Posts dos Leitores

Carta de uma mãe para sua filha implantada

09/01/2014

‘Meu nome é Jaciana Bezerra, tenho 27 anos e sou mãe da Júlia, de 2 anos e 3 meses. Ela foi diagnosticada com surdez profunda bilateral. No próximo dia 09/01/14, a Júlia estará fazendo seu primeiro implante coclear, aqui na nossa cidade, Natal/RN. Graças a Deus, temos um médico muito respeitado aqui, que atende pelo SUS, tem uma equipe maravilhosa de fonoaudiólogas e que vem nos ajudando muito. E o que é melhor, e pouca gente sabe, aqui não tem aquela “temida” fila do SUS, crianças são implantadas muito rapidamente aqui.  Decidi te enviar uma “carta” que escrevi, para que um dia minha filha possa ler, e sentir um pouco do sentimento que passamos ao descobrir sua deficiência auditiva. Espero que goste, e que ajude a alguma mãe, pai, familiar que esteja passando pelo mesmo que nós. Quando descobrimos a surdez dela, fiquei um pouco sem saber com quem conversar, como as pessoas iriam receber essa notícia, e me encontrei aqui no seu blog e no da Lak Lobato, fiquei imensamente feliz de poder “conhecer” casos de sucesso e de famílias felizes, apesar de tudo. Você é um grande exemplo. Um beijão e sucesso!

ju

 

Filha,

Há 2 anos e 2 meses atrás, você nasceu e minha vida mudou. Quer dizer, nossas vidas mudaram, a minha e a do seu pai. Quando você nasceu, tivemos uma mistura de emoções e sentimentos muito grande. Medo, ansiedade, insegurança, e no meio de tudo isso, um amor brotou sem que nos pudéssemos entender de onde vinha tanto amor, se a gente tinha acabado de te conhecer. Daí em diante, esse amor só aumentou, vibramos com cada descoberta sua, cada choro seu, corríamos para ver o que te perturbava, a cada sorriso “banguelo”, sorríamos junto com você, a cada passo meio “desengonçado”, a cada queda, a cada balbucio, a cada dente que nascia… E assim, esperamos dia após dia a sua primeira palavrinha, mamãe, papai, vovó, vovô… qual seria? Ansiedade a mil, e nada da primeira palavrinha sair. Até que seu pai e eu, decidimos ir a sua pediatra e na guia de encaminhamento para a fonoaudióloga, ela escreveu assim: “pais ansiosos” e era exatamente o que a gente sentia, ansiedade, uma ansiedade imensa de ouvir você falar uma palavrinha se quer. Começamos a cansativa rotina de médicos, um atrás do outro, cada um que desse uma opinião contrária a outra, e nós pais de primeira viagem, confusos com tudo que estava acontecendo, fomos ficando cada vez mais tensos, inseguros e frustrados. Até que fomos encaminhados para um exame chamado Bera, que tanta gente ouviu sair da minha boca, pois foram 4 exames repetidos para não haver dúvidas. O que a gente mais temia, foi diagnosticado. Ouvimos de um médico sem preparo, e sem sentimento algum, assim na lata, que a nossa filha era surda, e que teríamos que aprender a linguagem dos sinais, se não ela se tornaria uma criança sem comunicação. E achando pouco o baque na notícia, ainda perguntou se pretendíamos ter um segundo filho, para fazermos exames, por que um outro filho poderia nascer com o mesmo problema. Ficamos em choque, e o médico não percebeu em nenhum minuto como estava nosso semblante depois de tudo que ele dizia, e continuava a falar, e um filme passava em nossas cabeças… Ela não ouvia nada, nunca ouviu nenhuma música que cantamos para ela dormir, nunca ouviu eu falando que a amo, nunca ouviu a nossa voz….nosso sentimento naquela hora foi o pior possível, mas se der para descrever em uma única palavra nosso sentimento, sem dúvidas, foi de impotência. Impotência de não poder fazer nada para reverter àquela situação, pois era algo que não estava ao nosso alcance. Choramos, choramos e choramos durante dias, ficamos totalmente abalados emocionalmente, não tinha como não olhar para ela e não pensar que ela nunca tinha ouvido a nossa voz. Começamos a nos perguntar o porquê de ser com a nossa filha, seria um castigo? Ela que era tão desejada, tão planejada e tão esperada por todos, sendo ela a primeira neta materna e paterna, um verdadeiro tormento achar uma explicação, onde não há explicação. Gravidez normal, bebê saudável, teste da orelhinha normal, nenhum parente na família com surdez… Depois da fase mais difícil, (a aceitação) e de conversar com alguns médicos e ver que aquele “problema” tinha solução, paramos de lamentar e começamos a agradecer a Deus por nossa filha ter sido a escolhida, e por nós termos a sorte de ser pais dela, uma criança especial, mas que nos ensinará muito mais do que se ela fosse completamente perfeita. Aprendemos a aceitar essa nova fase que iriámos passar, pois se é da vontade de Deus, e está nos planos dele, é por que é o melhor para nós. Foi aí que ouvimos falar pela primeira vez do Implante Coclear, comecei a pesquisar vídeos no YouTube, matérias em jornais, blogs (até que encontrei o seu), procuro me informar de todas as maneiras a respeito do IC, para nós foi uma luz no fim do túnel, uma grande esperança de que nossa filha tenha uma vida normal, e apostamos todas nossas expectativas nele. Uma amiga deixou a seguinte frase para mim no facebook, uma frase do Papa Francisco que se encaixou perfeitamente naquilo que estávamos sentindo: “Deus dá as batalhas mais difíceis aos seus melhores soldados.” E dali em diante, tudo que faríamos seria em prol da saúde dela, era para te ver ouvindo, e ouvir suas palavras pela primeira vez. Fomos ao Dr. Rodolpho Penna, e depois de tantas notícias pessimistas, saímos de seu consultório, pela primeira vez com o coração cheio de esperança e confiança, de que você minha filha, teria uma vida normal, seria uma criança feliz, e nos daria muitas felicidades, pois você teria sua audição e aprenderia a falar como qualquer criança de 2 anos no auge do aprendizado. Não foi fácil, não é fácil e não será fácil tudo que ainda teremos que enfrentar, mas o amor que sentimos por você nos faz ter forças para lutar, uma força tão grande que nem sei explicar de onde vem, só sei que isso é amor, um amor imenso e infinito que sentimos por você.

De sua mãe: Jaciana’

181 amaram.

Você poderá gostar de

21 Comentários

  • Responder Patricia 12/03/2014 at 12:59 am

    Jaciana, como foi a cirurgia? Ela está bem? E vocês? Meu filho está com os aparelhos, mas a cirurgia não foi descartada!!! Sucesso e mantenha-nos infomados!!!

  • Responder Janise 28/01/2014 at 6:06 pm

    Jaciana, lindo o seu depoimento e a cartinha à sua filha. Que Deus as abençoe sempre. Sua filha vai ser feliz, com o implante, e vai agradecer muito a vocês, pais, por terem dado esta chance magnífica que é ouvir… Vida sem som é muito triste! Ninguém merece esta dor! Abraços.

  • Responder Regiane Laura de souza caceres 22/01/2014 at 1:00 am

    LENDO ESSA CARTA E VOLTEI A QUASE UM ANO ATRAS QUANDO DESCOBRI QUE A MINHA FILHA TAMBÉM NÃO TINHA A AUDIÇÃO FOI UM CHOQUE E ME EMOCIONEI LENDO POIS EU PASSEI O MESMO COM A MINHA FILHA COM MÉDICOS DIZENDO QUE NÃO ERA NADA!!! UMA TORTURA ATE DESCOBRIR QUE ELA NÃO TINHA A AUDIÇÃO
    O MEU ESPOSO PAI DELA NÃO SE CONFORMAVA DE JEITO NENHUM DIZENDO ONDE NÓS ERRAMOS! ENFIM HOJE EM DIA A MINHA FILHA É IMPLANTADA A QUASE 9 MESES E É SÓ ORGULHO DELA ELA JA ESTA EM UMA ESCOLINHA É TRATADA COMO TODAS AS CRIANÇAS! É MUITO GRATIFICANTE O PODER DO IMPLANTE ELE É MARAVILHOSO ESTOU MUITO FELIZ E AGRADEÇO ADEUS TODOS OS DIAS PELA MINHA FILHA!!!EU A AMO MUITO!!!

  • Responder Magali A Bravo Ferreira 20/01/2014 at 7:31 pm

    Fiquei também emocionada com a história da Julia ,contada no crônicas da Paula .Um grande beijo pra vocês tudo ficará bem tenham fé em DEUS pois ELE é maior que o nosso problema e está sempre a nossa frente!

  • Responder Anita Gonçalves 10/01/2014 at 4:11 pm

    Olá Jaciana,

    Fiquei emocionada com a história da sua amada filha Júlia.

    A Júlia é muito especial, tenho certeza de que dará tudo certo para ela.

    Parabéns pelo amor e carinho dedicado a sua filha.

    UM beijo.

    Anita

  • Responder Jeanine Vaz 10/01/2014 at 11:54 am

    Este relato descreve todo o sentimento que senti com meu Guilherme. Hoje ele já está com 8 meses de implantado e falando várias palavrinhas. Mas o que me deixa mais feliz, é vê a felicidade que ele tem de escutar, pois temos a certeza que o IC foi a melhor escolha. A batalha é longa, mas as conquistas gratificarão o esforço.
    Desejo que essa pequena e todos os outros implantados tenham muito sucesso.

  • Responder José Pessoa 10/01/2014 at 10:35 am

    Jaciana,

    Muita luz para sua família. Tudo vai dar certo,pois Deus estará a frente desta situação. Não deixe de nos falar sobre o sucesso do IC da Julia.

  • Responder Natália 10/01/2014 at 9:18 am

    Ué, mas a carta é para a filha ou para a Paula do Crônicas? Acho que acabou misturando os destinatários…!

    Desejo todo o amor e sucesso para a querida Júlia!!! Parabéns pela mãe excepcional que é você!

    • Responder Jaciana 12/02/2014 at 6:23 pm

      Muito obrigada Natália. Não me considero uma mãe excepcional, tenho muitos defeitos, e sigo errando e aprendendo com eles, mas tento ser o melhor que posso para minha filha.
      Em relação ao destinatário, a ideia é guardar a carta para minha filha poder ler futuramente, e entender todo o sentimento e tudo que passamos até este momento, mas no meio de tantas emoções acabei falando um pouco com a Paula também.
      beijos

  • Responder Luciana Camila de Oliveira Zambardini 10/01/2014 at 8:22 am

    Jaciara, bom dia!

    Você e seu marido são ESPECIAIS e por isso a Julia foi entregue à vocês para ser criadas! Me mande notícias dela! Hoje faz um dia depois da cirurgia como ela está?
    Bjus e fiquem na Santa Paz de Deus!!!

    • Responder Jaciana 12/02/2014 at 6:20 pm

      Olá Luciana. Muito obrigada por suas palavras. A recuperação dela foi ótima, já esta na escolinha, e amanhã será o grande dia da ativação. Estamos ansiosos! Beijos

  • Responder Danyelle 09/01/2014 at 10:38 pm

    Parabéns pelo exemplo e pela fé. Ótima recuperação para a princesinha.

    • Responder Jaciana 12/02/2014 at 6:25 pm

      Muito obrigada Danyelle. Beijos

  • Responder Teresa Moura 09/01/2014 at 9:33 pm

    Jaciana,

    Parabéns pela coragem…
    Muitos desistiram.. E vcs não!!!
    Tenha certeza que ela sentiu todas as musicas cantadas para ela e todo amor que vcs passavam.

    Beijos

    Sua colega de faculdade

    Teresa

    • Responder Jaciana 12/02/2014 at 6:25 pm

      Obrigada Teresa. A gente tem duas escolhas na vida, se lamentar pelo resto da vida ou criar um impulso para nos fortalecer, e é a segunda opção que tento fazer sempre. Beijos

  • Responder Susana 09/01/2014 at 12:45 pm

    Perfeito! Sua carta é linda e cheia de amor!

    Digo com toda certeza que sei exatamente o que sente e q essa carta descreve de tamanha intensidade (q a cada dia aumenta mais)o meu amor pelo meu filho.

    Continue vencendo!

    Bjo

    • Responder Jaciana 12/02/2014 at 6:18 pm

      Obrigada Susana. Quem é mãe, sabe o tamanho do nosso amor por nossos filhos. Beijos

  • Responder Ines Martins 09/01/2014 at 12:15 pm

    Que linda história! E vai ter final feliz!

    Jaciana, não deixe de nos informar sobre a Júlia!

    Bjs

    • Responder Jaciana 12/02/2014 at 6:16 pm

      Obrigada Ines! Amanhã finalmente é o dia da ativação dela, a recuperação foi ótima, só aguardar agora as novidades que virão. Beijos

  • Responder Marcelle França 09/01/2014 at 11:48 am

    Passei e passo pela mesma situação e emoção, meu filho fará três anos e fará o implante agora em Janeiro. Esse texto descreveu maior parte de tudo que senti e sinto, nós vamos vencer e já estamos vencendo. O importante é que nossos anjinhos têm muitaaaaaaaaa saúde e logo, logo muitos sons!!!

    • Responder Jaciana 12/02/2014 at 6:15 pm

      Com certeza Marcelle! Nossos filhos tem o principal, que é nosso amor. Boa sorte para vocês! Beijos

    Deixe seu Comentário