Menu
Crônicas da Surdez

Epifania auditiva I

Ouvir música usando aparelhos auditivos  é um pouco esquisito – principalmente se você, como eu, já teve muito mais audição em alguma outra época da vida. A sensação que tenho é a de que perco muita coisa. Com os AASI Pure, escuto com perfeição a voz na música, mas sinto o resto um pouco baixo. Uma das minhas músicas favoritas é a “You’re Beautiful“, do James Blunt. Esses dias fiquei escutando com os Pure’s e só conseguia pensar nos detalhes da voz dele que eu estava percebendo e arregalar os olhos. Até mesmo a palavra ‘pure‘, que está na música, ouvi com exatidão e achei uma delícia o modo como ela é falada. Quando uso os Motion (ambos são da Siemens), escuto a música bem alta, mas a voz não é tão clara nem consigo pegar os detalhes dela.

Outra música que adoro é a “Traffic in the sky“, do Jack Johnson. Fui numa formatura esses dias, e estava meio zonza com tanto barulho, gente gritando, cadeiras riscando no chão, caixas de som a mil. Inclusive baixei uma app pro meu iPod Touch que mede os decibéis de um ambiente, e, naquele dia, medi nada menos do que 110db. Imaginem!! Mas eu estava de ótimo humor, pois todos os meus colegas estavam lá e eram vozes conhecidas e pessoas queridas.

Eis que, assim que me sirvo no buffet e sento para jantar, alguém começou a conversar comigo. Enquanto prestava atenção na conversa no meio daquele barulho ensurdecedor, meu cérebro fez PLIM e pensei ‘conheço isso que estou ouvindo ao fundo’.  Era “Traffic in the sky“. 🙂

Meu coração dispara de felicidade a cada epifania auditiva. Quando elas acontecem, me sinto TÃO bem, TÃO feliz e TÃO poderosa que nem sei dizer. Aposto que os ouvintes que estão lendo isso devem estar pensando “que doida!”. Gente, a sensação é indescritível. Qualquer mísera palavra/frase/música que meu cérebro identifique sem esforço e sem leitura labial é uma GRANDE vitória para mim. E já me peguei algumas vezes pensando em como seria a vida se isso acontecesse o tempo todo…

Sobre

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 38 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

25 Comentários

  • Juliana Malafaia
    13/10/2016 at 3:38 pm

    Nossa Paulinha, me sinto igualzinha a tu.
    Parece bobagem, mas cada palavra/som que consigo identificar sem estar olhando é uma vitória.
    Mais alegria ainda foi poder voltar a ir ao cinema, muuuuuito bom!! Agora só falta escutar a Missa com perfeição, algumas vezes fico bem perdida, dá um desespero rs

    Responder
  • MONICA
    25/09/2011 at 10:26 pm

    PAULA, SE ACHARMOS QUE VC É LOUCA POR ISSO, ENTÃO SOMOS TODOS LOUCOS PQ TODOS FICAMOS MEGA FELIZES QD ACONTECE ESSE MOMENTO QUE PARECE MÁGICO.
    HJ MESMO, EU ESTAVA EM OUTRO CÔMODO DA CASA, MINHA MÃE EM OUTRO, ELA FALOU COMIGO, EU NÃO SÓ OUVI PERFEITAMENTE , COMO TBM RESPONDI AO CHAMADO DELA! É CLARO QUE ELA FALOU” NOSSA FILHA, VC ME OUVIU DE LÁ DO QUARTO, QUE BOM”……..ME SENTI A TAL RSRSRSR!!! É MUITO BOM, A AUTO ESTIMA FICA ÓTIMA E GANHO O DIA QD TENHO ESSES “PITIS” RSRSRS!!!!! BJ

    Responder
  • Ewerton Luiz
    18/09/2011 at 11:31 am

    Olá, Paula (a chefe)

    É legal quando ouvimos algo que nem esperamos, seja voz ou um ruído específico, a satisfação é imensa.

    Em termos de música o que sempre me chama a atenção é a melodia, depois procuro saber a letra e a tradução, para saber do que se trata.

    O que me vem a mente é Frank Sinatra com New York, New York, tenho gosto bem eclético que vai da pauleira pura até música instrumentais, é frustrante em alguns casos, mas agradável quando deixamos rolar.

    bye.

    Responder
  • Paula Rachado
    17/09/2011 at 10:00 pm

    Olá!

    Ando em pesquisa para comprar os meus primeiros aparelhos auditivos. Me indicaram o Motion CIC da Siemens, ou melhor, eu queo usar esses por serem mais discretos.
    Será uma boa escolha? Alguém aqui usa esse modelo e me pode dar umas dicas?

    Bjo

    Responder
    • Ewerton Luiz
      18/09/2011 at 11:22 am

      Olá, Paula

      Em termos de marca é uma ótima escolha, assim como Phonak, Widex, GN ReSound entre outras, são marcas de primeira linha, infelizmente NÃO É garantia para ouvir bem.

      A adaptação SEMPRE deve ser do aparelho para o paciente e não o contrário, o ideal é procurar uma fonoadióloga que irá analisar o seu caso e então experimentar várias marcas e modelos que se enquadrem na sua perda específica, depois da escolha o restante fica para a afinação da regulagem.

      É o que sempre faço, por enquanto estou com o meu velho Canta7, pois estou na espera dos novos modelos, que aliás estão bem mais sofisticados, mas em função da minha perda severa/profunda em ambos ouvidos, são aparelhos que demandam mais tempo para receberem recursos que estou procurando.

      Abraço.

      Responder
      • Paula Rachado
        18/09/2011 at 8:27 pm

        Já consultei com várias fonoadiólogas….e como eu posso usar um intra canal vai ser a minha opção.

        Mas obrigada pelas dicas, isto é um mundo novo para mim.

        Responder
  • Greize
    14/09/2011 at 8:50 pm

    Paula, vc vai adorar não é a toa que Bono, significa “boa voz”.rsrs.
    Mas passo o mesmo problema da Daniela Ferreira, quando ouço músicas meus zumbidos(de 24 horas sem interrupção) aumentam?Será porque?Alguém sabe??
    bjo

    Deixo os links: Stay : http://www.youtube.com/watch?v=_cFcL1VjLvY
    One: http://www.youtube.com/watch?v=L9thdX0_D6M

    Responder
  • Daniela Ferreira
    14/09/2011 at 3:09 am

    Nossa Paula!

    Cada post seu é como o meu diário…vc escreve coisas que eu sinto mas não coloco no papel e nem desabafo com ninguém.

    Eu AMO música. A música tem um efeito terapêutico na minha vida…eu PRECISO ouvir música diariamente.

    Como comecei a perder a audição em 2004, e escutava bem até então, sofro muito com isso.

    Eu chego a me emocionar quando escuto algo sem ter que olhar na cara de alguém.

    Mas fico mal por não entender a letra da música…só acompanhando com a letra e lendo mesmo.

    Só que quando vc posta esses tópicos sobre o uso desses aparelhos auditivos que melhoram a qualidade auditiva e ajudam a ouvir a música com mais clareza fico desapontada pois estes aparelhos são MUITO caros e a maioria dos surdos oralizados não tem a mínima condição de comprar ( como eu).

    Meu sonho hoje é ter um aparelho que me permita ouvir bem música…o dia que eu conseguir acho que vou chorar tanto de emoção que vai ser difícil controlar.

    Parece bobagem, mas a música é extremamente importante na minha vida…

    Música agora, só com fones de ouvido ( que doem) e aumentam meu zumbido.

    A nota de um piano, o canto belo de um grande cantor(a) não tem preço…é uma pena que no nosso mundo tem…e é muito alto.

    Responder
    • Crônicas da Surdez
      14/09/2011 at 10:02 am

      Dani,
      Muitos aparelhos vendidos no Brasil tbem são vendidos no exterior, a preços bem mais baratos – a diferença é que vc compra no exterior, mas vai ter que fazer a adaptação no Brasil, mas, mesmo assim, é uma boa alternativa. Dá uma pesquisada! 😉

      Eu tb me emociono qdo entendo algo SEM olhar pra pessoa…nossa!!!!

      Bjosss,

      Responder
      • Daniela Ferreira
        16/09/2011 at 2:52 am

        Ter que ir ao exterior para comprar aparelhos, creio que sai mais caro do que comprar aqui.Infelizmente.

        Pelo que vc escreveu, o que encarece os aparelhos são os impostos. E como pode haver impostos para aparelho auditiovo?

        Responder
    • Juliana Moreira
      14/09/2011 at 8:14 pm

      Daniela,
      tente aparelhos auditivos pelo SUS.
      Já consegui duas vezes =)

      Responder
      • Daniela Ferreira
        16/09/2011 at 2:59 am

        Meu aparelho é do SUS.

        O extra da Phonak.

        Como minha perda aumentou, me emprestaram para teste o Eleva 411 também da Phonak.

        Ambos, são fraquíssimos para quem tem perda maior nos agudos.

        Se eu estiver na sala de aula por exemplo e o ventilador estiver ligado, eu escutarei somente o ventilador. A voz do professor que é o que eu preciso escutar, eu não consigo compreender.

        Falo isso para a fono, mas não adianta.

        O SUS não fornece um aparelho mais moderno ( da Siemmes, por exemplo) e nem o sistema FM da Phonak que dizem, ajuda muito na compreensão da fala.

        Então…

        Responder
  • Janise Bottin Suardi
    13/09/2011 at 11:12 pm

    Paula, tenho tanta saudade de ouvir músicas… não dá para você ter ideia! Não vejo a hora de fazer o implante para acabar com esta saudade!!! Sei que vai demorar um pouco, mas o importante é saber que terei esta oportunidade ainda. Amei esta sua crônica! Um abraço carinhoso.

    Responder
  • Mariana
    12/09/2011 at 10:53 pm

    Eu adoro quando isso acontece comigo! =D

    Responder
  • Mônica Mendonça
    12/09/2011 at 9:55 pm

    Querida Paula que lindo post…

    Aplausos a vc e a sua dedicação…

    Gostei quando vc escreveu: Que os ouvintes te achariam uma louca, rs…
    Sabe… Só quem não ouve, ou mesmo tem um filho deficiente auditivo pra saber o valor de uma palavra dita e a criança saber o que ouviu sem precisar de LOF, usando apenas a audição.
    É a realização de um sonho…

    Amei o post!

    Mônica Mendonça
    Mãe de Marcelo implantado.

    Responder
    • Crônicas da Surdez
      14/09/2011 at 10:05 am

      Monica, é verdade…só as mães tbem conseguem entender essas epifanias…
      Um beijo,

      Responder
  • Greize
    12/09/2011 at 8:35 pm

    Se acontecesse o tempo todo Paula seria maravilhoso, mas não dá para termos tudo…
    Tb amo o Jack Johnson, não sei se gosta mas tem duas músicas do U2, que é mais letra que som, amo:Stay e One.Vale a pena, é de certa forma um treinamento auditivo, o que vc esta fazendo 🙂
    Bjim

    Responder
    • Crônicas da Surdez
      14/09/2011 at 10:07 am

      Greize, vou procurar essas, acredita q não tenho nenhuma do U2? Rsrsrsrs!!!
      Beijosss,

      Responder
  • Julie
    12/09/2011 at 11:55 am

    Nossa, é indescritível mesmo a sensação de vc escutar e entender algo sem estar prestando atenção, principalmente se for em um lugar com muitos ruídos de fundo e estamos atentos a outra coisa.

    Para os ouvintes, não é doideira nossa, mas uma felicidade imensa saber que estamos conseguindo reconhecer alguns sons que não costumamos ouvir se não estamos concentrados neles. Isso acontece pq nosso cérebro está sendo estimulado pelos aparelhos auditivos e está associando com outras informações armazenadas, como nossa memória auditiva etc, os sons que escutamos com o auxilio do aparelho.

    Para nós surdos, todos os sons do ambiente são captados pelos AASI e enviados ao nosso cérebro, e temos que fazer um esforço imenso para separar apenas o que queremos ouvir, não é como um ouvinte que faz isso sem perceber, automaticamente, por isso facamos felizes quando acontece de entendermos algo que ouvimos sem prestar atenção.

    Quando tenho esses momentos de escutar e entender coisas que não estou prestando atenção ganho meu dia.

    Beijos

    Responder
    • Crônicas da Surdez
      14/09/2011 at 10:11 am

      Julie, meu sonho é que inventem um aparelho que capte somente a voz…imagina sair pra jantar e nao precisar desviar o cérebro de TODOS os outros sons e receber só a voz da pessoa que está com voce? SONHO!!!

      Responder
      • Julie
        14/09/2011 at 10:27 am

        Sonho mesmo!

        Uma vez comentei isso com a minha fono, e ela falou que para nós é realmente pior, pois nosso cérebro não está acostumado a separar os sons como os ouvintes fazem, eles acabam treinando o cérebro desde pequenos para dar atenção somente ao que interesa, é como se eles só escutassem a voz da pessoa (fazendo o uso do seu exemplo) em um ambiente com vários sons de fundo.
        E nós, devido a surdez não temos esse treino e com o uso dos aparelhos escutamos tudo e temos que forçar o cérebro a prestar atenção em só um tipo de som, ou seja, depois de muito tempo ser ouvir direito, temos que forçar o treino que os ouvintes já tem automatizado desde crianças. O jeito é encarar o desafio e torcer para a tecnologia nos ajudar cada vez mais.

        beijos

        Responder
  • Marcela Jahjah
    12/09/2011 at 11:47 am

    Epifania auditiva… adorei o nome! É bem isso mesmo o que eu sinto quando “pesco” uma palavra, uma frase no ar, sem auxílio da leitura labial.

    Ao contrário de vc, eu nunca ouvi antes, pois perdi a audição aos 2 anos, em decorrência de meningite. Então, não tenho memória auditiva, ao menos, não que me lembre. Mas é frequente eu escutar música e, muitas vezes, eu quero ouvir a voz do cantor, mas como minha perda é maior nos agudos, o som dos instrumentos musicais quase sempre abafa a voz do cantor. Tenho que fazer o maior esforço para identificar a voz em meio ao “barulho” dos instrumentos. Por isso gosto de músicas que tenham um acompanhamento musical relativamente baixo (piano, flauta) e a voz do cantor seja bem audível… Um dia, estava conversando sobre isso com um amigo implantado, e ele me recomendou escutar a voz do Nat King Cole. Ele me passou um vídeo com a música “When I fall in love” e fiquei muito, muito surpresa de como uma voz pode soar tão clara e nítida em meio aos instrumentos musicais.

    Aí, quando me lembro dos meus amigos implantados dizendo que o som do implante coclear é muito mais nítido do que o som do AASI, eu fico com vontade de implantar, só pra poder ter o gostinho de ouvir claramente algumas músicas… Ai, ai, ai… (suspiro)

    Quem tiver interesse de ouvir “When I fall in love”, segue o link no You Tube: http://www.youtube.com/watch?v=h649I7ETaHI

    Responder

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.