Vídeo: mergulhando com o Aqua+ no mar

Esse final de semana estive em Recife e voltei a usar o Aqua+ para entrar no mar, coisa que há tempos não fazia por pura falta de oportunidade. Aí gravei um videozinho pra registrar o momento e divido aqui com vocês. Para assistir com legendas, cliquem aqui!! Não sei o que estou fazendo de errado, pois depois que faço a legendagem no site Amara, as legendas não aparecem lá no canal do YouTube mas no site do Amara aparecem (se alguém souber, me fala, tenho dificuldade de legendar direto no YT). Não reparem meu jeitão de bobalhona (quem me conhece sabe que sou assim mesmo, hehehe) e, em minha defesa, eu estava de chinelos porque a piscina natural era cheia de ouriços!

Captura de tela inteira 31082015 174932.bmp

Eu não consigo ficar sem ouvir quando estou em contato com a natureza, me dá agonia. E como amo demais o som do mar e da água, vocês podem imaginar meu prazer ao poder mergulhar ouvindo tudo não só ao redor, mas também embaixo d’água. Quem já usa deve ter notado que se a gente falar enquanto mergulha dá pra entender tudinho, e essa proeza também é muito legal!!

Ontem vi no Facebook uma pessoa que perdeu seu IC ao entrar na água com a antiga capa, a Aqua – ela não tinha prendedor de segurança, coisa que o Aqua+ tem. Fica um fiozinho prendendo ele no biquini (ou camiseta/touca de natação pros homens) e pode vir a pior onda que mesmo se ele cair da orelha não tem como perder por causa desse prendedor de segurança. Assim dá pra mergulhar relaxado…

FullSizeRender (7) IMG_0216 (1)

Tenho outro vídeo de alguns meses atrás: Como usar o Aqua+. Nas fotos acima dá pra ver direitinho como ele fica na orelha. Só pode ser usado com bateria recarregável e tem uma antena especial, é fácil de montar pra usar. Quem já usa essa capa a prova d’água com seus Nucleus 5 e Nucleus 6?

10 amaram.

Porque os aparelhos auditivos custam tão caro?

Fonte: We’re All Ears (tradução livre minha)

porquinho

 

Uma das perguntas mais frequentes que nós recebemos no We’re All Ears é ‘Porque os aparelhos auditivos são tão caros?‘. É uma boa pergunta, já que aparelhos auditivos requerem um investimento alto. Também é difícil entender a diferença de preço entre os diferentes tipos e marcas de AASI. Abaixo, você vai encontrar um guia para entender os preços dos aparelhos auditivos. Se você está pensando em comprar AASI’s, certamente este guia irá te ajudar.

Quanto custa um aparelho auditivo?

Geralmente, o preço de um aparelho auditivo varia entre mil e seis mil dólares (**esta matéria é originalmente da Austrália, por isso o preço em dólares). Isso significa que a maioria das pessoas precisará fazer um investimento que vai de dois a doze mil dólares para adquirir um par de aparelhos auditivos. O custo de AASI’s tipicamente inclui a audiometria inicial, a consultoria do profissional, a consulta para fazer o molde e as posteriores consultas para ajustar os aparelhos. Também inclui as limpezas e a garantia, que pode ser de 1 até 3 anos.

Porque os aparelhos auditivos são tão caros?

Como mencionamos acima, os preços dos AASI’s usualmente incluem as consultas iniciais e as posteriores que serão feitas pelo seu audiologista (fonoaudiólogo). Portanto, você não estará pagando apenas pelo aparelho, mas também por todo o serviço incluído.

Ainda, o processo de fabricação de aparelhos auditivos é muito caro, pois é resultado das pesquisas necessárias para a evolução da tecnologia auditiva. Milhões de dólares são gastos anualmente pela indústria de AASI’s para melhorar continuamente o funcionamento destes dispositivos inovadores. Infelizmente, o número de aparelhos auditivos vendidos todo ano ainda é muito pequeno, fazendo com que o custo continue alto para quem compra. Em contraste, aparelhos celulares são muito comuns, permitindo que a indústria seja sadia financeiramente falando e, como resultado, os consumidores pagam mais barato por eles.

Se você ainda está com dificuldade para justificar o custo dos aparelhos auditivos, ajuda se você pensar neles como um investimento a longo prazo. Eles parecem caros, mas você está pagando pelo cuidado e garantia da vida útil do seu aparelho auditivo (que vai geralmente de 3 a 5 anos). Considere o seguinte: se você compra um par por 5 mil dólares e o mesmo dura quatro anos, você está gastando 100 dólares por mês, ou 3,40 dólares por dia. Quando você pensa em quanto você gasta no seu cafezinho diário, nos chopps com os amigos, os aparelhos auditivos acabam sendo um investimento que vale a pena.

Porque alguns aparelhos auditivos são muito mais caros do que outros?

Há uma enorme gama de aparelhos auditivos no mercado hoje para atender aos mais diferentes estilos de vida. Duas coisas determinam o preço destes dispositivos: estilo e tecnologia.

Estilo: Hoje em dia, a gama de AASI’s vai dos minúsculos que ficam dentro do canal auditivo até os mais largos que ficam atrás da orelha. Os menores são em geral mais caros graças à precisão e tecnologia necessárias para criá-los e também à dificuldade de fazer com que uma tecnologia tão avançada caiba num dispositivo tão pequeno.

Tecnologia: Todos os aparelhos auditivos têm uma tecnologia básica de processamento de som, mas alguns possuem tecnologias mais avançadas do que outros.  Os mais caros têm as últimas novidades em tecnologia de redução de ruído, conectividade sem fio, etc. Portanto, são compreensivelmente mais caros que os modelos básicos.

Porque não é boa idéia comprar aparelhos auditivos baratos online?

Hoje podemos comprar tudo online, até aparelhos auditivos. Embora pareça tentador, não é uma idéia sábia. Comprar AASI barato online e esperar que seus problemas auditivos sejam resolvidos é como comprar aparelho dentário online e esperar que eles desentortem seus dentes.

Um aparelho auditivo é um equipamento médico complexo e precisa ser ajustado corretamente por um audiologista (fonoaudiólogo). AASI’s devem se adequar ao estilo de vida, aos ouvidos e à perda auditiva do paciente. Se você compra online, vai gastar dinheiro num dispositivo que não atenderá as suas necessidades auditivas. Ainda, você não terá garantia, serviços e suporte de um profissional especializado. Se você compra online e não consegue fazê-lo funcionar, quem fará isso por você? Você ainda terá que pagar pelo suporte e serviços de um audiologista.

Porque aparelhos auditivos são mais baratos no exterior?

Os custos dos negócios variam de país para país. Regulações governamentais, valor da moeda e preços geralmente afetam o custo dos aparelhos auditivos. O custo dos bens de consumo estão relacionados ao custo de vida e à demanda por um produto. Por exemplo, o preço dos AASI’s nos Estados Unidos é 66% mais baixo do que na Austrália, pois o mercado nos EUA é dez vezes maior – isso é chamado economia de escala, e o mesmo acontece com todos os produtos do varejo na Australia. É importante lembrar que existem diferenças nas tecnologias dos aparelhos auditivos de mesmo padrão em diferentes países. Se você comprar os seus no exterior, pode ter problemas com a manutenção, reparos e garantia.

NOTA MINHA: No Brasil, é preciso ficar muito esperto. Pechinchar bastante é a regra. Boa idéia é buscar o Crédito Acessibilidade do Banco do Brasil e pechinchar ainda mais pagando à vista em dinheiro. Busque indicações com pessoas de confiança (usuários de aparelhos auditivos que não têm interesses comerciais) antes de se dirigir à alguma loja/revenda. Desconfie de fonoaudiólogos que vão logo querendo lhe enfiar gole abaixo o modelo mais caro. Pense no seu estilo de vida e se o AASI que você quer comprar se encaixa nele, mas não esqueça que o mais importante é que o aparelho auditivo atenda a sua perda auditiva e tenha reserva de potência para o caso dela vir a piorar. O atendimento pós-venda, na minha opinião, é fundamental, pois enquanto estão tentando nos vender algo tudo é lindo e maravilhoso, mas é o depois que determina a qualidade e a ética da empresa. Particularmente, acho péssimo esse modelo de venda que prevalece hoje: comprar o produto mais o serviço juntos. Acho que a tendência é que no futuro a gente possa comprar o aparelho/garantia e pagar separadamente as visitas à fono para os ajustes (acho que isso traria um atendimento muito melhor e maior satisfação do usuário, além de ser mais justo). Recebo diariamente uma enormidade de reclamações e denúncias de pessoas que se sentiram lesadas ao comprar aparelhos auditivos, por isso, não posso cansar de repetir: conhecimento é poder. Não se dirija a uma loja/revenda sem ter conhecimento de causa e sem ter pesquisado bastante sobre o assunto. E saiba que, se lhe disserem que 50% do preço é imposto, estão lhe mentindo.

34 amaram.

O poder do Mini Mic

Meu Nucleus 6 veio com o Mini Mic de acessório wireless, e eu me divirto com ele. Não pensei que viveria para ver uma evolução tecnológica dessas, e como usuária antiga de aparelhos auditivos, sei do que estou falando e lembro da época em que o máximo que eles faziam era amplificar mal e porcamente todos os sons. Hoje o Mini Mic faz pelos usuários coisas impensáveis, como neste vídeo abaixo (para ver o vídeo com legendas em português clique aqui) no qual eu estou a uma grande distância do meu interlocutor e ainda assim ouvindo o que ele diz como se estivesse sussurrando no meu ouvido.

Captura de tela inteira 26082015 162932.bmp

 

 

Estou MUITO interessada em histórias de usuários do Nucleus 6 cuja vida acadêmica (na escola ou faculdade) tenha dado um salto qualitativo significativo com o uso do Mini Mic. Se isso aconteceu com você ou com o seu filho, por favor, entre em contato comigo (pvpfeifer@yahoo.com.br) contando sua história para que eu possa dividi-la com os leitores do Crônicas da Surdez! Eu não sou mais estudante mas fico pensando no quanto o Mini Mic teria facilitado e melhorado a minha vida se existisse nos meus tempos de faculdade…

20 amaram.

A ansiedade pré-ativação do implante coclear

Estou na SONORA e acabei de me despedir da Fernanda, que conheci quando fui ao programa da Fátima Bernardes. Há 15 dias ela fez um implante coclear bilateral com o Luciano (Dr. Luciano Moreira, aka meu dignísismo marido) e nós – eu, a Fernanda e a mãe dela – passamos um bom tempo conversando sobre a ativação. Embora já tenha tido o prazer de participar de algumas ativações aqui na SONORA, só posso falar por mim.

ansiedade

Acho que todo mundo se prepara psicologicamente para a cirurgia mas ninguém se prepara psicologicamente para a ativação. E é aí que o bicho pega. A partir do momento em que os eletrodos são ativados, parece que cada mísera célula do nosso corpo é alterada pelo som, seja ele alto, baixo, confortável ou desconfortável. Lembro que nos meus 47 dias de silêncio com AASI no ouvido esquerdo a pergunta que as pessoas mais me faziam era: “Como você acha que vai ser a sua ativação?” E a verdade é que eu não fazia a menor idéia e sequer havia me permitido parar para fazer uma imagem mental de como seria. Não quis criar nenhum tipo de expectativa, meu único pensamento sincero era esperar ouvir um pouquinho mais alto do que ouvia com meus aparelhos auditivos.

A ansiedade pré-ativação é inevitável, mas a decepção é opcional. Lembro que os primeiros sons que ouvi não foram a coisa mais linda do mundo e que, comparado ao que sou capaz de ouvir hoje, no dia 11/11/2013 eu não ouvia nada! Rsrsrs! O que mais acontece é o paciente vir ativar com expectativas altíssimas e sair do consultório altamente decepcionado. Tenho minha consciência limpa com os pacientes da SONORA, pois faço o que posso para explicar dez vezes que cada caso é um caso e nossa reação ao som não será igual à de mais ninguém. Um paciente do Luciano teve uma ativação bacana e, em apenas um mês, já era capaz de ouvir e entender o rádio do carro, coisa que só fui capaz de fazer sei lá quantos meses depois de ativar. Não dá pra saber o que vai acontecer. Cada caso é um caso, cada cérebro é um cérebro. 

O segredo do sucesso é o combo zero expectativa + a noção de que ativar o IC é o primeiro passo de uma jornada longuíssima. Seria ótimo se o esforço exigido de nós acabasse no momento da ativação, algo tipo ‘pronto, estou ouvindo, tudo ok, tchau pra vocês’, só que o que ninguém conta é que o esforço começa neste exato momento. Se o que a vida requer de nós é coragem, eu diria que o que o implante coclear requer de nós é paciência.

Conheço e tenho/tive contato com todo tipo de surdo que partiu pro IC. Tenho uma amiga que fez, não curtiu logo de cara, largou de mão e anos depois voltou a usar com tudo, é apaixonada por ele e não vive sem. Tenho uma amiga que foi ativar dizendo que ia sair de lá ouvindo e entendendo tudo; como isso não aconteceu, deu uma brochada fenomenal e só alguns meses depois começou a cair de amores pelo IC. Tenho um conhecido que vibrou enlouquecido com o som da telemetria (aquele trrrrrrr que a fono vai fazendo com cada um dos eletrodos) e tem o melhor resultado que já vi com o implante. Tenho um amigo que disse que todas as vozes eram iguais à do Pato Donald e hoje também tem um resultado fantástico. O ponto aqui é o seguinte: todas as pessoas que têm um resultado legal ou que não têm um resultado tão legal mas amam o implante SE ESFORÇARAM MUITO.

Não é fácil se acostumar com algo novo, ainda mais quando esse algo novo é uma audição nova, inesperada e repentina. Mas é tipo dieta, quem se esforça e persevera chega no verão com um corpinho sarado; quem não se esforça chega no verão…do mesmo jeito ou pior!

Fazer um implante coclear é pagar pra ver se a última opção que resta ao chegar no fundo do poço (deficiência auditiva profunda) vai nos tirar dele. Alguns pulam e encontram um trampolim que os coloca direto pra fora do poço, outros pulam e vão subindo degrau após degrau de uma longa estrada com muito suor. Ativar um IC é ter esse entendimento.

36 amaram.