Vagas de emprego para pessoas com deficiência

Recebo muitos emails indicando vagas de emprego para pessoas com deficiência, e acho estranho que 95% das vagas são – peço desculpas pela sinceridade – de subempregos. Me parece que o pessoal do RH das empresas pensa que uma deficiência aniquila todo e qualquer talento de um ser humano.

Conheço muitas pessoas com deficiência que cursaram ótimas faculdades, fizeram pós-gradução, falam outra(s) língua(s) e são tão capazes quanto quaisquer pessoas ‘normais’ com as mesmas qualificações. Só porque possuem uma deficiência devem aceitar um emprego no qual vão ocupar 1% do seu potencial? Tem alguma coisa errada aí.

Há uma lei (Lei nº 8.213/1991, conhecida como Lei de Cotas) que obriga as empresas a reservar uma cota de vagas para PCD’s. As minhas hipóteses são as seguintes:

  • As empresas são muito espertinhas e, como a lei não especifica que as vagas reservadas devam contemplar funcionários com diferentes escolaridades, se aproveitam desse ‘furo’ e reservam apenas vagas de escolaridade mínima, oferecendo, em 95% dos casos, somente vagas para primeiro e segundo graus incompletos.
  • O RH das empresas não tem tempo/vontade/paciência para aprender as peculiaridades de cada deficiência e, assim, poder diversificar a oferta das vagas, contemplando primeiro grau, segundo grau, terceiro grau e pós-gradução.

Quem perde com isso? Todos nós! Se você se esforçou para cursar uma faculdade, aprender outra língua, se aprimorar profissionalmente e tudo o mais, isso não vai ter valor algum na hora de procurar emprego. Para trabalhar, o deficiente se vê encurralado:

  • Ou começa a estudar para concursos públicos;
  • Ou aceita empregos inferiores à sua real qualificação, ganhando 1/5 do que efetivemente poderia ganhar se estivesse num cargo condizente com a sua qualificação;
  • Ou encontra uma empresa que ofereça um cargo fora da cota cujas atribuições sejam compatíveis com a sua deficiência (é raro, mas alguns conseguem);
  • Ou abre a sua própria empresa (ainda mais raro).

Incrementar a diversidade é um ato TÃO legal, e que pode trazer resultados que irão refletir em TANTAS áreas da vida de TANTOS seres humanos. Como não percebem isso? Um surdo oralizado, por exemplo. Do que ele precisa para realizar bem o seu trabalho numa empresa? Internet, email, SMS, alguns até falam no telefone!!

Alguém aqui conhece uma pessoa com deficiência que ocupe um alto cargo em alguma empresa? Eu não, e isso me entristece. Porque um deficiente não pode ser um grande executivo, chefiar uma equipe, representar uma grande companhia?

Não queremos FAVORES, queremos apenas OPORTUNIDADES. De poder lutar por uma vaga que nos interessa e que tem a ver com a nossa formação. E que essa maldita cultura de que o máximo que um deficiente vai conseguir é terminar o segundo grau desapareça. Um cargo “x” pode ser disputado tranquilamente entre um ‘normal’ e um ‘deficiente’ caso a empresa ofereça a acessibilidade que o deficiente necessita para trabalhar bem. Na minha visão, é muito simples.

E outra: com tanta acessibilidade disponível hoje, porque não cursar uma faculdade e conquistar o mundo, se assim desejar? Cá entre nós, eu ODEIO esse pensamento coletivo de que deficiente é incapaz e nem adianta estudar muito porque nunca vai conseguir alcançar o que os ‘normais’ alcançam. Credo. Isso me dá calafrios!!!! E o pior é que esse pensamento está incrustrado não só na mente das pessoas que não possuem deficiência nenhuma, mas principalmente na mente das que possuem.

Quem conhece empresas que vão contra tudo isso e têm funcionários PCD’s em cargos de diversas complexidades, conte aqui. E contem também o que vocês pensam sobre tudo isso.

4 amaram.

48 comentários em “Vagas de emprego para pessoas com deficiência”

  1. Deni

    Oi Paula!
    Ótimo assunto que você trouxe, pois eu tenho despeito com isso em relação às empresas.
    Eu até tive sorte, entrei pelo meu currículo, fui promovida, sou valorizada pelas minhas competências, sou requisitada para desenvolver outros projetos e ganho pela equiparação salarial na corporação.
    Mas sei que muitas não são bem assim (inclusive na própria onde eu eu trabalho tem muito mais sub…), às vezes eu envio meu currículo para saber como está o mercado de trabalho e vai que aparece uma propo$ta melhor, maaaassss caracas!!! As que me chamaram para entrevista, tiveram a cara de pau de, ou me oferecerem algo abaixo das minhas expectativas e diga-se de passagem, experiência; ou então teria de fazer curso de capacitação para inclusão…. hahahahaha… Eu???? Fazer esses cursos???
    M$#%&&! porque não leiam atentamente meu currículo e observem que tenho cursos além do que estão oferecendo???? E sim posso contribuir muito para a empresa, até mais que certos ditos normais. Poxa, quer ver, eu trabalho com pessoas que não tem deficiência nenhuma, mas são deficientes em educação e em jogo de cintura e eu gente! Eu, surda! Tenho de repetir trocentas vezes como a pessoa deve fazer a tarefa… eu não lidero uma equipe, mas coordeno e sou responsável por uma parte do material no qual devo responder.
    E não, não conheço nenhum deficiente em alto cargo em uma empresa. Apenas alguns que tem o próprio negócio!
    E esse é um assunto que tenho muito chiar… :P
    Beijos!

  2. Rodolpho

    faaaaala paula e povo. kkkkk
    esse é um assunto que muuuuuuuito me interessa, então bora lá…
    concordo com tudo que você falou: tem empresa que oferece certos empregos pra pessoa com deficiênsia que oooolha… deus me livre. nada contra, mas o pessoal não procura saber como a pessoa vai se adaptar ao emprego, tudo mais.
    tem muitas empresas que pensam que cegos, por exemplo, só podem trabalhar como telefonistas, porque tem a ver com informática e tudo mais.
    eu hoje, faço faculdade de gestão da tecnologia da informação, porque no final das contas, eu vou ter um emprego bom, e também pra mostrar pra esse povo que cego também é capaz de trabalhar em outras áreas.
    muito cego que eu já conversei na net, e isso não é uma regra, mas a maioria:
    1. trabalha como telefonista;
    2. faz faculdade. pergunta do quê? pedagogia; kkkk
    3. trabalha como massoterapeuta.
    nunca conheci um cego com cargo alto em empresa, também. nem cego, nem nenhuma outra pessoa com qualquer deficiência.

  3. Lak Lobato

    Queria comentar, mas…
    Não consigo falar desse assunto sem chorar!
    Beijos

  4. Mila

    Esse assunto tem que se espalhar por cada um dos blogs que trate o tema deficiência para ver se chega nos ouvidos dos rsponsáveis. É um absurdo essa discriminação velada, é uma absurdo a lei estar sendo usada de maneira equivocada, fazendo com que vire uma letra morte que não inclui o deficiente da maneira que deveria.
    Sou formada em Direito, falo inglês, sempre fui boa aluna e tudo que me oferecem são sub-empregos. Recuso-me a aceitar.
    Parabéns pelo post.
    Um abraço,
    Mila

  5. Anônimo

    Paulinha,
    Essa “discriminação” acontece também no serviço público.
    Quando consegui uma vaguinha – após baterem muitas portas na minha cara na iniciativa privada – e fui empossada, fui me apresentar para o diretor. Neste dia eu fiquei sabendo qual seria minhas atribuições no órgão. Soube que eu faria um “subserviço”: ficaria em um setor em que eu trabalharia “cadastrando” usuários e resetando senhas a pedido. Fala sério né?! Apesar do currículo, dos cursos, da graduação, ouvir aquilo me fez sentir péssima. Como vc sabe, sou da área de informática. Estudei pra ficar cadastrando usuários? O que eu aprenderia com isso? E o conhecimento que eu tenho, não serviria pra nada? Não seria mais fácil chamar um digitador para tal tarefa? Fiquei P da vida! Pensei: será que ele acha que sou retardada, incapaz de exercer atividades compatíveis com a minha formação? Só pode!
    Bati o pé, disse que não faria aquilo (primeiro dia peitando o diretor, estava nem aí para o estágio probatório), e ele me disse que estava nas atribuições do meu cargo este tipo de “subserviço”. Mas como eu já tinha me informado, PEITEI: NÃO TENHO QUE FAZER ESTE TIPO DE TAREFA! Em alto e bom som para todos ouvirem.
    Após uma hora de conversa, papo furado, pedidos de desculpas, consegui convencer. Fui para um setor que tinha tudo a ver comigo.
    Se não conseguisse, e ele teimasse que teria que fazer esse “subserviço”, na mesma hora procuraria o sindicato e o cargo máximo daquele órgão, protocolaria uma denúncia, porque este tipo de atitude por parte do diretor geraria um Processo Administrativo.
    Mas eu penso: quantas pessoas passaram por isso, abaixaram a cabeça e não conseguiram mostrar seu potencial?
    E acredite: este setor de “cadastro de usuários” funciona até hoje: 100% formado por servidores públicos que não querem trabalhar e empurram o trabalho com a barriga.
    Hoje estou em um setor que eu adoro, exercendo atividades compatíveis com minha formação e especialidade do cargo, e venho me destacando por isso.
    (Enviei esta mensagem como anônima, mas pelo email vc sabe quem eu sou)

  6. Andrea

    Paula, às vezes o RH até tenta, mas as empresas não possuem estrutura adequada para contratação e nem pensam em modificá-las. Realmente é um assunto delicado. Quem sabe não está aí a oportunidade para iniciar uma mobilização via redes sociais, e cobrar uma maior fiscalização e até alteração da lei.

    Prometo que como RH vou mudar a atitude da empresa em que trabalho. É a minha estrelinha de volta ao mar.

    Bjos

    1. Lak Lobato

      É um erro crasso enfiar todo deficiente no mesmo saco… Nem todo deficiente precisa de ‘estuturação’. Veja o caso dos surdos oralizados, que são o foco deste blog. A maioria de nós só tem 1 impecílio: falar ao telefone. Fora isso, não é preciso qualquer adaptação já que lemos lábios, conversamos normalmente e temos todas as funções do corpo preservadas, não precisamos de estruturação ou blablabla whiskas sachê, a maioria tem ensino superior (incluindo pós graduação) e muitos falam segundos e terceiros idiomas. E, assim mesmo, as empresas não nos contratam. Por quê?? Preconceito puro e simples somada a mais descarada má vontade.
      Abraços

  7. Ferdy

    ótimo assunto e super complexo, pois falar sobre deficiência e inclusão desperta lados nas pessoas que vc nunca imaginaria ver…

    Sou deficiente física e tenho passado muito por isso, e tento explicar para as pessoas que eu não quero um emprego por ser deficiente, mas acabo enviando currículos para vagas para deficientes na esperança de encontrar alguma empresa que me valorize como profissional e ser humano. Infelizmente, existe o preconceito e as vagas disponíveis sempre são de subemprego…com salários de fome.
    E por eu ter faculdade, conhecimento de idiomas, nunca sou selecionada. Mas me pergunto: eu gostaria desse emprego? NÂO! Mas preciso do $$: SIM!!
    ou seja, realmente a única saída é estudar para concurso público e dar a cara a tapa para enfrentar o preconceito por aí….

  8. Rafael

    Paula, concordo em gênero, número e grau. Agora no meu entendimento a solução é tentar a vaga como pessoa normal e só na entrevista tocar no assunto da deficiência, se for mulher então mais fácil ainda pois o cabelo esconde os aparelhos e fica mais fácil passar despercebido.
    Infelizmente esta é mais uma luta para todos nós.

    Abraços

  9. Dirceu

    Olá boa tarde, parabéns pelo texto…
    Bom outra coisa que não sei se acontece poraí, mas aqui onde eu moro eu ja presienciei e pude constatar isso, é uma forma experta de enganar os auditores do ministério do trabalho.
    Sabe-se que a fiscalização nesse ramo é praticamente inexistente. Segundo o chefe do ministério do trabalho que eu procurei, isso se da ao fato de que existem muitas ocorrências nas emprezas onde acaba ocupando o tempo dos auditores, sendo que não tem tempo para fiscalizarem as emprezas afim-de constatar se há ou não contratação de pessoas com deficiência.
    Bom. Mas e agora, se a fiscalização chegar, muitas emprezas poraqui não contratam pessoas com deficiência, sendo que é uma região bastante industrializada, e com toda certeza teriam a obrigação de contratar. Pois muitas possuem muito além de 100 funcionários…
    Mas em fim resumindo. O que constatei é de que algumas emprezas abrem vagas para PCDS só que não contratam.
    Aceitam o currículo, quando este não existe eles fazem um cadastro da pessoa na hora, e guardam isso.
    Alguns chegam procurar instituições de ensino em busca de pessoas com deficiência para fazer o cadastro das mesmas e verificar possíveis vagas compatíveis.
    Agora o grave disso tudo, o que me deixa com ódio. Esses currículos, cadastros etc, ficam na gaveta para quando chegar milagrosamente um fiscal, eles apresentarem o projeto lindo e magnífico que a empreza desenvolve, afirmando que estão em processo de contratação.
    Embora esse é um processo que nunca se concretiza. Mas é claro, os fiscais fazem de conta que não sabem, e tudo fica bem.
    E nós como ficamos?
    Fazendo faculdade, cursos técnicos, pois não posso me expecializar em só uma área. Eu tenho que estar pronto para a vaga que surgir, pois a condizente com minha expecialização nunca surge.
    Aí alguns podem dizer. Sim, mas vc vai aceitar qualquer vaga que aparecer? Eu respondo. Meu amigo, para quem está sem trabalho, sem nada para fazer, acho que qualquer coisa que sirva como experiência, que seja um primeiro degrau na minha vida profissional, ta ótimo.
    Depois sim, trabalhando tendo condições de pagar uma pós, um mestrado ou doutorado, aí sim. Vou me expecializar!

    Ja tive vontade de denunciar isso, pois tenho provas do que to falando. Mas como a região que moro é um ovo de pequena, se eu denuncio o boato corre e aí sim. Ninguém mais vai contratar um delator né, que fica denunciando. coisa feia.
    Tenho medo de queimar meu filme…

    Pois é amigos,e agora?
    Só estudar pra concursos e rezar para ser chamado. Pois passar eu passei.
    Eassim eu faço. Prestando concurso e batendo de porta em porta atraz de emprego.
    Alguns até podem pensar. Mas porque vc não sai da i e vai pra uma grande sidade?
    Sim, seria interessante. Mas ja pensaram se todo mundo aqui pensar igual eu?
    Vamos todos lotar as grandes sidades, e quem sabe a sorte aparece.
    Bom é isso.
    Abraços a todos e vamos aluta,
    Como foi dito a sima, concordo em começar uma campanha via redes sociais, já que se posta tanta azneira via twitter, porque não começar justamente por ele?
    Precisando do meu apoio conte comigo!

  10. Gabi VA

    Olá! Aconteceu comigo tb, foi muito constrangedor e é difícil conversar com as pessoas sobre esse assunto, já que tocaram aqui vai minha história:

    Passei no concurso do sesc ano passado, eram 1o vagas, fiquei em último, não esperava passar, fiz por fazer e nem esperava que me chamassem, o que tinha tirado em primeiro lugar não tinha diploma de acordo com o cargo que era biólogo ou químico (eu sou bióloga formada esse ano).

    Mas também foi uma erro meu não ter lido as atribuições do cargo e que o cargo de técnico especializado em ciências também trabalhava com atendimento de todas as faixas etárias. Mas não havia nas atribuições do cargo que 99% das atividades, as mais importantes, eram realizadas por TELEFONE.

    Daí duas grandes dificuldades pra minha deficiências auditiva, não ouso nada no telefone e apesar de ler lábios muito bem não sei ler mais de 10 lábios ao mesmo tempo. Quando vi que aquilo não era pra mim, que pra eu dá o meu 100%, porque é isso que todo surdo oralizado/sinalizado quer, eu tinha que virar o sesc de cabeça pra baixo, os aaanos de serviço deles todo realizado por telefone e atendimento, eu com certeza ia passar pela maior dificuldade da minha vida, posso admitir, pedi demissão, porque eu não estava preparada pra lutar. Chorei muito e eu vi como era a realidade de um surdo oralizado, foi mega difícil!

    Levei 6 meses pra recuperar isso, hoje eu vejo que passei por isso porque no próximo emprego vou lutar pelos meus direitos, que as empresas e órgão públicos tenham acessibilidade para nós surdos oralizados!

    Isso foi minha falta de experiência que me ensinou uma valiosa experiências: Nunca deixe de lutar!

  11. Rose

    Olha Paula, sou advogada, tenho um blog, e adoro esse seu blog, tudo porque meu noivo, e o irmão dele são surdos oralizados.
    Recentemente um episódio lastimável aconteceu com meu cunhado: ele passou em primeiro lugar na vaga de deficiente no concurso do TRT da 21ª Região, e simplesmente, mesmo após 19 nomeações, ele não foi chamado. Liguei para o TRT e indaguei porque ele não tinha sido convocado ainda, já que no mínimo, ele deveria ter sido chamado quando chamassem a 4ª ou 5ª vaga do cadastro dos não-pna. Me disseram que era questão de conveniência e oportunidade chamá-lo(oi?), e que a vaga dele estava reservada, só não se sabia quando essa convocação ia acontecer. Tô me coçando aqui pra não entrar com um mandado de segurança, porque acho que esse Tribunal, que a priori deveria aplicar a lei, acaba por desvirtuando totalmente a lei que ampara os deficientes, já que o fim e princípio, é inserir o deficiente no mercado de trabalho, e no serviço público, e o que tá acontecendo é o contrário, estão retardando esse direito que considero fundamental.
    Graças a Deus ele já é servidor, mas se não fosse?
    É preciso parar de tratar o deficiente como um incapaz, já!
    Conheço procuradores do Ministério Público do Trabalho com deficiência visual, juízes deficientes auditivos…será que seus colegas não abrem o olho pra questão, mesmo tendo alguém tão próximo tentando a ferro e fogo, na valentia, transpor esses obstáculos que são impostos?
    Fica minha indignação e decepção com o Tribunal.
    Beijos

    1. demer damas

      Ola Drª rose realmente incrível isso , 1 lugar é um feito e tanto , mas ganhar e não levar isso sim caso de justiça , bom eu não pensaria tanto se tivesse alguem com tanto poder para entrar com uma ação nesse sentido , tem o ministerio público tambem , afinal de contas tempo é dinheiro e seu futuro cunhado esta perdendo dinheiro .

  12. Ewerton Luiz

    Olá

    Aconteceu um caso de uma pessoa cega, aqui na minha cidade, trabalhou um tempo em um banco e depois saiu, talvez por não ter se adaptado, o que é bem pouco provável.

    Logo que ele saiu deste emprego não conseguia mais nada, a última vez que ouvi falar dele, recebeu uma proposta de R$ 100,00, para que não precisasse trabalhar, um absurdo inominável, gostaria de ver esta pessoa viver com esta oferta.

    Nem entro no mérito do salário que receberia, mas é inadmissível ser tratado como um inútil sendo incapaz de trabalhar como uma pessoa qualquer, limitações todos temos sejam físicos ou de conhecimento.

  13. s0ramires

    Acabo de ler os comentários, estou triste demais. Só escapei dessa situação porque quando fiquei surda já tinha emprego no BB, conseguido por concurso, e com aparelhos auditivos consegui continuar trabalhando normalmente. Também trabalhava como tradutora, sem problemas. Hoje estou aposentada.
    Mas lendo os relatos das dificuldades e humilhações porque tem que passar uma pessoa com deficiência, para conseguir um primeiro emprego compatível com sua formação, não deixo de me se sentir triste e impotente. Essa forma fraudulenta de preencher as cotas é absurda e cruel.

  14. Yuri Sandro

    Infelizmente, o sub-emprego é bem comum.
    Mas em SP, pode conseguir empregos com bons salários pois meus amigos paulistas estão nessa situação.
    Não tive oportunidade de me aventurar nas empresas privadas. Só fiquei 3 meses como digitador e 2 anos terceirizado na empresa estadual. O resto foi no serviço público, onde estou até hoje, através de concursos públicos para ter garantia e estabilidade.
    Na empresa pública onde sou concursado, me respeitam e trabalho de acordo com área da minha diploma (sou analista de sistema). É tranquilo.

    Já vi alguns surdos como chefe mas executivo nunca.
    Também existem alguns com negócios próprios.

    Abraços,

    Yuri

  15. Juliana

    Oi Paula,
    A maioria das empresas contratam mais deficientes fisicos, por ter menos dificuldades q a maioria de outros tipos de deficiencias. Como falar em publico, fazer aprsentações, atendimento telefonico, etc.
    Qdo trabalhava na empresa de operadora celular, peguntei ao RH se tinha mais alguém como deficiente auditiva trabalhando, disse q não, q eu era a única, e dps descobri q era mentira, pois vi um surdo c aparelho auditivo no elevador no trabalho, e no outro dia encontrei c ele no horário do almoço e fui me apresentar como funcionária daquela empresa, e continuei conversando c ele mas fingi q era ouvinte, e dps falei q tbm era surda, ele quase caiu p trás, e tbm foi enganado plea empresa q era o único surdo!!
    Dai dps fui descobrindo q a empresa contratava deficientes auditivos de grau leve q consegue falar no telefone e comunicava perfeitanente como ouvintes sem perceber q eram um pouco surdos.
    Nossa fiquei mto arrasada! Mas não pode fazer nada.
    Atualmente não estou trabalhando, mas continuo procurando empregos e estudando p concursos.

    Bjos,

    Juliana.

  16. Charlotte

    Esse negócio de cota me intriga muito também. De onde trabalho, no HSBC, os deficientes são contratados pela ‘cota’. Já que alguns tem formação qualificada com o cargo, mas não recebe o mesmo que o seu colega ouvinte recebe. Porque essa inferioridade de salário? Deficiente incapaz? Isso é antiguidade! O povo precisa parar com isso. Tem que levar a conta do ‘currículo’ e ‘experiencia’, não da pessoa ser ‘deficiente’.

  17. Cássia

    É muito complicado tudo isso, eu como outra leitora acima já estava empregada quando fiquei deficiente minha empresa tenha sido privatizada permaneci por 10 anos até a aposentadoria pois com os aparelhos auditivos não senti nenhuma dificuldade em desempenhar bem minhas funções.
    Meu irmão é professor há quase 20 anos, ficou deficiente há uns 10 e também não tem problemas em lecionar com os aparelhos auditivos, porém apesar de exercer a profissão já passou em 3 concursos públicos da PMSP e não consegue passar no exame médico é considerado inapto independente do ganho que tem com os aparelhos, pelo simples fato de precisar usar próteses auditivas.

    1. Juliana Moreira

      Oi Cassia!
      Seu irmão foi reprovado na perícia médica “pelo simples fato de precisar usar próteses auditivas”? Tem certeza disso?
      Eu entrei em concurso público usando a reserva das vagas, e uso aparelho nos dois ouvidos.
      Para que seja aceito na reserva das vagas, seu irmão precisa ser surdo nos dois ouvidos (surdez unilateral é possível por meio de mandado de segurança) e ter a perda mínima especificada no decreto dos deficientes (n° 3298): ” II – deficiência auditiva – perda bilateral, parcial ou total, de quarenta e um decibéis (dB) ou mais, aferida por audiograma nas freqüências de 500HZ, 1.000HZ, 2.000Hz e 3.000Hz; (Redação dada pelo Decreto nº 5.296, de 2004)”. Talvez a perda dele seja pequena em ambos ou em um ouvido, e então não se enquadra no decreto.
      Mas se achar que tem direito, entre com mandado de segurança!
      []s!!

    2. Demer D

      Olá cassia, teu irmao insistiu 3 vezes ? mas que eu saiba qualquer força militar impede deficientes no quadro das forças , o próprio edital deixa isso muito claro . Eu quando completei a minha idade de assumir minha responsabilidade com militar, eu tinha ido no Corpo de Fuzileiros Navais, eu ja desesperado na vida sem saber o que fazer , para me manter ganhar dinheiro , eu tinha me informado que na quela época nao se dispensava da força especial da marinha , bom fui la , e tirei o aparelho e escondi hehe, crente que ninguem ia perceber , afinal nos se viramos para leitura labial tranquilo, so que algum gênio me chamou e eu não escutei, o responsavel na epoca descobriu que era eu , esse Capitão de mar e guerra , me chamou de lado e começou a conversar comigo , claro mandou eu por o aparelho de novo e me explicou de uma forma bastante clara e direta , “meu grande jovem admiro essas atitudes de querer servir a nação Brasileira , mas que no meu caso não seria possivel , pois uma serie de motivos , alguns deles , alguns treinamentos são anfíbios como é que vc vai fazer com o aparelho ?, e ja pensou em uma situação real de guerra , vc receber uma ordem de ataque e vc não ouvir o que ia acontecer com a embarcação ? ia afundar e todos morreriam por que vc não fez o ataque correto . ” bom eu vi que realmente não teria condições mínimas de ser um ótimo marinheiro, bom a questão do concurso público em algumas áreas são bem mais rentativas e melhores que alguns militares a questão é que sonho de cada um , mas quando me formar em nível superior que logo em breve , farei alguns concursos em áreas quase que mais interessantes como Peritos podem fazer numa boa, CSI Policia Federal, Civil salarios incríveis , mas para agente da policia federal ou civil não pode, que acho que não tem essa dificuldade toda , e com certeza seu irmão encontra alguma área mais interessante para ele .

      1. Juliana Moreira

        Demer,
        muito esclarecedor seu texto, não prestei atenção que PMSP é a Polícia Militar de SP. Lendo rápido, achei que fosse Procuradoria do Município, por isso meu texto explicando sobre a cota para deficientes nos concursos. Que confusão que eu fiz!
        Concordo com vc. Algumas funções, como os dos militares, são incompatíveis com a nossa deficiência, já que estaríamos colocando em risco a vida de outras pessoas. Ainda que o surdo oralizado esteja 100% adaptado ao aparelho e entenda tudo (difícil achar algum), já pensou se o aparelho não funciona na hora H? Muito arriscado mesmo.
        E me tira uma dúvida: podemos fazer prova para perito da Polícia Federal? Achei que seria barrada na perícia rsrss

        1. Demer D

          Ola juliana , bom me parece que eu me equivoquei em relação a Policia Federal , :( e talvez com outras carreiras também , Bom é o seguinte , geralmente o próprio edital ja nos informa , mas no último concurso da Policia Federal de 2004 , alem de não informar não deixa claro se poderíamos fazer o concurso , e acabei vendo que no caso da Policia Federal é não grande , segue uma ação do MPF/MG de 2002 para obrigar a Polícia Federal a reservar vagas para deficientes. http://www.conjur.com.br/2010-jan-23/deficiente-nao-delegado-escrivao-nem-perito-policia esse link esclarece toda a nossa dúvida infelizmente não poderíamos ter o belo distintivo da Policia federal.

        2. Demer D

          Mas veja só não é porque a Policia Federal não permite que as outras são iguais , não , estou vendo aqui Edital 001/Policia Civil -AM-Estado do Amazonas permite deficientes , outro edital da Policia Civil do Rio de janeiro 2011 -Perito Legista claro tem várias especialidades no edital pede se tal especialidade exemplo Toxicologia -Formação exigida Farmácia . Bom cada edital tem suas exigências .

          1. Demer D

            Esqueci esse da Polícia Civil do DF , que é um salário de 11 mil e pancada . olha esse edital qeu foi de 2007 , esta saindo um novo edital para esse mês . http://www.pciconcursos.com.br/concurso/policia-civil-df-40-vagas

  18. Vagas de emprego para pessoas com deficiência : Link Mundial

    […] Leia mais: Vagas de emprego para pessoas com deficiência […]

  19. Samuel Tiago

    Que interessante desse assunto! Eu sou deficiente auditivo, formei a Faculdade de Design Gráfico, Já aconteceu comigo uma empresa quando comecei trabalhar de assistência administrativo ofereceu vários serviços, depois de um tempo, diminuiu muito de produtividade perdi muito interessante pois percebi que nem crescer me deixou sem fazer nada até já perguntei a equipe se tem alguma coisa pra fazer e falaram que só depois ou ocupado, daí acabei ficado insatisfeito na empresa aguentei até de um ano e 5 meses fui demitido. Nem vale a pena ter ficar sem produtividade. Qualquer tipo de deficiência é capaz!

    1. Elen

      Samuel,
      Esta atitude por parte dessa empresa é classificada como anti ética e com grandes possibilidades de ser processada por assédio moral. Ou seja, ela vai retirando aos poucos as suas atividades, até que você não tenha mais o que fazer. É comum nos sentirmos desmotivados e muitas vezes até culpados, quando algo desta natureza acontece. Não baixe a cabeça. Procure saber mais a respeito e exija seus direitos como cidadão.
      Elen

  20. Clicie

    Olá!!!

    eu concordo completamente o texto!! isso é realmente verdadeiramente! ja aconteceu comigo, mas até hoje não conseguem mudar… por que nao esta interessado de saber, só foi por causa da COTA mesmo!!!!

    estou trabalhando há 6 anos na area RH, continuo o mesmo cargo auxiliar administrativo! ja fiz muita besteira dentro da empresa por que fiquei revoltadissima! ninguem merecia comigo entende? sou surda, oralizada, estudo faculdade ultimo ano, ja fiz curso, só que nao adiantou mesmo!
    ja fiz varias entrevista, tudo fraco!!! salario muito baixo, a area tambem!

    e esse ano mes setembro ganhei aumento mérito sem promoção!

    eu fico puxando o pessoal me ensinar o trabalho novo, ninguem quer passar, vive falando “ah depois passo” “ah preciso pensar” “ah preciso dar tempo para procurar o que vai precisar me ajudar” ja resolveu? nunca! ate ja falei com meu chefe, mesmo assim, nem passou nada, eu fico chateada

    com isso, parece que eles pensam que eu nao sei fazer nada, até me culpam o meu trabalho, pode acreditar,
    o porteiro me culpam que sou eu que dei problema(trabalho para fazer o pedido do crachá da outra empresa),
    enfermeira falam que eu perdi e tenho procurar(trabalho com atestado para cartao de ponto),
    me culpam que eu fiz cobrança errada( eu só verifico hora extra pra quem não foi trabalhar e o funcionario tem verificar com ctz se precisa ou nao devolver VT) etc….

    dá pra aguentar????? me poupe!

    vms lutar essa cota mudar!!!!!!!

    1. Samuel Tiago

      Até já aconteceu comigo a equipe vive falado “ah depois te passo” ou “ah estou ocupado muito trabalho” fala serio! para que me contratou? contraria para aprender e crescer na empresa.

      1. Clicie

        grrrr odeio isso!!!!! concordo vc pra q estamos trabalhando a toa 8hs por dia caramba!!!!

        eu tbm trabalho particular pelo virtual, se vc quiser e eu te passo pra vc blz!

      2. samuel tiago de castro muller

        Oi, Clicie, tudo bem? pode me passa.

    2. Samuel Tiago

      esqueci de dizer sobre meu caso é a terceira empresa e agora estou trabalhando de TI na outra empresa.

  21. Iracema Dantas

    Que tal o Crônicas da Surdez ter um banco de currículos? Quando as empresas disponizarem vagas de subempregos, o site oferece, também, a relação de pessoas com formação superior e aperfeiçoamento.
    Os empresários, na maioria das vezes, associam deficiência auditiva (ou outra) a falta de capacitação. Isso porque, até pouco tempo atrás, o deficiente era predestinado a viver trancafiado em casa podendo, no máximo, ficar na janela, vendo a vida passar.
    Esse pode ser um passo para sermos reconhecidos.

  22. Elen

    Olá,
    Acho um absurdo todas as situações vexatórias pelas quais um surdo passa. Tomei conhecimento de que um médico não queria dar um atestado para o surdo se apresentar a um emprego, pois não sabia dizer se o surdo era capaz de exercer atividades normais. E olha que não era nem para utilizar telefone. A sorte deste rapaz foi que ele levou um intérprete, que com muito custo, conseguiu esclarecer ao bendito que a deficiencia era apenas sensorial e não física.
    Elen

  23. Lilian

    eu já conheço alguns que comentaram =)

    Eu surda profunda, oralizada e sinalizada. Já me formei, com a minha aréa de Design Grafico, dificil para achar a aréa de Design Grafico. também já sofri, pela falta de atividades até já tentei oferecer ajuda os outros, sempre falam ” ah espera”, “tenha paciencia” e bla bla bla…mó papo furado, que deixa-me de ficar irritada, sem nada pra fazer, até ficar com sono..afe!

    Todas empresas preocupam pela cota e não preocupam a melhor forma de motivar os colaboradores (com deficientes).INFELIZMENTE!!!

    Temos que corre atrás, estudar muito com varios cursos e tornar-nos
    capazes de desenvolver uma competência como ouvintes. (Sem deficientes)

    Desejo lhe a todos que continuam na luta, muita força e boa sorte, me colocando à disposição para unir à forca de vocês! =)

    Beijos

  24. moisés

    infelizmente é o mundo em que vivemos,sou portador de deficiencia auditiva.
    ………..já passei por cada uma. , o que na verdade é porque eles não tem um ente querido na familia assim ou ele mesmo no nosso lugar.

    mas eu espero em Deus porque ele e fiel.

  25. Clicie

    q coisa mais chato hein!

    não dá p suportar!!! eu queria criar uma loja pra quebrar pau todo mundo ficar babando que o deficiente é capaz ser responsabilidade pra ver se vai atras e querendo emprego!!! eles se dane-se! ja pensou, so deficiente trabalhando cmg e todo mundo(ouvinte) admirando que somos forte e bonito o gesto de deficiente mais feliz unidos???

    isso ai é meu sonho de criar, mas estou atras disso, vou consegui!!!! que Deus me ouça!!

    nao quero mais sofrer que estou passando limite a mesma coisa na vida no trampo, chega!!!

    um prospero feliz ano novo!!!

    abç

  26. Antonio Carlos Gomes leal

    Eu sou projetista de moldes plastico fiz varios curso para me manter atualizado, ja trabalho a 32 anos com registro em carteira.
    Sou deficiente fisico ( menbro inferior direito). pedi minha demissão para entrar em outra empresa a qual eu fui selecionado, passei por entrevista, tudo correu normalmente, fui aprovado no novo emprego.
    Apos uns vinte dias no novo emprego, meu gerente com RH vieram falar comigo – eles estavam preocupado por eu ser a 1º pessoa com deficiencia na empresa, pois eu poderia sofre um assidente e a empresa ser multada, conclusão, no termino do meu contrato de experiencia fui demetido.
    Agora estou a dois meses desembregado, estou a procura de um novo emprego. A empresa foi injusta comigo, tenho familha e contas se acumulado.

    A gora eu pergundo? cade a LEI que nos protege?

    A empresa a qual eu trabalhava tem 160 funcionario, cade a lei que obriga as empresa terem contas para deficientes fisicos.

    1. CLICIE

      ai q RAIVA!!!! absurdooo!!!!!!!

      PROCESSAA SEM DÓÓ!!!!

      PELO AMOR DE DEUS,NAO DEIXA AS COISAS PRA LA, PROCESSAA!! VC PODE GANHAR QQ JEITO!!!!

      PROCESSA PRA VER SE A EMPRESA VAI GOSTAR DO JEITO Q FIZERAM COM VC POR MALDADE!!! VC É NORMAL! AFF ABSURDO!

      ABSURDO Q ISSO!!!

  27. wilson jorge de souza

    É verdade concordo com tudo que foi falado até agora, e quero acrescentar que tem vezes que os deficientes vai fazer entrevista e a empresa pede a xerox de todos os documentos e fica com essa documentação e falam que vão liga, se a pessoa for selecionado.
    E conclusão .. a empresa não chama!! e fica uma pergunta o que eles fazem com estes documentos que fica com a empresa?

  28. Juliana

    Olha gente, pelo que vi aqui essas empresas são todas iguais na hora de contratar…
    Eu também sou beneficiada no sistema de cotas por ter deficiência física e também auditiva. PORÉM em ambos os casos minha deficiência são consideradas leves. Inclusive no telefone eu me viro muito bem, as vezes que me dá problema é quando a ligação está ruim. Não penso duas vezes: peço para a pessoa ligar novamente. Enfim, sai de uma empresa porque eu percebi a injustiça nas promoções. Gente não adianta, você pode fazer o serviço de todos os colegas e da empresa inteira eles sempre te olharão como o deficiente, o incapaz, o idiota,o bobo da côrte etc…

    Isso precisa acabar! É triste ver isso!!!

  29. moisés

    assim como até hoje existe pessoas que tem preconceito com negros e vai existir sempre,a mesma regra acontece com pcds.,infelizmente não podemos fazer nada a não ser confiar em Deus,porque eu também já passei por cada uma sou deficiente auditivo fique com Deus e até mais……

  30. antoniomouraojunior

    Para quem procura mais vagas de emprego ou estágio eu indico esse site. Muitas vagas. Boa sorte. http://www.vagasdeemprego.net

  31. silvana barros

    Tenho nível superior,ingles fluentíssimo, já viajei o mundo, ocupei cargos diversos, inclusive de diretoria. Sinto-me uma completa imbecil procurando cargos para currículo PPD. Será que o pessoal acha que toda deficiência é mental grave? Bjus

  32. ANTONIO MOACIR LOMBA FERREIRA

    É realmente triste esse cenário, uma nítida descriminação por parte de algumas empresas, criam saídas estrategias, mas no fundo é exclusão, com a palavra as autoridades competentes!

  33. Raquel

    Eu acho tudo isso um absurdo.Tenho 26 anos,sou deficiente auditiva.Antes de saber a gravidade do meu problema, fiz teste em uma empresa por três vezes, e todas as vezes fiquei reprovada no exame auditivo,isso mim desmotivou bastante.No ano de 2012 tive minha deficiência comprovada. Hoje sou homologada,mas acredite, parece que as posta se fecharam pra mim. vivo correndo atrás de uma oportunidade, mas tá difícil.

  34. patricia ferreira queiroz

    oi eu sou deficiente auditiva,não sem 100 por cento,mais bastante tenho muita vergonha de falar da minha deficiencia pra pessoas pois sofro muito preconceito,preciso trabalhar mas não consigo por ter esse problema peço ajuda pra quem se interessar.

Deixe seu Comentário