Menu

A partir de hoje, está inaugurada a tag ‘Post dos Leitores’. Nela, vou mostrar emails que recebi de pessoas que também enfrentam a surdez. Quem quiser enviar a sua história, fique sossegado, pois não publicarei nomes – será tudo no mais santo sigilo. 🙂

“Paula,

impressionada, arrepiada, emocionada!!
Você não tem noção!!

Leio seu blog há alguns meses…Menina, também tenho deficiência auditiva! Desde os 10 anos de idade fui diagnosticada com um problema de audição mas somente há dois anos que a coisa piorou e acabei precisando fazer uso dos aparelhos auditivos. Tô no meu primeiro e é horrível não? Acho extremamente dificil ter que lidar com isso. Segundo minha psicóloga, estou na fase do luto que não quero ter. Quero fingir que não é comigo, que consigo ir em frente. E tenho tentado de todos os modos desde 2008 quando descobri. Mas, por não ter deixado meus sentimentos me soltarem, volto e meia tenha recaídas horríveis de não querer sair de casa e de achar que ninguém gosta de mim, essas besteiras que acredito serem comuns na minha – nossa! –  situação.

E estava numa dessas recaídas e quando vi esse link no seu blog e abri pra ler, mulher do céu… Tô jorrando lágrimas aqui!! Não sei se pela identificação (não conheço ninguém com o problema e de certo modo, tenho um pouco de medo de conhecer também), pelas histórias parecidas… O fato é que precisava escrever pra você falando tudo isso!!

Mesmo com todas as coisas boas na minha vida, parece que o ouvido fica fazendo a vez da maior parte, sabe? Me incomodando. Tenho medo do contato com pessoas que já tiveram/tem essas experiências por ter medo da dor!! De chorar. Não quero viver assim. Incomodar os outros com isso. E não quero os outros sentindo pena de mim, acho que você entende né?

Quero uma vida normal, mas  não consigo ter uma vida normal, sem me ligar nisso. Quero parar de pensar no que os outros estão pensando de mim. Poxa, não sou o personagem principal da vida das pessoas né? Porque elas vão ficar falando de mim, me comparando ao que eu era?? Não sei explicar!! É muito ruim. Eu quero sair, me divertir, falar com as pessoas do jeito que sempre fui. Mas parece que isso sempre me puxa pra baixo. Me leva pra não querer sair, não querer falar com as pessoas… ficando enfiada em casa. Quero me soltar, chorar. Mas me prendo. Nem pra psicóloga eu choro. Ela fala que é isso que tá faltando!! Mas é dificil….

O que tem me “salvado”, além do meu namorado, são os blogs. Porque leio, leio e leio, e vejo maquiagem, creme, vestido das celebs… sério! Isso me faz pensar que ainda tenho uma chance, mas ao mesmo tempo não me identifica com ninguém, apenas com alguém que eu quero ser e não sou. E aí o círculo volta de novo!!

Muito boa a sua idéia de se mostrar assim e admiro muito! Enfim, parabéns pelo seu trabalho. Entra em contato comigo pelo email que coloquei no formulário! Vamos trocar experiências!! Beijoss querida!! Te admiro ainda mais do que já admirava!!”

A pior parte da surdez, a meu ver, é lidar com a tormenta que inferniza a nossa cabeça. O choque inicial é tão grande que mais parece que recebemos uma sentença de morte. E demora um tempão até cansarmos do dramalhão mexicano e começarmos a viver. É sobre isso que falarei no próximo post – só para não cansar vocês, já que este já está enorme!! 🙂

Sobre

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 38 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

18 Comentários

  • Marcela Cordeiro
    16/07/2010 at 2:48 am

    Poxa, a fase da negação realmente é a pior de nossas vidas de uma surda.
    Nasci com um grau pequena de perda auditiva, mas com os anos foi perdendo amis ainda gradativamente, até os meus seis anos não ouvia tanto, mas como era fera na leitura labial, não havia problemas. Mas guria, vc sabe como é pr auma criança dessa idade, tão novinha, ver que realmente tinha uma deficiencia? Meu mundo ficou sem chão naquele momento. Mas com os anos, eu fui agindo como se não houvesse deficiência nenhuma, usava minha prótese auditiva como se fosse um acessório, nada demais, acho que fui levando assim, normalmente. Acho que foi isso que me ajudou, não deixei que a surdez me limitasse, se houvesse contratempos, eu tentava outras maneiras de superar, e dava certo. acho que a vida é um grande aprendizado. A gente aprende a viver com o tempo, de modo que possa ser tranquilo pra nós, não é fácil as vezes, ams sempre damos um jeitinho…rss espero que essa leitora consiga superar como mtos surdos superaram hj em dia.

    Responder
  • Greize
    07/07/2010 at 5:25 pm

    Nossa esse depoimento era como se eu tivesse escrito.Perdi a audição em 2008 também.Não caiu a ficha..sinto que a vida acabou,e os blá blás.rs..tudo que essa leitora falou, todas duvias e anseios…Gostei muito do blog, uso aparelho auditivo, tive perda profunda severa, tenho ótima leitura labial, estou fazendo LIBRAS, porque alguns cursos e palestras na minha cidade já oferecem com interprestes.Mas além da luta com a falta de escutar tenho outra pior ainda, tenho um zumbido enorme mto”alto pode” 24 horas por dia..é um inferno.Ter que lidar com falta de audição e “ouvir” zumbido??Pode?
    Paula não deu para ler seu blog tdo vc já fez um Post sobre zubidos? já fiz de tudo e nada a “coisa não vai embora”, me deixando louca e doida da cabeça.Ao contrário da moça ai eu choro muitooooooooooooooo..rs.Ah ja segurei demais..bjos
    Greize/BH

    Responder
  • Taise de Freitas Marcelino
    31/05/2010 at 12:40 pm

    Oi Paula! Sou leitora do SP há algum tempo, ocasionalmente comento por lá, especialmente nos Pequenos Escritos, pq acho que tu escreves como ninguém! Fiquei uns dias sem entrar na internet e hoje, ao entrar no SP, tive a grata surpresa de ler sobre teu novo blog… Nunca imaginaria que tu és usuária de aparelho de amplificação sonora, talvez pelo fato de não ter nenhum problema com a linguagem, como tu mesma disseste. Sou otorrinolaringologista e vejo constantemente pessoas com problemas auditivos e percebo que a pior parte é a aceitação, coisa que tu e esta leitora tbm passaram… Felizmente, a perda auditiva tem diversas formas de reabilitação e temos a tecnologia do nosso lado, com aparelhos cada vez mais modernos. Fico extremamente feliz em saber que alguém sente-se a vontade pra falar sobre o assunto como paciente, contando suas experiências, anseios e histórias, nem sempre engraçadas… Com certeza recomendarei teu blog aos meus pacientes, será de grande aprendizado! E me coloco a disposição para o que precisares! Parabéns pela iniciativa! Taise.

    Responder
  • Heloisa Boutin Capobianco
    31/05/2010 at 11:11 am

    Muito lindo Paulinha!!! Muito legal para começar bem a semana!

    beijos Gigas!

    Responder
  • Roberta Sampaio
    30/05/2010 at 10:37 pm

    Mais que se mostrar,e aproximar,foi agregar e ajudar quem partilha dessa situação Paula! Sério,eu não tenho nenhum problema auditivo,mas abro os olhos e cresço lendo você e depoimentos como esse! 😉
    xêro

    Responder
  • sininhu
    30/05/2010 at 10:30 pm

    Primeiramente quero elogiar o blog novo, tá lindo e adorei a tua iniciativa e principalmente teus textos! Nossa, muito emocionante!
    E o mais legal é que agora tu vai conhecer diversas pessoas que sofrem dos mesmos problemas que tu, e ainda ajudar outras tantas com uma dose de confiança e palavras positivas.

    Adorei mesmo!

    E eu não imaginava o quanto pessoas com problemas auditivos sofriam, juro que nunca tinha parado para pensar nisso e acho que a maioria das pessoas tb não. Pelo menos vamos ver os problemas alheios com outros olhos a partir de agora, e refletir um pouco mais sobre a vida.

    Desejo muito sucesso pra vc Paulinha e para esse blog maravilhoso, tu merece muito!

    P.S.: lindos os teus dogs ali no layout! ^-^

    Beijo ;*

    Responder
  • Taís Barreto
    30/05/2010 at 8:27 pm

    Marina,

    Leio o SP há um ano mais ou menos. Nunca imaginei que vc tivesse problema de audição. Tô numa correria e não lí td q tem no blog…Vim apenas p dzr não só p vc mas p outros que passam aqui que imagino como tenha alguns amargores essa situação. Mas assim, me formo em jornalismo esse semestre e um colega surdo estudou comigo. Se formou em dezembro de 2009. Não ouvia nadiiinha. Mas enfretou as dificuldades e venceu, tds gostam mto dele. Além disso agora faço uma cadeira no curso de moda e tem uma menina loira mto linda q descobri que é surda tbm! Embora hajam dificuldades, não existem loimites para um ser humano, apenas superação e vitória! Super beijo

    Responder
  • márcia irala
    30/05/2010 at 12:27 am

    Oi Paula!
    Pode parecer engraçado, mas quando eu era pequena eu tentava prever alternativas caso eu ficasse cega, surda, multilada. E tentava aprender coisas que pudessem me safar desses possíveis problemas. Não tive nenhum, mas treinei libras, fiz aula de braile, fiz estágio na biblioteca pública do estado onde tem o setor braile e aprendi a lidar com cegos e agora em outro estágio convivo com surdos. Quando eu fiz braile o meu professor que é cego falou que todo surdo demora 2 anos para aprender o que um cego ou um vidente aprendem em 1 ano letivo por problemas para entender palavras abstratas.

    Aqui em Porto Alegre (a pouco tempo) eu comecei a conviver com surdos. Inclusive fazer amizade no ônibus com um menino que se chama Lucas e desce na mesma parada que eu. Lendo este post comecei a entender a dimensão da surdez na vida de uma pessoa. Eu realmente não conseguia entender, não sei libras o suficiente para falar com oLucas bem, tento misturar com gestos para melhorar a comunicação. Mas ele demonstra tirar tudo de letra. A comunicação é fundamental, como nos faz falta saber libras, me sinto realmente mal em não poder falar plenamente com ele. Gostei muito do teu projeto. Gostaria de saber mais e se for pedir de mais aulas de libras on line.

    Responder
  • Ana Paula
    29/05/2010 at 5:52 am

    Puxa, fiquei realmnte surpresa com seu relato. Nunca enxerguei os deficientes auditivos dessa forma ! Preconceito zero mesmo ! Nunca imaginei que isso pudesse afetá-los tanto, mexer com a auto estima.. Ignorância mesmo, pois não sabia que podia ser tão difícil… Não há motivo REAL para vc se sentir assim, IMAGINAR que todos te olhem diferente ! Mas compreendo que deve ser um processo e tento me imaginar na mesma situação. Como reagiria ? Pelo modo como vc escreveu, dá pra ver que vc é cheia de vida, uma pessoa tão interessante ! E se adora blogs sobre maquiagem , cremes e afins, não pode ser tão diferente assim de mim !!! Torço muito pra vc seguir em frente e assumir uma postura mais positiva ! E tá na cara que esse blog pode te ajudar muito, né ? Beijos pra vc !

    Responder
  • Patricia
    29/05/2010 at 3:04 am

    Linda a carta/e-mail/post!!!

    Alias estava conversando com uma amiga esta semana sobre o novo blog da Paula. Engraçado como sempre achamos que o nosso problema é pior que o dos outros!! A avó desta amiga em questão é deficiente auditiva e estava indicando o blog p ela. A resposta da vó à sugestão… “esta menina esta ‘reclamando’ atoa, ao menos ela escuta e eu que sequer posso usar aparelho?” então começou o muro das lamentações! hehehehe minha amiga respondeu que, ser surda nem é tão ruim pois geralmente as pessoas não notam, não é algo obvio… ela teve um problema de tiróide e engordou quase 30 kilos, argumentou que isso sim é problema, ja que ela não tem como esconder o fato de estar acima do peso. eu… bom eu descobri a 3 anos por acaso que tenho um grau leve de prosopagnosia. (palavrinha chata que nem mesmo o corretor do word sabe que existe, alias esta insistindo em “corrigir” e trocar por prosopopéia hehehe) tratamento? nenhum… cura? não. Vai piorar com o tempo? muito provavelmente… e os meus 8.5º de hipermetropia – fadada a usar óculos fundo de garrafa para o resto da vida…

    Genteeeee tive uma crise de riso no meio do assunto… cada uma tentando “provar” que o seu problema era “pior”. No final das contas todas aprendemos a lidar com essas pequenas diferenças no dia a dia, cada uma da sua maneira e isso é lindoooo!!! Alias perfeição é chato e da sono voces não acham? Imagina se todas nós tivéssemos visão perfeita, audição perfeita, corpitcho perfeito, a altura ideal, dentes naturalmente branquinhos e perfeitamente alinhados, narizinho perfeito, poros invisiveis e cabelos a-la-gisele ao acordar… TEDIOOOO

    Quais seriam as metas, as motivações?? chato, muito chato!
    Parabéns à Paula pela iniciativa do blog, parabéns à leitora que teve a iniciativa e a coragem de compartilhar suas duvidas, medos e angustias – aprender, crescer, superar são processos… cada pessoa tem seu ritmo, seu modo de lidar com os problemas. Você esta no caminho certo – estamos torcendo por vc!!!

    Kissessss

    Responder
  • Samantha Costa
    29/05/2010 at 1:22 am

    Com certeza tem muita gente passando a mesma coisa. Eu tenho duas primas surdas e mudas ( não totalmente mudas) de nascença, elas conseguem ler lábios e conseguem falar um tantinho, mas não normalmente. Eu não sei direito se tem correção, se elas podem usar aparelho, porque eu não pergunto e não entendo como isso funciona, e também não convivi com elas que são bem mais velhas que eu.

    Acho super interessante libras.
    beijoos

    Responder
  • Elianinha
    28/05/2010 at 8:35 pm

    “Tudo ao seu tempo.” E este blog veio na hora certa para esta leitora que me comoveu.
    Super beijos!

    Responder
  • Pituca
    28/05/2010 at 6:55 pm

    Que generosidade dessa menina dividir conosco suas angústias e medos. Eu só posso torcer para que essa fase seja superada e logo logo quero ver um blog seu. Seu email tão sensível e bem escrito mostra que você pode. E, deve! bjos nas duas

    Responder
  • Aline
    28/05/2010 at 6:39 pm

    Muito interessante a história.
    Não deve ser fácil mesmo não…

    Mas como tudo tem os dois lados… a cultura surda é linda! É fascinante.
    Sou ouvinte. Admiro muito as pessoas surdas e o seu modo de percepção. É fantástico! Cada dia que passa quero estar mais próxima dessa cultura…

    Responder
  • Laura Moreira
    28/05/2010 at 4:42 pm

    Paula,
    Que legal você colocar depoimento de leitoras! Poxa, começando com este estão! Claro que a maioria das pessoas que lêem não entendem nosso lada, mas sempre tem uma cumplicidade, um “olhar o lado do outro”… E por mais que a gente que só tenha problema na audição, que graças ao bom Deus não tenha nos afetado a fala, de qualquer forma, qualquer tipo de deficiência é ruim. Eu passei o blog para a minha mãe, professora de libras e ela também está adorando!

    A quem escreveu,
    Posso te chamar de amiga? hehehe Eu sei como é tudo isso. Eu descobri a surdez aos 7 anos, mas como meu dano foi no nervo, aparelhos não adiantam pra mim. Quando eu era criança eu não liguei, mas com o passar do tempo, senti vergonha. Cara, tanta gente já riu, já debochou, já me chamou de sonsa (porque se me chamam e eu não vejo, passo batido). E eu me achava INFERIOR. E não é bem assim. A gente pode fazer tanta coisa, a audição é MUITO importante, esse tipo de coisa é muito chata, mas não segura ninguém não.
    Pensa na sua vida, em tudo o que você já fez, em tudo que ainda pode fazer… e ninguém precisa saber! Deixa rolar.
    Fique bem. Beijo

    Responder
  • carol_carolina (Carolina de Souza)
    28/05/2010 at 3:40 pm

    Emocionante, chorei c o relato RT @sweetestpblog Novo post: Contato dos leitores, lá no @cronicasurdez http://tinyurl.com/39z3vrt

    Responder
  • dona perfeitinha
    28/05/2010 at 2:29 pm

    Eu amei o novo blog e pelo visto vamos nos emocionar muito por aqui ainda. Seu depoimento na primeira postagem, Paula, me fez pensar como cada um de nós tem seu drama, tem suas dificuldades e alguns gostam de estampá-los e se postarem como vítimas, mas outras pessoas, maravilhosas como você, levam eles apenas como algo que precisa de atenção e cuidado, não sendo escrava e nem estigmatizada por eles. Curto muito seus escritos e acho que o crônicas da surdez nos presenteará muito ainda. Parabéns.

    E a quem escreveu esse e-mail,
    Que bom que nos permitiu ler… e que bom também que a partir do depoimento da Paula, você está mostrando esse brilho todo que tem com a vida. Se apoie mesmo naqueles que ama e verá que são minoria quem quer apontar dedos. E medo é normal mesmo termos, eu tenho um monte também! Poderíamos escrever e escrever um milhão de páginas sobre eles, né? Mas de medo não vivemos… vivemos de coisas mais concretas e de coisas mais bonitas. Você não era. Você é. E aposto que os adjetivos são bem bonitos.

    Um beijo nas duas,
    Talita.

    Responder
  • Amanda_Fonseca (Amanda Fonseca)
    28/05/2010 at 1:13 pm

    RT @sweetestpblog Novo post: Contato dos leitores, lá no @cronicasurdez http://tinyurl.com/39z3vrt

    Responder
  • anacarlaga (Ana Carla Araujo)
    28/05/2010 at 1:07 pm

    RT @sweetestpblog Novo post: Contato dos leitores, lá no @cronicasurdez http://tinyurl.com/39z3vrt

    Responder
  • Mileni Portella
    28/05/2010 at 1:02 pm

    Olhando de fora..não imaginava tantos problemas…impressionante..
    Beijos

    Responder
  • alda
    28/05/2010 at 12:39 pm

    emocionada com o relato dessa leitora, e vendo o quanto a “troca” de experiências de vida, no caso da tua vida e a dela são tão importantes e libertadores! Quando temos essa identificação com alguém é como se não estivessemos sozinhos no mudo, por mais que estejamos cercados de pessoas na nossa vida.Parabéns mais uma vez amiga, e que a tua vida seja cada dia mais iluminada!!
    bjão

    Responder
  • […] This post was mentioned on Twitter by Amanda Fonseca, Ana Carla Araujo. Ana Carla Araujo said: RT @sweetestpblog Novo post: Contato dos leitores, lá no @cronicasurdez http://tinyurl.com/39z3vrt […]

    Responder

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.