Menu
Fonoaudiologia

Carta Aberta aos Pacientes com PERDA AUDITIVA em 2024

Eu sou muito fã do trabalho da fonoaudióloga americana Kim Cavitt. Ela fala as verdades mais duras sobre a indústria da audição sem medo, e meu pensamento vai de encontro ao dela 99,9% das vezes. Kim escancara tudo o que está ERRADO nessa indústria e responde cada um dos comentários que recebe. Ontem, ela publicou uma carta aberta no Linkedin direcionada a pessoas como eu e vocês: os maiores interessados nas tão necessárias e adiadas mudanças no business model do mercado de venda e regulagem de aparelhos auditivos e implante coclear. Pedi autorização a ela para traduzir para o português e publicar no Crônicas da Surdez.

Leiam e reflitam. Essa carta é maravilhosa porque, além de dar a real sobre o sistema como um todo, também chama atenção para as RESPONSABILIDADES dos pacientes com perda auditiva.

Carta Aberta aos Consumidores e Pacientes com Perda Auditiva

Sou fonoaudióloga e trabalho nesta área há mais de 30 anos. Apoio completamente iniciativas dos consumidores que buscam mudar o modelo de distribuição de aparelhos auditivos e da indústria em si. Luto pelo acesso ao seguro de saúde e ao Medicare para cobertura de aparelhos auditivos, telemedicina, aparelhos auditivos de prescrição com base no valor, aparelhos auditivos de venda livre e opções de prescrição direta ao consumidor. Desejo ardentemente que todos os consumidores tenham acesso a soluções acessíveis e acessíveis para o tratamento da perda auditiva e do zumbido.

Acredito que você, como consumidor de aparelhos auditivos e pessoa com perda auditiva, tem os seguintes direitos:

· Você tem o direito de controlar sua própria saúde auditiva e jornada de amplificação. VOCÊ é o capitão e os profissionais são apenas navegadores. Eu, como profissional, não tenho o direito de julgar suas decisões pessoais de saúde. Minha responsabilidade é criar um plano de cuidados mais abrangente e baseado em evidências para você ao menor custo possível.

· Você tem o direito de ter acesso a uma ampla variedade de opções de amplificação e atendimento, incluindo telemedicina e ajuste remoto, soluções de venda livre, amplificação de prescrição, produtos de amplificação sonora pessoal, dispositivos auxiliares de audição, sistemas FM e dispositivos implantáveis. Esses dispositivos devem ter especificações tecnológicas e de fabricação para reduzir os riscos de amplificação excessiva, bem como garantir a qualidade e integridade do produto.

· Todos os produtos devem ter rótulos claros que expliquem o uso pretendido de cada classe de produto e forneçam avisos sobre os riscos do uso inadequado.

· Se você procurar uma avaliação com um fonoaudiólogo, você deve receber uma cópia da sua avaliação audiológica diagnóstica e um plano de cuidados. Esses são seus direitos sob a Lei de Portabilidade e Responsabilidade de Seguros de Saúde (HIPAA).

· Se você comprar aparelhos auditivos de um fornecedor, esses aparelhos não devem estar bloqueados de forma proprietária. Em outras palavras, esses dispositivos são seus e você deve poder ir a qualquer fornecedor para reprogramar, ajustar ou modificar esses aparelhos. Pelo menos, você deve ser informado de que seus dispositivos estão bloqueados de forma proprietária antes da compra. Pergunte sobre quem e onde os dispositivos podem ser ajustados antes da compra.

· Os preços devem ser detalhados e transparentes e devem refletir os custos do dispositivo, bem como os custos separados da avaliação, tratamento e serviços de acompanhamento. O serviço a longo prazo deve ser uma compra opcional.

· Você tem o direito de consultar qualquer fornecedor e pagar pelos serviços que eles prestaram, mas não comprar um produto deles. Você nunca deve ser pressionado a comprar.

· Nem todos os consumidores com problemas de audição precisam de tecnologia premium. Suas necessidades de comunicação podem não justificá-la. Os profissionais têm a responsabilidade de avaliar você e suas situações de escuta e comunicação e encontrar os aparelhos auditivos que melhor atendam às suas necessidades individuais de escuta e comunicação pelo preço mais acessível.

· Você tem o direito de ter acesso a soluções de amplificação baseadas em valor que sejam apropriadas audiologicamente para o seu tipo e grau de perda auditiva, seja OTC, DTC, venda a varejo, telemedicina ou fornecidas por profissionais.

· Você tem o direito de acessar quaisquer benefícios disponíveis do plano de saúde por meio de provedores credenciados e ser informado, por escrito e antes do atendimento, sobre quaisquer cobranças fora da rede.

· O atendimento prestado pelos provedores deve estar prontamente disponível e acessível. Os provedores devem oferecer atendimentos noturnos, nos fins de semana e também serviços de telemedicina.

· Os provedores devem fornecer consistentemente cuidados e tratamentos baseados em evidências de pesquisa. Você, como consumidor, tem o direito de exigir esse nível de atendimento. A gestão de cerume, testes de fala em ruído, inventários, triagens cognitivas, análises eletroacústicas, medidas em tempo real do canal auditivo e reabilitação auditiva devem ser a norma em todos os consultórios.

· Os provedores devem utilizar todas as opções de tratamento e modalidades de atendimento disponíveis, incluindo aro magnético (chave T), dispositivos auxiliares de audição, sistemas FM, produtos de venda livre e reabilitação auditiva.

· Os provedores devem ensiná-lo a usar e cuidar dos aparelhos e também devem ensinar estratégias de escuta e comunicação para maximizar sua satisfação e desempenho.

Eu, pessoalmente, apoio esses direitos dos consumidores e vou advogar junto com você por regulamentações sensatas da indústria que minimizem os riscos, garantam a qualidade e a segurança e permitam maior acesso e acessibilidade.

Mas, com direitos também vêm responsabilidades. Pode ser um momento desafiador para os profissionais de saúde (que inclui os fonoaudiólogos). Os profissionais precisam que os consumidores com problemas de audição reconheçam e aceitem seu papel em um processo de prestação de cuidados de sucesso. As responsabilidades dos consumidores com perda auditiva incluem o seguinte:

· Fonoaudiólogos NÃO são vendedores. Somos profissionais de saúde com formação avançada. Solicitamos respeitosamente ser tratados da mesma maneira que você trataria seu oftalmologista, dentista, podólogo, fisioterapeuta ou médico.

· Os aparelhos auditivos, independentemente do seu custo, não curam a perda auditiva. Eles maximizam suas habilidades de comunicação e escuta. Suas expectativas de amplificação devem ser realistas para o tipo e grau de perda auditiva que você apresenta. Você tem tanta influência no resultado e desempenho da amplificação quanto o profissional e os próprios dispositivos. Torne-se um paciente informado.

· Existem diferenças significativas entre os profissionais desta área. Os consumidores devem se informar sobre as diferenças entre dispensadores de aparelhos auditivos, fonoaudiólogos e médicos, venda livre, varejo, telemedicina e atendimento clínico, seus diferentes papéis no processo de atendimento e suas diferentes motivações.

· A evidência sugere que os pacientes têm melhor satisfação, desempenho e resultados quando recebem uma avaliação audiologicamente baseada em evidências e uma avaliação de necessidades de comunicação e funcionais. Em outras palavras, se possível, você seria melhor atendido ao ser avaliado por um fonoaudiólogo antes de qualquer compra. Esses serviços de avaliação nem sempre são totalmente cobertos por todos os planos de seguro e, portanto, você não deve esperar que todos os serviços sejam gratuitos.

· Se você tiver zumbido, tontura, secreção no ouvido, acúmulo de cera, perda auditiva súbita ou em rápida mudança, perda auditiva em que um ouvido é pior que o outro, deformidade no ouvido ou dor de ouvido, procure um médico otorrino antes de qualquer compra sem receita, telemedicina, compra por correspondência ou pela internet. Caso contrário, você pode estar desperdiçando seu dinheiro ou ignorando uma condição médica tratável ou grave.

· Aparelhos auditivos de venda livre NÃO são apropriados para todas as perdas auditivas. Eles são apropriados apenas para perdas auditivas leves a moderadas. É difícil saber disso sem uma avaliação audiologicamente direcionada inicialmente por um profissional. Se sua perda auditiva for mais significativa e você estiver usando uma solução de venda livre, você pode experimentar ganho/volume insuficiente, dificuldades em ambientes ruidosos e retroalimentação. Isso levará a um mau desempenho e satisfação. Ninguém quer vê-lo desperdiçar seu dinheiro em uma opção inadequada.

· Os aparelhos auditivos de venda livre NÃO são apropriados para crianças. As crianças têm necessidades audiológicas e de comunicação únicas que exigem a intervenção e envolvimento profissionais de um fonoaudiólogo.

· Existem prós e contras na compra de aparelhos auditivos sem receita (OTC) ou diretamente ao consumidor (DTC). Se você comprar aparelhos auditivos OTC ou DTC, entenda que os fonoaudiólogos não podem ajustar ou modificar todos esses produtos. Além disso, é importante que você entenda que os provedores cobrarão pelos cuidados, tratamentos e orientações que fornecemos para esses produtos OTC/DTC, mesmo que seja para informar que eles não são adequados. Os fonoaudiólogos não podem e não devem fornecer cuidados gratuitamente.

· Há custos quando você procura a avaliação e orientação de um profissional. Muitos consumidores atualmente exigem testes auditivos gratuitos, avaliações de necessidades de comunicação e funcionais gratuitas, e avaliações de aparelhos auditivos e consultas gratuitas. “Grátis”, no entanto, nunca foi realmente grátis. “Grátis” só funcionou até agora por causa do preço elevado dos pacotes. O consumidor que compra produtos nesse modelo acaba pagando pelas avaliações de si mesmos e de todos os outros consumidores que optaram por não comprar produtos. Quando os aparelhos auditivos são desmembrados ou detalhados, o consumidor pode precisar pagar pelo teste auditivo e precisará pagar pela avaliação de necessidades de comunicação e funcionais ou pela avaliação/consulta de aparelhos auditivos, mesmo que opte por não prosseguir com a compra. Os provedores não podem ser esperados para fornecer sua experiência de nível de doutorado gratuitamente.

· O Medicare não cobre testes auditivos de rotina ou testes com o único objetivo de adaptação ou modificação de um aparelho auditivo. O provedor é responsável por cobrar de você, o consumidor, os custos desse teste. Eles não podem fornecê-lo gratuitamente.

· A evidência indica que os consumidores têm melhor satisfação, desempenho e resultados quando recebem cuidados e tratamentos baseados em evidências. Isso inclui inventários, verificação, testes de fala em ruído e reabilitação auditiva. Muitos provedores, como resultado, têm um padrão de cuidado não negociável, sem exceções. É nosso direito como provedores praticar de uma maneira que sabemos, por meio de pesquisas, beneficia o paciente. Muitas vezes, esse é um nível de cuidado que não é coberto pelo seu segurador.

· Você não pode esperar que o seguro sempre pague por tudo o que você deseja ou precisa. Eles nem sempre cobrem recursos, como conectividade ou baterias recarregáveis, que são apenas para o seu conforto pessoal. As taxas permitidas nos contratos dos provedores com os pagadores terceirizados frequentemente indicam o nível de tecnologia que podemos fornecer. O seguro muitas vezes não cobre nossos custos de tecnologia premium e muitos pagadores não permitem que os provedores credenciados permitam que você pague a diferença entre a tecnologia básica e a tecnologia premium. Essa não é nossa regra, mas sim deles. Os pagadores geralmente não cobrem serviços de acompanhamento ou de longo prazo. Eles geralmente não cobrem baterias, carregadores de bateria, moldes auriculares, filtros de cera ou acessórios. Eles geralmente não cobrem a reabilitação. Lembre-se, a cobertura do seguro é um acordo entre você e seu segurador. O provedor está apenas executando esse acordo, da melhor forma possível, dentro das limitações de seus próprios contratos. Às vezes, você, o paciente, é financeiramente responsável. Isso é consistente com o que você pode experimentar na odontologia e visão.

· Se você tiver um plano Medicare Advantage, saiba que MUITOS desses planos são planos “de desconto”, nos quais você, o paciente, paga o custo total dos aparelhos auditivos e serviços relacionados. Esses programas podem e fazem ditar e/ou limitar as opções de produtos disponíveis por meio do plano. Esses planos também, normalmente, permitem que os provedores cobrem por cuidados de acompanhamento após o primeiro ano. Pondere os prós e contras desses programas antes de aderir ao plano Advantage e novamente antes de ativar esses “benefícios”. Às vezes, os aparelhos auditivos através do plano são mais caros do que uma solução detalhada disponível diretamente do provedor.

· Se você quiser minimizar os custos do provedor que você precisa pagar, você deve assumir pessoalmente o máximo possível dos cuidados diários do dispositivo. Você deve limpar seus aparelhos auditivos todos os dias. Mantenha-os secos e livres de produtos para cabelo, perfumes e sprays. Troque suas próprias pilhas ou coloque-as com segurança em um carregador de pilhas. Substitua seus próprios filtros de cera e limpe seus próprios moldes auriculares. Siga as instruções fornecidas pelo seu provedor.

· A conectividade Bluetooth é um recurso incrível disponível em muitos aparelhos auditivos e certos telefones celulares. Às vezes, ela não funciona. Seu fonoaudiólogo não é o único responsável por manter essa conectividade. A responsabilidade também recai IGUALMENTE sobre o fabricante do seu celular, a operadora de celular e VOCÊ! Existem muitas opções disponíveis para ajudá-lo a manter a conectividade Bluetooth.

· O Costco é geralmente uma ótima opção para comprar aparelhos auditivos. O Costco é uma excelente solução de venda a varejo. No entanto, existem opções melhores e mais abrangentes para atendimento fonoaudiológico e auditivo. Observe que o Costco não fornece avaliações completas de necessidades de comunicação e funcionais, remoção de cerume, opções CROS/BICROS, avaliação ou tratamento de zumbido ou problemas de processamento auditivo, avaliação ou gerenciamento de implantes cocleares ou dispositivos ancorados no osso e não fornece reabilitação auditiva ou aconselhamento abrangente. Eles apenas fornecem aparelhos auditivos. Ponto.

O objetivo desta carta é melhorar o diálogo entre os fonoaudiólogos e os consumidores. Falando em nome dos meus colegas fonoaudiólogos, queremos ajudar cada um de vocês a maximizar suas habilidades auditivas, de escuta e de comunicação. Queremos ser parceiros em seu sucesso e ajudá-lo a navegar em sua jornada de perda auditiva. Estamos disponíveis para avaliar, educar, gerenciar e tratar. Mas ambos precisamos reconhecer e apreciar nossos papéis nessa jornada e sermos compreensivos e respeitosos um com o outro e com esses papéis. Sinto que, se você for bem-sucedido, também serei bem-sucedida, mas precisamos que nosso relacionamento seja uma situação vantajosa para ambos.

Respeitosamente,

Kim Cavitt, Chefe de Soluções da Audiology Resources, Inc. Fonoaudióloga

CLUBE DOS SURDOS QUE OUVEM: junte-se a nós!

clube dos surdos que ouvem faça amigos surdos grupo de surdos oralizados

A sua jornada da surdez não precisa ser solitária e desinformada! Para que ela seja mais leve, simples e cheia de amigos, torne-se MEMBRO do Clube dos Surdos Que Ouvem. No Clube, você terá acesso às nossas comunidades digitais (grupos no Facebook e no Telegram), conteúdos exclusivos, descontos em produtos e acesso aos nossos cursos*.

São 21 mil usuários de aparelhos auditivos e implante coclear com os mais diferentes tipos e graus de surdez para você conversar e tirar suas dúvidas a respeito do universo da deficiência auditiva (direitos, aparelhos, médicos, fonos, implante, concursos, etc).

MOTIVOS para entrar para o Clube dos Surdos Que Ouvem:

      1. Estar em contato direto com quem já passou pelo que você está passando (isso faz toda a diferença!)
      2. Economizar milhares de reais na compra dos seus aparelhos auditivos
      3. Aprender a conseguir aparelho de audição gratuito pelo SUS
      4. Não cair em golpes (a internet está abarrotada de golpistas do zumbido, de aparelhos de surdez falsos e profissionais de saúde que não são especializados em perda auditiva!)
      5. Conversar com milhares de pessoas que têm surdez, otosclerose, síndromes e usam aparelhos para ouvir melhor
      6. Conhecer centenas de famílias de crianças com perda auditiva
      7. Fazer amigos, sair do isolamento e retomar sua qualidade de vida
      8. Pegar indicações dos melhores médicos otorrinos e fonoaudiólogos do Brasi com pessoas de confiança

Se você for mãe ou pai de uma criança com perda auditiva, uma das comunidades digitais do Clube é um Grupo de Telegram com centenas de famílias se ajudando mutuamente todos os dias.

Não cometa ERROS ao comprar aparelho auditivo

não cometa esses erros antes de comprar aparelho auditivo

Eu já passei pela saga da compra de aparelhos auditivos várias vezes. Já fui convencida a me endividar para comprar um aparelho auditivo “discreto e invisível” que sequer atendia a minha surdez. Já fui enganada ao levar um aparelho auditivo para o conserto na loja onde o comprei: a fonoaudióloga disse que ele não servia mais para mim sem sequer verificá-lo ou fazer uma nova audiometria. Já quase caí no conto do vigário de gastar uma fortuna num aparelho auditivo para surdez profunda “top de linha”, cujos recursos eu jamais poderia aproveitar devido à gravidade da minha surdez. Já fui pressionada a comprar um aparelho auditivo porque supostamente a “promoção imperdível” duraria apenas até o dia seguinte. E também quase cometi a burrada de comprar um aparelho de surdez que já estava quase saindo de linha por causa de um desconto estratosférico.

Mas VOCÊ não precisa passar por isso.

Criei um curso online rápido de 1h e 30min de duração que reúne tudo o que aprendi em 41 anos convivendo com a surdez 24hs por dia e que vai te fazer economizar muito dinheiro, tempo e energia para voltar a ouvir. Torne-se aluno AQUI.

CURSOS SURDOS QUE OUVEM

 

 




About Author

Paula Pfeifer é uma surda que ouve com dois implantes cocleares. Ela é autora dos livros Crônicas da Surdez, Novas Crônicas da Surdez e Saia do Armário da Surdez e lidera a maior comunidade digital do Brasil de pessoas com perda auditiva que são usuárias de próteses auditivas.

No Comments

    Leave a Reply

    × Como posso te ajudar?