Deficiência Auditiva Notícias

O Bluetooth 5.2 vai revolucionar as tecnologias auditivas e impulsionar o crescimento do mercado

Um novo relatório de pesquisa prevê que o mercado para  os “hearables (audíveis)” — fones de ouvido inteligentes e aparelhos auditivos de entrada — chegará a 80 bilhões de dólares em 2025

Com aplicativos de streaming de áudio como o Spotify fazendo com que cresça rapidamente a aceitação de fones de ouvido conectados a smartphones, como os onipresentes AirPods da Apple, o mercado para os hearables chegou a mais de 13 bilhões em 2019. E isso só para começar, diz Nick Hunn, autor do relatório e diretor da WiFore Wireless Consulting.

Desde que inventei o termo ‘Audíveis’ [Hearables] em 2013, esse mercado se tornou a tecnologia usada por consumidores de maior crescimento jamais visto”, diz Hunn. Observando que, nos últimos quatro anos, mais de 100 milhões de pares de fones de ouvido foram vendidos a consumidores, ele diz que um mercado de audíveis de 80 bilhões de dólares em 2025 é fácil de enxergar. “Estou ciente de que esse número vai além da previsão de outras pessoas, mas mal começamos a ver o começo do que os audíveis podem fazer.”

A especificação Bluetooth 5.2. vai mudar tudo para os hearables e para os aparelhos auditivos

Hunn diz que espera que a nova especificação Bluetooth 5.2., apresentada na CES esta semana, será um catalizador de inovações que fará o mercado crescer. Entre outros, a nova especificação Bluetooth permitirá que os fabricantes de audíveis ofereçam áudio de maior qualidade com menor latência (atraso) no streaming sem fio, além de conectividade multicanal com vários acessórios Bluetooth. Tudo isso será obtido com o Bluetooth LE Audio, “a próxima geração do áudio Bluetooth”, disponível com Bluetooth 5.2.

E ainda se pode esperar que o novo padrão Bluetooth continue a diminuir a fronteira entre audíveis sofisticados e aparelhos auditivos de entrada.

Numa entrevista com Hearing Tracker, Hunn disse que a padronização facilitará que aparelhos auditivos Bluetooth enviem áudio sem fio de alta qualidade para qualquer dispositivo Bluetooth 5.2. e o recebam. Ao mesmo tempo, o novo padrão Bluetooth permitirá que outros fabricantes criem acessórios que se conectam a qualquer aparelho auditivo Bluetooth 5.2, independentemente da marca.

Atualmente, os fabricantes de aparelhos auditivos oferecem dispositivos de apoio à audição — como microfones remotos e streamers para TV — que transmitem áudio usando tecnologias sem fio proprietárias. Segundo Hunn, o novo padrão Bluetooth abrirá o mercado para acessórios mais baratos, que funcionam com quaisquer marcas.

Quando estarão disponíveis aparelhos auditivos Bluetooth 5.2?

Hunn advertiu que talvez leve algum tempo para que os novos produtos Bluetooth cheguem ao mercado. Ele espera que os fabricantes de aparelhos auditivos, que têm um ciclo de produto relativamente rápido, entreguem produtos com Bluetooth 5.2 mais ou menos no ano que vem, e tem esperanças de que novas tecnologias de streaming de áudio estejam disponíveis em modelos populares de smartphones como o iPhone ou o Google Pixel por volta de “setembro do ano que vem” (2021).

Ele acha que produtos de terceiros de apoio à audição com Bluetooth 5.2. estarão disponíveis antes disso, e espera que tanto audíveis quanto aparelhos auditivos se beneficiem disso.

Ainda é cedo no ciclo de vida

Hunn disse que há muita inovação para dar continuidade ao crescimento do mercado de audíveis. Na verdade, o mercado ainda está no começo de seu ciclo de vida.

Quando ele começou a acompanhar o mercado de audíveis, havia startups intrépidas desenvolvendo produtos visionários como o Bragi Dash. É o que Hunn chama de fase de “entusiasmo via crowdfunding” do mercado.

Nos últimos anos, os fabricantes de audíveis melhoraram dramaticamente a qualidade do áudio e as soluções de conectividade, movidos pelo rápido crescimento de serviços de streaming de música como o Spotify. Segundo o relatório, “hoje há cerca de 1 bilhão de usuários ouvindo música por streaming mensalmente”. São números assim que continuarão a mover a demanda a curto prazo por meio daquilo que Hunn chama de fase “de entender o áudio” do desenvolvimento do mercado.

Quando os novos aplicativos com Bluetooth 5.2 estiverem disponíveis, veremos o mercado passar para a fase de “áudio avançado”, diz Hunn.

Porém, o fim do ciclo de cinco anos 2020-2025 chegará antes que vejamos biossensores integrados aos aparelhos auditivos e aos audíveis na forma de killer apps que aceleram dramaticamente o crescimento do mercado.

Hunn diz que é absolutamente real a promessa de biossensores, mas que levará algum tempo até que a empolgação a respeito das possibilidades de sensores dentro dos ouvidos se traduzam em capacidades de alta tecnologia viáveis economicamente e fáceis de usar. Porém, quando chegar a hora, estaremos em outro ciclo de vida “de biometria de alto crescimento do mercado, diz ele.

O relatório está disponível nos termos de uma licença Creative Commons

Meramente arranhamos a superfície dos dados e dos insights do último relatório de Nick Hunn a respeito dos audíveis. A boa notícia é que ele está disponíveis gratuitamente (em inglês) nos termos de uma licença Creative Commons, e pode ser baixado aqui.

  • por David Copithorne
  • Artigo publicado originalmente em Hearing Tracker
  • Tradução de Pedro Sette-Câmara

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

1 Comentário

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.