tdd 0800 inútil de bancos.

    • Sim, 0800 é uma inutilidade pra ouvintes, pra surdos então, sem comentários.
      Mas é um abuso quererem nos prender a telefone TDD e a atendimento via 0800.
      Me pergunto se eles obrigam pessoas com deficiencia visual a ‘dar um jeitinho’ também. Duvido! Assim como nunca vi rampas com buracos nem nada do tipo. É a acessibilidade para surdos que anda capenga nas instituições financeiras!
      Bjo,

  • Eu ri alto com a frase do final do post… Sinceramente, NINGUÉM MERECE essa porcaria!! Vou copiar pro DNO e pra coluna do Acessibilidade Total. Façamos uma barulheira para acabar com essa palhaçada!
    Excelentes dicas que você deu sobre como atender surdos oralizados. É isso mesmo!! Acessibilidade de acordo com as nossas necessidades, não nós nos adaptando à (risível) acessibilidade disponível!
    Beijinhos

    • Obrigadíssima pela ajuda Lak, e VAMOS FAZER BARULHO.
      O Santander me mandou um Twitt dizendo que quer conversar.
      A o pessoal da concessionária de rodovias Triunfo me avisou que atendem 24hs por dia surdos atraves de SMS – o que achei sensacional, porque imagina estar dirigindo à noite, sozinho, se acidentar e ter que LIGAR pro socorro!!!!

      • Vou gravar um vídeo essa semana pra um evento sobre pessoas com deficiência, que fala sobre essas coisas ‘banais’ que a gente passa e atrapalham. Pode ter certeza que isso será citado. Não dá mais pra aturar calado.
        Depois conta o que o Santander te falou…
        Beijos

  • Paula concordo com tudo que vc disse, e falo esse telefone, não serve para nenhum surdo.Tdos os sinalizados que conheço, não usam e tb não sabem usar esse TDD, e nenhum tem em casa.Então, não serve para ninguém.

    Também tenho conta no Santander, tinha acesso com o gerente via email, mas como vc citou trocam direto????Parece cargo de técnico de futebol, não duram 6 meses.Rsrsr

    Agora tenho que ir lá, pq aumentaram (como sempre)uma taxa, tem que ser ao vivo.Oh céus…Canseria é pouca viu.

    • Greize,

      Eu não entendo porque trocam tanto de gerente lá no Santander. Semana passada fiz uma solicitação por email ao que eu pensava que era meu gerente e ele me informou que não era mais. A sorte foi que a moça que é agora já me conhecia, e agilizou as coisas pra mim!
      Queria ter o mesmo gerente sempre, porque a vida fica MUITO mais fácil.
      Bjo,

  • Paulinha
    Me sinto envergonhada de ler seu texto, nosso país fala tanto em ecologia e acessibilidade e no fundo alguns fazem alguma coisa para poucos; e em especial os bancos, o lugarzinho aonde o atendimento é péssimo, precisam melhorar muito mesmo, a internet ta aí para ajudar a todos, são criados tantos canais para coisas que não usamos nos sites dos bancos. Espero que esse post seja lido por milhares e que alguém tenha a decência de compreender a real necessidade dos surdos oralizados e também dos cadeirantes e portadores de necessidades especias(são sempre esquecidos). Respeito, é tudo que precisamos.

    Nosso niver tá chegando 🙂
    bjo

    • Ana,
      Se existe ‘alguem’ que tem GRANA pra se informar e INVESTIR em todos os tipos de acessibilidade, são os bancos!
      Eles não tem desculpa pra continuar com acessibilidade porca!
      Beijos e obrigadissima por ajudar a divulgar!

Deixe seu comentário