Filmes Implante Coclear Novidades

INES faz DVD explicativo sobre Implante Coclear

20130430_150520

Recebi da Mônica Campello – Fonoaudióloga e Professora do Instituto Nacional de Educação de Surdos – um DVD explicativo sobre Implante Coclear. Abaixo reproduzo o release informativo sobre o mesmo:

“O Instituto Nacional de Educação de Surdos – INES – apresenta o DVD sobre Implante Coclear,  buscando atender a crescente demanda de  conhecimento sobre o tema.

Identificamos algumas questões  recorrentes do tipo: O que é Implante Coclear? Quais são as  possibilidades de indicação? Quem indica? Com o implante, a pessoa deixa de ser surda? Como fica a relação com a Língua Brasileira de Sinais – Libras e com a Língua Portuguesa quando se usa o Implante Coclear? Há  riscos na cirurgia e depois dela? Quais são? Há restrições? Quais?

Constantemente recebemos pais de crianças surdas, alunos do Instituto e de outras  Instituições, pessoas surdas e professores da rede regular que recebem  alunos com Implante Coclear em suas turmas, com inúmeras dúvidas além  dessas destacadas acima. Em relação aos professores, a dúvida mais  recorrente é como lidar pedagogicamente, linguisticamente e socialmente, nos diversos contextos escolares, com o aluno implantado. Nas  Assessorias Técnicas que prestamos em âmbito nacional e nas Oficinas de  Trabalho que também realizamos, o tema Implante Coclear é cada vez mais  presente proporcionando intensos debates com diferentes posicionamentos.

O fato é que o Implante Coclear é uma realidade e o Instituto Nacional de Educação de Surdos, Centro de Referência Nacional na área da surdez,  tem como uma de suas missões institucionais produzir e divulgar  conhecimentos científicos e tecnológicos neste campo. Sendo assim,  apresentamos o presente DVD “Implante Coclear – conhecendo a tecnologia” que, partindo de diversos pontos de vista, procurou evitar a dicotomia  contra ou a favor do tema. Nosso interesse é esclarecer algumas  dúvidas e inserir o assunto no grande debate quanto à construção de uma  Educação Bilíngue de qualidade para o aluno surdo brasileiro.

E agora, ficou mais facil ainda de assistir este video, pois o INES  disponibilizou o mesmo em sua TV INES, com 44 minutos de duração: http://tvines.com.br/video.php?idVideo=36

O DVD é distribuido apenas para pessoa juridica. Ele é gratuito, pois dessa forma um maior número de pessoas poderá assistir. Quando  pessoa física é a interessada em receber o DVD basta escrever um email para diesp@ines.gov.br justificando sua solicitação que após avaliado poderá (ou não) ser atendida. Como recebemos um número muito grande de solicitações existe uma orientação para isso de forma que possamos atender a todos.”

O QUE EU ACHEI: Primeiro, devo parabenizar o INES pela iniciativa, especialmente porque o IC é uma realidade e vai ser cada vez mais e mais. Desmistificar o assunto para quem não o conhece é essencial. Se hoje, graças à tecnologia, os pais de crianças surdas têm a opção real de dar ao seus filhos a chance de OUVIR, é lógico que a esmagadora maioria deles fará isso. Aliás, porque não o fariam? O SUS cobre a cirurgia! Particularmente, se eu tivesse um filho surdo faria tudo o que estivesse ao meu alcance para dar a ele a chance de se deliciar com o mundo sonoro. Sabemos que existem casos e casos, mas negar as maravilhas proporcionadas por um implante coclear bem feito e bem adaptado é negar os avanços da ciência e da medicina – não faz sentido algum. Como foi dito no release do INES, o tema traz intensos debates com diferentes posicionamentos. Portanto, a iniciativa é louvável e o DVD tem tanto legendas quanto intérprete de Libras.

4 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

10 Comentários

  • Nossa gente!!! hoje é que tive oportunidade de ver e OUVIR este video. Fantástica esta descoberta! (Vou enviar este video p/todas as pessoas que conheço, seja fonoaudiólogas, deficientes, etc.)

    Vocês devem estar perguntando “OUVIR?” Sim, ouvir mesmo!!Eu ouvi! Coloquei o fone para ouvir a fala das pessoas lendo ao mesmo tempo a legenda…só não entendo Libras.

    Uso aparelho auditivo no ouvido direito porque é nele que escuto um pouco melhor. Sou deficiente bilateral. O meu ouvido esquerdo é totalmente surdo e é impossível usar aparelho nele.

    Pois bem, nascí surda, nunca tive infecção no ouvido e só fui conhecer Otorrino na fase adulta. Comecei a usar o aparelho auditivo aos 35 anos de idade por teimosia, por que “achava” que nada me atrapalhava. Sempre fui uma pessoa sociável com pessoas ouvintes, namorei demais rsrs só com ouvintes e fui casada 3 vezes com ouvintes. Tenho um filho ouvinte. Ah!! a minha história é longa pessoal e se for escrever, não caberia por aqui hehe

    Enfim, o meu aparelho auditivo é mais liderado pelo som Grave (sempre brigo por isso qdo vou comprar e muitas vezes as fonos custam a me entender) e não gosto muito do som Agudo, pois, este não me deixa entender direito as palavras. Com o grave, entendo “praticamente quase tudo”, atendo telefonemas na Empresa Federal onde trabalho, em casa, celulares e converso horas e horas com qualquer pessoa, principalmente os conhecidos. Claro que acontece de eu não entender bem com os desconhecidos e daí peço p/falar mais pausada e um pouco mais alto declarando também que sou deficiente.
    Tenho parentes que começam a falar tão alto quase gritando no telefone comigo(na minha família tem vários surdos de todos os tipos e nem todos atendem telefones por exemplo)e eu tenho que pedir pelo amor de deus que abaixem a “gritaria” porque as palavras ficam abafadas e estridentes não deixando eu entender.

    ACREDITO QUE O RESULTADO POSITIVO DE TUDO ISSO É POR CAUSA DO SOM GRAVE.

    Fico aqui a pensar….será que vale a pena eu entrar nesta de IC??
    Tô esperando a publicação da sua experiência e vivência, viu Paula?

    As fonoaudiológicas daqui de Belo Horizonte, as que me conhecem nas lojas de venda do Aparelho Auditivo, ficam impressionadas com o meu falar, “por eu falar bem”, meu jeito de ser, porque, nunca fiz tratamento fonoaudiólogo e até já questionaram que talvez eu estaria falando perfeito se tivesse feito o tratamento, principalmente, por causa das expressões das letras T,S,X que ficam embutidas e ou trocadas.

    A imprensa ainda não me descobriu! hahahaha (brincadeirinha)

    Paula…..gostaria de conversar com você, seja por e-mail, bate papo, inbox (facebook), sei lá!, contar a minha história que é impressionante e você já deve ter percebido que aos poucos conto um pouco da minha história quando respondo os seus posts no blog.
    Por favor, me envie no meu e-mail (alda.lacerda@yahoo.com.br)o nº do celular para que eu possa conversar com a sua mãe, PROVAR QUE EXISTO rsrsrs, saber de você.

    Beijokas e sucessos!

  • Eu pedi um DVD de Implante Coclear a esse tal INES e até hoje nem responderam meu e-mail Isso é um órgão de merda, sem recalque até porque não sou recalcado.

  • Querida Paula, agradecemos o carinho na divulgação do DVD do INES. Esperamos com essa produção informar realmente sobre o que é o Implante Coclear e também esclarecer algumas dúvidas inserindo o assunto no grande debate quanto à construção de uma Educação Bilíngue de qualidade para o aluno surdo brasileiro.
    Beijinho !

      • Oi Sabine..tudo bem?

        Amei o <3 e seu comentário.

        Os caminhos são muitos, as histórias diversas e muitas as possibilidades. É importante deixarmos claro que o IC não impede a Libras, que é uma língua, assim como ter Libras não impede o uso do IC e todos os benefícios bárbaros que ele possibilita. Acho que o mais importante é que nós, profissionais e pais, tenhamos o conhecimento e a real dimensão do trabalho que deve ser feito com isso. E, por experiência profissional própria, aqueles que são falantes da Libras ( já possuem uma língua )e fazem a opção pelo IC tiveram grandes ganhos no caminho….

        Um beijinho !

  • Achei isso muito bom, muito bom mesmo.
    Andei conversando muito com alguns surdos a respeito do IC e sempre falo que nós pais não estamos em busca da cura, até pq sabemos que não existe e sim na qualidade de vida dos nossos filhos. Pensamos sempre no melhor… No caso do Gui sabíamos da grande chance do IC não ser 100% por causa da Mondini (mal formação) e mesmo assim tentamos.
    Cabe a cada um levar a surdez para o lado que bem entender. A Libras nunca vai acabar assim como o IC que a cada dia ganhará mais e mais usuários. Ambos os grupos terão que saber conviver com isso!

    Já tive mãe que me mandou email dizendo que não lê mais o meu blog pq eu falo de Libras e não é isso que ela quer para o filho dela. Oi?!? Quando fiz meu blog, não queria escrever um romance e sim contar o que eu estava vivendo! Com certeza em algum lugar alguém se identifica…Não mascaro o que eu vivo. Adoraria por exemplo falar que o Gui na ativação amou, sorriu, falou oi mamãe! Mas não, ele chorou, não acostumou…como mentir? A minha realidade é diferente da sua e da fulana, mas o respeito tem que existir sempre!
    Surdez + Libras + IC + Oralidade = Parece perfeito, né?
    Mas porque será que é um assunto que causa tanta polêmica?

    Famílias que optam pela cirurgia de IC e esquecem que o filho é surdo. (Não, ele não é)
    Surdos que não aceitam IC.
    A ideia de que um surdo que usa Libras fica preguiçoso e não fala…

    Enfim são muitos os pensamentos…

    Eu respeito muito todos os lados! Cada família vê e recebe a noticia da surdez de uma forma.Quando a família escolhe o caminho do IC ela acredita que isso é o melhor para seu filho, afinal vivemos em uma sociedade com a grande maioria ouvinte.
    Por outro lado entendo também os surdos adultos e a resistência que muitos tem com o IC. A grande maioria teve uma infância difícil…Mas os anos se passaram e estamos em 2013!!!
    A tecnologia está aí e acredito que naturalmente o número de crianças surdas implantadas só aumente. Ótimo! Eu só acho que não podemos esquecer que implantada, com AASI, oralizada ou usando Libras a pessoa e/ou criança é SURDA. Isso ninguém vai mudar!

    Eu sempre falo que o IC não é para todos. Cada caso é um caso! Cabe aos profissionais indicar com responsabilidade e não criar falsas expectativas. Lembrar a família que o IC é um complemento, uma ajuda, assim como um óculos para quem não enxerga bem.

    Mães, por favor enxergue seu filho além de um aparelho! Ele muito mais do que isso! Há muitas formas de se comunicar. Um sorriso, um olhar, expressão corporal e o coração fala as vezes muito mais do que a voz!

    Respeito é a palavra chave!

    • Oi Sabine..tudo bem?

      Amei o <3 e seu comentário.

      Os caminhos são muitos, as histórias diversas e muitas as possibilidades. É importante deixarmos claro que o IC não impede a Libras, que é uma língua, assim como ter Libras não impede o uso do IC e todos os benefícios bárbaros que ele possibilita. Acho que o mais importante é que nós, profissionais e pais, tenhamos o conhecimento e a real dimensão do trabalho que deve ser feito com isso. E, por experiência profissional própria, aqueles que são falantes da Libras ( já possuem uma língua )e fazem a opção pelo IC tiveram grandes ganhos no caminho….

      Um beijinho !

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.