Crônicas da Surdez

Falar no telefone

Eu não falo no telefone há anos. As últimas 3 vezes em que falei, depois que passei a usar os aparelhos Pure e Motion da Siemens (que conectam via bluetooth com o telefone, coisa chique, sem fio, rsrsrs) foram: duas com a minha mãe, a título investigativo – e foi muito legal porque entendi tudo o que ela disse – e uma com a minha fonoaudióloga, a Michele – e também foi emocionante porque entendi 70% do que ela falou. Tenho bloqueio emocional eterno com telefone, e não sei o que fazer pra vencer isso. É tão louco que, se alguém diz que vai me ligar, meu estômago começa a liberar ácidos. Juro!!

A Michele já me disse mil vezes que tenho que fazer um esforço para vencer essa fobia. Já me acostumei a não usar telefone, e me sinto ‘agredida’ quando alguém quer me forçar a fazer isso. Pode até ser para o meu bem, mas saber que vou tentar fazer algo que está além da minha capacidade sensorial, me dá um tremendo nervoso. Tem SMS, email, Facetime, MSN…pra quê telefone, meu Deus?? Rsrsrsrs. Meus aparelhos auditivos não conectam com telefones comuns, só com celulares. O único telefone comum com bluetooth que encontrei pra comprar no Brasil foi no Submarino, e custa R$849,00 ( o link para ver é esse ). Como ficar jogando conversa fora usando celular tem uma consequência horrível (a conta estratosférica que vem depois), preciso de um telefone comum com bluetooth pra começar essa aventura – sem aparelho, não escuto; com aparelho, só se for com conexão sem fio, caso contrário, não tem como porque só faz eco. Aproveitando o gancho, se algum de vocês estiver de viagem marcada pros EUA e puder me trazer um de lá na mala, me avisa! Ou se alguém está morando na Europa e topa receber um em casa e depois me mandar pelo Correio, avisa também! Tentei comprar no www.amazon.com mas eles não entregam esse produto no Brasil – e lá custa $159,00.

Uma das minhas metas pessoais é começar a tentar com as pessoas da família, cujas vozes eu já conheço de cor e salteado. Sempre observo as reações dos estranhos que me pedem meu número ou me dizem ‘me liga’, quando eu aviso ‘olha, não falo no telefone’. A reação mais comum é:

“COMO ASSIM NÃO FALA NO TELEFONE???????”

Como se eu estivesse dando uma de diva. Hahahaha, verdade!! Aí tenho que explicar o motivo – me parece que o fato de eu falar normalmente e me comunicar numa boa faz com o que os outros não sejam capazes de assimilar aquela informação clássica do ‘escuto, mas não entendo’. Com telefone não rola leitura labial, aí, complica. E muito!! Honestamente, tem como não achar desagradável e como não entrar em pânico ao saber que muito possivelmente vou ter que pedir ao meu interlocutor que repita trocentas vezes as coisas? É como ouvir rádio: sei que o rádio está ligado, escuto as pessoas falando, escuto o som…mas não entendo bulhufas do que eles falam – e fico com cara de ponto de interrogação ao ver as outras pessoas no carro dando risada.

Quem é surdo e não fala ao telefone se vê em situações inusitadas. Desbloquear cartão de crédito pelo 0800. Fazer qualquer solicitação para o banco pelo 0800. Solicitar serviços que envolvam TV a cabo, luz, internet – tudo pelo 0800. Pedir uma tele-entrega de comida. Pedir uma tele-entrega de farmácia. Pedir um táxi, ó Céus!!

Mesmo com toda a tecnologia disponível hoje, ainda me sinto um pouco refém desse aparelhinho maldito. E vocês? Falam no telefone?

PS: fiquei aqui pensando que, como meus AASI não conectam com o interfone de casa, não atendo o interfone há séculos – se colocar no ouvido usando um AASI só vou escutar um eco. Vocês atendem o interfone das suas casas? Como?

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 38 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

95 Comentários

  • ola a todos, tenho 29 anos e descobri uma doença no ouvido a 1 ano, neurofibromatose bilateral, ja operei o lado esquerdo e tive perdida todalda audiçao, o lado direito é parcial, estava morando no exterior a quase 8 anos quando decidi voltar ao brasil, e 1 ano depois descobri a doença e desde entao nao tenho trabalhado, ja fiz entrevistas mas creio que por causa do lado medico nao tenho conseguido oportunidades, si alguem conhecer alguma empresa com oportunidades para deficientes agradeço o toque. fiquem com Deus

  • uso aparelhos auditivos a dois anos,Esquerdo perda profunda,Direito servera a moderada.
    veja a relação di aparelos abixo que já adquerir.
    1ºaparelho=Modelo RHAPSODY 400 da Starkey mais de 30 Ajustes com a fono,não resolveu nen telefone e tv e radio pior,a fala as vezes entendia alguma coisa,se falar alto é pior so mesmo leitura labial.
    2º Aparelho=Mine P5 Argosy grupo Phonak um aparelho delicadissimo mas reajuste de toda tipo não resolveu nada.
    3ºAparelhoUniq 411 dsz Argosy Grupo Ponak mesma situação acima não resolveu nada.
    4º Aparelho=Zhara Argozy Modelo itc/hs não resolveu nada com mais de 2 reajustes.
    5ºBeltone A/S Dk-2630 este foi o melhor mas mesmo assim não resolveu a cituação.
    6º aparelo = Zhara Retroauricular com o phonak este estou ouvindo + ou – o celular.
    Gostaria de ouvir alguma sujestão ou indicação de um aparelho que podese ouvir tv e a fala .

  • Oi Paula estava lendo os comentários acima e fiquei com uma dúvida sobre o isso de falar ao telefone eu sou ouvinte mas tenho uma filha de 4 aninhos que tem uma perda moderada bilateral e usa aparelhinho o Naída Jr da Phonak e gostaria de saber se todos que usam aparelhos auditivos será que tem problemas no entendimento das palavras ao telefone? Pq ela é muito pequena pra poder me explicar e tenho tantas dúvidas sobre este assunto.
    Espera q leia rsrs
    Grata
    Juliana

  • Paula, sou ouvinte e estou de penetra aqui no blog. Já estive aqui algumas vezes mas só agora que li o comentário de um ouvinte me animei a escrever. Lendo os comentários percebi que algumas pessoas escutam mas nao entendem o que é falado e algumas entendem só o que vozes conhecidas falam. Me corrija se estiver falando bobagem, ok, mas qual a diferença entre entender a voz de uma pessoa conhecida e de um estranho? seria porque as pessoas conhecidas se preocupam em falar com mais clareza e os estranhos por não saber da deficiência falam de qualquer jeito? ah, eu tb odeio atender telefone. Morei um tempo nos Estados Unidos e trabalhei um tempinho numa companhia e tinha que atender o telefone as vezes, mas como ainda estava estudando e meu ingles era super precário, eu ficava com dor de estômago só de pensar em atender. Era simplesmente um suplício, então entendo perfeitamente o que vocês sentem.
    Um abraço e parabéns pelo blog
    luciana

    • Oi Luciana,

      É meio dificil de entender, né?
      Então, o ‘escuto mas não entendo’ é um clássico para quem é surdo, não interessa em que grau.
      Quando a gente convive há muitos anos com algumas pessoas (tipo familia e amigos proximos), a voz delas é muito familiar para nós. Mesmo que a gente não tenha entendido por completo, é como se o cérebro fizesse a ligação das ‘peças soltas’ e nos desse um significado. Já com vozes estranhas, isso não acontece.
      Explicando melhor o ‘escuto mas não entendo’, imagine que um chinês te telefone: você sabe que ele está falando, ouve o que ele diz, mas não entende uma palavra. Conosco, é igual.
      Rsrsrsrs.
      Bjos,

  • Paula,

    Lí sobre a Vivo e voltei para mencionar um serviço que eles tem de 100 torpedos por R$ 9,90, se acabar antes de 30 dias é só comprar mais um pacote, uma vez por mês, se tiver crédito é renovado automaticamente.
    A OI tem uma promoção creditando R$15,00 por mês ela disponibiliza 20 bonus diários e creditando R$25,00 a disponibilidade é de 30 bonus diários tenho os dois e me atende perfeitamente.
    Cássia

  • Oi Paula,

    Com o viva voz eu me viro bem, a minha perda é grande, sem aparelho não escuto nada mas por enquanto o ganho que tenho com eles é muito bom.
    Agora estou curiosa com esse novo aparelho Aquarius, moro em SP perto do Aquario da cidade e soube que a Siemens vai fazer um evento lá para apresentar o novo modelo mas é só para convidados.
    Um abraço.

    Cássia

  • Paula,
    Achei otimamente esclarecedor para ouvintes o seu drama (e de muitos) com o telefone.
    Você autorizaria a divulgação em meu blog? (serviço informativo de utilidade pública).
    Aguardo!
    Em tempo: Você escreve muito bem, é gostoso de ler!

  • Ah, Ge Santos, depois de tanto tempo o pessoal da sua casa faz isso??Ah manda eles ………..”catar coquinho.”Oras.
    Aqui é tranquilo ,ninguém me cobra nada não.
    Vc ta aguentando, demais.ProntoFalei.hehehehehe

  • Falando sério, tenho uma relação um tanto estranha com o telefone, no meu ouvido esquerdo tenho perda severa a profunda, por uma razão inexplicável não consigo usar AASI nele, no entanto, supresa das surpresas, atendo o telefone nele!

    É… meu celular falo sem problemas com vozes amigas, conhecidas, mas também consigo marcar consulta, resolver pepinos em geral. Menos o famoso 0800, não tem voz robótica e atendente mais imprestável que sirva, aqui apelo para mami se passar por mim, único jeito né, ela é a pessoa mais confiável do planeta!

    No trabalho, tô nem aí, quando entro numa empresa, já digo de cara que não atenderei telefone de jeito nenhum. Mesmo colegas e chefe vendo que falo no celular não me incomodam, só ficam curiosos para saberem o porquê, digo que assuntos de trabalho com certeza me estressariam, eu ficaria tensa caso não capte algo importante ou troque as informações e depois dá rolo lá na frente, então o que pudermos resolver via e-mail, melhor para mim. E como trabalho com material que sempre precisa ser “validado” pela coordenação e vale o registro do e-mail dando o ok, mais tranquilo impossível. Quando algo precisa ser falado, recebo um telefonema com o seguinte recado: “desce!” 😉

    Em casa tenho um telefone amplificado, que me ajuda bastante quando quero papear com amigas e telefonemas em geral, mas acredito que tudo isso tenha sido treino mesmo, pois há anos falo no telefone; jamais me apertei nesse quesito.

    Não sei como é falar no telefone com o aparelho, nunca funcionou para mim, sempre deu microfonia, mas Paula, compre o aparelho com amplificador e treine com sua mãe, sua melhor amiga, sem cobrar muito de si mesma e aos poucos quem sabe acontece uma transformação lenta mas gradual…

    Um beijo e boa sorte nesse treinamento especial!

  • Eu não tenho o MENOR problema com telefones. Simplesmente não atendo.

    (Ok, ok… menos….) Só atendo números que estão na minha agenda. Não atendo números desconhecidos. Pessoas que me conhecem, mandam e-mail, SMS, sinal de fumaça ou pombo-correio.

    Tele-entrega?
    Pizza Hut tem MSN e Twitter.
    Minha pastelaria preferida aceita pedidos por e-mail e formulário no site.
    Banco? Do Brasil. Faço TUDO pela Internê.
    Ainda ontem falei com o atendimento da Oi, via chat.

    Quando ná há escapatória… 0800? Choro pra namorada, pro amigo, pro parente, enfim, quem estiver por perto! Mas não antes de eu pesquisar a fundo se a empresa possui canal de comunicação por chat, e-mail, SMS, Twitter, Facebook e (oi?!) Orkut.

    • Igual você, simplesmente NÃO atendo!

      Se hoje existem tantas alternativas, desde o “sinal de fumaça e pombo correio” até as mensagens via tecnologia, só não se comunicam comigo se não quiserem!

    • E aí, Rodrigo

      tu estás bem integrado com a tecnologia,

      eu, no interior não tem jeito, o negócio é me passarem

      o recado, que o resto é no cara-a-cara. 🙂

      Agora, este pacote de sms da vivo, realmente é muito bem vindo…

      para os outros, porque ninguém quer perder tempo (y diñero)

      com o surdito aqui. :/

  • Nossa, mt coincidência! Eu já ia te mandar um email perguntando sobre esse assunto espinhoso, pq me atrapalha MUITO, vc não tem idéia…
    Eu fico pensando como será minha vida profissional, pq nessa vida de plantões tem sempre alguém te ligando, precisa falar com pacientes e colegas… realmente não sei como farei =(
    Não papeio no tel, não atendo interfone, não peço delivery, não marco consulta médica, não desbloqueio cartão. Queria tanto que houvesse uma saída pra isso!
    E vc tem razão, sempre q digo que não falo ao tel, fazem aquela cara de ‘COMASSIM?’, como se estivéssemos de charminho… ai ai
    bjsss

  • Eu mava falar ao telefone.
    HOJE EU ODEIO, ODEIO, ODEIO……..
    Minha surdez é neurossensorial progressiva, profunda bilateral. Até hoje quando o telefone toca e estou na sala, os ouvintes da casa chega e diz: VOCÊ NÃO ESTÁ OUVINDO ESSE TELEFONE TOCAR???????(gritando/bravos) como se eu fosse culpada desse maldito está chamando alguém.
    A campainha da casa a mesma coisa, acordo cedo, se chega alguém e os ouvientes da casa estão dormindo e acordam com o chamado da camapinha. Vem novamente a pergunta: VOCÊ NÃO ESTÁ OUVINDO ESSA CAMPAINHA TOCAR?????, mas uma vez eu digo não, não estou ouvindo. Tento manter minha calma e responder de forma delicada, para ver se eles se lembram que perdi a audição.

    Trabalhei na Vice-Direação de uma por quase dois anos, esse cargo não tem como não usar telefone, abri mão do mesmo, para eu não me estressar o suficiente.

    Entendo o drama da Juliana, creio que sofro desse mal, pois percebo quando estou muito estressada escuto menos. O pior que os profissionais não veem essa relação estresse/oscilação na audição.

    Não sei se funciona, ai vai uma sugestão:

    Av. Paulista, 807, conj. 1207, Bela Vista, próximo a estação do Mêtro Brigadeiro

    tel: (11) 3254-4929 ou 3262-4404

    otolife@terra.com.br

    Descrição
    APARELHO TELEFÔNICO que aumenta em até 50 vezes o som da voz. Ideal para pessoas que não escutam bem ao telefone, especialmente idosos e pessoas com perda de audição. Fácil manuseio, basta girar o botão de volume. Pode ser usado por qualquer pessoa. Não precisa de instalação especial, é só ligar na tomada. Cores pérola e black. Garantia de 6 meses.Preço promocional de R$ 280,00 (pagto parcelado em 2 vezes no cheque).
    Temos também campainha externa com amplificador e luz.
    Enviamos pelo correio para todo Brasil.

    Bjs

    • Guido,
      qual é marca do aparelho do seu cliente?
      Comprei um par de aparelhos NAIDA IX, da PHONAK, e funcionam perfeitamente com meu celular via bluetooth.
      Porém ainda tenho dificuldade com telefone fixo.

      Será que este adaptador vai funcionar com meus aparelhos?

      Abraço.
      Jean.

  • Paula essa da Vivo é boa ,mas o pacote é só de Vivo para Vivo, reclamei.
    Enviei email, falando para fazerem um pacote para deficientes
    auditivos, eles retornaram dizendo que iam analisar.Que já tem em mente uma plano para isso.O jeito é muita gente ir pedindo.Não usamos só torpedo, agora tem o acesso a internet via celular né.

    Acho que seria uma boa, para todos se eles fizessem, nós ganharíamos, eles também, e quem sabe você ganharia mais um patrocinador, aqui hein??.Rrsrsrs
    Pensa na ideia.
    Bjoss

    • Eu apoio, fico muito brava com a Vivo, pq é a única operadora que não tem um plano que facilite os envios de sms. Se todos nós começarmos a pedir, quem sabe eles não agilizam?
      Taí uma ótima idéia de patrocínio pra ti, Paulinha!
      Bju

  • É verdade que o telefone é quase rival da gente, mesmo tenho I.C. que ás vezes não consigo entender as pessoas desconhecidas mas com pessoas de família e as mais chegadas ( vozes que estou acostumada e que foram processadas no cerebro, rsrs ) assim entendo perfeitamente no telefone, celular e interfone. Só que com barulho ao redor é HORRIVEl, não entendo mesmo parece um show no meu ouvido, credo! rs.
    Eu não escuto nada nos ouvidos, certo então sempre coloco o telefone em cima do meu aparelho ( local que capta som) ^^

  • Paula,
    ODEIO o telefone. O-D-E-I-O o telefone! Pode acreditar, sim, Paula!
    Sou surda de nascença (rubéola da minha mãe), a minha perda auditiva é profunda, o telefone é muuuuuuitooo PIOR. Sempre o meu problema número 1. Na minha família, sou a única surda. É claro, peço para o Pedro, meu marido, ou alguma pessoa ouvinte ligar para mim…humpf. Até o meu primeiro filho, Gabriel, de 8 anos, adora o telefone, atende muito bem! Aaaaahh! E o meu segundo filho, Ramon, que é um bebê, logo vai adorar o telefone! Haja paciência!
    Ainda ODEIO os serviços PÚBLICOS – atende 0800 – O-D-E-I-O. Toda vez que eu precisar de algo, só falam em ligar para o telefone 0800. Aaahhh!!! Isso me desanima imediatamente e me incentiva a deixar aquele serviço de lado para não ter mais satisfação com eles!! Mas, se é necessário mesmo, peço ao meu marido Pedro ligar…aiaiai!
    Não entendo nada no telefone ou no celular. Prefiro as mensagens instântaneas via computador, via celular (nem tenho, mas meu marido tem).
    Tecnologia tem, mas ainda considero MUUUUITOOOO atrasada para nós, deficientes auditivos/surdos. Humpf. Não chegam aos lugares, não. Podem me chamar de irônica, de ignorante. Há muito para resolver!
    Abraços.

  • Olá!

    Não ouço telefone mas tem serviço de interprete via chat, sms ou e-mail: http://www.ilibras.com.br
    Muito bom e já perdi a conta quantas vezes fiz pedidos de delivery, resolver problemas, etc… através desse site e sempre fui bem atendido.

    Abraços,

    Yuri

    • A sugestao do Yuri é otima! Vale a pena mesmo!
      Sobre torpedos, a maioria dos meus amigos tem torpedos ilimitados entao é raro passar por este problema. Qq coisa manda email que leio no smarthphone.
      Para minha mae eu montei um plano q tb tivesse torpedos ilimitados. Com certeza a sua ideia seria o ideal, mas ficar esperando pelas operadoras não dá…

      • Eu sei que a Vivo dá desconto pra deficientes auditivos, mas nunca me prestei pra passar pela burocracia…no site deles vi isso uma vez!
        Pedi infos pro site que vcs indicaram, pra fazer um post e mostrar pra todo mundo aqui!
        Achei super legal!
        bjos,

        • Desculpe pela intromissão, mas se o seu smartphone tiver pacote de internet, use e abuse “whatsapp”, “liveprofile”, etc… São aplicativos de mensagens gratuitos ilimitadas. Também mandam fotos e vídeos, sem custo adicional. Só pagando Internet apenas. Também funcionam via wi-fi. Para ter idéia, eu e Maíra sempre conversamos pelo whatsapp, sem uso de torpedos, que estão à beira da morte, para desespero das operadoras rsrs

          • Yuri,
            Eu uso um iPod Touch pra Facetime, sabe? videoconferencia via wi-fi sem delay!
            O que acontece é que meu Tek Connect da Siemens tem ‘rejeitado’ o iPod Touch pra conexão wireless e a gente nao consegue descobrir o motivo. Aí tenho que sacar os fones de ouvido e fazer o milagre da leitura labial + pouco som (no volumem áximo hehehehe)

          • Eu tb abuso do WhatsApp há 6 meses já…. Mas vale lembrar que ele é gratuito por 1 ano. Depois disso tem que comprar.

            Até lá eu descubro como driblar isso… hehehehe.

  • É, é muito dificil de falar no telefone. Além de não conseguir entender o que dizem, o barulho dele tocando me dá nervoso!

    Eu só uso meu celular que o som dele é bem alto e atendo só meus pais e amigos com quem tenho bastante intimidade. Ai consigo entender o que me dizem.Uso mais pra mandar mensagem e ouvir as musicas! Telefone em casa só meus pais e meu irmão usam! Ninguem liga pra mim e eu nem ligo pra ninguem. Quando não tem ninguem em casa não atendo e deixo tocar.

    Sabe o que eu acho? As pessoas quando convivem com a gente que tem problema de audição, muda o jeito de falar? Falam com mais calma e articula as palavras e sabem que desse jeito eu consigo entender. Ai no telefone fica um pouco mais facil.

    Acho que é convivencia com as pessoas que facilita isso. Porque sabem como é que vc consegue entender . Atender o celular na rua ou no lugar publico não tem como mesmo. Nem falar com desconhecidos

    No meu trabalho, ninguem me obriga a atender o telefone não! Sabem da minha condição e deixo pra outras pessoas atenderem. Já to acostumada de deixar o telefone tocando! haha
    Eu resolvo tudo pessoalmente!

    Agora falando de desconhecidos, marcar uma consulta, pedir comida, mototaxis e tals..sempre pedi pra outra pessoa fazer isso por mim.
    Quando não tem ninguem por perto pra pedir, ai complica! Fico sem saber o que fazer. Já aconteceu uma vez eu pedir pra estranhos na rua ligar pra um cara do mototaxi fazer uma corrida pra mim! Só depois que percebi a loucura que eu fiz, imaginem se pegam o meu celular e vai embora ou o que? Ai é desespero de verdade! hahaha Não faço isso de novo não, é muito perigoso!

    Ah! preciso fazer esse treinamento ai que vc fala também! Será que tem em SP, no interior?

  • QDO O TELEFONE TOCA JA ME IRRITO!!!!! TANTO O DE CASA COMO O DO TRABALHO, MAIS COMO UMA COLEGA ACIMA MENCIONOU, USO O TELEFONE NO TRABALHO POR NECESSIDADE DO MEU SETOR TBM.
    ATÉ QUE CONSIGO, MAIS HÁ ALGUNS TIPOS DE VOZES QUE AJUDAM E OUTRAS QUE ME ATRAPALHAM…EX: VOZ MASCULINA EXAGERADAMENTE GROSSA, É MEIO COMPLICADA, VOZ MAIS SUAVE, NUM BOM TOM , ALTA E CALMA FLUI MUITO BEM PARA MIM!! AS DEMAIS PEÇO PARA REPETIR E OUÇO, MAIS ISSO SOMENTE DO LADO DIREITO, PQ O ESQUERDO NEM COM APARELHO E NEM SEM ELE NÃO CONSIGO OUVIR AO NÃO SER RUIDOS. MAIS USO O TELEFONE ENQUANTO CONSIGO CONVERSAR COM ALGUMAS PESSOAS E ADORO QD DÁ TUDO CERTINHO RSRSRSRS!!!!!

      • Quem dera ter um estagiário para atender o telefone pra mim!!! Seria o céu, rsrsrs.
        Como não tem, e surpreendentemente eu me viro bom no telefone, sobra para eu atender. Mas eu prefiro usar o msn a ligar para alguém.

      • mais qd não tem estagiario a gente se vira nos trinta né, rsrsrs.
        mais já que consigo, vou tirando proiveito, claro q nem sempre entendo, mais qd consigo bater maior papo no fone fico tão feliz!!!!!!!!!! bj Paula!!!

  • Gente, faz muuito tempo que eu acompanho o Crônicas e nunca deixei comentário, mas isso acaba de mudar now!rs

    Eu não tenho nenhum tipo de problema auditivo e tbm não tenho amigos/ familiares que tenham. Mas pq diabos essa tchonga acompanha o blog?? Eu explico!

    As histórias compartilhadas, os posts e os comentários do pessoal sempre me trazem novas informações, me fazem ver a vida por outro angulo e me inspiram muuuito.
    Eu nunca imaginei que atender telefone pudesse ser realmente um problema. Sem contar as milhares de histórias e aprendizados que pude absorver desde que acompanho o blog!

    Eu acho que posso agradecer em nome de diversas pessoas que assim como eu, se emociona com muito do que lê por aqui. Vcs abrem a vida de vcs, por mais difícil ( e constrangedor) que possa parecer, e isso é lindo!!

    Parabéns pelo blog Paula!!

    Beeeijos

  • Eu só falo no telefone com pessoas chegadas e, geralmente, no viva voz pra alguém que estiver por perto me socorrer. Não consigo, não é natural pra mim…
    Interfone eu só atendo quando sei do que se trata… tipo que chegou algo ou alguém… Sabendo oque pode ser dito, eu entendo, preparo o cérebro pra entender. Mas do zero, é quase impossível.
    Mas, abuso de SMS e Facetime =) esses recursos me são acessíveis e eu uso. Agora, telefone normal, já aviso que não é a minha praia e tô nem ai pra cara que a pessoa fará. Aposto que ela tb não faz um monte de coisas que eu faço hihi
    Beijos

  • O telefone é o meu terror da vida! Não uso aparelho porque não adianta nada na minha vida. O que me assusta é que eu trabalho como fotógrafa-designer freela e o pessoal do trabalho só quer saber de usar telefone e esquecem que o e-mail e facebook existem! Ninguém trata de assuntos do trabalho fora do telefone!

    Desse jeito vou ter que contratar uma secretaria e treinar como atender os meus clientes! Pus o telefone da minha mãe no cartão de visita, por enquanto, mas não é muito agradável colocar a mãe pra conversar com o pessoal do trabalho, sabe como é? As mães falam demais! E eu reclamo que ela tem de ser discreta o máximo possível.

    Outra coisa que me tira a independência e me deixa suando frio é ir para um local de trabalho de outras pessoas onde tenha somente interfone, sem câmera! Meu pai acaba indo comigo como motorista e tocar o interfone para mim, não tem jeito!

      • Acredita que tenho relação de amor e ódio com SMS? É porque quase nenhum amigo meu pode responder as mensagens por não possuirem créditos. Bem que as operadoras de telefone podiam criar plano especial para surdo onde todo mundo poderia mandar as mensagens de graça para o número do surdo! Aaah, facilitaria muito a vida de todo mundo!

  • Paula,eu moro na Espanha e posso receber o aparelho e mandar pra vc sim.É só vc me mandar um email e a gente combina tudo sem problema nenhum,ok?
    Meu email esta aí =)
    bj

  • Paula,

    Eu acho que sou a “única” (digamos assim) pessoa que usa AASI, mas tira para poder entender no celular/telefone (telefone é um pouco mais complicado). Sério. Se eu atender ao celular com AASI, vou ouvir, mas não vou entender nada. Eu nasci com perda moderada no OE e perda profunda no OD, e obviamente uso o telefone no OE. Meu OE piorou drasticamente há cerca de três anos, e agora é perda severa, sendo que eu continuo a usar o celular (no volume máximo). Só com pessoas mais próximas e que têm paciência. Tenho uma amiga que me liga de vez em quando para pôr os papos em dia, e ela sempre fala muito, e sempre peço para ela repetir (ela é a santa paciência em pessoa!). A sorte é que ela pode me ligar de graça. 😛 Mas é a única com quem bato-papo no celular, porque pessoalmente não gosto (não das conversas, mas prefiro mil vezes ao vivo), justamente pela impossibilidade de fazer leitura labial. Agora marcar consultas, pedir comida, etc, peço a minha mãe ou namorado. 🙁
    Eu sei que precisa de treinamento para conseguir entender com AASI, já tentei, mas sei lá, fico suando e desisto. :/

    E espero que consiga o telefone! 😉
    Beijos

  • Paulinha!
    Uso o Danavox 777p (guerreirão!) nos dois ouvidos e consigo usar telefone, na chave T. Alguns celulares causam interferência, mas consigo usar sem a chave T se nao tiver na rua. Na rua não atendo, além do medo de assalto, há o barulho na rua que atrapalha. Também consigo participar de videoconferência em uma sala pequena com o tel no vivavoz, desde que não haja ruídos (barulho em volta, ligação ruim, o que prejudica até quem não tem perda auditiva); mas tb não faço milagres né, se a pessoa tem péssima dicção eu desisto.
    Minha perda é severa a profunda no OE e profunda no OD, e falar ao tel e ouvir no vivavoz só é possível graças a terapia auditiva que eu fiz. É preciso muita concentração, percebi que é como andar de bicicleta. Tem que ter paciência.
    Porém, gravação de aulas e música já é mais complicado. A primeira tem muito ruído. A segunda, o fundo musical “mistura” com a voz do cantor e fica difícil discriminar as palavras. Entendo coisa ou outra.
    Converse com sua fono sobre a terapia auditiva, vale a pena!!!

    Bjs!

    • Ju,
      To atras desse telefone que falei,e o Rafael indicou um telefone brasileiro que amplifica em ate 50 decibeis o volume, achei fantástico!!!!
      Prometi pra mim mesma entrar pro treinamento auditivo depois que voltar de viagem no meio de setembro!
      Vamo que vamo!
      bjo,

      • Paulinha,
        este novo telefone promete novos posts heim! Queremos saber de TUDO!
        Apesar de terapias auditivas, muito esforço e muita concentração, às vezes fico no “vácuo”. Sabe o que é pior pra mim? Voz de criança no telefone! É o mesmo que japonês do outro lado da linha. Quando algum pentelho atende, já solto um “aaahhh vá chamar tua mãe” hahahaha
        bjs!!!!

  • Falo no telefone direto e sinto obrigação de falar no telefone, é bem melhor do que vc passar horas mandando SMS, etc! Mas quando eu não entendo, peço pra mandar msg e eu respondo com prazer. Conheço vozes de minhas amigas e familiares, mas de resto nem conheço, mas tipo, se dizer o nome de alguem que more aqui em casa, eu entendo e passo tranquilamente.

    Sabe o que vc pode fazer Paula? Treinamento! Peça a sua mae te ensinar a falar no telefone, tem q ser dois telefones em ksa e vcs se falam sem leitura labial, foi assim que fui aprendendo aos poucos. Essa é a força de vontade.
    Entendo perfeitamente do que passa, não faz mal. Alem de telefone, vc tem tudo pra se comunicar! =]

    Beijo

  • Não importa a tecnologia , não dá para falar no telefone.Dependendo da sua perda.Únicos surdos que falam bem são os unilaterais e os implantados na infância. Tentar vc pode, mas vai ficar com eco, e pedindo para repetir.É fato.
    Talvez algum dia com uma nova tecnologia.. telefone faz mta falta interfone tb. Para tudo que vc citou acima, precisamos de alguém.Fico imaginando :casa pegando fogo, ladrão entrando e vc não poder ligar, ás vezes isso pira na cabeça viu..Aff.Mas tento não pensar nisso.Cruzes.

    Qto a frase:”Como assim não fala no telefone??”.Na hora vc pensa: Senti o Preconceito.Rsrsrs

  • Paula, não tenho nenhuma deficiência auditiva, mas eu também tenho PAVOR de telefone. Tive que vir comentar aqui! Achei engraçado porque sinto as mesmas coisas que você, isso desde criança! Em casa o telefone tocava e eu saia correndo, pra você ter idéia. Até hoje sou assim (ok, não saio correndo), mas o quanto puder evitar e fazer tudo por e-mail ou cara a cara, eu faço! rs

    Beijos

  • Olá

    Sou novo pelos caminhos dos blogs com pessoas deficientes auditivas, como eu, e realmente é um desespero quando alguém liga para o celular, porque o telefone convencional eu só olho, é tão complexo para tentar entender o que se fala que fico tenso e suado.

    Será que ninguém entende que basta um simples sms ou um encontro logo mais ao invés de nos torturar (desconfio do sadismo das pessoas).

    O que eu realmente procura é saber realmente como as pessoas que lidam com clientes e o dia-a-dia das empresas, não existe muito constrangimento?

    Uso aparelhos para surdez de grau severo/profundo GN ReSound Canta7, mas é bem velhinho (quase 10 anos!), foi o que mais se adaptou à minha perda, andei testando alguns mas sem chegar ao grau de satisfação destes.

    Como sou agricultor não me preocupo muito com a comunicação tanto profissional quanto ao telefone, só que eu estou procurando informações sobre estes aparelhos com algum tipo de conecção direta com os aparelhos auditivos, o que me parece está funcionando a contento, segundo algumas opiniões como a de vocês.

    Fora isto dá para a gente rir bastante, porque nossa vida é bem esculhambada mesmo, os outros que se virem. 🙂

      • Oi, eu nasci em Santa Maria, os meus pais vieram para cá nos anos 70, a família do meu pai é de Vale Vêneto (Marcuzzo) e da minha mãe de é de Jaguari (Denardi).

        Estava procurando algum blog que tivesse algum tipo de comentário ou postagem sobre o dia-a-dia de pessoas com aparelhos auditivos e cheguei aqui por acaso, gostei muito além do tormento de lidar com a surdez dá para rir com os percalços que enfrentamos.

        Aliás gostei muito das tuas postagens, tu escreves muito bem ao passo que eu sou meio troglodita com as palavras. 🙂

        A minha cruzada é contra o telefone também, vocês não estão sozinhas.

  • Olá Paula,

    Eu sempre falei ao telefone, só que aos poucos tive que me adaptar. Uso um telefone amplificado para DA da marca amplivox, ele tem volume e aumenta bastante o som, tanto que quando vou usá-lo tiro meu aparelho para evitar a maldita microfonia e entendo tudo perfeitamente, uso ele também como interfone. O preço médio dele aqui em JF, é R$ 200,00 a R$ 250,00 mas se bobear em SP é bem mais barato, se quiser compro por aqui e te mando !?
    Quanto aos celulares, coloco o dedão no molde para evitar a microfonia e encosto a saída do som perto do microfone do aparelho e funciona muito bem também, as vezes dá um pouco de microfonia aí eu vou reposicionando até parar, isso sem mudar de programa, prefiro o normal senão fica baixo de mais.
    Acho que é isso… “quem não se comunica se trumbica!” como diria o saudoso Chacrinha

    Abraços

    Rafael

  • Oi Paula,

    Telefone é um problema mesmo, percebi que os aparelhos auditivos mais simples produzem menos eco e interferência, tenho um da Widex retroauricular que colocando na posição T dá para ouvir bem mas para outras situações a discriminação da fala é muito pior que o da Phonak, então troco de aparelho quando estou em casa e pretendo ligar para alguém, o problema é quando me ligam sem eu estar esperando ou quando estou fora de casa.
    Aposentei há 1 ano e meio, no trabalho usava um intra canal bem antigo da Siemens que era ótimo para telefone e nas demais situações, foi o que me salvou embora todas as fonos achassem que não era mais apropriado para minha perda auditiva, o problema é que agora ele precisa de manutenção e a Siemens tirou esse modelo de linha, então não dá para consertar, o som dele é muito ruim agora e eu deixo para usar no salão de beleza quando vou passar tinta no cabelo rsrsrsrs
    Quando tinha a opção do intra eu não me adaptava com o retro para telefone, mas a necessidade fez com que eu superasse essa limitação, tentasse usar a opção T e agora me viro bem.
    Fiz teste com os modelos novos da Siemens intracanal e não me adaptei, era simplesmente impossível falar ao telefone, só resolvia nas demais situações então não comprei.
    Utilizo também o viva voz tanto do aparelho fixo quanto do celular já que não comprei o adaptador para bluetooth para meu Aída, já interfone é outro problema, fico pedindo para os porteiros falarem mais alto e mesmo assim as vezes não escuto mesmo e tenho de ir olhar na janela, o pior é quando não tem ninguém e ele estava apenas informando que chegou algum sedex, é dificil mesmo rsrsrsrs
    No trabalho também sofria quando colocavam o telefone no viva voz, com uma ou mais pessoas, para conference, no ambiente do escritório, com todo aquele ruido de fundo ficava tão nervosa de não entender que acabava não entendendo nada mesmo!
    Um abraço.

    • Mas tu entende o que dizem pelo viva-voz?
      Ah, o interfone, no meu caso, não tem jeito – acho que só mandando instalar um vídeo-interfone, mas o pessoal do meu prédio é muito chato, nem sei se deixariam…

  • Paulinha,
    Sei bem o que vc sente, eu tbm sofri e sofro horrores com o uso do telefone, e para piorar tudo no meu trabalho tenho que atender ao telefonemas do setor. Imagine o drama! Sabe qual foi a solução que me encontraram, depois que eu conversei com a minha fono? Utilizar um headset (um aparelho igual aos que os operadores de telemarketing usam), ele tem um fone de ouvido grande que coloco sobre o AASI e um microfone junto, assim não uso as mãos para segurar o aparelho. O headset ajuda muito, mas como vc falou às vezes liga uma pessoa que não conheço a voz, é um terror, tenho que pedir para a pessoa repetir umas trocentas vezes o que fala e ainda assim tem coisa que não entendo.
    Já em casa o drama é ainda pior, não tenho o aparelho headset lá, então quando dou a louca de atender uma ligação (principalmente quando não tem mais ninguém em casa) acabo ficando mega estresada, pq não entendo a maior parte da conversa (é ainda pior se é um desconhecido), é aquele velho negócio: “escuto, mas não entendo”. Ainda assim, insisto em atender o telefone, pq sei que se continuar fugindo dele tal “como o diabo da cruz” nunca vou conseguir superar essa dificuldade.
    Já o interfone é terrível, não escuto coisa nenhuma, é muito ruído junto e a solução que encontro é ligar a TV no circuito interno do predio e sair na janela no apartamento para ver quem está na porta (imagine a cena eu correndo pelo apartamento para fazer a tarefa simples de atender o interfone, #tenso!). Quando não tem jeito tenho que apelar para todos os santos e anjos divinos e encarar o bendito aparelho e tentar compreender o máximo. Mas em casa o melhor que eu faço é deixar que o resto da família atenda o interfone e o telefone, e o povo já está até acostumado, quando toca já vão na frente, pq sabe que só atendo se não tem mais jeito.
    Bom, te desejo muita força para enfrentar a barra de usar o telefone, saiba que nós estamos juntos nessa. Veja se usar o headset te ajuda, para mim foi muito bom, o som sai bem alto e localizado no AASI, fica muito melhor que usar o telefone.
    Beijos

    • Julie, como assim TEM que atender o telefone?
      Tu já conversou com teu chefe sobre isso?
      Pq tipo, obrigarem alguém que ouve mal a falar no telefone é a mesma coisa que obrigarem alguém que usa muletas a subir as escadas, não tem cabimento!!

      • Calma!!!! rsrs. Realmente não tem cabimento.
        Eu já falei diversas vezes com minha chefe, até já passei a usar o headset para ajudar, eu atendo os telefones por causa da necessidade do setor mesmo.
        Parte do trabalho envolve telefone, mas não tem jeito, como muitas vezes ficamos só eu e minha chefe no setor e ela está sempre ocupada, acaba sobrando para eu atender, pq quando não é o nosso ramal é o das outras meninas que trabalham em outro horário. É realmente a treva!!!
        Sabe quando vc cansa de falar?, parece que as pessoas acham que pq nós usamos AASI, nós escutamos E ENTENDEMOS tudo, é chato, mas eu tento fazer tudo para me adaptar melhor, a sorte é que o headset ajuda muito, acaba não sendo tão ruim. Mas que eu prefiro não atender, isso eu prefiro mesmo!

        • Julie, sério, desculpa se pareci aloprada, mas a verdade é que tua chefe precisava de bom senso. Onde ja se viu te fazer atender telefone!
          Uma vez eu lidava com muito atendimento ao publico e voltava pra casa TONTA, ai um dia sentei com a minha chefe na época e disse bem assim :” porque vcs nao colocam o colega que anda de muletas a subir e descer escadas? pq me fazer atender o publico o dia inteiro e voltar pra casa vesga e tonta todo dia está na mesma categoria!!”
          no mesmo dia, mudei de setor.

  • Aqui, falo no telefone, sim. Acho mais confortável o celular (o AASI apita menos), mas me viro com o telefone. Obviamente, acho mais confortável e-mail ou SMS, e detesto usar celular na rua, por causa do barulho.

    E meu AASI também faz conexão bluetooth, mas só uso para ouvir música em casa, ver filmes etc.

    Tomara que você consiga alguém que traga, sai beeeeem mais em conta, até porque, na Europa, além de ser mais barato, eles ainda devolvem o imposto que você pagou sobre o aparelho.

      • Paula,

        não sei direito (sempre me perguntam, e nunca sei ao certo), mas acho que, atualmente, está entre severa e profunda. Ela é flutuante, tive uma queda há um ano, e nunca voltou tudo…

        Bjo

          • Imagina, Paula, fique à vontade.

            De vez em quando (não tem uma frequência certa, o otorrino chuta que seja desencadeado por stress), tenho crises horríveis de tontura acompanhadas de queda de audição. Até hoje (com exceção desta última), sempre voltei para limiares muito próximos do anterior, a diferença era mínima.

            Então, uma perda flutuante significa que a audiometria oscila, podendo piorar subitamente, melhorar subitamente. Também pode ser aos poucos, nada muito perceptível no dia a dia. No meu caso, especificamente, a queda é súbita, mas a recuperação é lenta.

            Bjo

          • tATI, espero que tu te recupere logo!
            uma vez, numa crise de stress prolongada, fiquei quase 2 anos sofrendo com urticária crônica!
            :/
            stress é o tipo de coisa que a gente nao leva muito a sério mas acaba conosco!
            beijos e obrigada por explicar!

    • Oi, Tatiana

      Qual é o teu aparelho e modelo, fiquei curioso com esta tua perda flutuante, não entendo muito bem como ocorre, não seria o aparelho “flutuando” como se houvesse variação na carga da bateria?

      • Oi, Ewerotn,

        uso o Naída, da Phonak. E não o aparelho, não, pois fiz vááááárias audiometrias completas (fiz umas quatro em três meses) e foi queda na audição mesmo.

        Não sabemos direito qual a causa exata destas flutuações, mas a principal hipótese é que seja desencadeado por stress. A flutuação auditiva parece ser normal na síndrome de Pendred, que é a hipótese diagnóstica para a minha deficiência auditiva.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.