Aparelhos Auditivos Destaques Fonoaudiologia

O que é mapeamento de fala

Por: fonoaudióloga Dra. Luciana Garolla

Você já se  perguntou se é possível saber como seus aparelhos auditivos amplificam os sons na sua orelha? Se eles estão realmente  aumentando os sons da fala como deveriam? Pois este teste existe e se chama MAPEAMENTO DE FALA.

Eu escuto, mas não entendo!

Então você – ou alguém da sua família – descobriu que precisa usar aparelhos auditivos. Foi até uma revenda autorizada, fez todos os testes e adquiriu o modelo recomendado pela fonoaudióloga que te assegurou que você voltaria a ouvir muito bem a conversação, até mesmo em ambientes ruidosos. Mas pouco tempo depois você percebe que não é bem assim.

Você até entende a fala “um pouco melhor”, mas basta ter algum barulho, para que você não consiga entender o que as pessoas falam. Você então,  volta até a revenda várias vezes, faz inúmeros  ajustes que até parecem trazer alguma melhora momentânea, mas basta chegar em casa para perceber que o problema continua. Aí então, frustrado pelo pouco benefício obtido, você termina desistindo de usar seus aparelhos.

A história acima é muito comum entre usuários de aparelhos auditivos com poucas diferenças entre elas. Às vezes os aparelhos foram adquiridos pelo SUS  e  você não acredita na qualidade dos aparelhos recebidos; ou até fez a compra dos aparelhos por conta própria, mas como não pôde pagar pelo modelo mais “avançado”, acredita que este é o “melhor  ajuste possível” com o modelo adquirido.

Para todas as situações descritas acima  – e mais tantas outras que acontecem todos os dias –  em mais de 80% dos casos (e isso são dados de pesquisas, ok?), o problema está SIM  no AJUSTE dos aparelhos auditivos. E você vai entender o porquê quando eu te contar como os aparelhos auditivos funcionam.

Como os aparelhos auditivos digitais funcionam?

Se os seus aparelhos precisam de um computador para serem programados, eles são digitais. E aparelhos digitais são mini-computadores  que processam, ou seja, analisam todos os sons que chegam ao microfone ANTES de serem amplificados.

Aparelhos auditivos digitais forecem mais ou menos ganho (aumento de som) conforme o tipo de som a ser amplificado. É mais ou menos assim: se o som que chegou no microfone do aparelho auditivo for classificado como fala, ele recebe mais ganho; já se esse som é classificado como ruído, recebe menos ganho. Parece simples, não é? Só que não.

Esse funcionamento não é tão simples quanto parece porque tanto os sons da fala como os ruídos chegam ao microfone do aparelho auditivo AO MESMO TEMPO. E se tanto os sons da fala quanto  os ruídos estiverem numa mesma frequência de som, o aparelho irá reduzir o ganho nesta(s) frequência(s) e com isso também a fala contida ali.  

Sabendo que os aparelhos auditivos classificam os sons antes de fornecer aumento à eles, você já deve ter percebido que a única forma de se avaliar se o ganho fornecido para a fala é mesmo ideal para você,  seria com o uso  de sons de fala  durante os testes, certo? (já que avaliar o ganho com qualquer outro som levará a um resultado diferente do real aumento fornecido para os sons de fala).

É exatamente essa informação que  o Mapeamento de Fala nos dá. Por meio dele, é possível identificar exatamente se a fala está sendo amplificada pelos seus aparelhos e quais as frequências necessitam de maior (ou menor) aumento, permitindo um ajuste muito mais preciso de seus aparelhos autivos em função da sua perda de audição.

O que é O MAPEAMENTO DE FALA?

O Mapeamento de Fala nada mais é que o registro por frequência da fala amplificada pelo aparelho auditivo captada diretamente na sua orelha. Nele é possível observar se  a fala está ou não sendo amplificada  em todas as frequências, de acordo com a sua perda de audição.  Se este “mapa” mostrar que a fala não está sendo amplificada adequadamente,então a fonoaudióloga responsável fará os ajustes  apenas nas frequências que necessitam de mais ganho para tornar a fala audível, o que torna os ajustes muito mais precisos.  

Como funciona?

O Mapeamento de Fala é feito colocando-se uma micro-sonda (um tubinho plático bem fininho) na orelha do usuário* junto com o aparelho auditivo. Em seguida você  ouvirá uma gravação de fala. Essa sonda irá então captar a amplificação  fornecida para a fala diretamente na sua orelha, fornecendo um mapa personalizado da fala que foi amplificada para você.

É importante esclarecer que o mapeamento de fala avalia se o aparelho auditivo está  amplificando  a fala de maneira eficaz para a sua perda de audição e não o quanto você compreende sobre essa gravação durante o teste. Apesar desta avaliação fornecer um “mapa” da fala amplificada,  este mapa não se refere à capacidade de discriminação e interpretação dos sons pelo paciente, mas sim sobre a amplificação que o aparelho auditivo oferece sobre os sons de fala.

Numa analogia simples, na compra de novos óculos é necessário checar se as lentes confeccionadas tem realmente o grau prescrito pelo seu médico para que você possa enxergar bem.  Do mesmo modo, o Mapeamento de Fala checa se os aparelhos auditivos estão de fato fornecendo o ganho necessário para que a fala possa ser ouvida por você, entendeu? Afinal, para que você possa compreender a fala, é necessário antes de tudo, OUVI-LA,  porque sem audibilidade não tem como haver  compreensão.

Para finalizar, gostaria muito de agradecer à Paula Pfeifer pela oportunidade de trazer ao conhecimento de todos vocês este teste tão imprescindível e ainda tão desconhecido aos usuários de aparelhos auditivos. Vocês sentem na pele todos os dias as dificuldades em compreender a fala com seus aparelhos e acreditem, isso tem solução.

Como já disse no início deste post, em mais de 80% dos casos, os ajustes realizados sem o uso do Mapeamento de fala não tornam a fala audível. Quando os ajustes são feitos de forma ideal, as dificuldades encontradas por vocês desaparecem. Por isso não desista. Você pode sim ouvir melhor com seus aparelhos!.

*No caso de bebês e crianças o mapeamento de fala é realizado com a utilização de uma medida auxiliar chamada RECD e que permite que a  avaliação seja realizada em qualquer idade.

Vídeo que explica como funciona (com legendas!)

41 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 34 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

10 Comentários

  • Oi Paula,adoro seu bloco e acompanho todos os post, gostaria muito que você fizesse um ensinando como.o limpar os ICS. Recentemente fui orientada a limpar os meus com álcool isopropílico e me dei conta que não sei fazer direito. Me orientaram no dia que peguei os aparelhos e não me lembro mais. Grande abraço!

  • Oii minha filha é deficiente auditiva e percebo suas dificuldades com os aparelhos… Essa regulagem só faz no IVA? Só tem em SP? Moramos no MS
    Obrigada ?

    • Oi Eliane.
      Olha, infelizmente até o momento só o IVA oferece esta avaliação à todo e qualquer usuário de amplificação, independente da marca, ou de como este aparelho foi adquirido (se comprado no particular ou via SUS). Mesmo em SP ainda são poucas as revendas que oferecem esta avaliação, e mesmo assim sempre vinculadas à marca que representam, estando o ajuste vinculado à compra dos aparelhos.
      Mas eu tenho uma boa notícia. Em alguns casos é possível fazer o mapeamento de fala sem a presença do paciente. Somente com o envio dos aparelhos. Eles serão ajustados por meio da caixa-teste do equipamento, com uma taxa de sucesso também bastante elevada. No caso de bebês e crianças, esta é a única forma do teste ser feito, portanto se sua filha for menor de 5 anos, tudo que é preciso é que me envie os parelhos e uma audiometria (ou BERA) recentes. Entre em contato pelo email ivaudiologia@gmail.com

  • Existe isso no mapeamento de IC ? O meu filho fez o 2º implante em Dezembro, e ele não entende nada do que falamos, está usando o IC pq eu obrigo, mas a primeira coisa que faz quando chega da escola é tirar. No 1º IC ele fez com 1 ano e 10 meses, e foi diferente, ele conseguia discriminar o que falavamos.

    • Boa noite Valéria,

      Na ativação do IC já houve o mapeamento do eletrodos ativos na cóclea. Este procedimento é bem diferente do mapeamento de fala, pois no IC a estimulação acontece diretamente no nervo auditivo. Não há Mapeamento da fala, da forma como ele é realizado com os aparelhos, para o IC. Sugiro que você procure a fonoaudióloga que ativou o IC do seu filho e discuta suas dúvidas com ela.

  • Oi Paula, eu passei com a Drª Luciana e posso afirmar que ela é um anjo que apareceu na minha vida. Graças a ela, hoje uso meus AASI confortavelmente e em qualquer lugar, o que é muito importante. Nenhum som me atrapalha mais e eu consigo entender tudo o que as pessoas falam para mim. Estou super feliz. Só retornarei com ela se minha próxima audiometria apresentar alterações.
    Bjs

  • Gostaria de dizer aos leitores do blog que tive o imenso prazer de conhecer a Dra. Luciana Garolla. Super competente. Me explicou tudo a respeito do mapeamento. Me recebeu durante o Carnaval para prestar atendimento ao meu filho, usuário de AASI. Posso dizer que tudo mudou desde então. Meu filho está muito mais calmo , ouvindo e muito mais falante. Os resultados da nova programação foram imediatos. Quem tiver a oportunidade, faça. É surpreendente a diferença.
    Sempre serei grata a está profissional, que mudou a história da minha família.

Deixe seu comentário