Crônicas da Surdez Destaques

6 anos de Crônicas da Surdez

No dia 24 de maio de 2010, dei início ao Crônicas da Surdez com este post. Lá se vão exatos seis anos! É muito esquisito porque parece que foi ontem que tudo começou e que eu mal sabia direito sobre os assuntos que iria abordar e, pior, se alguém se interessaria em ler. Se não fosse esse site, algumas coisas não teriam acontecido na minha vida…

EU NÃO TERIA LEVADO MINHA REABILITAÇÃO AUDITIVA TÃO A SÉRIO

A companhia e o incentivo de vocês foram fundamentais para que eu levasse esse processo a sério, para que eu fizesse um esforço ainda maior para me adaptar aos vários aparelhos auditivos que testei e usei de 2010 a 2013 e para que juntasse coragem de partir para o implante coclear. Escrevendo aqui pude me inspirar com o velho ‘faça o que eu faço, não o que eu digo‘. Me obriguei a dar o meu melhor em muitos momentos cruciais por saber que dividir essas experiências com as pessoas que passavam um tempo no site todos os dias poderia fazer a diferença. E fez!

EU NÃO TERIA FEITO AMIGOS INCRÍVEIS

Muitas pessoas passaram de leitores do site para amigos de infância que me ajudaram dos mais variados modos e nas mais variadas fases da minha surdez. Já disse isso em mil entrevistas e repito aqui: eu criei o Crônicas com o objetivo de ser para as pessoas a amiga que nunca tive para conversar sobre assuntos relacionados à deficiência auditiva. Fiz amigos que vou levar para o resto da minha vida e tenho medo de tentar nomear todo mundo: Michele Garcia, Mirella Horiuti, Luciana Bettega, Juliana Moreira, Lak Lobato, Michelle Lavinsky Wolf, Luiz Lavinsky, Adriana Laybauer, Maria Elza Dorfmann, Marcia Cavadas. É muita gente, essa lista tem pelo menos umas cinquenta pessoas e como tenho ‘Alzheimer’ (sério, minha memória me dá medo) fico com aqueles que me aturaram e aguentaram na fase mais difícil, que foi a do implante coclear.

EU NÃO TERIA REALIZADO O SONHO DE ESCREVER UM LIVRO

Esse era o meu maior sonho desde pequenininha: escrever um livro. Mas eu sempre tive bem claro para mim que não tinha algo a dizer de fundamento. Isso só mudou com o nascimento do Crônicas, pois eu percebi que compartilhar meus medos, meus sentimentos, minhas alegrias e minhas tristezas encorajava muita gente e fazer o mesmo e, para mim o mais crucial, a sair do armário da surdez e buscar qualidade de vida. Eu NUNCA vou esquecer da fila de autógrafos do lançamento do primeiro livro em Porto Alegre, quando centenas de pessoas foram me dar um abraço e me dizer coisas lindas – e me fazer chorar muito de emoção e alegria. Agora, sinceramente, eu NUNCA imaginei que escreveria um segundo livro e nem que viajaria de norte a sul do país para divulgá-lo, e muito menos que seria recebida com tanto carinho até em Belém do Pará. Já que vocês são meus confidentes fiéis, fica a confissão: estou louca para escrever um terceiro livro!! Vocês sabiam que o “Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear” foi traduzido para o inglês? Trabalho da audiologista brasileira radicada em Londres Renee Rassasse, que era leitora do blog e me enviou um bouquet de flores no lançamento do Rio – foi assim que nos ‘conhecemos’ e isso aconteceu. Nem posso dizer que tinha esse sonho pois jamais ousei sonhar com algo assim. Ainda não desisti de lançar em Portugal, mas tá difícil…

EU NÃO TERIA FEITO UM IMPLANTE COCLEAR

O Crônicas me encorajou mas, mais importante que isso, ele me empoderou. Todo conhecimento e informação que não busquei antes por preguiça ou desinteresse passei a buscar e devorar depois que passei a escrever aqui. E foi assim que descobri que o implante coclear era sim uma possibilidade para o meu caso e decidi investigar essa possibilidade a fundo. Eu NUNCA vou esquecer a tarde do dia 28 de setembro de 2013, quando voltei do centro cirúrgico e pedi meu celular para minha mãe e encontrei centenas e centenas de mensagens de vocês me desejando sorte e mandando boas energias. Me senti acompanhada e amparada no dia mais assustador de todos!! E também NUNCA vou esquecer o quanto vocês vibraram e se emocionaram junto comigo dia 11 de novembro de 2013, quando ativei meu IC e voltei devagarinho ao mundo dos sons. Se não tivesse furado a minha própria bolha de solidão e isolamento causada pela surdez, acho que estaria até hoje do mesmo jeito e confirmada com as impossibilidades da deficiência auditiva bilateral profunda. Ter criado o Crônicas foi uma benção e só hoje consigo entender a dimensão da importância que ele teve na minha vida.

EU NÃO TERIA CONHECIDO O LUCIANO

Para quem não sabe, o Luciano era leitor do site desde o dia em que alguma fono compartilhou um link do Crônicas no Facebook e isso foi aparecer na timeline dele. No dia da ativação do meu IC ele me mandou uma mensagem linda, e foi assim que começamos a bater papo! Exatamente um ano depois do dia em que passamos a conversar pra valer, nos casamos no Rio de Janeiro – e cá estou eu até hoje! O Crônicas me trouxe alegria de viver de dois modos: me dando a chance de voltar a ouvir e atraindo para o meu caminho o amor da minha vida que, por ironia do destino, é otorrinolaringologista. O destino é muito louco, não?

EU NÃO FARIA O SEGUNDO IMPLANTE COCLEAR

Depois que me senti estabilizada com o IC, pensei comigo mesma ‘agora chega!‘. Passei a vida escalando montanhas e estava um pouco de saco cheio disso. Mas como lidar com o incentivo e a torcida de tanta gente inspiradora que me contava suas histórias de vida e me fazia querer mais e mais? Sábado é o grande dia… Exatamente dois anos e meio depois da primeira cirurgia, cá estarei eu procurando ainda mais sarna para me coçar – ou seria ainda mais sons para desvendar? Vocês entendem que essa corrente do bem e de informação e troca de vivências que criamos acaba criando coisas que antes julgávamos impensáveis e impossíveis nas nossas vidas? Eu acho isso simplesmente o máximo!!!!! E só posso dizer: OBRIGADA! <3

 

card fb

Para alguém que achava que era a única criatura na face da Terra sofrendo com os desafios da surdez, não canso de me surpreender com os números do Crônicas! Já somos mais de 18.260 pessoas no Facebook, mais de 520 membros no grupo do Facebook, mais de 2.030 inscritos no canal do YouTube e foram 71.000 visualizações de páginas aqui no último mês. Ou seja…a única coisa que não estamos é sozinhos. Somos muitos!

Para finalizar esse post de FELIZ ANIVERSÁRIO, vou dividir com vocês o nascimento do meu quarto filho da família Crônicas da Surdez: uma rede social mundial de usuários de implante coclear. Mal posso esperar para colocar essa novidade no ar, e isso vai acontecer em breve! Fiquem ligados! Vamos ter a chance de ficar ainda mais próximos. 😉

36 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

4 Comentários

Deixe seu comentário