Menu
Crônicas da Surdez

Eu não sou representada pela FENEIS. E você?

Vocês conhecem a FENEIS, certo?

Desde de sua fundação, o seu maior propósito tem sido divulgar a Libras-Língua Brasileira de Sinais. Ao longo dos anos, a Federação esteve envolvida em várias atividades como: encontros, seminários, cursos e outros trabalhos que sempre visaram esclarecer para a sociedade em geral, a importância de respeitarem a forma de comunicação da Comunidade Surda, a sua cultura e porque não dizer a sua história de evolução, enquanto minoria lingüística, que há séculos vem lutando pelo seu espaço e o reconhecimento de direitos que lhe são inerentes.

Importantes vitórias foram alcançadas com a oficialização e a regulamentação da Libras. Mas não podemos parar por aqui. Precisamos continuar lutando por uma educação de qualidade, pelo direito de acessibilidade a qualquer tipo de informação e a conquista de novas oportunidades no mercado de trabalho para os Surdos.”

FENEIS significa Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos. O nome, por si só, indica que TODOS os surdos brasileiros são representados por esta instituição, o que está muito longe de ser verdade. Tempo atrás enviei email através do site perguntando o que a entidade fazia em prol dos surdos oralizados, e estou até hoje esperando a resposta.

Eu e vocês que também são surdos oralizados – que não usam LIBRAS, que usam (ou não) aparelhos auditivos e implantes cocleares, que gostam de ouvir com a ajuda da tecnologia e que não estão interessados em viver somente dentro de uma comunidade de iguais – não somos representados pela FENEIS.

Quem não se encaixa na premissa número 1 de ser um “Ser Surdo” (assim mesmo, com “S”, como se um mero caps lock fosse capaz de denotar algum tipo de superioridade), que é ser usuário de LIBRAS, não é representado por esta entidade. Como eu gosto de lidar com a VERDADE, achei pertinente escrever sobre isso.

O grande público, as autoridades, a mídia e qualquer um que desconhece a heterogeneidade da surdez lê “federação nacional de surdos” e pronto: já pensa que um representante da mesma está apto a falar em nome de TODOS os surdos brasileiros. GRANDE ENGANO!

Neste post, o coordenador nacional de acessibilidade para surdos da FENEIS escreveu que:

Logo mais tarde, surgiu uma boa noticia que a Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário Nunes criou uma portaria 956 de 19 de maio deste ano exigindo a criação de uma comissão que a Secretaria coordenará e acompanhará as politicas públicas voltadas às pessoas surdas com os representantes : Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos e 3 associações de surdos de DF e Associação e ou Sindicato dos Intérpretes de LIBRAS para a participação de reunião (sic).”

Boa notícia seria se houvesse também representantes dos surdos oralizados, que também sofrem no colégio, que também gostariam de ter reforço na educação, que também precisam de acessibilidade – mas, como não usam Libras, são ‘insignificantes’ aos olhos desta entidade. O que mais me desagrada é que a FENEIS é sempre chamada para participar de reuniões com órgãos governamentais (como Anatel, Secretaria de Direitos Humanos, Secretarias de Educação, etc) e, estando lá, na categoria de representante máximo dos surdos brasileiros, representa apenas uma parte deste grupo. Me sinto muito desconfortável com isso. Muito!!!

Acho que a FENEIS deveria trocar de nome para deixar expressamente explicado que representa apenas os surdos sinalizados brasileiros. As autoridades desconhecem o assunto e acabam acatando opiniões de lideranças que NÃO estão interessadas nas demandas dos surdos oralizados. Penso que seria mais pertinente e verdadeiro usar o nome Federação Nacional de Educação e Integração de Surdos Usuários de LIBRAS. Mais honesto e mais sensato, não??

Por último, não conheço nenhum surdo oralizado que concorde com essa militância por uma política que obrigue crianças surdas a crescer em guetos educacionais, só com LIBRAS, com um português absurdamente precário (e, em muitos casos, nulo). Quando vemos essas lideranças falando em escolas bilíngues nós temos plena consciência de que isso é só conversa para boi dormir. Aliás, quem fiscaliza se as escolas bilíngues realmente dão resultado e formam adultos independentes ou se são apenas fachada e na realidade o foco total é a Libras?  Muitos surdos bilíngues têm interesse em mudar essa política. E 99% dos surdos oralizados não faz parte da FENEIS.

Não dá para compreender como a FENEIS concilia essa ênfase radical na segregação da “cultura surda” com o objetivo de “integração” dos surdos? Isso é segregação, é “separate but equal“, que de integração não tem nada…Já vimos até mesmo lideranças surdas ridicularizando surdos oralizados em grupos do Facebook, e isso é tão patético: alguém que tem a mesma deficiência que nós nos ridicularizando porque usamos aparelhos auditivos e implantes cocleares chega a ser uma piada, não?

Por último, e o mais importante: como deixar as autoridades a par de que a FENEIS representa apenas uma parcela dos surdos brasileiros?

About Author

Moro no Rio de Janeiro e tenho 39 anos. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Sou autora dos Crônicas da Surdez e Novas Crônicas da Surdez.

54 Comments

  • Gureski
    15/05/2015 at 11:00 am

    Olá, pessoal.

    Realmente, eu discordo isso porque não deve ofender as palavras pesadas para surdos usuários de Libras. Sei que muitos surdos oralizados acham é muito melhor que surdos não-oralizados, mas realmente não é.
    Acredito que comunidade surda é capaz de desenvolver e mudar nossa sociedade como Educação Bilíngue para Surdos, Língua do Surdo (Libras), Cultura e Identidade Surda entre outros, isso é muito desenvolvimento para ajudar isso. É grande chance sim!

    Sou grande favor somente “Surdos Bilíngue” porque se quiseram falar em Libras (Primeira Língua) e escrever em português ou uso labial em português (Segunda Língua), pois é duas línguas no mesmo tempo. Nosso cérebro humano é grande capacidade do trabalho como INPUT (Local do cérebro para aprender coisa linguística como Línguas).

    Um neurologista norte-americano muito famoso Oliver Sacks escreveu vários artigos sobre “Surdos”, é uma das frases mais impressionada e incrível que já vi. Apresento isso…

    “As pessoas profundamente surdas não mostram em absoluto nenhuma inclinação inata para falar. Falar é uma habilidade que tem que ser ensinada a elas, e constitui um trabalho de anos. Por outro lado, elas demonstram uma inclinação imediata e acentuada para a língua de sinais que, sendo uma língua visual, é para essas pessoas totalmente acessível”. (SACKS, 1998, p. 43)

    Uma pesquisadora de Área de Linguística da UFSC também escreveu vários artigos. Apresento isso…

    “Tais línguas são naturais internamente e externamente, pois refletem a capacidade psicológica humana para a linguagem e porque surgiram da mesma forma que as línguas orais – da necessidade específica e natural dos seres humanos de usarem um sistema lingüístico para expressarem idéias, sentimentos e ações. As línguas de sinais são sistemas linguísticos que passaram de geração em geração de pessoas surdas. São línguas que não se derivaram das línguas orais, mas fluíram de uma necessidade natural de comunicação entre as pessoas que não utilizam o canal auditivo-oral, mas o canal espaço-visual como modalidade lingüística”. (QUADROS, 1997, p. 47)

    “Uma proposta educacional, além de ser Bilíngue, deve ser bicultural para permitir o acesso rápido e natural da criança surda à comunidade ouvinte e para fazer com que ela se reconheça como parte de uma comunidade surda.” (QUADROS,1997, p. 28).

    Tudo que vocês deverem conhecer mais um pouquinho para entender isso, depois fazerem grande reflexão antes de criticar isso!!!

    Reply
  • Joana
    10/05/2015 at 7:23 pm

    Olá, pessoal.
    Eu sou surda profunda bilateral e uso LIBRAS/Labial também uso Implante Coclear e Aparelho Auditivo.
    Eu não sou contra nada com surdos usuários de Libras e oralizados, e apenas sou favor surdos bilíngues porque poderem aprender duas línguas no mesmo tempo, é provalmente mais desenvolvimento para surdos e deficientes auditiva.
    Vocês sabem que “RESPEITO” é muito importante ter mais integração das pessoas para não ficar grande conflito entre surdos usuários de Libras e oralizados.

    Reply
  • Fernando
    25/11/2014 at 3:11 pm

    Em relação ao comentario da “Lua” acima….

    se estiver acompanhando este site, mostre o link abaixo à sua professora ela irá ver que surdo com surdez profunda fala sim !

    http://redeglobo.globo.com/como-sera/noticia/2014/11/ibdd-luta-por-uma-sociedade-inclusiva-para-pessoas-com-deficiencia.html

    Reply
  • Janete
    02/10/2013 at 7:59 pm

    Se por acaso essa indireta é pra mim? Se é? Agradeço!!! Não necessito do seu convite. Infelizmente tarde demais depois da humilhação da Feneis com os Surdos Oralizados.

    Que tal vcs assumirem os 30%??? Para os públicos?

    Reply
  • Bianca
    29/09/2013 at 8:46 pm

    Que tal você entrar na FENEIS para trabalhar?
    Espero que sim!
    Sua contribuição é muito importante!

    Reply
  • Janete
    27/09/2013 at 1:55 am

    Boa Noite… Pelo visto vc esta tentando mudar o mundo e a cultura da Feneis por nos e pra si mesmo. Parabéns pelas palavras ficou excelente!!!

    Eu soube que o Senai ou Senac ofereceram Cursos Grátis pra os surdos representando a FENEIS por nós mas muitos foram enganados depois de duração de cursos não receberam certificados. Perderam 6 meses de tempo na vida atoa.
    Sou surda oralizada uso LIBRAS já fui na feneis pra tentar emprego e eles não me ajudaram, percebi que só ajudam quem não utilizar a língua Portuguesa pq assim eles não tem como descobrir os podres deles pelas costa. Como mh amiga Letícia diz no seu comentário que a “Feneis ajuda os surdos sinalizados a conseguir empregos em outras firmas e que é obrigatório o desconto de 30% dos salários para pagar a feneis” Isso é Roubo e também um absurdo!!! Sempre soube do 3o%. Manter o Blog Vivo pra que nos possamos ajudar nessa luta. Bjs

    Reply
  • Rosana Cristina
    25/09/2013 at 8:12 pm

    Vi o comentário do tal diretor da FENEIS e fico pensando que é por isso que há essa separação entre surdos não oralizados e oralizados, isto tudo é bla bla bla…. surdo é surdo em qualquer lugar, com IC ou sem IC… Então, supor que surdo seja uma Etnia é um absurdo,…surdez é uma das menores deficiencias que existe assim como miopia e outras… a discussão se dá porque as entidades que apóiam, só LIBRAs tem ganhos pol[íticos por trás, é um negócio lucrativo , então para esses não interessam os oralizados, porque esses se viram muito bem no mundo de ouvintes mas os não oralizados não.
    Veja o último concurso para funcionalismo federal no INES, só passaram surdos oralizados e que tinham estudado em escolas de ouvintes…. aqueles que só utilizavam LIBRAS foram eliminados por não se classificarem nas provas do concurso…LIBRAS é auxiliar sim, sou ouvinte , tenho uma filha de 27 anos surda oralizada implantada e neta de 1 ano e meio surda com IC bilateral

    Reply
  • Sylvia Lia
    25/09/2013 at 10:51 am

    Paula,

    Nao concordo com isso..Sou diretora regional da Feneis Sp, sempre respeitei a vontade de cada um, ora implantado, ora libras. A diretora financeira é oralizada. Tenho muitos voluntários surdos oralizadas trabalhando na minha instituição. E ainda mais, a minha instituicao dá curso de libras gratuito para surdos oralizado e implantado.

    SylviaLia

    Reply
    • Crônicas da Surdez
      25/09/2013 at 11:10 am

      Oi Sylvia,

      Ontem mesmo eu li uma materia num site chamado Vida Mais Livre em que uma diretora da FENEIS afirma categoricamente que ‘o vocabulario do surdo é muito restrito comparado ao do ouvinte’. Isso é colocar todos os surdos no mesmo saco. Já vi muitas lideranças surdas, da instituição inclusive, falando abertamente impropérios sobre implante coclear e surdos oralizados. E nunca jamais vi ou li nenhum pronunciamento da FENEIS chamando a atenção para a diversidade existente na surdez. Se me mostrares algo nesse sentido, agradeço muito.

      Reply
    • Aline Maggio
      25/09/2013 at 4:32 pm

      Desculpa Sylvia mas sou surda oralizada e tive que pagar pra fazer o curso na Feneis que cada hora mudava de lugar e professor. Sei que faz um bom tempo que fiz o curso mas a primeira impressão é a que fica.

      Reply
  • Jefferson
    25/09/2013 at 12:33 am

    Paula, primeiramente parabéns pelo texto.
    O texto pode ter várias interpretações e alguns estão (pelos comentários acima) olhando pra ferida que você colocou o dedo e… como toda relação de amor e ódio… defendendo loucamente os pontos de vista que acham correto. E infelizmente como minha experiencia de vida demonstrou, e alguns cursos… e até mesmo algumas leituras demonstram… o surdo tende a ser muito mais irritado, tende a ter mais dificuldade em um dialogo tranquilo.
    JEFFERSON MAS NÓS SOMOS SURDOS! COMO VOCÊ DIZ ISSO AQUI?

    Tá… tenho perda auditiva severa, segundo médicos eu nem era pra falar.

    Onde quero chegar? É que tanto nos “diálogos” quanto no que você escreveu, fica claro que todos nós precisamos melhorar:
    A Feneis aprender a ouvir criticas e tentar melhorar.
    Aos colegas exaltados que estão até te ameaçando: Aprender a ter paciencia para com os outros. Não é porque você não concorda que você tem o direito de sair ameaçando os outros. Inclusive reflita os motivos pelos quais você não concorda e rebata as criticas de forma construtiva e saudável.
    Aos deficientes em geral: precisamos participar mais, precisamos nos mobilizar mais, pois nenhuma deficiencia é “linear”. Os deficientes fisicos pode ser da perna, dos braços, das maos… e cada um tem suas necessidades. Assim somos nós… alguns só falam/escrevem outros falam e usam libras… outros só usam libras. O que mais importa nisso tudo é que cada um tem seu modo de adaptação, seu modo de vida que certamente é o que mais lhe convém.

    Sobre libras / oralizar… eu acho que oralizar integra as pessoas ao mundo. Infelizmente poucas são as pessoas no Brasil(dado o universo total de habitantes) que sabem libras e praticam. Quando nos restringimos a um só universo (libras ou fala) tendemos a perder um dos grupos. O ideal, ao meu ver, é sim oralizar, mas não deixar de ensinar libras.
    Oralizar não é fugir da realidade(como um colega sugeriu acima), mas participar ativamente do mundo que está em nossa volta.

    Sem amores pessoal… cada um tem sua preferencia, porém é inegável que hoje a sociedade ainda vê o surdo como uma pessoa que não fala. E em partes é sim culpa das associações que dizem representar a todos e acabam omitindo a existência de pessoas como eu. Mas eu também sou omisso nisso tudo pois nunca batalhei efetivamente pelo meu grupo.

    Reply
  • Aline Maggio
    24/09/2013 at 11:44 pm

    Paula em meus 20 anos de experiência como uma pessoa D.A oralizada, posso dizer que a melhor coisa que fizeram por mim foi me colocar numa escola normal garanto que isso me fez ver outros mundos. A maioria de pessoas D.A que utilizam a Libras tem essa vaga ideia “ridícula” que vemos por ai, que não é bom AASI ou IC, que só quem usa Libras é melhor, que não é bom falar, e que tem que viver num mundo isolado com só quem é igual a vc. Pra mim isso é ridículo não vai levar eles em lugar nenhum (e as vezes chego a achar que certas religiões tem ao haver também, nada contra mas…). Já me falaram um monte de vez que IC é perigoso, se for pelo menos eu tentei, não é mesmo?

    E FENEIS, é um descaso até com surdo sinalizado, pois fiz curso de Libras lá e muitos professores surdos sinalizados disseram que não podem ensinar o que quer e que são mal pagos e que as vezes saiam muitos puxados pra eles. E trabalho para surdo oralizado eles não encontram, se quiser fazer o surdo oralizado quiser fazer o custo é quase o mesmo valor de uma pessoa normal…

    Não tenho nada contra IC, ASSI, Libras, surdo oralizado ou sinalizado, Feneis, Ines, religião, escola biligue ou especial. Mas eu só desejo mesmo que as pessoas tenham a mente um pouquinho mais aberta, e que respeite os outros.

    Reply
  • Simone
    04/09/2012 at 12:17 pm

    Paula, esse surdo é louco. Não sabe o que estava falando. Só para exibir o orgulho dele mesmoooo!!! Não concordo nada com o que o surdo falou ao seu respeito. Nada mesmo. Paula, vc é vencedora mesmo, ainda te admiro apesar de tudo.
    O que eu vejo é que há surdos mesmo que não entendem que existe a DIVERSIDADE surda.
    Paula, continue com o seu blog, mesmo diante de tanta gente ignorante, seja ouvinte, seja surda.
    Abraço.

    Reply
  • Surdaniano
    04/09/2012 at 2:33 am

    Aham Paula,

    Vendo a reportagem, agora me lembrei de você. Paula Veras Pfeifer. Te conheço pessoalmente, na verdade te conheço há cerca de 15 anos.

    Você mudou muito. Se tornou assim como os demais anti-surdos. Lamento por você, dias melhores você viveu em outros tempos. Pena que a antisurdez subiu na sua cabeça e você se enraiveceu.

    Ser surdo no Brasil é uma desgraça, eu que o saiba. Mas negar a surdez é pior para seu ego. Pessoas frustradas podem se tornar, por exemplo, consumistas para compensar suas frustrações. Mas a frustração é eterna enquanto não agirem sobre ela.

    A surdez não é uma frustração, é uma condição de vida e você é quem faz dela o que você escolhe. Mas o que escolhe para si funciona só para si mesma. Cada pessoa é única, como dizia um grande amigo seu, também fresco e inconformado de longa data.

    Uma pena que nem você ou seus amigos nunca tenham aprendido a lidar com críticas, elas fariam muito bem à sua alma. Mais do que ficar fugindo da verdade, como sempre foi e sempre será.

    E, ah sim, a Feneis sempre representou todos surdos. Lá é cheio de surdos – que oralizam, que usam próteses, que usam implantes, que usam libras. Você não tem o que fazer senão não faria um blog para falar mal dos outros.

    Pode arquivar ou apagar esse e-mail também, junto com os outros. Mas pelo menos se chegou até aqui, leu.

    Boa vida para ti.

    A propósito, a censura é proibida pela constituição. Sei que o anonimato também, mas o crime é todo seu já que é vetado combater um crime com outro. Josélio aí em cima tá certo, deviam te processar para você refletir melhor na cadeia, pois é livre a expressão do pensamento, não é livre difamar sem fundamento…ops rimou.

    O surdo.

    Reply
    • Crônicas da Surdez
      04/09/2012 at 9:57 am

      Vou aprovar sim teu comentário NONSENSE só pra rastrear o IP.
      Quem não tem o que fazer é tu, que por sinal não faço nem idéia de quem seja – se tivesse, não ficava vindo aqui todo santo dia me deixar comentários ridículos.
      Se é tão macho como quer aparentar ser, te identifica.
      Era só o que faltava, mesmo.

      Reply
  • Ivan Goncalves Filho
    27/06/2012 at 2:01 pm

    Prezados,

    Estou a disposição para participar desta associação, ao menos em Recife podemos ter uma. Sou surdo oralizado. Podemos criar uma associação mais voltado a internet, como grupos de discussão, sites, etc. Estou aí pra ajudar. Podem mandar e-mail para mim: ivangf31@gmail.com

    Inclusive podemos conseguir fundos para projetos, como os patrocinados pela Petrobras,via concurso. Vamos tentar crescer e expandir nossas açoes

    Abraços!

    Reply
  • Ivan Goncalves Filho
    27/06/2012 at 1:51 pm

    Prezados,

    Venho acompanhando este site há algum tempo, tenho surdez moderada a severa, utilizo dois aparelhos auditivos atualmente. Proponho a criação de uma associação específica para nós. Atualmente trabalho na Petrobras, e venho há tempos lutando por nossos direitos dentro da Cia.

    Atualmente moro em Recife.

    O que acham?

    Abraços!

    Reply
  • Eduardo
    21/05/2012 at 7:01 pm

    Ah e pra completar nasci surdo profundo e fui oralizado, redondo engano da instrutora de libras!

    Reply
    • Eduardo Gheller Mörschbächer
      25/05/2012 at 3:57 am

      Também nasci surdo profundo e também oralizado. Há quase 20 anos sou bilingue e em nada prejudica minha fala ou escrita em língua portuguesa. É só manter afiada a mente 😉

      Reply
  • Eduardo
    21/05/2012 at 12:21 am

    Saudações Lua!

    Sou surdo oralizado,e portador de surdez profunda, mas não sou contra libras, estudei sobre estudo dos surdos, te digo uma coisa, posiciono na oralização. Sou contra essa atitude radical entre surdos sinalizados e instrutores e intérprete no dizer o que vai ser do surdo quando nascer como uma atitude impositiva. Não tenho como julgar se o bilinguismo é o melhor para educação dos surdos. Se é melhor (?) começar com Libras acredito que isso implicará dificuldades na escrita do portugues. Confesso que já tenho dificuldade de escrever corretamente, mas muito mais difícil é conversar com surdos sinalizados por escrito. Mas se libras é melhor para surdos então ela precisa ser construída, pois há uma pobreza muito grande no vocabulário, sem ofender, é na verdade, é uma língua que está se desenvolvendo ela existe há 100 anos aproximadamente, mas o português tem há séculos, e é uma língua originada de outras. Como libras é pobre prejudica muito a escrita em português, até agora depois de pesquisa na literatura, não houve alguma crítica ou questionamento sobre o bilinguismo libras/portugues, não existe um questionamento da eficácia do curso bilíngue.
    Pelo menos sinto que não estou sozinho excluídos dos surdos sinalizados.

    Reply
    • Eduardo Gheller Mörschbächer
      25/05/2012 at 3:52 am

      Olá xará,

      Afirmar que a Libras existe há 100 anos é um equivoco de quem desconhece suas raízes. A fundação do INES (Instituto Nacional de Educação de Surdos), no ano de 1856, marcou o inicio da formação da LIBRAS. Ela é derivada da Língua de Sinais Francesa que existe há mais tempo, do século 18. Esta, por sua vez, em virtude dos trabalhos iniciais do Abée de l’Épée, educador de surdos. Isso não significa que antes não havia língua de sinais e sim que as datas relatam a inclusão delas no sistema educacional. Os 100 anos aludidos se refere ao período de 1880 a 1980, aproximadamente, em que as línguas de sinais estavam abolidas do sistema educacional. Apesar disso, as línguas de sinais sobreviveram.

      Quanto à alegada pobreza de vocábulos, está havendo preconceito lingüístico. Não é de bom tom incursionar nesse raciocínio senão atrai como para-raios as críticas. Esse assunto deveria ter sido superado há mais tempo. Nenhum idioma consegue evoluir diante de repressões lingüísticas, mas floresce imediatamente quando as barreiras são removidas. Aconteceu com alemão e italiano, fortemente reprimido durante 2ª Guerra Mundial no sul do Brasil. Atualmente ainda são faladas em casa e ensinadas na rede de ensino de suas comunidades. Falo com conhecimento de causa pelos relatos dos meus parentes mais velhos de ambas as comunidades.

      Sobre eficácia de um ou outro sistema ou metodo de ensino, não só relacionado ao ensino bilingue, mas de forma mais abrangente incluindo tambem sistema regular de ensino, ninguém pode comprovar de forma conclusiva. A eficácia não se mede acompanhando um único aluno e sim gerações de educandos e educadores. Persistindo barreiras, nenhum método pode ser eficaz. Cada família matricula suas crianças nas escolas em que acreditam. Analogamente, eu não matricularia meu filho em uma escola que, digamos, prega Criacionismo. Não tenho que gastar minhas lábias contra essa crença porque há outras escolas que adotam diferentes linhas.

      A Libras está em constante construção assim como a língua portuguesa. A alegada pobreza só pode partir de quem está em outra língua, dita culta, dominante e oficial. Na visão sociolinguistica, nada mais é do que um dialeto dentre outros que sobrepujou os demais por forças históricas, políticas e econômicas. Libras também tem seus dialetos.

      Reply
  • Lua
    18/05/2012 at 6:27 am

    Estava louca para ver esse blog.

    Sou Lua, estudante de Fonoaudiologia. Descobri o https://cronicasdasurdez.com em durante a minha aula de Libras em uma turma mista (pedagogia, ciências sociais,nutrição, enfermagem e apenas eu de fonoaudiologia) da minha universidade.
    A professora que ministra a disciplina é radicalmente contra a oralização de surdos (um absurdo pois,ela é ouvinte)e quando estávamos falando sobre algumas algumas entidade representante dos surdos ela comentou justo sobre essa matéria do seu blog, disse que não existe rivalidade entre surdos oralizados ou não e a FENEIS é uma instituição séria. E continuou dizendo que se tivesse um filho, ele iria aprender o português se quisesse assim como um adolescente que aprende um outro idioma como o inglês, pois aprender um outo idioma é um luxo!
    Fiquei perplexa com tal comentário e lhe disse:
    Eu- então oralizar é luxo e não devemos oralizar um surdo? o surdo filho do rico quem tem condições fala e quem não tem condições fala por libras?
    ela- não disse isso, ele só deve ser oralizado se quiser! não distorça o que eu falei.
    eu- uma criança de 3 anos não decide sozinha se quer ou não ser oralizada, fora que nessa idade o atraso de linguagem já pode estar prejudicando em seu desempenho escolar.
    ela- entenda, nem todo surdo pode ser oralizado.
    eu- quem disse?
    ela- um surdo profundo nunca será oralizado, para isso existe a libras.
    eu- como assim? oralizam todos os níveis de surdez, vejo na clínica todo o dia!
    ela- você tem surdo na família? (ela falou acreditando que eu fosse de nutrição)
    eu- não. É que estou fazendo estágio na clinica da universidade.
    ela- estágio de que?
    eu- fono.
    ela- A fonoaudiologia quer destruir a libras. sempre querendo oralizar todo mundo.
    eu- claro que não! se eu vou trabalhar linguagem, devo saber libras, nem todos os paciente falam. Por isso existem as comunicações alternativas.Libras não é exclusivo dos surdos, alguns pacientes de pc’s(paralisia cerebral)e sindrômicos também fazem uso.
    ela- libras não é comunicação alternativa,é o idioma dos surdos! o surdo precisa de libras para viver, se não, como ele vai se comunicar com o mundo?
    eu- se bem trabalhado, ele irá falar. até os traqueostomizados falam, os surdos que possuem o aparelho fonador intactos podem falar também.
    ela- o mundo dos surdos é diferente, trabalho ha vinte anos com surdos, eles tem o mundo deles.
    eu- se você pudesse se comunicar somente por meio de libras, optaria em ficar muda?
    ela- faço isso todos os dias,sou interprete.
    eu- mas interprete fala.
    ela- nunca fui de falar muito.
    eu- mas você tem escolha…
    Ela voltou a dar aula e não quis mais tocar no assunto.
    Depois dessa aula, mais do que nunca quero focar minhas pesquisas em surdos oralizados.
    Oralizar não é luxo, implantado não é androide e as pessoas tem o direito a terem acesso a socialização.
    Sou a favor do implante, dos aparelhos e da libras, a comunidade surda deve estar unida.

    Reply
    • Crônicas da Surdez
      18/05/2012 at 10:06 am

      Seja bem-vinda, Lua!

      Bom, você vai perceber aqui que estamos carecas de conhecer esse lobby ferrenho em prol da LIBRAS. Não concordamos com ele por inúmeros motivos, mas a meu ver, o principal é o fato de que a língua deve servir à criança e não o contrário. A grande verdade é que a tecnologia não pára de evoluir e logo logo a surdez vai ser uma doença facilmente tratável como qualquer outra. Pode vir o Papa me dizer que é natural não ouvir, que não vai me convencer. E ouvintes que dizem que NÃO dariam a chance para o seu filho surdo ouvir, ou estão mentindo, ou então têm a Libras como seu ganha pão.
      A Feneis NÃO representa os surdos oralizados embora diga por aí que o faça – tanto que nem se deram ao trabalho de responder os emails que enviei perguntando o que eles fazem em prol de quem não usa Libras e muito menos vieram aqui desmentir a afirmação.
      Enfim, cada um na sua!
      No mundo moderno cada vez mais pessoas perdem a audição DEPOIS de já terem o português como primeira língua: que serventia tem a Libras para esses milhares de pessoas? E digo mais: que tipo de emprego uma pessoa que não domina o portugês escrito vai conseguir na vida?
      Esse tipo de papo nada a ver só ocorre na surdez: me diga ai se vc acha que o pai de uma criança cega não daria a chance dela enxergar se pudesse em prol da continuidade do braille? Tenha a santa paciência….

      Lua, espero que você se sinta acolhida aqui e que pesquise sobre os surdos oralizados!

      Abração,

      Reply
  • Maria
    18/04/2012 at 10:31 pm

    Li seu blog, concordo totalmente c vc. Sou surda bilingue, então quer dizer, LIBRAS e oralizada. Estou aqui para explicar sobre a situação da minha vida: estou lutando para melhorar a lingua portuquesa e carreira profissional.

    Quero explicar uma coisa importante:
    Vi as pessoas com deficiencia visual, física e outros lutam suas “curas”, preocupam o futuro e etc.. e o outro lado, existem surdos oralizados, ou implantados que lutam por seus valores no futuro, e tem direito de ouvir etc.. as consequencias: ganham os empregos dignos, fazer as amizades normalmente e etc… Existem os surdos sinalizados, lutam sua propria lingua LIBRAS, e tambem querem incentivar as pessoas aprendem a LIBRAS, escolas bilingues etc… Consequencias: Dificil de entender a lingua portuquesa, depende de interprete na sua vida inteira, etc…

    Acho que o FENEIS deve atender todas as necessárias da deficiencia auditiva (surdo oralizad0, sinalizado, surdo implantado, etc)

    Parabenizo ao INES, pois ele atendeu e pesquisou sobre todos os assuntos da deficiencia auditiva, incluive IC e etc…

    Reply
  • Anonimo
    16/04/2012 at 2:59 pm

    Verificar possibilidade as regulamentação de FENEIS, isso não é 30% salarios surdos para descontar. Não tem taxa salario, só taxa de afiliadas.

    Reply
  • Adriana
    16/04/2012 at 12:39 am

    Nossa!!! Fiquei impressionada com seu texto, afinal ele mexe com muitas feridas históricas no percurso educacional do Surdo. Não quero questionar ou julgar seu texto como verdadeiro ou falso, julgo como válido pq ele abriu espaço para a discussão e só evoluímos assim.
    Quero apenas chamar a atenção para uma questão que nem é bem o foco do seu texto mas está entranhado em cada linha que vc escreveu, que é o outro lado da moeda exemplificando com um caso bem próximo de mim, uma aluna, filha de uma colega professora: desde a perda da audição, no primeiro ano de vida até hoje esta mão busca incessantemente pela oralização da filha, que hoje já conta 13 anos. Ela tinha pavor de Libras, e como ela mesmo dizia, não queria que a filha ficasse fazendo “mungangos” (caretas). A sinalização como vc bem frisou, no momento ainda não está dando conta de oferecer condições plenas de cidadania aos surdos, mas , e a oralização? Sou admiradora do surdo nato que consegue oralizar e fazer uso da língua escrita com a competência que eu vi aqui. Mas eu tenho bem perto de mim uma criança filha de pais de classe média, instruídos e que até hj lutam por esta oralização, muito distante ainda. E crianças que dependem do SUS ? É uma luta muito grande, e os prejuízos e atrasos maiores ainda. Tinha muitas outras coisas pra falar, mas no momento é só.

    Reply
  • Associação dos Surdos de Governador Valadares - MG
    13/04/2012 at 1:22 pm

    Estou terminado a diretoria da FENEIS deste ano. Ninguem contra os surdos oralizadas com Libras, Surdos IC e Surdos Oralizadas sem Libras. Agora admiro muito o texto está grande crime. Então vou cópia para entregar a justiça contra a DANOS MORAIS. Respeito o artigo de convenção de ONU. FENEIS está defesa todos para acabar só burocracia. As pessoas estão falando bobeira.. Mas o texto seu é crime sério… Vou encaminhar a justiça agora. Ponto final…

    Reply
    • Crônicas da Surdez
      16/04/2012 at 4:37 pm

      Meu texto é CRIME?
      Tenha dó.

      Reply
    • Eduardo
      16/04/2012 at 6:34 pm

      Josélio, estás terminando a atual gestão da FENEIS na qual fazes parte como Diretor Financeiro e de Planejamento e não serás reconduzido na nova gestão.

      Isto posto, não tens por que encaminhar representação judicial sem aval da presidência da FENEIS, que está em fase de transição e posse da diretoria eleita prevista no dia 24 deste mês, muito menos seu cargo lhe confere essa prerrogativa.

      A primeira providência mais saudável é sempre estabelecer diálogos, sempre deixando em último lugar resolver os conflitos na Justiça que está cheia de picuinhas para resolver.

      Reply
  • Eduardo Santos
    13/04/2012 at 11:03 am

    Uma coisa é básica é que não ouvimos, ok? Então somos surdos iguais como qualquer um apenas uma diferença uma comunica em LIBRAS e outro é oralizado, mas não existe diferença, acredito que FENEIS deveria integrá-los os surdos oralizados nessa associação. Na constituição diz se todos são iguais perante à lei, na verdade isso não acontece, infelizmente….Uma coisa que não concordo com maioria dos surdos é a imposição de LIBRAS, acho que cada um tem um direito buscar o que é melhor para ele. Se libras é melhor, tudo bem, se o aparelho auditivo é melhor também tudo bem, não se discrimina pela opção da pessoa. Outra coisa, acredito que o teste do ouvido quando a criança nasce, com aparelho, vai melhorar muito a vida dessa nova geração que está por vir, mas nem todos conseguem, mas simplifica muito os problemas e poupa muito estudos sobre surdez, dificuldade de linguagem, etc…

    Reply
  • Fabrícia
    13/04/2012 at 9:36 am

    Bom dia, pessoal !!!

    Gosto muito de FENEIS, é mais importante. Sou Surda e Bilíngues e amo muito a LIBRAS.

    Abraços a todos!

    Reply
  • Rita Marinho
    09/04/2012 at 2:33 pm

    Eu uso LIBRAS e amo muito LIBRAS porque é muito inteligente, têm associações dos surdos, têm interprétes, tem FENEIS (cada um cidades), INES no RJ, APADA de SP etc… É mais importante!!!
    Minha ex-aluna surda, a mãe dela já arrependeu IC porque ela está com problema na cabeça (tremendo) por isso IC é perigoso, então. Mãe dela me falou. Ela tá aprendendo LIBRAS e também pais também estão aprendendo LIBRAS por causa de filha.

    Reply
    • Crônicas da Surdez
      09/04/2012 at 2:42 pm

      Por favor, vamos parar com essa história de que implante coclear é perigoso.
      Antes de sair por aí falando/escrevendo mentiras, é preciso SE INFORMAR sobre o assunto!

      Reply
  • Antonio Campos
    07/04/2012 at 1:01 am

    Bem vindo visitar site e eu nao sou contra oralismo e libras e neutro.
    eu era ex.presidente da Feneis nunca faz isso e estatuto Surdo, Surdez e deficiente auditivo e democracia e respeitado igualdade Libras e oralismo são diferença Humano. Cordialmente.

    Reply
  • Fabricia
    07/04/2012 at 12:04 am

    Não quero usar o implante coclear. É melhor usar o aparelho de auditivo. Porque é pode ser perigo no implante coclear.

    Reply
    • Crônicas da Surdez
      07/04/2012 at 5:09 pm

      Perigo do que?
      Quem e que te informou Que IC e perigoso?

      Reply
    • Letícia
      08/04/2012 at 1:58 am

      Quem te falou que IC é perigoso???? Se for os surdos sinalizados, é tudo mentira, boatos!!!!!

      Uso o implante coclear e estou amando muito!!!!

      Reply
  • Viviane
    06/04/2012 at 9:59 pm

    Paula,
    Eu não conhecia esta Federação (FENEIS). Mesmo tendo entrado no mundo dos surdos oralizados recentemente, percebo q todos merecem respeito e direitos iguais se for uma entidade para auxiliar os que necessitam. Também concordo que alterem seu nome, já que estes direitos não estão ao alcance de todos. Vou procurar saber como é a Federação em Goiás.
    Abraços.
    Viviane

    Reply
  • Vanessa
    05/04/2012 at 5:30 pm

    Acho sua luta pertinente, mas acredito que a melhor maneira de mudar isto é mobilizar os surdos oralizados e criar uma entidade própria (pelo que li nos comentários, já estão se mobilizando para isto, correto?) Todos devem ser respeitados, de ambos os lados. A divisão entre surdos (oralizados, sinalizados e sei lá mais o quê) só enfraquece a luta pela acessibilidade.

    Reply
  • Valério
    03/04/2012 at 3:32 pm

    Infelizmente todo “gueto” é um mundo fechado que não abrem portas, mas se fecham dentro de sua cosmovisão do ser um “gueto”. Sou pai de surdo, lutador pela LIBRAS, mas como decrito acima, vejo também que o direito de ir e vir da nossa Constituição é algo para todos. Lembro de muitas lutas e conquistas da FENEIS, mas a parcela dos protetizados ou daqueles que não queriam a língua de sinais eram bem ridicularizados. O problema deste é que, muitas vezes, estavam deslocados quanto a dois mundos, as dos ouvintes que os olhavam com discriminização pela “deficiência auditiva”, ou pelos surdos que os consideravam “surdos falsos”. Todo gueto luta em prol de si mesmo, mas um visão maior deveria lutar para o bem comum, é o que nossa Constituição preza mas que nossos legislativos nunca cumprem. Só para terem idéia, tenho amigos surdos que não sabem nada de português, e sofreram acidente de transito, no Hospital mais famoso de BH-MG, não havia interprete e eles foram liberados tendo dor ainda. Depois a esposa surda foi ao um posto médico para controle do crescimento de sua neném e foi mal “interpretada” pelos atendentes do posto, e quando ela chegou em minha casa liguei para o posto e orientei os atendentes e a ela expliquei o que precisava ser feito. Se a preocupação fosse geral o gangho sairia das tangentes para o todo, comprendem? Minha filha quer fazer a cirurgia expliquei para ela os riscos e os possíveis benefícios, mas ela teve um ganho que poucos surdos tiveram, na LIBRAS criamos um lugar linguístico e proporcionamos a ela o direito de questionar, de opinar, e de responsabilidades. Quer LIBRAS, quer FALA, quer VER, quer ser CEGO, quer ANDAR, quer NÃO ANDAR somos iguais e todos merecem uma educação de qualidade, uma vida de qualidade, e não apenas TER direito legalizado, cumprido. Abraços e parábens pela matéria vou compartilhar no FACEBOOK

    Reply
  • Alexandre Garcêz
    03/04/2012 at 1:09 pm

    Até onde eu sei é cobrada uma taxa administrativa de 10% das empresas que contratam os surdos da Feneis. Isso é comum em todo e qualquer contrato de terceirização. Demais descontos são referentes à INSS e vale transporte, quando necessário

    Reply
  • Eduardo
    03/04/2012 at 12:44 pm

    Na última eleição da Feneis, que foi no sábado passado, oito entidades filiadas estavam habilidadas para votar a nova presidência. Vite e quatro outras filiadas não se credenciaram porque não apresentaram documentações exigidos pelo regimento eleitoral.

    Diante desse fato, se os surdos oralizados tivessem, pelo menos, nove ONGs em todo o Brasil, devidamente filiadas a Feneis e comparecessem à eleição teriam ganho o comando da Feneis…

    Reply
  • Diefani Piovezan
    03/04/2012 at 4:31 am

    Paula,

    Sabe o que me deu vontade de fazer, e eu FAREI? Pq eu nunca me interessei em sentir na pele o descaso da FENEIS conosco, mas irei na FENEIS de Ribeirão Preto, pra checar isso de perto…pura questão de querer sentir na pele pra ter o que falar sabe?

    Reply
  • Claire
    02/04/2012 at 10:07 pm

    Paula, recomendo procurar o INES que é uma instituição federal e talvez com uma troca de idéias com os funcionários de lá sobre a visão dos surdos oralizados.
    Atualmente no Brasil a educação dos surdos engatinha, e não interessa , se através de Libras ou Bilíguismo.Pedagogo formado há dez anos atrás não sabe conviver com surdos, indepedente da origem. E qualquer tipo de deficiência
    Assim espero que no segundo semestre a Pedagogia Bilíngue Ead possa preencher esta lacuna e principalmente respeitar as crianças/jovens e adultos que perdem a audição e já utilizam a Língua Portuguesa.
    Uma semente e que colherá muitos frutos.
    Abraços

    Reply
  • Ana Cristina Claro
    02/04/2012 at 6:45 pm

    Eu conheço em FENEIS. Eles perceberam que sou oralizada. E vejo os surdos não oralizados e usam com as libras. Senti que eles estavam com ciúmes de mim e das pessoas oralizadas. E eu tenho pena deles.
    E 99% dos surdos oralizados não faz parte nem da FENEIS, nem de nenhuma associação de surdos. É só para surdos e mudos com libras.
    Que triste isso!
    E não vou mais no FENEIS.

    Reply
  • Letícia
    02/04/2012 at 3:17 pm

    Parabéns, Paula… É um excelente texto!!!!

    Me falaram que o feneis ajuda os surdos sinalizados a conseguir empregos em outras firmas e que é obrigatorio o desconto de 30% dos salarios para pagar o feneis.

    Isso é Roubo, sim!!!

    Reply
  • Simone
    02/04/2012 at 2:56 pm

    Paula, boa tarde.
    Ótima a postagem que fez.
    Conheci uma mulher surda oralizada que é bilingue e não deixa a FENEIS. E ainda: ela adora usar as libras. :/
    Por falar em representar os surdos oralizados, na verdade, a ideia existe faz muuuito tempo, mas não sai. Só papo. 🙁 Já discutiram no blog da Lak Lobato. Até hoje nada foi feito. Ainda acho necessário que ocorra essa associação em prol dos surdos oralizados. Posso me filiar.
    Na verdade! Até hoje não entendo a parte da FENEIS ao respeito dos surdos oralizados. O que eles estão fazendo mesmo? No momento, só para surdos sinalizados? 🙁 Só vejo decepção.
    Eu penso em que é preciso que a FENEIS admita que tem que aceitar a tecnologia existente. Por exemplo, o implante coclear. Será que tem surdo sinalizado implantado???
    Por enquanto, é só.
    Abraços, Paula. Continua mantendo VIVO o seu blog. 🙂
    Simone.

    Reply
    • Crônicas da Surdez
      02/04/2012 at 3:39 pm

      Nós não temos nada contra a LIBRAS.
      Acontece que hoje em dia a tecnologia é extremamente avançada (vide implantes cocleares e aparalhos auditivos de última geração), então não dar a oportunidade de uma criança surda de ouvir e deixar que ela mesma decida se quer transitar nos dois mundos ou em apenas um, a meu ver, é um absurdo.
      E é só na surdez que isso acontece!
      Em todas as outras deficiências as pessoas vão atrás de qqr novidade tecnológica que proporcione saúde e qualidade de vida, mas na surdez, algumas pessoas fanáticas acham que as crianças devem servir à LIBRAS e isso é um absurdo. Buscar a continuidade de uma língua desse modo não é válido.
      E acho que a FENEIS deveria SIM ser favorável a isso.
      Bjo,

      Reply
  • greize
    02/04/2012 at 12:46 pm

    Bom sou nova nisso, mas pelo que sei só outra Associação e ou Sindicato específica pode dar voz aos surdos oralizados e incluindo os bilíngues.Sim pq na minha cidade conheci uns surdos bilíngues que tem pavor da Feneis.
    São super fluentes em Libras e também na oralização e português.Mas não sei o que há, não me contaram.Tem algo estranho…
    Enfim o governo só da voz, e olhe lá qdo tem um grupo junto e posicionado.Só assim terão mais informações.É preciso fundar esse grupo ou sindicato!

    Reply
    • Crônicas da Surdez
      02/04/2012 at 3:40 pm

      Greize,
      Estamos providenciando isso.
      Em breve os surdos oralizados terão a sua voz e serão representados perante as autoridades públicas como nunca foram!
      😉
      Bjos,

      Reply
  • SôRamires
    02/04/2012 at 11:03 am

    Paula, descreveu com propriedade o fato de que os surdos que NÃO USAM LIBRAS não são representados por essa entidade. E cada vez que essa entidade fala em nome de TODOS OS SURDOS está fazendo e divulgando um discurso falso e distorcido. É evidente que conhecem os surdos oralizados e os usuários da língua portuguesa mas nós somos indesejados nesse feudo porque nossa integração na sociedade mais ampla é considerada uma TRAIÇÃO.
    Vamos divulgar esta postagem. Parabéns e abraços.

    Reply

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Iniciar conversa
Marque a sua consulta na Clínica Sonora