Menu
Acessibilidade / Aparelhos Auditivos / Deficiência Auditiva

Dicas para quem tem deficiência auditiva e vai prestar vestibular

Se você é um adolescente em vias de prestar vestibular e tem deficiência auditiva – especialmente se usa aparelho auditivo ou implante coclear – por favor, não deixe de ler as dicas enviadas pela leitora Tais Seki.   Como sei que temos muitos jovens por aqui, acho que pode ser bem útil. Dêem uma olhada! 🙂
vestibular1

 Aqui está uma listinha “simples” de dicas pra quem estiver prestando vestibular

 Fazer exames de audiometria e pedir laudo médico

(dois laudos: um pra deixar em casa e outro pra levar com você nas provas) com a descrição da deficiência (por exemplo: necessita do uso do AASI durante a prova) e CID no ano que estará prestando os vestibulares. Geralmente eles pedem exames recentes de até 1 ano, ou seja, todo ano tem que fazer.

Tire cópias pra enviá-los aos vestibulares

Infelizmente há gastos com correios, Sedex ou carta registrada. Não se esqueça de pedir pra enviar com comprovante de envio e recebimento. Alguns até pedem cópia do comprovante de pagamento da inscrição, então fique atento.

Tempo adicional

Tem vestibular que dá tempo adicional nas provas em salas especiais, nas quais é mais tranquilo fazer, porque os fiscais são preparados pra atender qualquer dificuldade dos candidatos com deficiência.

Provas realizadas pela VUNESP:

É preciso prender os cabelos, deixar as orelhas à mostra! Por isso é aconselhável fazer todos os procedimentos acima, para não ter problema na hora, como pedirem pra tirar os AASIs durante a prova.

Provas realizadas pela FUVEST:

Tem atendimento diferenciado em sala especial.

Provas do ENEM:

Na inscrição, tem espaço para declarar deficiência, mas eles não pedem nenhum laudo médico. Eles ligam pra confirmar a declaração e não precisa ser o próprio candidato pra confirmar, pode ser alguém que estiver por perto pra responder. Então deixe avisado se alguém do ENEM ligar.

Provas realizadas pela PUC:

Também tem atendimento diferenciado e salas especiais.

Provas realizadas pela Comvest:

são mais rígidos, eles pedem exames e laudos originais. A prova para pessoas com deficiência, por exemplo, da UNICAMP, é aplicada em Campinas, não tem possibilidades de fazer em São Paulo (para quem mora em São Paulo). Nesse caso, eu acabei não declarando a deficiência auditiva por não querer ir até Campinas, mas fiz a prova com os cabelos soltos, então ninguém viu e se viu não aconteceu nada.

Organização

Geralmente quem está prestando vestibulares, faz um monte de provas por aí, então pra se organizar melhor, faça uma tabela com os nomes das universidades, se precisa de exame e laudo, de comprovante de pagamento, se já foi enviado ao correio e o número do comprovante de envio.

Acho que é “só” isso! Espero que essa listinha ajude vocês! Se alguém souber de mais vestibulares que não foram citados aqui, compartilhe com o blog!”

Entre para o Grupo Crônicas da Surdez no Facebook

Sobre

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 38 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

5 Comentários

  • Fernanda P
    24/10/2016 at 10:17 pm

    Eu queria saber se eu posso pedir pra tirar o aparelho na hora da prova e não usar ele até o fim da prova

    Responder
  • Demii
    15/01/2014 at 2:25 pm

    Comecei a usar aparelhos só depois da inscrição do ENEM, quando cheguei lá pude usar sem problema algum. Claro que a demora apenas para verificarem se podiam. No vestibular da UFRGS, não pedi solicitação especial, pude usar só até darem as instruções ai tinha que por em cima da mesa até o fim da prova, um fiscal foi bastante atencioso e cuidou para que quando ele falasse eu pudesse ler os lábios. Mas ruim foi aguentar o zumbido.

    Responder
  • Beatriz
    05/01/2014 at 4:48 am

    Não tinha pensado nisso, mas realmente é importante, pois tem uma (ou mais de uma, não se sabe ainda) quadrilha usando o sistema FM para vender vagas em vestibulares de medicina e outros concursos em alguns estados do Brasil. Aqui em Mato Grosso do Sul, a polícia prendeu suspeitos aplicando esse tipo de fraude.

    Responder
    • Frederico Rios
      06/01/2014 at 9:49 pm

      Eu já ia comentar sobre a fraude no vestibular de Campo Grande quando vi o comentário da Beatriz. Quando li a notícia da fraude, na hora lembrei dos usuários de aparelhos auditivos. Infelizmente é importante se precaver para não ser “confundido” com bandido.

      Responder
  • Rafael
    04/01/2014 at 9:32 pm

    Paula,
    Se puderes acrescer:
    Na UFRGS só precisa do Laudo (não precisou da audiometria, mas eu fiz) e entreguei junto com a solicitação de atendimento especial.
    Eles marcam tua prova num prédio especial (no meu tempo todos que declararam deficiência fizeram na Escola Técnica, por ser o prédio com maior acessibilidade, ao que parece – perto do HCPA) e em salas específicas. Eu fiz com AASI em uma sala com mais três candidatos. Não tive tempo adicional e o pessoal da portaria, bem como, os fiscais, foram super atensiosos. Isso em 2010.

    Responder

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.