Crônicas da Surdez Deficiência Auditiva

Como se comunicar com uma pessoa surda?

Vocês, ouvintes, alguma vez na vida já tiveram alguma oportunidade de interagir com um surdo na rua, na sala de aula ou no trabalho? Nós lhes causamos curiosidade ou até mesmo constrangimento, não é? 🙂

Estar diante de uma pessoa que não ouve bem pode causar estranheza e distanciamento da comunicação, justamente por não saber como reagir a esta situação. Quero aqui explicar um pouco do nosso sentimento em relação às situações que já vivenciamos por não ouvir bem.

Nós adoramos conversar, pode vir!

Quando você se depara com uma pessoa com deficiência auditiva, comece falando da forma como você conversaria com uma pessoa qualquer. Se precisar, ela irá lhe dar pequenos toques para a melhoria da comunicação. Não precisa se sentir constrangido ao conversar conosco. Seja o mais natural possível! Nós, surdos, gostamos muito de conversar com as pessoas e trocar ideias!

Se chamar a pessoa pelo nome e ela não te responder, por favor cutuque-a ou coloque a mão no seu ombro e se coloque no campo de visão dela.

Não tenha medo do surdo não entender o que você fala. Ele se esforçará para entender e ser compreendido. A nossa meta é entender a conversa e ficamos felizes quando entendemos!

Não se apavore ao visualizar os nossos aparelhos auditivos e perceber que somos surdos. Saiba que os aparelhos são muito importantes para nós te escutarmos e te entendermos melhor! Eles são o nosso orgulho por nos proporcionarem qualidade de vida. Não são motivos de nossa vergonha!

Quando você convida um surdo para um bate papo em um restaurante, bar ou cafeteria, procure mesas bem iluminadas. Se possível, com boa acústica, pois ambientes escuros e ruidosos dificultam o nosso entendimento.

Não entendi o que disse, por favor repita!

Procure falar de frente para a pessoa para que possa fazer a leitura labial do seu rosto. Fale de forma fluída e mais natural possível! O movimento super lento de fala dificulta o entendimento.

Por favor não fale alto nem grite, pois se você fizer isso estará distorcendo o som da fala, dificultando mais ainda o nosso entendimento. Os nossos aparelhos auditivos já estão amplificando a sua voz, por isso não precisa gritar conosco.

Articule bem a boca para que a leitura labial tenha mais qualidade possível. Nós, surdos, associamos o som da fala com a leitura labial.

Falar baixo também atrapalha, pois os detalhes da fala ficam mais difíceis de serem percebidos. Procure falar sempre no tom normal.

Evite falar e mexer as mãos ao mesmo tempo. Os movimentos das mãos nos distraem durante a leitura labial e também podem cobrir a boca em alguns momentos, dificultando a nossa leitura.

Caso o surdo não esteja entendendo de jeito algum uma palavra específica, escreva-a num bloco de notas ou num celular.

Se um surdo te perguntar: “do que estão falando?”, por favor explique o assunto da roda de conversa. Jamais responda desta forma: “ah, estamos falando de bobagem!”, “o assunto não é nada demais”, este tipo de resposta nos machuca e nos exclui das conversas. Se ele te pergunta, é porque quer participar da conversa, dar a sua opinião, rir das piadas, emocionar-se com os relatos.

Te ignorei? Desculpe! Não ouvi.

Tentou chamar a pessoa de longe, fez uma pergunta e não ela te respondeu? Ande até ela e cutuque-a para chamar a sua atenção. Se não te responde, não é porque está te ignorando e sim porque não percebeu que você tentou se comunicar com ela.

Os aparelhos auditivos não são ouvidos novos! Mesmo com o uso deles, ainda terá dificuldade para ouvir em determinados ambientes ou determinadas situações.

Posso te ajudar?

Quando você for pedir uma informação a uma pessoa na rua, e essa pessoa diz que é surda. Dê uma chance para que ela possa te ajudar nas suas dúvidas. Gostamos de ajudar quem precisa! Já aconteceram muitas vezes em que alguém veio nos pedir informação e ao saber que não escutamos direito, ficaram sem graça e imediatamente nos pediram desculpas e foram embora, sem nos dar uma chance de lhes ajudar. Você não precisa se sentir mal por nós ao saber que não escutamos direito!

Falando ao telefone!?

Existem surdos que conseguem entender áudio de telefone com a ajuda da tecnologia auditiva, mas há muitos que não conseguem entender o que ouve no telefone nem com o melhor aparelho auditivo. O som vem muito embolado e robótico. Por causa da nossa enorme dificuldade, o telefone se tornou o nosso maior terror.

Nunca envie mensagens de áudio para um surdo no WhatsApp, envie somente mensagem de texto! Mesmo que existam aplicativos que convertem áudios em textos, nem sempre as conversões são fiéis às mensagens originais.

 

*Por Maria de Menicucci

Seja o primeiro a amar.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

3 Comentários

  • Olá Paula!!!
    Sou o Gilberto de Apucarana – Pr.
    Minha esposa tem perda auditiva severa, tendo aproveitamento de 8% do lado esquerdo e 20% do direito.
    Ela usa aparelho auditivo nos dois ouvidos.
    Já foi feito todos os exames e foi constatado geneticamente.
    Mas ela e eu temos muita dúvida e por isso queremos saber se precisa ser feito o implante ou vivendo desta forma, visto que ela se comunica ainda razoávelmente.
    Fizemos os encaminhamentos para o implante, mas pelo Sus é muito demorado.
    Você pode nos ajudar ??
    Obrigada, fica com Deus!!

  • Obrigada pelas dicas Paula. Eu tenho mania de mandar áudios enooormes e agora vou praticar mais a escrita. Parabéns pelo projeto, está tudo lindo!

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.