Ícone do site Crônicas da Surdez – Surdos Que Ouvem – por Paula Pfeifer

A história do Matheus: deficiência auditiva leve a moderada

 

‘Olá Paula!

Venho acompanhando seu blog e com toda certeza vou comprar o seu livro, você vem sendo minha inspiração e minha professora da vida. Sou mãe do Matheus que tem deficiência auditiva bilateral, “antes” leve a moderada e “agora” moderada a severa, pois acabamos de descobrir que é progressivo. Ainda não sabemos a causa, porém desconfiamos de mutação genética. Quando Matheus ainda tinha meses percebia que ele não atendia quando eu o chamava, sempre mencionei nas consultas de rotinas ao médico, mas as resposta eram sempre a mesmas: “Mãe, não é nada…é comum a criança ficar distraída”. Em mais consultas de rotina, eu dizia:”ele não me atende, tenho impressão que não me escuta ou não me entende”. E daí com muito custo consegui um encaminhamento pro Otorrino, que por sua vez, me disse que não era nada.

Em consultas de rotina lá vai eu e minhas queixas novamente. Resposta?
Mãe, acho que o problema ta na Senhora, melhor fazer terapia! 

Outras consultas:  – Mãe, ele não te entende ou não te ouve? Porque já não encaminhamos pro otorrino!!
– Se não entende é deficiência de aprendizagem!!Vou fazer encaminhamento pro Neuro ( de forma bem grosseira).

Na hora meus olhos encheram de lágrimas, pego meu encaminhamento e mais uma vez vou embora, morrendo por dentro. Fui ao Neuro , que me perguntou o que eu estava fazendo com o Matheus lá. Que não era pra eu estar ali. Mais uma vez saio despedaçada, mais uma vez sem resposta. Essa jornada foi até o Matheus completar 03 anos, daí “surtei” e foi quando eu consegui encaminhamento para fonoaudióloga que em duas sessões disse que o Matheus tinha deficiência auditiva e que era pra fazer audiometria.

Sai chorando, falando que a FONO era louca, porém, afinal desconfiávamos, mas na hora H turbilhoes de sentimentos e um deles é não querer acreditar na realidade. Audiometria + BERA = Deficiência auditiva leve a Moderada bilateral Neurosensorial. Detalhe, fiz o Bera através do convenio e o resultado? Ouvinte 100%. Foi uma luta árdua…mas, hoje meu filho já está com 05 anos e muito bem amparado pela Dra. Cilmara Levi, Ana Paula Carvalho e Monica Chapchap. Ainda estou em busca de um Otorrino pra chamar de “meu” pois tudo que é meu é do Matheus e do Matheus é meu!

Aparelhado e muito bem adaptado, me pede sempre pra usar e também me chama atenção quando demoro pra colocar os aparelhos dele. Está matriculado no ensino regular, faz judô e natação e indo muito bem por sinal. É um garoto lindo, cheio de energias e adora fazer amizades. Neste momento demos entrada pra conseguir o FM através do SUS. Acompanhamento de 3 em 3 meses e torcer pra estabilizar, caso continue, o próximo caminho é o IC. Cobro muito dele e não o deixo se sentir menos que ninguém. Procuro levar a teoria de que “usamos” os óculos pra enxergar melhor e o Matheus usa aparelho auditivo pra ouvir melhor. Meu filho é meu presente de Deus e meu amor incondicional!

Grande Beijo,
Susana Belcastro’

Sair da versão mobile