Menu
Crônicas da Surdez

Causos da Europa IV

Esse causo é engraçado! 🙂

Pegamos um vôo de Atenas para Barcelona que estava lotado de bebês e crianças. Quando pretendo dormir no avião, assim que sento tiro meus aparelhos auditivos – como os ouvintes conseguem dormir com aquele barulhão das turbinas?

Dormi que foi uma beleza, aquele sono em que parece que a gente desencarna e vai dar uma voltinha no Céu. 🙂

Quando o vôo aterrisou, coloquei meus aparelhos, olhei pra Ju e perguntei: “Que cara é essa?? O que aconteceu que tu estás com essa cara de fúria mortal, prestes a assassinar alguém?”.

E ela: “É que todos os bebês passaram o vôo inteiro aos berros, chorando e gritando o tempo todo!! Muito irritante! Não consegui fechar os olhos nem por um minuto!”.

E eu: “Ah é? Nossa, nem ouvi nada!”.  Rsrsrsrsrsrs!!

Uma das poucas (mas existentes!) vantagens da surdez: a oportunidade de dormir o sono dos justos quando bem entender. Principalmente em situações barulhentas! Quando vou reservar hotel no exterior e leio resenhas de outros hóspedes dizendo “não reserve esse hotel porque o barulho à noite é insuportável“, dou risada! Tenho a opção de não ser atingida por qualquer barulho quando quiser!

Sobre

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 38 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

10 Comentários

  • Mariana
    30/07/2011 at 10:47 pm

    Hauhauha juro que queria ver a cara da tua amiga! Isso me lembrou de um dia que eu estava dormindo num quarto e meus amigos chegaram, mas tentaram não fazer algum barulho para não me acordar (???), aí na mesma hora sacaram que não era preciso fazer isso porque eu estava sem aparelho, sendo que ainda assim acordei, mesmo sem terem feito algum barulho! rs

    Responder
  • Cássia
    30/07/2011 at 2:32 am

    Aproveito bem essa vantagem inclusive podemos também só diminuir o som se o ambiente estiver com muito barulho e a intenção não é dormir.

    Minha filha adolescente pode ouvir som bem alto que não me incomoda nem um pouco rsrsrs

    Responder
  • Tat Santos
    29/07/2011 at 4:22 pm

    Paula, a um tempo atrás vc postou aqui um vídeo promo de uma série que estava para lançar nos Estados Unidos, que tinha uma personagem surda.
    E essa semana eu estava lendo o ‘Chata de Galocha’ e vi um post lá sobre o tal seriado. Chama-se Switched at Birth, sobre duas garotas que foram trocadas na maternidade e descobrem com uns 17 anos. Eu procurei na internet e assisti, está no 8º episódio, achei muito legal. Além da história principal, há personagens surdos oralizados e não oralizados (e um colégio para surdos), sua relação com os ouvintes e com a linguagem de sinais. Eu achei apaixonante.

    Responder
    • Gui Chazan
      04/08/2011 at 7:31 am

      oi Tat. Recebi o link da Bianca Arrais para assistir os episódios LEGENDADOS na Internet. Pra quem tiver interesse:

      http://serieshunter.com/2011/06/download-switched-at-birth-1×01-this-is-not-a-pipe-rmvb-legendado/

      E quanto ao post da Paula. Essa vantagem tem seu lado ruim também, não consigo ficar acordado direito quando entro em um carro. 5 min depois eu já apago, com o IC ligado ou não. Só sobrevivo quando tenho que ser o co-piloto e manter o motorista acordado através de conversa, senão não dá certo hehe

      Responder
  • Maria
    28/07/2011 at 2:00 am

    Quando eu viajo com alguém, sempre me jogam no quarto de alguém que ronca!! Eu fico tranquiiiila e os outros ficam felizes por estarem livre do roncador!

    Mas na última viagem de avião, pela primeira vez não consegui dormir direito por causa da turbina do avião, porque a vibração estava fazendo eco no meu ouvido “bom” quando encostava a cabeça no travesseiro, um horror! Isso aconteceu porque a cadeira estava do lado da turbina. Nunca isso tinha acontecido comigo!

    Nos aviões, se fico com o pé apoiado no chão, não consigo dormir por causa da vibração. Posso não ouvir, mas o corpo “escuta” tudo! Ai tenho de usar algo pra levantar os pés e suavizar a percepção da vibração.

    A cama do meu quarto é levantada e alcochoada, assim eu não sinto a vibração de martelada, furadeira de parede e britadeira, tudo que o vizinho inventar pra reformar o apto! Durmo bem demais assim!

    Responder
  • MONICA
    27/07/2011 at 11:10 pm

    eis aí uma vantagem nossa!!! eu por exemplo ( como dorminhoca assumida rsrs ), durmo com tv ligada, rádio, pessoas falando e nem tô nem aí!!! kkkkkkkkkk isso é bom para nós né???

    Responder
  • Juliana Moreira
    27/07/2011 at 1:59 pm

    É tão bom dormir no silêncio.. aliás, o que é dormir no barulho? hehehe
    Sem ouvir também é ótimo para estudar, ler um bom livro…

    Responder
  • Gilberto
    27/07/2011 at 11:34 am

    Além disso, moro um excelente apartamento porque a antiga locatária – amiga minha – não aguentava o barulho dos vizinhos e me passou o contrato dela.

    Responder
  • Gilberto
    27/07/2011 at 11:33 am

    Quando eu jogava handebol, como todo mundo sabia que eu sou surdo; às vezes fingia não sentir (eu sentia, mais do que ouvia) o apito do árbitro ou evitava olhar o treinador, quando percebia que este estava me chamando para ser substituído! 😉

    Responder
  • Julie
    27/07/2011 at 11:03 am

    Hahahaha, realmente essa é uma vantagem maravilhosa de ser surdo!!!
    Não tem coisa melhor do que poder se desligar do mundo quando quiser e curtir uns momentos de silêncio, principalmente quando queremos dormir.
    Sermos imunes aos barulhos (e sons indesejados) quando bem entendemos é impagável.
    Fiquei imaginando a cara da sua amiga Ju quando vc disse: “Ah é? Nossa, nem ouvi nada!”. dei muita risada sozinha.
    Bjus

    Responder

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.