Menu
Crônicas da Surdez

Causos da Europa III

Eu estava no trem, indo de Cannes para Mônaco, e comecei a ouvir umas coisas e meu cérebro, por incrível que pareça, captou a mensagem! O que ouvi foi o seguinte:

“Prochain arrêt: Villeneuve Loubet”

Em 2003, fiz um semestre de francês. Lembro de muitas palavras que ouvia durante as aulas e no CD de exercícios que levava para casa. Foi por isso que, ao ouvir “Prochain arrêt: Villeneuve Loubet” (que significa próxima parada Villeneuve Loubet) meus queridos neurônios foram capazes de reconhecer o que eu estava ouvindo.

Para um ouvinte, isso é o tipo do papo patético.

Para um surdo, é uma pequena epifania.

Fiquei toda arrepiada na hora, abri um sorrisão e fiquei me sentindo a pessoa mais incrível da face da Terra. Meu banco no trem tinha vista para o mar, e fiquei olhando aquela imensidão azul e contemplando aquele prazer indescritível: ouvir alguma coisa e entender SEM leitura labial. E o melhor: em outra língua!! Acho que só um amigo(a) surdo(a) seria capaz de dividir essa emoção comigo – por sinal, sinto uma falta enorme de não ter absolutamente ninguém aqui onde moro com o mesmo problema, para trocar idéias ao vivo e a cores! 🙁

É uma vitória que parece tão pequena, mas só quem convive com a surdez é capaz de compreender a beleza contida nela. Pensem comigo: quantas vezes – mesmo com leitura labial e AASI – precisamos pedir que repitam o que foi dito de novo e de novo até entender?? Por isso, estar desatento observando a paisagem e de repente ouvir uma frase em francês e entendê-la é tipo o máximo. Pelo menos para mim, é. Qualquer coisa que eu consiga entender sem leitura labial me causa uma tremenda comoção interna. Vou parar por aqui senão vou ter que dar uma choradinha! Rsrsrsrsrs.

Antes que me esqueça, sabem qual é o barulho mais irritante que se ouve em Mônaco?? Barulho esse que está presente em qualquer ruela, o tempo inteiro, em todos os volumes…

O barulho das Ferraris.

Podem rir…quando passa a primeira Ferrari, os turistas ficam ‘aaaah, uma Ferrari’, mas lá pela décima, enche o saco, ou melhor, os ouvidos!!! 🙂

Sobre

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 38 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

17 Comentários

  • Silvia
    28/07/2011 at 10:30 am

    Oi, Paula! Leio seu blog vez ou outra… estou indo para a Europa pela segunda vez (na verdade a primeira vez foi só Madrid rapidamente e depois visitei amigos no Porto). AGora vou para Paris com um dia em Londres, vamos por conta propria, com uma amiga ouvinte. Me diga, acaso vc já usou as gratuidades para portadores de deficiencia nos parques e museus europeus? Como é o atendimento? Pesquisei nos sites oficiais e vi que deficiente não paga no Louvre, em Versailles… mas tem que levar laudo em inglês, já vou providenciar isto este mês… Bjo!

    Responder
  • MONICA
    19/07/2011 at 9:56 pm

    è uma emoção muito grande mesmo…qd isso acontece comigo que tbm é muito raramente, me sinto a tal!!! fico muito feliz! Gostaria que esses momentos acontecessem com frequencia, pois aumenta nossa auto- estima e faz esquecer por alguns segundos que temos esse diferencial!!! fiquei me sentindo na sua pele Paula!!! bjs pra vcs

    Responder
    • Crônicas da Surdez
      20/07/2011 at 10:10 am

      é mesmo monica!
      qdo acontece isso, me sinto ‘normal’ e é uma sensação estranha…
      beijo!

      Responder
  • Greize
    18/07/2011 at 10:55 pm

    Amei Paula, imagino como foi, depois que comecei o treinamento auditivo com músicas tenho tido emoções, rolou até uma música do Roberto Carlos p/ eu tentar ativar meu cérebro, mtas emoções.(faltou a risada dele né.rsrs).Mas o bom mesmo foi qdo,eu gritei do meu quarto :pai vc ta saindo e ouvi ele lá da sala dizer estou.Fiquei de “cara” pq isso não acontecia,tão longe assim.É uma emoção só nossa mesmo, ninguém entende só a gente.
    Sobre a ferrari… ah que luxo, eu falaria tb :Ai não aguento mais o som dessas máquinas,coisa de ryca??!!Não ,o som alto demais irrita mesmo.kkkk.
    Bjão

    Responder
  • Deni
    18/07/2011 at 7:12 pm

    ai que vergonha! devo estar ficando velha… pois nem presto mais atenção se algo assim acontece comigo 🙁 quem sabe com o IC as coisas mudam e eu comece a ter umas crises de alegria???
    mas Paula, essa da Ferrari, enjoou tão rápido assim????
    hahahaha

    bjos

    Responder
  • Marcela Cordeiro
    18/07/2011 at 4:11 pm

    Essa da Ferrari foi boa!kkkkkk
    Bom, imagino como vc deve sentir essa felicidade de entender algo sem leitura labial, sinto a mesma coisa!
    Isso muitas vezes acontece quando uso pilhas novas no aparelho, mas não é sempre, mas o pouco que dá, é maravilhoso!

    Responder
  • Julie
    18/07/2011 at 2:31 pm

    É a mais pura verdade! Eu também fico super feliz quando consigo escutar e entender coisas sem estar prestando atenção e sem fazer uso da leitura labial. Para os ouvintes realmente é algo bobo, mas para quem não ouve, é uma vitória maravilhosa! São momentos que a gente sente algo inesplicável, é uma constante redescoberta dos sons, e o treinamento auditivo é uma ferramenta perfeita para isso. Agora, escutar e entender em outra lingua estando distraída é realmente muito ótimo!!!

    Responder
  • helenice
    18/07/2011 at 1:55 pm

    Lindooooooo….adoro!!
    vou começar,a viajar,´pois filhos ja estão grandinhos…rs
    “Fazer um cruzeiro,c/ vcs!! é um sonho,despertado!!”é real…
    Vlw e Bjs!

    Responder
  • Luana
    18/07/2011 at 1:38 pm

    Fiquei muito feliz lendo isso Paula! Abri um baita sorriso pq sei exatamente como você se sentiu e ainda foi presentada com uma bela paisagem, deve ter sido um dia inesquecível! Bom dia! beijos

    Responder
  • Mariana
    18/07/2011 at 1:35 pm

    Para mim também é um máximo! É bem isso mesmo, “me sinto a pessoa mais incrível da face da terra”! Eu adoro esse tipo de momentos, que são raros, mas surpreendentes! :):):):) Incrível mesmo foi que você ouviu em outra língua e sem prestar atenção, poxa! 😀

    Responder
    • Crônicas da Surdez
      18/07/2011 at 2:26 pm

      Super raros né Mari…mas tbem, quando eles acontecem valem por todo o tempo que não aconteceram!
      Beijo,

      Responder

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.