Filmes

O Som do Silêncio

Tanta gente me escreve relatanto problemas a respeito de relacionamentos amorosos por causa da deficiência auditiva que nem sei mais que tipo de conselho dar. Não lembro exatamente quando descobri o vídeo “O Som do Silêncio“, mas acho que ele exemplifica bem o que, pra mim, é óbvio: quem realmente gosta de você não vai nem enxergar a surdez. Não no sentido de ‘vamos fingir que a sua surdez não existe‘, mas sim no sentido de ‘a sua surdez existe, vamos nos adaptar a ela da melhor forma e ela não vai nos atrapalhar’. A surdez só vai ser um empecilho num namoro/casamento  se você estiver com a pessoa errada. Não esqueçam jamais: ela não é defeito de caráter. 😉

Para assistir ao vídeo, clique aqui.

9 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

14 Comentários

  • Olá, eu descobri o vídeo a pouco tempo, na verdade procurando o filme “Filhos do Silêncio” (que é um filme excelente do anos 80, sobre surdez) para ver com meu namorado que é surdo. Eu me identifico muito co este vídeo, pois assim como o rapaz eu me apaixonei pelo Rodrigo Keller no primeiro dia, não sabia muito de libras, muito mal a soletrar, mas trocamos numero de celular, enfim estamos namorando quase 1 ano e meio e ainda me apaixono por ele todos os dias.Ele é companheiro, me faz rir, é bonito e gosta muito de mim. Enfim o meu tempo com ele nem se percebe quando passa. Eu o amo muito, estamos planejando nos casar.

  • Gostei muito quando ela apresenta os amigos a ele e fica desnorteado por não poder compreender tudo, assim como me sinto ao não compreender as pessoas do mundo “áudio”.

    Uma inversão de papéis interessante, gosto muito do meu mundo do silêncio, gostaria que as pessoas tivessem uma maior compreensão acerca deste fato.

    Estar quieto não significa distanciamento e sim que não tenho compreensão do que é falado…

  • Assim que chegar em casa vou assistir!!! Só fui ter namorados na faculdade, já numa fase de ótima convivência com as pessoas, e a surdez nunca foi um empecilho. Um dos meus melhores amigos se tornou meu marido! ? Coincidentemente a minha sogra trabalhava numa escola de crianças surdas, e sabe libras muito bem, ao contrário de mim.

  • Já tinha visto, mas rever foi ótimo.
    Lembram o que a fonoaudióloga, Samira, disse no último post, aqui.
    “E você, se ama?”
    Quando nos amamos de verdade em primeiro lugar, vai atrair o amor verdadeiro, não perfeito mas o companheiro.
    Lindo demais esse vídeo.
    Bjão

  • huahua o print da tela me lembrou das situações que passei na escola, eu vivia reclamando para os outros professores que o prof. de história tinha bigodão e eu não conseguia entender nada do que ele falava! E os professores se rachavam de rir! Também tinha outro professor, de Geografia, que não tinha lábios e novamente não entendia nada do que ele falava!

    Achei o video lindo!!!

  • O filme é bonito, cheio de emoções, maravilhoso. Só que observei que isso requer uma certa maturidade pessoal para encarar ter um relacionamento com o próximo.
    Se alguém namorar um(a) surdo(a), a principal coisa para desfrutar juntos é o amor! 🙂 Além de tudo o que é necessário, o amor prevalece…rs
    Abraços.

  • Belas palavras, Paula!!!
    No primeiro dia que conheci meu marido, disse que eu usava aparelhos auditivos. Destaquei que a voz dele era de tom ótimo para eu entendê-lo. S2

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.