Treinamento auditivo…e uma ajudinha com música, por favor!!

 Em outubro, estive em São Paulo. Tive a oportunidade de fazer algumas sessões de treinamento auditivo com a fonoaudióloga Mariana Guedes. Nunca tinha feito isso antes e fui pro consultório bem negativa. Já fui dando oi pra Mariana dizendo “aposto como não vou ouvir nada, mas vamos tentar“.

Não sei vocês, mas tenho um ‘leve’ trauma daquela cabine de isolamento acústico. Deve ser porque sempre que fiz audiometrias constatei que meu quadro piorou um pouco, ou seja, ficar trancada ali dentro é garantia de péssimas notícias para mim. A Mariana, super grávida na época (aliás, você já ganhou nenê Mari??), tentava de todas as maneiras me colocar pra cima. E eu cética. 100% cética.

O treinamento auditivo é importantíssimo para quem usa aparelho auditivo. No meu caso, ainda mais, porque como fiquei muitos anos sem usar, não tive estímulos sonoros. É o famoso “escuto, mas não entendo“. O cérebro não decodifica a informação sonora que chega até ele. Explicando melhor, é como se tudo o que você ouvisse (sem leitura labial junto para entender) fosse dito em chinês.

O que ele faz? Força o cérebro a entender o que você consegue ouvir. Quando se possui perda de audição existe a falta quantitativa (quantidade de som diminui) e a falta qualitativa (qualidade de som fica ruim). O aparelho auditivo é um amplificador sonoro que devolve a quantidade dos sons, com qualidade maior ou menor dependendo dos recursos do aparelho. Porém o aparelho não devolve a compreensão das palavras e sim quantidade de som. É na melhoria da compreensão das palavras que entra a importância do treinamento auditivo.

O treinamento é  baseado em sessões de terapia (treinamento) para que o cérebro reaprenda as habilidades auditivas (atenção auditiva, localização auditiva, memória, discriminação, etc.) perdidas em função da perda de audição. O programa de treinamento auditivo pode variar na quantidade de sessões dependendo de cada caso, indo de 6 a 10 sessões, ou mais se necessário. O paciente passa por uma avaliação antes de realizar o treinamento e depois dele, para saber se as habilidades treinadas melhoraram.

Fiz apenas duas sessões e achei muito legal. Dá um certo nó na cabeça, porque é preciso prestar muita atenção, forçar a barra mesmo. Mas é tão recompensador entender algumas coisas, discriminar alguns sons. Lembro que no final da segunda sessão, ela me ligava e perguntava ‘você tá ouvindo o telefone tocar?’, e eu, no piloto automático ‘não…’, mas estava sim! Demos muita risada! E no final, ela comentou que eu tinha muito potencial. Aí virei a piadinha das outras amigas fonoaudiólogas com as quais saí em Sampa. Qualquer coisa que eu falasse, lá vinham elas: “Você tem potenciaaaaal, Paula!!”.

Como não encontrei ninguém aqui em Santa Maria que oferecesse esse treinamento, a Mariana me sugeriu uma alternativa. Música!! Baixar músicas, ouvi-las, tentar entender o que foi dito. Depois, pegar a letra da música e ir acompanhando o som lendo a letra. Como resultado, voltei a amar escutar música. Obviamente que entendo a letra apenas daquelas estilo ‘banquinho e violão‘, nas quais a voz da pessoa que canta é clara e alta. Exemplo: “Sozinho”, do Caetano Veloso; “More than Words”, do Scorpions; “Back at one”, do Brian McKnight; “Eu te devoro”, do Djavan; “Garotos”, do Lenine…

Tenho um pedido: alguém me indica outras músicas estilo essas acima para que eu possa baixar e incrementar o meu treinamento?? :) 

O contato da fonoaudióloga Mariana Guedes é Clínica CER Fonoaudiologia (Rua Paes de Araújo, 155 casa 6, Itaim), São Paulo SP. Fone: 011 2649-0472. Em 2011 a Mari vai lançar um programa super completo de treinamento auditivo que poderá ser usado em casa, para treinar na frente do computador. Quando tiver news sobre isso, aviso aqui!!

PS: algum de vocês faz ou já fez treinamento auditivo?

4 amaram.

31 comentários em “Treinamento auditivo…e uma ajudinha com música, por favor!!”

  1. Paula Marchetti

    Oi Paulinha

    Faz um bom tempo que trabalho com treinamento auditivo em Santa Maria hehe… inclusive a Mari veio em novembro participar do encontro que promovemos anualmente da nossa equipe. A maior parte dos nossos casos são os nossos pacientes que foram protetizados (idosos na maioria) e crianças com dificuldades escolares, porém sem perda auditiva. Mas em ambos os casos os resultados são bem satisfatórios.
    Qualquer coisa faz contato hehehe
    bjsss

  2. Roberta Sampaio

    Bem legal isso Paula! Nunca tinha ouvido falar e parece ser realmente interessante e deve fazer a diferença mesmo. =D
    Tem um cara que gosto muito,o nome dele é Vander Lee e acho que você conseguiria entender direitinho. Testa,porquê não sei direito,mas acho que é uma boa.Uma das minhas músicas preferidas dele é Contra o Tempo e tem esse vídeo aqui que já tem a letra ó : http://www.youtube.com/watch?v=xM2XlPRJ52U&feature=player_embedded#!
    Não é só a voz e violão,mas se der pra tu entender conta tá? =D
    Beijão

  3. Tais Hennig

    Oie Paula!
    Eu me formei em fono na UFSM, atualmente atendo na universidade a parte de seleção e adaptação de próteses auditivas dentro do Programa de Concessão de Próteses Auditivas de fluxo contínuo da Secretaria de Assistência à Saúde do Ministério da Saúde, e sou aluna de mestrado na UFSM. A minha pesquisa é sobre reabilitação auditiva (aconselhamento e treinamento auditivo) aos idosos do programa após adaptar as próteses auditivas e escolhi o material que a fga Katya Freire desenvolveu na sua tese de doutorado ano passado que se chama treinamento auditivo musical, são 7 DVDs que trabalham habilidades auditivas diferentes com instrumentos musicais, justamente por fugir um pouco das condições tradicionais – cabina acústica e ruído como estímulo competitivo para trabalhar figura-fundo. Finalizei há pouco a coleta de dados, agora vou analisar os resultados e escrever a dissertação, que posso lhe fornecer no próximo ano, provavelmente em junho, quando pretendo defender a dissertação. De qualquer forma, caso vc tenha interesse, posso lhe enviar por email a tese e o contato dessa fga. E em SM ia sugerir a clínica ouve bem (mas vi que a Paula já se manifestou rsrsrsrs) e a fga Sinéia Neujahr que sei que trabalham com treinamento auditivo.
    Beijo, Tais!

    1. MIchelle

      Olá,
      Gostaria de saber como faço para adiquirir este material da fga Katya Freire para terapia de treinamento auditivo.

      No aguardo,
      Obrigada
      Fga Michelle

  4. Sun Melody

    Paula,

    É bom partilhar experiências comuns relacionadas com a perda auditiva, a minha Surdez é Profunda e Bilateral desde que ensurdeci aos 18 meses, os meus pais sempre me incentivaram tocar músicas com diversos instrumentos, primeiro o tambor e mais tarde o piano.

    Mas foi através do piano que passei a ter mais noção do que envolvia a própria música, tinha perda severa a profunda na época, com algum resíduo auditivo conseguia acompanhar a própria melodia no uso da prótese. Lembro-me de regressar sempre à casa da escola para ligar este instrumento tão amado, encosta-lo junto do meu melhor ouvido esquerdo (agora implantado) e ouvir as sinfonias de Beethoven, inclusive rock e jazz por aí fora.

    De um momento para o outro, a perda progrediu silenciosamente e só me dei conta do quanto chorei baba e ranho ao colocar o walkman no volume máximo e não escutar nadinha. A infância nunca mais foi a mesma, e agora graças ao IC desde há três anos renasci a todo o instante, nos primeiros tempos de adaptação escutei tantas canções, emocionei e reconheci cada timbre.

    Lentamente vai-se conquistando o grandioso mundo sonoro.

    Beijos de Portugal
    Sun

  5. Paula

    Paulinha
    Eu trabalho na Ouve Bem
    Quanto aos valores eu não tenho bem certeza, mas deve estar em torno de R$50,00 – é bom conferir com as secretárias…
    Se quiser trocar uma ideia entra em contato
    bjs!!

  6. Sun Melody

    Paula,

    Com a agitação do final de ano, esqueci-me de mencionar que também é bom exercitar o cérebro através de audio-livros em Língua Portuguesa, ou qualquer outro tipo de língua que lhe seja familiar.

    Nos primeiros tempos de adaptação, pedi a um amigo meu que trabalha numa rádio para ditar um reportório de palavras e gravar no CD, como a tecnologia evoluiu, copiei do computador para o MP3 dessa forma, sempre que me dirijo a algum lugar nos transportes colectivos de longa distância, quer para o local de trabalho, quer para ir a Coimbra reajustar o meu processador de fala ligo o MP3 para discriminar todas as frases continuamente e repetidamente vezes até aquela palavra, quer isolada ou completa estar devidamente memorizada e reconhecida.

    Como sabe Paula, antes do IC não tive acesso à memória auditiva por ter ensurdecido tão tenra idade em plena fase do desenvolvimento da linguagem.

    Fui descobrindo no pós-activação do IC, primeiro os timbres musicais, sons ambientais, sons de animais e objectos, tenho alias uma incrível facilidade de reconhecer esses ruídos, quer agradáveis ou desagradáveis. E descobri entretanto, que o ouvido esquerdo está dotado para a música e o direito na fala.

    Só passando uns 2 meses passei aos fonemas, vogais e consoantes, prestando muita atenção. Mais tarde juntei os intervalos silábicos de PA-TO, GA-TO, VA-CA assim por diante em cada palavra ouvida mais de 100x…

    Não sei que conhece a fadista Mariza, tem uma voz que arrepia todo o mundo! Tão límpida e coroada, sem muito ruído de fundo por detrás do pano e com aqueles acordes de guitarra é um MUST. Assisto assim que posso no youtube todos os concertos, gostaria tanto assistir ao vivo, mas é rara a oportunidade pois o preço de entrada é super salgado!

    Um dia quem sabe ;)

    Bom final de ano 2011, que seja em suma melhor do que foi este velhinho ano prestes a despedir-nos. Beijo da Sun Melody.

  7. Lais

    Paula, há alguns meses começei a ler seu outro blog (que sempre esqueço como escreve desculpa) e nunca tinha entendido o cronicas da surdez na minha cabeça eram textos como os pequenos escritos que aliás sou fã.
    Acontece que hj decide descobri o que era e estou totalmente encantada, tenho 17 anos e estou prestando vestibular para pedagogia com o intuito de me especializar em libras, sou ouvinte mas, já dou aulas de reforço para uma criança com perda severa no OD, e de verdade nunca imaginei um blog como este, em menos de 1 hora já li todos os posts e aguardo anciosa o próximo por conviver todos os dias com a Laura tenho fatos engraçados tipo falar falar alto e devagar com meu namorado e ele educadamente me lembrar que tbm é ouvinte.
    O fato é que te admiro de mais, vc não tem noção de como ajuda as pessoas ou melhor toca na alma delas, muitas vezes mexe nas feridas lembra de momentos difíceis como a constatação da perda da audição mas de uma forma tão delicada, sutil que td bem pra quem le faz parte da vida.
    Obrigada de verdade por essa lição de vida parabéns por ter vencido esses obstáculos e força pra vencer os que ainda virão.

  8. Lais

    Magina Paula, eu é que me emociono ao ver tua garra, te digo mais a partir de hj vc é que me ajuda com a Laura, nos seus posts consigo entender melhor algumas situações que por vergonha e até medo de constranger ela e os familiares fico sem saber. Brigada mesmo um ótimo 2011 pra vc que ele venha recheado de surpresas boas e felizes mas uma vez parabéns pelos blogs aliás o pequeno escrito de hj ta lindo de mais, essa tua genialidade é impar bjaoo.

  9. Paula

    O post da Sun Melody descreveu bem o treinamento auditivo.
    O ideal é sempre verificar quais as habilidades estão mais defasadas e se uma orelha tem pior desempenho do que a outra (basicamente). A partir destes dados será traçado o treinamento de cada caso. Todas as habilidades devem ser estimuladas, porém com ênfase nas que apresentam mais dificuldade, utilizando estímulos verbais e não-verbais. Além disso, atenção, memória e linguagem estão sempre envolidas, o foco é sempre auditivo, mas as demais vias sensitivas devem ser estimuladas p/ auxiliar no desempenho auditivo.
    Como eu costumo dizer para os pacientes temos que colocar as orelhas para trabalhar (mas na verdade é o cérebro).
    Thaís quero saber o que tu achou nos teus resultados!!! hehe
    bjss

  10. Greize

    Amei Paula. Pq desde que perdi fiquei com “medo” de músicas. Esqueci as letras e qdo tem bateria então era estrondo total.Mas fui lendo mto, li sobre Fonoterapia, musicoterpia,pensei to afim disso.Uma amiga toca violão, ela um dia tocou mtas músicas p/ mim, e eu fui lembrando.De minhas músicas amadas.Vou fazer como sua dica, pegar a letras e procurar algo aqui em Bh que tenha isso.Se alguém souber e for daki por favor em da um tq?!!
    Acho que é bom tb para fala, pq enrolo algumas palavras.Mas meu cérebro vai focando qdo a musica é lenta.Não da p/ ouvir 100% então vou cantar , Quem canta seus males espanta!Vc leu meus pensamentos , estava procurando sobre esse assunto na net.O guria 10!!!Bjusssssss

    P.S:Sobre o Vander Lee , super legal mineirooo, tem também Flávio Venturini.Com uma musica mto sugestiva…”os sonhos não Envelhecem”..Ai.ai!!
    Agora tenho saudades das baladas em inglês.Só lendo, a letra tb.

  11. Mariana

    Ooi!

    nossa, treinamento auditivo pra melhorar o entendimento das palavras,essa eu não sabia que existia isso! Que massa! Vou procurar a fazer essa terapia, deve interessante pra mim também! Uma pergunta: esse treinamento auditivo só tem em São Paulo?

    Sabe, com musica eu faço isso, escuto uma musica e gosto ai depois pego a letra, toco de novo ai vou acompanhando a letra da musica. Isso é tipo um treinamento auditivo? Tem umas musicas que é bem fácil de cantar e eu gosto muito e não sei qual é seu gosto musical mas vou falar assim mesmo – Linkin Park – Leaving all out the rest e o Shadow of Day, a voz do cara é muito linda! (eu sou muito fã do Linkin Park! hehe) Então, ouve ai e se gostar me fala que eu te mando mais musicas assim! xD

    atééé! o/

  12. Mariana Guedes

    Oi Paula!

    Fico muito feliz com o seu progresso e também de saber que o nosso pequeno encontro resultou em todos esses comentários!

    O neném está crescendo, nasce no final de fevereiro. O meu outro “filho”, o software Escuta Ativa, deve “nascer” ainda no primeiro semestre e eu te enviarei um. Estou muito orgulhosa desse projeto, realizado junto com as Fgas. Ana Alvarez e Maura Sanchez, pois é diferente de tudo que temos até agora na fonoaudiologia nacional. Ele está sendo feito de uma maneira que o usuário poderá realizar as atividades em casa, com feedback imediato deresultados e gráficos de evolução em cada habilidade.

    Ah… além do Escuta Ativa teremos um outro programa (segredinho) que será lançado no Brasil em 2011 e ajudará muito na adaptação da prótese auditiva: o sucesso já foi testado na Alemanha e em países de língua inglesa e espanhola – agora teremos a versão em Português!

    Vou aproveitar o início do ano para te enviar mais informações e artigos sobre a questão do treinamento auditivo-neurocognitivo que trabalhamos aqui em SP e fico à disposição para esclarecer as dúvidas. Se vieres à SP, me faça uma visita: precisamos mudar as atividades para que tu evoluas no treinamento… você tem potencial!!!

    Bjs
    Mari

  13. Gabriela Souza

    Paulinha…
    Por causa da correria que foi esse fim de ano pra mim, nunca mais pude passar nesse blog maravilhoso. Eis que hoje entro aqui e me deparo com esse post que tem tudo a ver com um episódio que “passei com você”.
    Certo dia ouvi uma música linda que tinha tudo a ver com um post que vc havia escrito, não me recordo se foi o Pequenos escritos, mas enfim passei pra vc um video no youtube e logo depois tu respondeu que nao gostava de música. Nessa época eu não tinha conhecimento de tudo isso e achei um absurdo, como pode alguém nesse mundo não apreciar uma boa música?

    Enfim, fico muuuuuuito feliz que você descobriu esse prazer maravilhoso.
    Não lembro mais qual era a música que eu gostaria que você ouvisse, mas te passo essa do caetano que eu amo!!!

    Bom fim de ano pra você Paula, que 2011 seja um ano maravilhoso, cheio de saúde, paz e amor pra ti e toda tua família!

    Sou sua fããããã!!!!!!!!!!

  14. Gabriela Souza
  15. Luisa

    Olá, Paula,
    Adoro seus blogs! Nunca tinha comentado antes, mas preciso dizer que este blog abriu meus olhos para uma realidade completamente diferente, para coisas que eu nunca tinha parado para pensar, que é o mundo de quem tem deficiência auditiva. Obrigada por apresentar várias pessoas (inclusive eu) a outras realidades! E parabéns pela sua postura em relação a mais este “detalhe” na sua vida!
    Bem, não tenho contribuições a fazer a respeito do treinamento auditivo, mas acho que posso sugerir músicas. Minha mãe recentemente mudou de país e está tendo que aprender inglês e ela disse que um cantor que eu apresentei a ajuda bastante, o Emmerson Nogueira. Em geral ele canta músicas super conhecidas, mas em versões acústicas e bem calminhas. Além disso os instrumentos não se sobrepõem muito a voz dele, então acaba ficando mais fácil de entender as palavras. Ah, e são uma delícia de ouvir.
    Espero que você goste da recomendação!
    Beijo!

  16. Janaína

    Paula,
    Que legal esses treinamentos, mto interessante!
    Tenho deficiência auditiva severa, uso aparelhos nos dois ouvidos desde os 9 anos, hj to com 21 aninhos :)
    To curiosa para ver esse programa completo da fonoaudióloga Mariana, qq coisa envia pro meu email pode ser?

    Ah, uma musica pra vc baixar.. É ISSO AÍ de Ana Carolinaa é linda, tenho certeza q vai conseguir ouvir cada letraa :D

    Beeijo , e FELIZ ANO NOVO !

  17. Sonia Rodrigues Claro

    Oi, Paula! Lendo este post me lembrei logo de uma música antiguinha, mas linda, desse estilo voz e violão. É “Is It Ok If I Call You Mine?” do Paul McCrane. Espero que goste!
    Bjs mil.

  18. Bia Maia

    Paulinha, li esse post e fiquei com o assunto na cabeça, pensando em músicas que pudessem te ajudar….aí pensei em mil coisas, mas como não entendo nada sobre o assunto talvez os meus palpites não te sirvam pra nada!!! rsrs
    A Marisa Monte tem uma música que chama “Diariamente”, vc conhece? Se não conhece, ouça, é muito linda. Outra coisa que fiquei pensando é em ouvir trilhas de musicais, será que daria certo? Não sei se vc conhece Rent, é um dos meus preferidos e a trilha sonora é sensacional, todo mundo que ouve se apaixona!
    Enfim, achei muito bacana seu post, é complicado para uma ouvinte imaginar o que é “ouvir mas não entender”…mas sabe que eu pensei que pode ser mais ou menos quando eu leio algum artigo muito complicado escrito em inglês. Eu compreendo, mas parece que não entra na cabeça….ai olha eu viajando aqui!!!
    Beijos!

  19. Mariana

    Não sei se já falaram aqui, mas recomendo “águas de março” na voz de Elis Regina, que além de ser linda, dá pra entender se fizer um esforcinho (sem acompanhar a letra). Tente também em outras línguas (que você conheça, obviamente) da mesma música. Tem o Georges Moustaki cantando les eaux de mars em francês, sensacional. ;) A famosíssima “leaving on a jet plane” pode ser útil para o treinamento também. ;)
    Vou fazer isso também, rs. Apesar de que está cada vez mais difícil eu entender, mas acho que independente disso, é bom fazer o treinamento! Valeu pela valiosa dica, Paula! ;) Não tenho certeza, mas vou procurar saber se há aqui em João Pessoa também. Ah, outra dica: “Velha Infância”, de Marisa Monte! Agora vou curiar as dicas acima pra eu baixar, rs.

    Bjos!

  20. Débora Clemente

    Olá Paula! Fazendo pesquisa no Google com o tema Treinamento Auditivo fui cair no Crônicas. Amei de paixão!! Nossa, vc é linda heim!! Sou Fonoaudióloga, moro no estado de SP e atualmente recebi um paciente pós IC para treinamento aud. Como trabalho mais com crianças, fiquei perdidinha pois o pac tem 41 anos…também fiquei um pouco insegura qto a terapia, mas após encontrar vc, e as palavras que escreve com sabedoria me deixaram muito confiante no meu trabalho. Gostaria de manter contato com vc sempre q possível. Anotei todas as dicas e sugestões para treinamento com o apoio da música. Um abraço e muito prazer em conhecê-la.
    Débora

  21. Wagner V.

    Paula,
    Navegando deparei-me com o Crônicas. Estou tentando me informar sobre o treinamento auditivo em cabine para que o meu filho (12a) possa fazer, pois um dos testes do seu processsamento auditivo central deu alterado e ele vai muito mal nos estudos, é muito sofrido deparar com o fracasso escolar do próprio filho, estou tentando me informar sobre o assunto para poder ajudar o meu filho de todas as formas. Neste momento ele precisa fazer o treinamento auditivo, preciso da indicação e acompanhamento de um bom profissional, moro na cidade de São Paulo.
    Abraços e tudo de bom.
    Wagner

  22. Márcia Moreira de Souza

    Achei bárbaro o blog: Crônicas da Surdez.
    Estou tentando me informar sobre treinamento auditivo formal musical. Sou fonoaudióloga e trabalho com adaptação de AASI, entre outras. Gostaria de referências bibliográficas sobre o assunto.
    Parabenizo pelo trabalho e agradeço a atenção.
    Márcia CRFa. MG 1590

Deixe seu Comentário