Site icon Crônicas da Surdez – Surdos Que Ouvem – por Paula Pfeifer

Qual é a melhor marca de aparelho de auditivo do mercado em 2021?

melhor marca aparelho auditivo

Todos os dias alguém me pergunta: “Qual é a melhor marca de aparelho auditivo que existe no mercado?

Antes de fazer o primeiro implante coclear , eu usei aparelho auditivo durante vários anos. Antes de tudo, tenho duas informações muito importantes para você:

O SUS fornece aparelhos auditivos

Se você não tem condições financeiras de adquirir os seus aparelhos do próprio bolso, clique aqui e leia o post que fizemos ensinando como conseguir aparelhos auditivos pelo SUS.

Entre para o GRUPO SURDOS QUE OUVEM 

São mais de 20.700 pessoas com deficiência auditiva e milhares de usuários de aparelhos auditivos das mais diversas marcas para lhe ajudar nesta jornada.

Lá você pede indicação de profissionais e locais de confiança, fica sabendo de novidades e conversa com pessoas que estão testando – ou já compraram – o mesmo aparelho auditivo que você.

Além disso, esse grupo é o melhor lugar da internet para ter acesso a informações de qualidade sobre o que você deve saber ANTES de comprar um aparelho auditivo. 😉

Não existe a “melhor” marca

Passei anos usando a mesma marca de aparelhos auditivos. Quando precisei estimular o ouvido esquerdo antes de fazer o um implante coclear nele, experimentei outras marcas para ter novos parâmetros de comparação.

Essa experiência foi ótima, pois confirmou minha tese de que não existe a melhor marca de aparelho auditivocada uma delas oferece algo diferente e que funciona muito bem para quem está usando seus produtos.

Publicidade não sinalizada

Fico decepcionada quando me deparo com reviews de aparelhos auditivos de “influenciadores” que NÃO deixaram claro nos seus posts que ganharam os aparelhos para falar deles – zero sinalização de publicidade.

Ou seja: os reviews, é claro, só dizem maravilhas sobre o produto e enaltecem os pontos fortes do mesmo.

Há alguns meses atrás, vi uma influencer com milhões e seguidores que fez uma “parceria” para protetizar alguém da família, dizendo no Instagram: “Nossa, agora ela ouve tudo, entende tudo, fala no telefone, isso é a perfeição!“.

Não sei quem é mais antiético: o dito ‘influenciador’ ou a marca que se presta a esse faz algo assim.

Qualquer um que já tenha usado aparelho auditivo na vida sabe que não é assim que funciona. E quem precisa usar e lê algo assim é iludido a acreditar que é tão fácil quanto a moça quis fazer parecer. Detalhe: nem era ela quem usava o aparelho auditivo.

Se a marca de aparelho auditivo faz isso…

Nenhum influencer vai fazer review de produto nenhum à toa. Muitos burlam as regras do CONAR, não sinalizam publicidade e brincam com a saúde das outras pessoas.

Leve em consideração indicações de pessoas sérias, cujo trabalho tem credibilidade e que sinalizam publicidade.

Mais uma vez: entre para o nosso Grupo Surdos Que Ouvem e não seja feito de bobo.

Dica de OURO antes de comprar aparelho auditivo

Não vá a uma loja quando você ainda não sabe nada do assunto!

Então, estar em contato com outros usuários de aparelhos auditivos é a melhor coisa a fazer. Caso contrário, você corre o risco de ser convencido a comprar um aparelho de R$40.000 que pode nem ser o mais indicado para o seu caso.

A marca de aparelho auditivo do meu amigo…

Contudo, tenha em mente um ponto importante: o fato de alguém ter tido uma ótima ou péssima experiência com o uso de um aparelho de uma marca específica não significa que você também terá.

A nossa surdez é praticamente uma impressão digital: cada um tem uma muito específica e nenhuma é igual à outra. Cada caso é um caso.

Nada garante que o aparelho que funciona para o seu amigo vai ser bom para você.

Dica de PRATA antes de comprar aparelho auditivo

No Grupo Surdos Que Ouvem, peça indicação de fonoaudiólogos independentes que trabalham com várias marcas de aparelhos auditivos.

Desse modo, você não precisa ficar perambulando por aí para testar 3 marcas diferentes.

Caso seja novato no assunto, saiba que todo usuário de aparelho auditivo na face da Terra vai lhe dar a mesma dica: teste pelo menos 3 marcas e modelos de aparelho auditivo.

Compare. Veja qual delas fornece o som mais claro e limpo no seu caso.

Faça uma lista de prós e contras de cada um.

Adaptando-se a um aparelho auditivo

Os novatos não sabem que se adaptar a um aparelho auditivo é tarefa longa e difícil que requer um esforço muito grande de nós e tem como efeitos colaterais muitas vezes irritação, cansaço e desânimo.

Quando me senti adaptada aos meus aparelhos auditivos, não senti necessidade de sair testando mais marcas.

Aliás, só eu sei o quanto foi cansativo e emocionalmente difícil me apaixonar pelos meus aparelhos e chegar no ponto de querer tirá-los apenas para dormir e tomar banho.

Peça indicação aos usuários de aparelho auditivo

Esse é o ponto mais importante, já que só quem usa um aparelho auditivo de uma marca específica vai poder opinar de verdade sobre ele.

Se você quer testar a marca X ou Y, procure usuários dessas marcas e informe-se sobre a idoneidade das revendas, a assistência técnica, a experiência do profissional que regula os aparelhos e, acima de tudo, sobre o atendimento pós-venda.

Fale com outros usuários de aparelhos no nosso grupo, peça opiniões, tire suas dúvidas.

Quem teve uma experiência ótima e foi muito bem atendido na marca X certamente vai lhe aconselhar a buscá-la; quem teve uma experiência péssima e foi mal atendido vai lhe fazer o favor de lhe alertar sobre o ocorrido, assim você fica esperto.

Isso já aconteceu com você?

Atire a primeira pedra quem já…

É triste, mas acontece todos os dias.

São milhares de lugares vendendo aparelhos auditivos espalhados pelo país, e nem todos são éticos e colocam as necessidades e possibilidades do paciente em primeiro lugar.

Mais uma vez: CONVERSE COM OUTROS USUÁRIOS antes de comprar o seu aparelho auditivo.

E gaste um tempo pedindo indicação de profissionais de saúde e locais de confiança.

Aparelho auditivo: Top, intermediário ou básico? 

Qualquer marca possui aparelhos com tecnologia básica, intermediária e superior. Compre de acordo com sua perda auditiva, com seu estilo de vida e com sua condição financeira.

Não se deixe levar por nenhum tipo de pressão. Nem pela mais baixo nível de todas: o velho truque de dizer que o “desconto imperdível” acaba em 24 ou 48hs e você nunca mais conseguirá esse preço.

Fique tranquilo: as lojas fazem 20 promoções diferentes por ano e você está em ótima posição de barganha a qualquer momento.

Recebo inúmeros relatos sobre idosos que adquiriram um “top” que não se adequa à vida que eles levam, e nesses casos as reclamações são as mesmas: “não sei mexer nesse negócio”, “é muito delicado e pequeno, não consigo manusear”, “nunca usei esses recursos que me disseram que ele tem“.

Não é legal quando oferecem logo o mais caro, o mais cheio de recursos e etc – e já usam a palavra “top” para descrevê-lo. Lugares que fazem isso estão focados apenas em bater meta de venda.

Portanto, nós que estamos ali frágeis e assustados, ficamos nos sentindo ainda piores quando não podemos pagar o “top” ou quando ele não é o ideal para nós – parece que teremos que nos contentar com uma porcaria qualquer e não com o melhor que existe.

Se você vende aparelho e está lendo esse post, fica o conselho: não faça isso. Conheça as necessidades e possibilidades do seu paciente antes de querer convencê-lo a comprar o mais caro da loja.

Marketing é uma coisa, vida real é outra! Todo meu amor e respeito pelas fonoaudiólogas que explicam esses detalhes como eles devem ser explicados.

Teste a marca que permitir o teste domiciliar mais longo

Vocês devem saber que algumas marcas/empresas emprestam o aparelho auditivo por uma semana.

Imagine tomar uma decisão dessas em dois ou três dias? Com tão pouco tempo assim, é impossível bater o martelo.

Por isso, dê preferência para aquela que lhe permitir ficar, no mínimo, uma semana com eles. Algumas já permitem mais tempo de teste.

A fonoaudióloga que regula o aparelho 

É peça fundamental da equação.

Quando fazemos um exame ou consulta com um otorrinolaringologista ou fonoaudióloga que nos encaminham para comprar um aparelho auditivo, eles querem ter a certeza de que estão nos encaminhando para uma profissional séria, competente e que entende dos aparelhos com os quais trabalha.

A fono precisa entender cada detalhe dos seus produtos e ter vasta experiência com programação de aparelhos auditivos.

É por isso que insisto que você peça indicação de profissionais no nosso Grupo Surdos Que Ouvem diretamente para outras pessoas que já são pacientes deles na sua cidade.

Não colabore com a indústria da vergonha 

Não, não é certo sentir vergonha da própria deficiência auditiva, mas as pessoas (em especial as que estão recém descobrindo sua deficiência) sentem.

A indústria usa essa vergonha que as pessoas sentem para aprimorar seu marketing. Não vejo a indústria de cadeira de rodas tentando vender cadeiras invisíveis ou a indústria de bengalas oferecendo bengalas discretas.

Na indústria da audição, isso é super comum.

Não sinta vergonha por ouvir mal e não ajude a perpetuar esse estigma datado e cafona. A indústria como um todo só vai mudar de atitude quando a maioria dos pacientes/clientes lutar contra o capacitismo. E esse é um bom exemplo.

Rechace qualquer abordagem do tipo: “Esse aparelho minúsculo-invisível-discretíssimo que ninguém vai ver e saber que você é surdo…

Francamente: você não precisa de um profissional de saúde querendo te convencer a sentir vergonha da sua perda auditiva. Mesmo quando isso é dito ‘com a melhor das intenções‘.

Insista no molde perfeito

Minhas orelhas sempre foram complicadas, e conseguir um ótimo molde para elas era muito difícil. Já cheguei a fazer seis moldes em sequência até conseguir um que não me machucava – só quem já sentiu a dor de um molde rígido ou de silicone sabe como ela é horrível!

As vezes em que tentei usar um molde que me machucava acabei com alergias feias, orelha paralisada, dor de cabeça lancinante e impossibilidade de usar meus aparelhos por vários dias até que a dor parasse.

Não desista do molde perfeito, porque ele existe! E faz muita diferença quando você está em fase de testa ou adaptação aos aparelhos auditivos.

O atendimento

A experiência de comprar um aparelho auditivo deve englobar todos os aspectos da vida de uma pessoa que não ouve. Tradução: acessibilidade deve estar no topo da lista.

Caso a loja só marque consultas por meio de ligações telefônicas, fuja.

Se chegar na sala de espera e se deparar com uma TV sem legendas ativadas, saiba que isso é um fiasco. Pior ainda, se a secretária ou a fono berram o seu nome esperando que você ouça, faça o favor de dar um toque nelas.

E não só: se não falam diretamente com você mas apenas com a pessoa que está lhe acompanhando, estão sendo profundamente capacitistas com você! O bom atendimento está nos mínimos detalhes.

Ninguém sente vontade de retornar a um lugar no qual se sentiu inadequado.

Essas coisas que citei acima podem ser comparadas a ser cadeirante e chegar numa loja de cadeira de rodas…que não tem rampa!

Sobre transparência

O Brasil é o único país do mundo – ou um dos únicos – no qual a experiência de compra de um aparelho auditivo é rodeada por uma aura de mistério e dificuldade.

Não é à toa que os pacientes debocham tanto disso. É irritante e desgastante.

Descobrir o preço de um aparelho auditivo é uma tarefa estilo Missão Impossível. Se você ligar para uma loja, vão condicionar essa informação à uma consulta presencial.

Nunca vi nenhum outro produto ser rodeado por tanta falta de transparência. Isso passa uma imagem horrorosa para nós, os pacientes/clientes. O argumento é sempre o mesmo: “trata-se de um produto médico”.

Fico feliz de ver que finalmente os pacientes-consumidores entenderam o poder que têm quando estão reunidos e trocando informações em tempo real no mesmo lugar, ajudando uns aos outros a sair da teia da falta de transparência.

Querer comprar algo ou fazer comparação de preços e ter que sofrer para descobrir o preço de um produto é algo que só acontece com quem tem deficiência auditiva. Alô, PROCON.

Além disso, os preços não seguem uma tabela, na grande maioria dos casos, e os pacientes/clientes ficam à mercê de diferenças exorbitantes de valores até mesmo entre revendas de uma mesma marca.

A guerra de concorrentes que respinga na gente e é desagradável. Passo os dias recebendo emails de pessoas me contando seus “causos” nesse sentido como se eu fosse funcionária do SAC das marcas de aparelhos auditivos existentes no Brasil…

A melhor marca de aparelho auditivo não existe

O que existe é o melhor aparelho auditivo adaptado à sua perda auditiva e ao seu estilo de vida, que são únicos. Não existe a melhor marca de aparelho auditivo: existe a melhor marca de aparelho auditivo para VOCÊ.

Por último, busque, teste, compare e bata o martelo por aquela que lhe permitir uma experiência auditiva gostosa e tranquila. Você merece essa excelência ao comprar uma tecnologia que traz tanta qualidade de vida.

Entre para o Grupo Surdos Que Ouvem

Clique aqui e torne-se membro.

Aceitamos apenas pessoas com deficiência auditiva.

REDES SOCIAIS CRÔNICAS DA SURDEZ – SURDOS QUE OUVEM

INSCREVA-SE NA NEWSLETTER CRÔNICAS DA SURDEZ

Coloque seu email na lista

Sair da versão mobile