Crônicas da Surdez Viagem Viajante Biônica

Viajante Biônica: viagem a Portugal

A coisa que mais adoro fazer na vida é viajar, e como nunca pensei que voltaria a viajar ouvindo, hoje minhas viagens pelo mundo tem um sabor totalmente diferente. A começar pelo momento mais básico de um vôo internacional: assistir aos filmes para o tempo passar. Só eu sei quantos vôos passei assistindo ao vídeo sem som e imaginando diálogos na cabeça por causa da falta de legendas…

Meu companheiro inseparável de vôos longos: cabo de áudio. Em primeiro lugar, porque as instruções de segurança dos vôos não permitem dispositivos com bluetooth funcionando durante o vôo; em segundo lugar, porque não gasto pilha nem bateria a mais com streaming. Enquanto ainda rola serviço de bordo, conecto o cabo de áudio no IC direito e deixo o IC esquerdo ouvindo o som ambiente – percebi que isso é um baita treinamento auditivo, meu cérebro adora! 🙂

Dessa vez voei KLM e vários filmes tinham legenda em inglês, mas isso é sempre uma caixa de Pandora: não dá para saber se seu vôo terá filmes legendados e muito menos se a legenda será na sua língua materna… Não consigo ouvir e entender 100% os filmes em inglês, então, quando não encontro legendas e não tem áudio em português, treino meu espanhol. O segredo é encarar qualquer perrengue como treinamento auditivo mesmo!

 

Passamos uma tarde em Amsterdam antes de voar para Lisboa, e o aeroporto tinha vários pontos com Aro Magnético! Em inglês se chama Hearing Loop e é uma tecnologia assistiva maravilhosa para usuários de AASI e IC. Quem nunca experimentou, dê jeito de experimentar, por favor!

 

 

Almocei uma cóclea – brincadeira, hehehe! Comemos uma mariscada numa praia portuguesa chamada Peniche e um marisco era idêntico a uma cóclea, o Luciano até tirou uma foto do que tinha dentro (e comeu, argh!) e ficou admirado olhando…

Numa ida a Mafra, entrei na catedral e estavam afinando os órgãos para o Festival de Órgãos de Mafra que começaria naquela noite. Jeeeeesus! Não aguentei a barulheira infernal e desliguei meus implantes porque quem tem botão OFF na vida tem mais é que usar numa situação dessas, hahahaha!

No próximo post conto várias aventuras que vivi nesta viagem, fiquem ligados!

26 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 34 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

Deixe seu comentário