Aparelhos Auditivos

Quanto tempo dura um aparelho auditivo

Hoje em dia os aparelhos eletrônicos são feitos para durar pouco tempo. Você sabe quanto tempo dura um aparelho auditivo? É muito importante saber, pois raras são as pessoas que possuem dinheiro para comprar um par de aparelhos novos após um curto período usando o antigo. Convidei uma fonoaudióloga cujo trabalho eu admiro muito, a Mirella Horiuti, para nos explicar melhor o que precisamos saber sobre isso.

‘Quando algum paciente me pergunta isso respondo que existem várias coisas que interferem na durabilidade de um aparelho auditivo. Vou elencar aqui as 2 principais: cuidados e evolução do grau de perda de audição.

Cuidados com o seu Aparelho Auditivo

1. Cuidado com seu equipamento eletrônico

Sim! Isso mesmo! Muitas pessoas esquecem que o aparelho auditivo é um equipamento eletrônico miniatura. Por isso ele é sensível à umidade. O que se pode fazer a respeito? Bom… se você é uma daquelas pessoas que transpira o tempo todo ou vive num local muito quente e/ou úmido, faça uso do desumidificador todo dia. Ou seja, sempre que não estiver usando seu aparelho auditivo por um período maior de tempo, coloque-o dentro do desumidificador.

2. Nunca deixe seu aparelho auditivo solto dentro da bolsa ou do bolso da camisa ou calça

A chance dele cair no chão e alguém pisar é grande!

3. Vai tomar banho?

Tire seu aparelho auditivo e NÃO deixe no banheiro. A umidade vai tomando conta do circuito com o tempo… Fora o risco de cair na pia e quebrar ou molhar!

4. Cabelo úmido e aparelho retroauricular não combinam

Mais uma vez, a vilã umidade está aí! Seque seu cabelo! Se vc não fizer isso, com o tempo terá problemas no microfone… com certeza!

5. Mantenha seu animal de estimação ou crianças longe de seu aparelho auditivo

Como diz uma grande amiga minha: “Se eu ganhasse um real toda vez que alguém me mostrasse um aparelho auditivo que foi comido ou danificado por um cachorro, estaria morando em Paris! Então, não deixe seus aparelhos auditivos ligados (lembre-se que a audição dos cães é melhor que a nossa!) ou desligados dando sopa por aí! O menor descuido pode ser fatal…Já tive casos em que conseguimos consertar e outros que nada foi possível fazer.

6. NUNCA passe um paninho úmido para limpar

Paninho? SEMPRE SECO! Olha a umidade aí de novo. Mas os moldes e sondas (ou domos) podem e devem ser higienizados com água e sabão neutro depois de desconectados do aparelho auditivo. Pergunte ao seu fonoaudiólogo como fazer isso.

7. Tempo de uso

Fácil de entender… quanto mais uso qualquer equipamento eletrônico mais chance de quebrar temos.

8. Aparelhos intracanal duram menos e dão mais assistência técnica do que os retroauriculares 

Na minha experiência, SIM isso é verdade de maneira geral. Talvez por causa da cera que fica próxima ao receptor…mas há exceções… tenho uma paciente que o intra durou 10 anos e sem assistência técnica!

EVOLUÇÃO DO GRAU DE PERDA DE AUDIÇÃO

Quando indico um aparelho auditivo para qualquer paciente sempre penso na reserva de potência que este produto deve ter. O motivo é simples… depois de mais de 20 anos trabalhando com isso posso lhe dizer que a única certeza que temos é que em algum momento o grau de perda auditiva vai piorar. Em geral a piora é de quanto o paciente ouve  mas às vezes o quanto ele entende pode piorar também. Se o “quanto ele ouve ” piora e temos reserva de potência adequada …voilà… é só reajustar o ganho do aparelho… nada de comprar um novo. Mas nos casos de piora de entendimento, cada caso deve ser avaliado.

Então, voltando à pergunta, respondo: você cuidar muito bem e o grau de perda auditiva evoluir vagarosamente (desde que você tenha reserva de potência em seu aparelho auditivo) ele vai durar em média uns 5 anos para retroauriculares convencionais (com molde ou tubo fino)  e 3 anos para intras ou receptores no canal (RIC). Mas pode ser mais! Lembre-se que nesse período pode ser que ele tenha que ir para a assistência técnica para trocar uma peça ou outra, mas ele ainda vai funcionar.’

Fonte: Não Escuto, por Mirella Horiuti

50 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

6 Comentários

  • Agora, o meu retro do direito está quebrado. Tenho perda moderada para severa e bilateral, portanto só estou usando um intra do lado esquerdo.
    A vida não é fácil para o deficiente auditivo. Há 15 anos convivo com idas e vindas ao fono e otorrino.
    Já tive bernafon, argosy, Siemens e por aí vai. O problema é que até que convivo bem com a perda auditiva, mas sem aparelho a depressão vem a jato.

  • Excelente as informações, ajudou muito a esclarecer possíveis situações. Em 1996 e 2012 fiz cirurgia para melhora da audição. Na segunda tentativa não resolveu quase nada, vou ter que usar estes aparelhos, pois minha audição piorou muito, mas ainda tenho muitas dúvidas e continuo pesquisando.

  • Logo após vencer a garantia de dois anos , meu aparelho parou de funcionar. Fiquei abismada com o preço das peças e mão de obra. Mas, depois de alguns telefonemas no 0800, consegui abaixar o orçamento pela metade do preço. Conclusão vale a pena brigar. Agora não sabia que a durabilidade do mesmo era tão pequena. Custa tão caro….

  • O meu aparelho ja quebrou o do ouvido direito a 4 anos que tou sem ele e só escutando com o do lado esquerdo, que ja tem 8 anos de uso e ja ta ruim, ta dificil pra min escutar, tou na fila do SUS a 2 anos e até agora nada. Em março completo 70 anos e ja tou perdendo a esperança de em vida ser atendido pelo SUS

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.