Crônicas da Surdez Deficiência Auditiva

Não gosto de usar aparelho auditivo

‘Não gosto de usar aparelho auditivo‘ e ‘Não me adaptei aos aparelhos auditivos’ são duas frases que eu ouço e leio diariamente, tanto na Sonora quanto aqui no Crônicas da Surdez. As duas possuem a mesma origem: ninguém quer ter que usar aparelho auditivo, pois este ato não significa apenas colocar dois aparelhinhos nos ouvidos, mas uma série de outras coisas. Por exemplo: admitir e aceitar a própria deficiência auditiva. 😉

O maior tabu sobre a surdez tem a ver com a vergonha. É por isso que tanta gente passa tanto tempo tentando desesperadamente esconder sua deficiência, e mais tempo ainda querendo esconder os seus aparelhos auditivos. A verdade? Esconder, qualquer um esconde – embora a surdez apareça mais do que qualquer aparelho – mas é o enfrentamento da situação que não apenas te torna mais forte, como também melhora a sua qualidade de vida e a sua audição.

Após ler o relato de um amigo muito querido falando com muita naturalidade que havia desistido de usar seus aparelhos, pedi dicas aos membros do Grupo Crônicas da Surdez no Facebook de como NÃO desistir de usá-los. Aqui está uma compilação preciosa de dicas! Enjoy!

Bárbara

Procure outro fonoaudiólogo e eduque sua família para participar do seu processo primeiro. Geralmente, é onde tenho visto os maiores problemas. Um fono que culpa a pessoa surda e uma família que espera o “milagre da audição”. Nenhum dos dois quer realmente por a mão na massa e acompanhar com afinco e dedicação o desenvolvimento, adaptação e necessidade de apoio para o melhor uso do aparelho.

Michelle

Desistir não é a melhor coisa a se fazer! O incômodo é grande mas com o tempo a gente acostuma! E acredite: vale a pena!

Isabella

Tenho uma amiga da minha idade que também é surda e oralizada. Ela me disse que não gosta de usar os aparelhos porque dá dor de cabeça. Sugeri a ela procurar por implante coclear, porque não podemos ficar sem ouvir nem sentir dor de cabeça ao escutar. Paula, você acredita que ela me perguntou “mas não é só a partir dos 18 anos que faz essa cirurgia?” Fiquei muito triste, principalmente porque os pais dela nunca correram atrás de recuperar a audição dela. E todos os dias eu lembro a ela “fale com sua mãe, pede para avaliar a opção de implante, ouvir é uma coisa maravilhosa, você não poder se privar disso!”

Jacqueline

Olha, eu já desisti um dia na minha vida de usar os aparelhos auditivos, posso confessar que foi bom. Foi! Mas a minha qualidade auditiva caiu muito, não treinei meu cérebro o suficiente para que quando chegasse a colocar o Implante Coclear ele estivesse mais preparado – assim eu teria uma reabilitação auditiva mais rápida. Meu conselho é: NÃO TIRE OS APARELHOS AUDITIVOS!! Por mais que incomode, procurar sempre pelo melhor, mais cômodo, não tem dinheiro pra comprar, procure o Ambulatório de Especialidades (AME) para se cadastrar no programa e conseguir de graça. Mesmo que não ouça NADA, só uns barulhos estranhos, no futuro vai ser vantajoso

Aninha

Comigo foi quase assim: tive que tomar ciência que estava parecendo um rádio ligado no último volume ? E o os outros falando pra eu falar baixo! Maisacho que é questão da pessoa mesmo não fazer um esforço pra se adaptar. Esforce-se!

Samira

Procure outras alternativas, como eu fiz . Mas, nunca desista . Achará uma forma de suprir essa dificuldade . Agora irei para o sistema BAHA . Tecnologia cada dia melhor . Avante !!!

Iara

Outra ajuda seria estimular a curiosidade de ouvir num lugar silencioso e testar vários tipos de sons, para não ficar confuso e memorizar melhor.

Ana Lúcia

As vezes eu aconselho contando minha história de vida. Como eu tenho síndrome de Usher (deficiência auditiva e visual), que é uma condição difícil, aceitei em usar aparelhos mesmo com aparelho com som de “rádio”. E conto que eu me adaptei porque melhorou muito minhas dificuldades de escutar, mesmo perdendo a visão, os aparelhos abriram o mundo para mim e não desisti!

Tere

Desistir é para os fracos…A perda de um sentido é sempre uma catástrofe, mas existem perdas piores que a audição.

Marcelo

Falaria : faça parte do Grupo Crônicas da Surdez. Você vai sentir mais motivado e perceber que usar é fundamental.

Linda

Não é a melhor opção não usar. Tive grande prejuízo quando usei o primeiro aparelho pois não usava corretamente. Podia ter causado menos danos  à minha audição se os tivesse usado, e do jeito certo.

Sandra

No começo é difícil, dói até, você tem que passar fases, se aceitar, no final tudo vale a pena, ficar parado quando se tem opção não é a solução.

Maria

Dar um tempo para para o organismo se adaptar. Persistir.

Lucilene

Desistir não é opção e só piora a longo prazo. No início e difícil mas com o tempo é melhor a qualidade de vida e convivência.

Juliano

É chato usar? SIM. Incomoda? DEMAIS. Estressa? SIM. Mas isso é só na FASE DE ADAPTAÇÃO. Depois que passa a fase da coceira insuportável, depois que seu cérebro já organiza melhor o som, depois que você percebe que quando está sem os aparelhos, se uma pessoa vem conversar com você, ao invés de falar “Hãm” ou “Oi, pode repetir” trocar pela segunda frase: “Um momento”. Tranquilamente você coloca seus aparelhos auditivos e continua a conversa com o seguinte pensamento: “Não irei pagar um investimento a minha saúde para ficar no “Hãm? Oi? Então?”? E não irei me isolar do meu convívio social por causa de uma zona de conforto que não existe. Conforto é você NÃO chegar em casa a noite com excesso de leitura labial e não ter ânimo, ficar no escuro para que seus olhos/cérebro descansar e ainda ter que aguentar os zumbidos. E eu não nasci para ficar confortavelmente em uma bolha que algumas pessoas criam (não me refiro aos deficientes auditivos, em a sociedade em geral). Hoje, tenho sede de som, quero ir atrás de um som novo que eu escuto e não sei onde está, quero ouvir as pessoas, quero melhorar minha fala, quero ter desejo e o direito de usar as tecnologia sempre puder, quero inovar. Quero levar ao final da minha vida, uma bagagem de som que antes não pude escutei, já por motivos elencados acima.

Ester

Não pode desistir de jeito nenhum. Lembrando das dificuldades vencidas no período de adaptação e compra dos aparelhos auditivos. Desistir pra que se foi tão difícil chegar até aqui? São muito os benefícios a longo prazo.

Maria Rosa

Não desista! Apesar das dificuldades na adaptação vale muito a pena buscar uma melhor qualidade de vida. Uma boa fonoaudióloga faz MUITA diferença na adaptação e ajustes do AASI.

Isabella

Que não desista ! Um processo de adaptação envolve muitas nuances como a indicação apropriada, o ajuste necessário, a empatia com o profissional, o conhecimento do mesmo, além das necessidades individuais. Como podemos ver são muitos fatores que podem interferir de uma forma positiva ou negativa em uma adaptação de aparelhos auditivos , por esta razão NÃO desista , alguma fase deste processo pode ter apresentado problema e isto irá comprometer todo o resultado final ! Por favor NÃO DESISTA!

MINHAS DICAS

  • Trace uma meta de horas de uso por dia, e vá aumentando gradativamente!
  • Comece usando em ambientes silenciosos
  • Teste os sons que você gostava de ouvir e as músicas que gostava de ouvir, dia após dia
  • Comece conversando com uma pessoa por vez, e vá aumentando devagar o número de pessoas na conversa
  • Quando se sentir confiante, teste para ver se consegue escutar ao telefone, no celular, etc.
  • Não desista ao primeiro sinal de incômodo pois o cérebro precisa de TEMPO para se adaptar aos novos sons ( e acredite, o cérebro humano se adapta a TUDO, é só questão de tempo e adaptação)
  • Faça um diário das suas descobertas auditivas
  • Neste diário, escreva sobre os sons que gosta e aqueles que te incomodam, para mostrar à sua fonoaudióloga
  • Não gosta da fonoaudióloga que te atende? Procure outro profissional.  Você precisa se sentir à vontade nessa hora!
  • Faça amizade com outras pessoas que usam aparelhos para compartilhar experiências
  • Se o molde estiver doendo, refaça-o
  • Proponha-se a amar seus aparelhos e a transformá-los nos seus melhores amigos!
37 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

6 Comentários

  • Vou começar a pesquisar aparelhos auditivos, gostei das dicas aqui.
    Meu marido fala pra eu pesquisar bem, mas ele não sabe que não é como comprar um carro.
    O Oftalmo me indicou 2 lugares perto da minha casa, aqui na Vila Clementino
    Se eu achar um que goste com bom atendimento vou fechar.
    Não é uma compra fácil

  • Eu tava futucando por acaso e me admirei pois passei por todas essas experiências…uso desde 2013….em 2016 perdi os aparelhos…fiquei 09 meses sem usar e quase tava enlouquecendo…vida social e laborativa aos trancos…Hoje, praticamente levanto da cama ja com os meus aparelhos…a melhor coisa que fiz, apesar de ter vergonha de usar, de saber que volta e meia perguntarei ” como “?….” o quê ?”…afinal, a tecnologia ajuda e muita mas as adaptações são diárias e cheias de descobertas…Ouvi um bem- te- vi é surpreendente…E nos esquecemos que usar óculos também passa a ser deficiência, então porque a auditiva é tãoooo preconceituada? Enfim…são muitas experiências!! Adorei esse espaço…somos importantes a cada um com nossas trocas de vivências…Vamos ” ouvir” uns aos outros e darmos boas risadas!! Ah…a minha perda foi aos 40 anos….bilateral …de leve a moderada…acredito que com um traço hereditário!! Não fico sem meus AASI….felicidades a todos nós!

  • Bem legal esses depoimentos e experiências, vale todas essas dicas com certeza.
    Noto mesmo vários pontos citatdos acima.

  • concordo plenamente com o que a Bárbara disse e acrescento busque informação e conhecimento para aprimorar sua audição compreensao e fala. Aceite-se! Nao se esconda! Quando buscamos conhecimento e aplicamos no nosso dia a dia, a vida muda drasticamente para melhor.

  • Não tenho qualquer objeção ao uso de aparelhos auditivos, na verdade a minha preocupação é com deixar de usá-los. São mais de 15 anos ininterruptos de uso, necessário, não somente devido a melhoria na qualidade de vida, como na atuação profissional, pois sou advogado.
    Compreendo que muitos não queiram utiliza-los, pois a deficiência ficaria evidente e muitos não aceitam a perda.
    Entretanto, quero deixar aqui o meu testemunho de que ouvir é a coisa mais importante para mim e, portanto, vou usar todos os recursos necessários para manter a minha audição. Sou deficiente auditivo com perda moderada em ambos os ouvidos, em decorrência de uma inflamação auditiva,

  • estou usando faz dez dias estou muito bem nao to tento poblemas com adaptaçao muito bom muito legal tenho deficiencia bi lateral.

Deixe seu comentário