Deficiência Auditiva Implante Coclear MED-EL Publicidade

Escolhendo um implante coclear: MED-EL

*Post escrito pela equipe MED-EL

Um implante coclear é uma escolha para a vida toda. Sendo assim, você quer ter a certeza de estar tomando a decisão correta. Nós sabemos que essa escolha envolve muitos fatores a serem considerados, e para tornar mais fácil esse processo, selecionamos aqueles mais importantes. Segue abaixo um pequeno guia para ajudar a escolher o seu implante coclear.

1. Ouvindo melhor

Você está escolhendo um implante coclear para poder escutar – então por que não escolher uma audição que seja o mais próxima possível do natural? O implante coclear da MED-EL possui tecnologia que entrega ao paciente uma qualidade de som mais natural, o que nenhum outro implante coclear disponível hoje no mercado é capaz de promover. 1,2,3,4

Benefícios da audição mais natural:

  • Escutar melhor rapidamente após a adaptação ao implante coclear: Aprender a ouvir com qualquer implante coclear exige paciência e dedicação — mas com a MED-EL, os usuários podem gozar de uma melhor audição já nos primeiros meses. (*5, 7)
  • Escutar melhor no silêncio e com ruído de fundo: os implantes cocleares da MED-EL são projetados para garantir a melhor audição no dia-a-dia — mesmo em ambientes barulhentos como restaurantes, de modo que você não precisa depender de acessórios volumosos, como microfones remotos. (*3,5,6)
  • Qualidade do som mais natural: comparado com outras marcas de implante coclear. Em um estudo interessante, usuários receberam uma marca diferente em um ouvido e mais tarde um implante da MED-EL no outro. A maioria dos usuários classificou a qualidade do som da MED-EL como mais natural do que o da outra marca de implante. (*2)
  • A música é mais agradável: mais de 90% dos usuários da MED-EL relataram que a música soa agradável através de seu implante coclear. 2,8,9,10 Saiba mais sobre o Triformance.

Tecnologias & Recursos que seu implante coclear deve abranger:

  • Eletrodos longos para estimular toda a cóclea e escutar todos os sons, dos sons agudos até os graves;
  • Tecnologia FineHearing para uma alta resolução do som, para alcançar até os sons graves mais profundos;
  • Eletrodos suaves e flexíveis. A cóclea é muito delicada e você não quer que ela seja lesada. Uma cóclea lesionada durante a cirurgia pode aumentar as chances de resultados ruins. (*11, 12). Mais informações em inglês, clique aqui e aqui.

“Eu escolhi MED-EL baseado nos depoimentos de usuários relatando que os sons são confortáveis e claros. A tecnologia MED-EL oferecendo a percepção da música com melhor qualidade também foi importante para a minha decisão.”

Alexandre Ohkawa, 38 anos

Leia mais porque somente o implante coclear da MED-EL tem a tecnologia disponível para uma qualidade de som mais natural do que outras marcas de implante coclear. 1,2,3,4,5
http://www.medel.com/br/performance/

2. Vivendo com um Implante Coclear

Um implante é para toda a vida. Veja o que deve ser considerado para uma vida com o implante coclear:

  • Uma cóclea sem lesões poderá se beneficiar de tecnologias futuras, por isso a opção por eletrodos totalmente flexíveis, que ajudam a preservar a delicada estrutura da cóclea, é a mais inteligente. (*13) Leia mais aqui, em inglês.

“Após a cirurgia eu continuei usando o aparelho auditivo até a ativação, ainda conseguia entender as pessoas. Após 6 meses da primeira cirurgia eu já estava preparada para fazer o segundo lado… agora sou bilateral e estou muito feliz!”

Sara Mendes, 26 anos

“Os profissionais nos indicaram o implante coclear e falaram sobre todas as marcas. Fizemos uma pesquisa para comparar os implantes do mercado e percebemos que a MED-EL tinha sempre a melhor avaliação dos pais de crianças implantadas. Não tivemos dúvidas que MED-EL seria a melhor escolha”.

Priscila e Rony, mamãe e papai do João Bernardo, 2 anos

  • A empresa deve oferecer compatibilidade do dispositivo interno com os novos processadores para que o usuário possa se beneficiar das tecnologias futuras. Caso contrário, surgirão futuramente processadores mais modernos, mas o usuário ficará preso ao seu antigo processador. A MED-EL oferece há mais de 20 anos a compatibilidade entre os dispositivos, o que lhe permitirá fazer upgrade a cada novidade.  Todo implante coclear MED-EL é feito para proporcionar segurança e confiabilidade excepcionais a longo prazo. Os processadores de áudio da MED-EL são projetados para serem excepcionalmente confiáveis. A taxa média mensal de serviço mostra que menos de 1% dos nossos processadores de áudio são enviados para nós com problemas que exigem serviço. A MED-EL pensa em seus usuários e em breve irá inaugurar a primeira Assistência Técnica em São Paulo fora da Matriz na Áustria. O grande objetivo é atender os brasileiros com maior rapidez e eficiência. Serviço mais próximo aos usuários da MED-EL.

“Estou implantada há 18 anos e já usei todos os processadores da MED-EL. Cada novo modelo me surpreende. Saber que sempre poderei usar os processadores mais novos me dá uma tranquilidade. Não vejo a hora de chegar o próximo.”

Sheila Vieira, 32 anos

3. Segurança acima de tudo.

A vida é imprevisível, e nenhum de nós está a salvo de acidentes, lesões ou alguma doença. Assim, o mais recente implante coclear da MED-EL, o SYNCHRONY, está com você. Com uma segurança excepcional e alto alinhamento do imã do implante, o SYNCHRONY permite RMN (ressonância magnética) mais segura do que qualquer outro implante. Ao contrário de outros implantes cocleares, com o SYNCHRONY não há necessidade de remover cirurgicamente o ímã, mesmo para uma RMN de alta resolução como de 3.0 Tesla. Sendo assim, o usuário não sentirá  dor ou desconforto no implante durante uma ressonância magnética.

“Pesquisei o que seria mais adequado para mim por eu ser transplantado de fígado e necessitar de Ressonância Magnética eventualmente. Então descobri que a MED-EL além de ter uma tecnologia de ponta era o único IC que permite fazer a ressonância de 3.0 Teslas com o componente interno SYNCHRONY ”

Nicola Pacheco, 59 anos

“Optamos pela MED-EL após uma criteriosa análise técnica. A escolha se deu pela inovação tecnológica do imã, qualidade do som e estética mais delicada. Todas nossas expectativas foram superadas e podemos dizer que foi a melhor escolha. Hoje vê-la formando frases e repetindo os sons é surpreendente”

Denise e Isaias, mamãe e papai da Gabriela, 2 anos

Leia mais sobre Ressonância Magnética e implantes cocleares:
http://www.medel.com/br/cochlear-implants-mri-safety

Estamos com você

Com certeza você terá mais perguntas à medida em que avança na sua jornada da escolha do implante coclear. Nós ficaremos felizes em responder quaisquer dúvidas que você tenha. Com uma equipe de suporte cuidadosa e dedicada, estamos aqui para ajudar com todos os seus passos neste caminho. Entre em contato conosco hoje – esperamos receber a sua opinião e dúvidas. Caso queira conhecer a história de algum dos usuários apresentados aqui com mais detalhes, entre em contato conosco!

Contate a MED-EL MED-EL perto de você

  1. 1. Rader, T., Döge, J., Adel, Y., Weissgerber, T., & Baumann, U. (2016). Place dependent stimulation rates improve pitch perception in cochlear implantees with single-sided deafness. Hear Res., 339, 94–103.
  2. Harris, R.L., Gibson, W.P. Johnson, M., Brew, J., Bray, M., & Psarros, C. (2011) Intra-individual assessment of speech and music perception in cochlear implant users with contralateral Cochlear and MED-EL systems. Acta Otolaryngol., 131(12), 1270–1278.
  3. Vermeire, K., Landsberger, D.M., Van de Heyning, P., Voormolen, M., Kleine Punte, A., Schatzer, R., & Zierhofer, C.(2015) Frequency-place map for electrical stimulation in cochlear implants: Change over time. Hear Res., 326, 8–14.
  4. Schatzer, R., Vermeire, K., Visser, D., Krenmayr, A., Kals, M., Voormolen, M., Van de Heyning, P., & Zierhofer, C. (2014) Electric-acoustic pitch comparisons in single-sided-deaf cochlear implant users: frequency-place functions and rate pitch. Hear Res., 309, 26–35
  5. Buchman, C.A., Dillon, M.T., King, E.R., Adunka, M.C., Adunka, O.F., & Pillsbury, H.C. (2014). Influence of cochlear implant insertion depth on performance: a prospective randomized trial. Otol Neurotol., 35(10), 1773–1779.
  6. Kleine Punte, A., De Bodt, M., & Van de Heyning, P. (2014) Long-term improvement of speech perception with the fine structure processing coding strategy in cochlear implants. ORL J Otorhinolaryngol Relat Spec., 76(1), 36–43.
  7. Helbig, S., Helbig, M., Leinung, M., Stöver, T., Baumann, U., & Rader, T. (2015). Hearing preservation and improved speech perception with a flexible 28-mm electrode. Otol Neurotol. 2015 Jan;36(1):34-42.
  8. Müller, J., Brill, S., Hagen, R., Moeltner, A., Brockmeier, S.J., Stark, T., Helbig, S., Maurer, J., Zahnert, T., Zierhofer, C., Nopp, P., & Anderson, I. (2012) Clinical trial results with the MED-EL fine structure processing coding strategy in experienced cochlear implant users. ORL J Otorhinolaryngol Relat Spec. 74(4),185–198.
  9. Roy, A.T., Carver, C., Jiradejvong, P., & Limb, C.J (2015) Musical sound quality in cochlear implant users: A comparison in bass frequency perception between Fine Structure Processing and High-Definition Continuous Interleaved Sampling strategies. Ear Hear. 36(5), 582–590.
  10. Roy, A.T., Penninger, R.T., Pearl, M.S., Wuerfel, W., Jiradejvong, P., Carver, C., Buechner, A., & Limb, C.J. (2016). Deeper cochlear implant electrode insertion angle improves detection of musical sound quality deterioration related to bass frequency removal. Otol Neurotol., 37(2), 146–151
  11. Wanna, G.B., Noble, J.H., Gifford, R.H., Dietrich, M.S., Sweeney, A.D., Zhang, D., Dawant, B.M., Rivas, A., & Labadie, R.F. (2015) Impact of intrascalar electrode location, electrode type, and angular insertion depth on residual hearing in cochlear implant patients: Preliminary results. Otol Neurotol. 36(8):1343–1348.
  12. Wanna, G.B., Noble, J.H., Carlson, M.L., Gifford, R.H., Dietrich, M.S., Haynes, D.S., Dawant, B.M., & Labadie, R.F. (2014) Impact of electrode design and surgical approach on scalar location and cochlear implant outcomes. Laryngoscope. 124(6):1–7.
  13. Nordfalk, K., Rasmussen, K., Hopp, E., Bunne, M., Silvola, J.T., & Jablonski, G.E., (2016). Insertion Depth in Cochlear Implantation and Outcome in Residual Hearing and Vestibular Function. Ear Hear. 37(2):e129–137

 

15 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

4 Comentários

Deixe seu comentário