Acessibilidade Clipping Crônicas da Surdez Destaques

Companhia aérea acessível a surdos oralizados

Perdi a conta de quantos vôos já peguei nessa vida nos quais precisei passar mais de dez horas inventando diálogos na minha cabeça e sentindo raiva por não poder me divertir como os outros passageiros – os passageiros que ouviam! Lembro que antes do IC, quando a comissária vinha me entregar um par de fones de ouvido, eu dava um suspiro profundo e sentia vontade de chorar. De uns tempos pra cá, as coisas melhoraram um pouco. Em vôos domésticos, a Azul disponibiliza TV com vários programas bacanas, poucos legendados, mas já é alguma coisa (a culpa é dos canais de TV brasileiros que não sentem vergonha alguma de não legendar a programação, vide GNT e Multishow), embora não haja a opção de ativar legendas nos programas que sabemos que as têm.

Peguei um vôo de NY para Los Angeles pela companhia aérea americana JetBlue (do mesmo dono da brasileira Azul) e senti vontade de chorar de felicidade pois TODA A PROGRAMAÇÃO DO ENTRETENIMENTO DE BORDO É LEGENDADA. 🙂

IMG_4783-001 IMG_4784-001 IMG_4786-001

Tão vendo o botãozinho verde mágico da foto acima? Basta tocar nele e as legendas milagrosamente pulam na tela! Acho que foi o primeiro vôo no qual eu me senti um ser humano respeitado na minha vida inteira. A JetBlue me fez sentir fé na humanidade. Absolutamente todos os programas e filmes eram legendados. Não precisei me limitar a um ou dois, como sempre acontece nas outras companhias. Não precisei forçar o sono para o tempo passar. Não precisei ficar olhando para o lado e me sentindo inferior a ninguém. Acessibilidade, essa palavra linda e mágica!

Eu escuto e entendo em inglês com os meus implantes cocleares, mas não com a mesma facilidade e rapidez que uma pessoa que ouve. Por isso, não apenas amo, como preciso de legendas numa situação em que o áudio é em outra língua. Ah, a única coisa que estranhei é que os anúncios da cabine só saíam pelos alto-falantes do avião, quem estivesse com fones de ouvido não os ouvia. Quem estiver planejando viagem aos EUA, já sabe: existe uma companhia aérea na qual nossos vôos podem ser agradáveis e acessíveis! 🙂

JetBlue, quero dizer MUITO OBRIGADA. Vocês mudaram a minha percepção de como uma companhia aérea pode ser. De como uma companhia aérea tem que ser. Desejo que todas as outras cias aéreas do mundo sintam vergonha e mudem. Os milhões de passageiros com deficiência auditiva agradecem.

PS: decepção total e completa com a Delta Airlines, nessa viagem todos os vôos deles que eu peguei não tinha a opção de legendas na programação. Quer dizer, só em chinês e só em alguns filmes. #DeltaFail

26 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 34 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

2 Comentários

Deixe seu comentário