Deficiência Auditiva Histórias dos Leitores

Surda oralizada e médica veterinária: a história da Ires

Surda oralizada e médica veterinária: hoje vou contar a minha história. Em 2014, comecei a faculdade de Medicina Veterinária, mas com um certo tempo percebi que estava com uma perda auditiva. No início foi assustador, não queria acreditar no que estava acontecendo, comecei a me isolar das pessoas, não participava de diálogos em grupos. Demonstrava para todos que estava bem, mas na verdade eu estava péssima por dentro, não conversava com frequência dentro de casa e nem assistia à TV. Para mim foi o fim, não tinha mais jeito. O mundo que eu entendia estava confuso e muito escuro.

Cada aula que eu assistia era um sofrimento, quando resolvia conversar com as pessoas passava vergonha, porque entendia uma coisa e na verdade era outra totalmente diferente, o olhar de ironia e os risos das pessoas pareciam um vendaval levando os meus sonhos, planos e objetivos. Eu me senti só.

Neste período eu estudava peças anatômicas para fazer prova oral, foi no momento destes estudos que decidir não continuar mais, pois não conseguia estudar em grupo e minhas amigas ainda não entendiam o que eu estava passando. Saí da sala sem dar satisfação para o grupo que lá estava, mas minhas amigas correram para me alcançar. Só que eu demonstrei que não queria ajuda, fui ignorante com todas, porem elas insistiram e não me deixaram caminhar, me cercaram e não vi lugar para onde pudesse correr para chorar, como eu fazia todas as vezes.

Então elas só me perguntaram o porquê de tudo isso, por que eu estava tão estranha e me falaram que precisavam de mim. Nossa, não imaginava que eu fazia tanta diferença, me derramei em lágrimas e disse que iria desistir porque não dava mais. Não tinha como ser uma médica sem escutar e estudar sem ouvir o professor ensinar. Mas essas lindas amigas olharam bem firme para mim dizendo palavras que jamais vou esquecer e uma delas foi: “ Você não está só

Daí por diante elas grudaram em mim e tudo que eu não escutava elas traduziam, não me sentia feliz, mas achava que não custava tentar. Comecei a pensar positivo, fiz exames, passei a usar aparelho auditivo…  As aulas passaram a ficar mais claras, sentia dificuldade, mas eu evoluí! Comecei a ler os lábios das pessoas também. Hoje já estou no 8° semestre e  já sei no que quero me especializar.

Nada é fácil e nunca será, pois é diante da dificuldade que o amadurecimento vem. Não me importo mais quando as pessoas falam e eu não escuto, aprendi a me defender das ironias, falta de paciência de repetir as palavras. Aprendi a ser feliz! Não sinto mais vergonha quando não entendo, hoje até brinco com algumas situações. O que quero passar é que nada é por acaso e se você foi escolhida para passar por essa situação faça o melhor uso dela. Seja qual for a sua dificuldade se dê a oportunidade de aprender o que isso tem a te oferecer. Tenho certeza que você irá encontrar uma pessoa dentro de si bem forte que talvez você ainda não conheça. Não se limite, insista no que sonha, no que deseja, pois mesmo achando que não é capaz, a capacidade virá com o tempo e se você não fizer nada não saberá o quão forte você é!

Ires Lopes”

51 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

4 Comentários

  • Amei a experiência da futura veterinária, sou esteticista uso aparelho a um ano , perdi audição a dois, não é fácil ainda hoje pensei em desistir de td, trabalho, filha, de viver, obrigada pela ajuda.
    Selma
    São José do Rio Preto SP.

  • Linda história, uma inspiração pra mim,vou começar biomedicina mês q vem e to mt animada e com medo,mas quero mt isso e se Deus quiser eu consigo

  • Linda história, nos faz pensar que o mundo ainda tem solução,kkk, ou seja, amigos para sempre. Uso aparelhos e é óbvio que há dias que ouço tudo e outros nem tanto, mas minha família é minha inspiração e inspiração é tudo… Felicidades… Muita saúde e o resto a gente corre atrás…

Deixe seu comentário