Fonoaudiologia Novidades Tecnologia

Treinamento auditivo: o que é isso??

Por: Fga. Mariana C Guedes, Fga. Ana Alvarez e Fga. Maura Sanchez

Ouvir, entender e aprender são tarefas de escuta ativa – exigem foco e atenção. Exigem integridade sensorial e do sistema nervoso central. Seres humanos constroem conhecimento e tomam decisões a partir do que ouvem e processam. O processamento da informação auditiva permite ao cérebro analisar as características acústicas dos estímulos auditivos e transformar, de maneira organizada, dados sensoriais brutos em unidades verbais, como palavras e frases, e em unidades não verbais, como contorno acústico, pausas, ênfase e demais características da expressão afetivo-emocional.

Escuta Ativa

Aprender a escuta ativa e aperfeiçoá-la é possível graças à neuroplasticidade –  capacidade que o sistema nervoso central tem para se reorganizar frente a diferentes demandas. A neuroplasticidade é induzida por meio de experiência e estimulação que levam a mudanças cognitivas e comportamentais a partir de reorganizações químicas e estruturais que acontecem no cérebro desencadeadas pelas informações que chegam do meio externo, próprio e interno do organismo, bem como da interação entre elas.

Como os processos auditivos centrais envolvem alocação de mecanismos de atenção e memória na tarefa de processar sinais acústicos, a intervenção é baseada em modelos atencionais, que enfatizem primariamente a escolha da via a ser beneficiada; o tipo de tarefa; a seleção de estímulos disponibilizados e sua redundância; bem como o controle do modo de apresentação.

Treinamento Auditivo constitui-se de um conjunto de condições e/ou tarefas acústicas designadas para ativar o sistema auditivo e sistemas relacionados, de tal maneira que suas bases neurais e comportamentos auditivos associados são alterados de maneira positiva. O treinamento auditivo não formal pode ser visto de duas maneiras: a primeira, como um grupo de atividades/tarefas  para aprimorar a percepção auditiva; e  a segunda, como um treinamento inserido ao processo de fonoterapia.

Programas de treinamento que pretendem possibilitar mudanças estruturais e funcionais devem ser aplicados com material auditivo que não os testes utilizados no diagnóstico, os quais devem ser reservados apenas para a avaliação. As tarefas oferecidas devem ser desafiantes, embora possíveis, com o objetivo de liberar a produção dos neurotransmissores dopamina e acetilcolina,  os quais facilitam o processo de aprendizagem. As tarefas devem incluir seleção de estímulos acústicos claros e redundantes com as seguintes característica:

1 – Estimule a atenção: somente há mudança no córtex cerebral somente se o indivíduo dirige sua atenção ao estímulo;

2 – Trabalhe memória; só há transformações no cérebro quando um comportamento aprendido é armazenado na memória;

3 – Mantenha a motivação com reforços positivos e apresentação de novidades: favorecem a ação dos neurotransmissores dopamina e norepinefrina, que são essenciais na criação de conexões neurológicas novas e permanentes;

4 – Frequência e Intensidade da prática com apresentação dos estímulos: em animais são necessárias milhares de repetições de novos estímulos com diferentes tarefas para efetivar mudanças neurológicas – “o efeito da prática”;

5 – Adaptabilidade: o cérebro constrói habilidade sobre habilidade. Graduar nível de dificuldade dos estímulos por meio de tarefas que requeiram processamento cada vez mais rápido e eficiente; e

6 – Treinamento cruzado: um programa de habilitação/reabilitação eficaz deve empregar o treinamento cruzado dos domínios cognitivos e dos sistemas sensoriais.

Tradicionalmente são montados programas que englobam três áreas de atuação: modificações ambientais; estratégias compensatórias; e tratamento déficit específico, onde os objetivos do trabalho enfocam prioritariamente as funções nas quais o indivíduo apresenta dificuldade.

Fazem parte da área do tratamento déficit específico, o treinamento auditivo formal e o treinamento auditivo não formal. As tarefas propostas em terapia, além de seguirem os princípios relatados anteriormente deverão ser relacionadas aos déficits identificados pela avaliação do processamento auditivo.

Programas computacionais estão sendo desenvolvidos como ferramenta educacional e de reabilitação. Os resultados da literatura são encorajadores; estudos mostraram importantes ganhos na percepção auditiva após o treinamento com programas específicos para a estimulação das habilidades auditivas, mesmo quando realizados fora de ambiente terapêutico.

O uso de programas de computador proporciona material variado e feedback imediato, reforçando, de maneira divertida e motivadora, a busca pelo acerto. Jogos computadorizados podem ser utilizados para desenvolver a motivação no ensino e no processo de aprendizagem e são recomendados pela Associação Americana de Psiquiatria. O software educativo atrai e mantém a atenção do usuário e propicia condições cognitivas que favorecem a aprendizagem. Recursos em Língua Portuguesa estão em desenvolvimento.

Onde fazer treinamento auditivo

RIO DE JANEIRO:  Clínica SONORA (Copacabana Rua Siqueira Campos 93 sala 1101), Fone: 21 2146-7151

SÃO PAULOClínica CER Fonoaudiologia (Rua Paes de Araújo, 155 casa 6, Itaim), São Paulo SP. Fone: 011 2649-0472.

14 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 34 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

7 Comentários

  • eu sou de perda bilateral de nascença escuto pouco nos dois,comecei a usar um aparelho a partir dos 11 anos,e hoje estou usando outro há dois anos,mas ate agora não melhorei em nada o eu posso fazer?

  • Boa tarde

    Gostaria de saber se na clínica CER vcs trabalham com surdos.

    Sou fono e tenho interesse em supervisão de terapia.

    no aguardo

    Fga Mariana Muniz

  • Ola Cassia
    Sei que ja faz tempo que vc postou esta mensagem sobre o treinamento audiivo em Salvador. Sou fono e trabalho com treinamento auditivo em Salvador na pituba.
    Se ainda estiver interessada pode entrar em contato
    O telefone do consultódio é 33533949
    Georgianna

  • Oi
    Eu fiz treinamento durante um ano. Foi bom, mas foi um saco. É muito chato. É chato porque é difícil!´Pra mim alguns momentos o “cara do cd” estava fazendo pegadinhas comigo pq os sons pareciam iguais hehehe
    Nesse período descobri as façanhas do meu cérebro para lidar com algumas deficiências que já se apresentavam e ninguém percebia.
    Não é muito fácil encontrar uma fono que faça treinamento. Como moro na grande POA, tinha que ir uma vez por semana a Porto Alegre para as sessões.
    Hoje percebo que eu preciso retornar e diz a minha ex-terapeuta auditiva que tem recursos novos! Tomara pq não posso nem pensar em ouvir o “cara do cd” hehehe

  • Olá estou fazendo Treinamento auditivo, agradeço ao Crônicas pq nem sabia que isso existia antes de ver um post aqui.
    Bom procurei em mtos lugares, alguns planos de saúde cobrem 4 sessões por ano??!!Desanimei geral..
    Eis que fui em uma ONG próximo ao meu bairro e leio no quadro de avisos Fonoaudióloga de graça!!Pensei que isso, é lógico que estou dentro.Uma vez por semana, sala simples, não tem tdos aparatos de uma clínica ,mas a Fonoaudióloga Loren, fez toda diferença.Sabia o que era Treinamento Auditivo, e tem muita paciência. Começamos:ela com o papel na boca.Na hora deu “pane” lembro de exame de audiometria, do tipo “Aloôo , não vou ouvir ndaa”.hihi.Paula já passou por isso né..rs.
    Mas eis que com concentração e esforço da minha parte e dela também,sim esta dando muito certo, tiro a leitura labial,e fico só na concentração dos sons e palavras, algumas com letras trocadas.Me sinto uma criança, aprendendo de novo, falo super bem,mas depois da perda , comecei a enrolar palavras , tb faço exercícios facias.
    Enfim to gostando mto, a profissional também faz toda diferença.
    Obrigada ao Crônicas.O Ministério da Saúde indica viu 🙂

  • Por favor, gostaria de saber se essa Clinica CER fonoaudiologia, tem alguma filial, ou se é conveniada com alguma aqui em Salvador. Caso positivo, seria possível informar o endereço e telefone?

    Tenho deficiência auditiva sensorial em ambos os ouvidos, e possuo o maior interesse em fazer um tratamento adequado.

    Obrigada

Deixe seu comentário