Menu
Histórias dos Leitores / surdez

Surda que ouve e estudante de Fisioterapia

surda que ouve

Meu nome é Yasmin Teles, tenho 20 anos, sou surda bilateral de grau severo(direita) e profundo(esquerda).

Recebi o diagnóstico de surdez quando tinha 4 anos. Usei aparelhos auditivos até meus 16 anos.  Fiz minha primeira cirurgia de implante coclear com 16 anos, do lado esquerdo, em 2018 e operei lado direito em julho de 2021.

Estudante de Fisioterapia: os desafios

Sou estudante de fisioterapia do 4° semestre, comecei a faculdade em 2020 de formato presencial, quase 1 mês depois de ter começado as aulas, tivemos que se adaptar ao formato remoto.

Ficou difícil porque o Google Meet ainda não disponibilizava legendas automáticas, quando pedia para os professores repetirem o que havia falado, eles repetiam sem problema, mas muitas vezes eu ficava pra baixo porque eu não entendia muita coisa.

Quando voltamos a ter aulas presenciais, não fiquei muito animada porque sabia que tinha uma nova barreira me esperando: A máscara.

Mesmo os professores usando o Mini Mac 2+, sempre tem algum momento da aula que não consigo mais absorver o que eles estão falando na sala de aula, devido ao cansaço mental.

Quando os alunos estão com dúvida, eu não entendo o que eles perguntam, então eu peço para professora me falar, mas em alguns momentos eu estou tão cansada de pedir que eu deixo passar.

Eu sempre enfrentei muitos desafios como estudante, na faculdade não está sendo diferente, porém, nesse período de pandemia está sendo ainda mais desafiador devido ao uso de máscara.

A surdez é cansativa

Chego na minha casa cansada, há momentos que não quero conversar, quero ficar só na minha, às vezes tenho vontade de chorar, de jogar tudo pro alto, mas sei que um dia vai passar. Vai demorar muito, mas vai passar.

No outro dia, quando me levanto penso no que vou ter que enfrentar novamente, mas sempre falo pra mim mesmo: Seja forte para enfrentar as dificuldades que a surdez te impõe que você consegue.

Grupo Surdos Que Ouvem

Entrei no grupo Surdos Que Ouvem em abril de 2017 graças à minha mãe, que conheceu o blog da Paula Pfeifer pelo Google.

Quando a Paula me aceitou como membro, no começo eu só acompanhava o que postavam, mas depois que eu me identifiquei com relatos que alguns membros escreviam. Comecei a comentar o que os participantes postavam, a ler os blogs da Paula com mais frequência, postar as experiências que eu já vivenciei – faço isso até hoje sem vergonha ou medo de me perguntarem alguma coisa.

Vergonha da minha surdez eu nunca tive, mas também nunca tinha falado abertamente sobre ela com as pessoas. E é graças a esse grupo, que me faz lembrar que não estou sozinha e que não só eu enfrento dificuldades no meu dia a dia devido a surdez.

O Crônicas da Surdez

A Paula é uma inspiração, não só para mim, mas para outros surdos. Ela dá dicas, faz live com legendas, fala as experiências que vivenciou por meio do seu blog, do seu Instagram, do seu canal no Youtube, conta suas experiências na maternidade e experiências da vida.

Cada postagem em seu blog é um aprendizado. Obrigada por nos ensinar! Que continue sendo essa pessoa generosa.

Que não somente no mês de setembro as pessoas tenham mais empatia em relação aos nossos obstáculos e discutam sobre as dificuldades e superações que nós enfrentamos diariamente por causa da surdez.

A surdez é única, mas compartilhar como você lida com ela pode servir de exemplo para outras pessoas.

REDES SOCIAIS SURDOS QUE OUVEM

INSCREVA-SE NA NEWSLETTER CRÔNICAS DA SURDEZ

Coloque seu email na lista

About Author

Moro no Rio de Janeiro e tenho 39 anos. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Sou autora dos Crônicas da Surdez e Novas Crônicas da Surdez.

No Comments

    Leave a Reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Iniciar conversa
    Marque a sua consulta na Clínica Sonora