Crônicas da Surdez Implante Coclear Nucleus 6

Coisas que gosto de fazer com o Mini Mic da Cochlear

A primeira coisa que mais gosto no Nucleus 6 com certeza é o Scan, mas a segunda…é o meu amado Mini Mic. No Brasil, ele vem no Kit Baby (prestem atenção nisso quem for implantar ou fazer upgrade de processador). Nada mais é do que um dispositivo que funciona com a tecnologia wireless de 2.4 GHz captando sons e os enviando direto para o implante coclear, sem fio. No início eu achava que para ativar o Mini Mic precisava do controle remoto, mas depois acabei aprendendo que não: basta clicar no botão da frente do N6 por dois segundos. Pronto!! Ele é pequenininho e super leve. Pena que ainda não funciona debaixo d’água, porque seria o máximo poder ouvir o que alguém fala enquanto você dá um mergulho na piscina #sonharnãocustanada

cochlear3 cochlear1

Ir para aulas e palestras

Esqueça sistema FM e afins. Basta entregar o Mini Mic para o professor ou palestrante, que vai prendê-lo na blusa/camisa – deve ficar perto da fonte de fala, então o melhor lugar é na lapela mesmo. Não sei descrever dignamente a sensação de estar numa sala de aula OUVINDO a voz do professor de um jeito alto, claro e limpo, como se ele estivesse falando só para mim. Acho que foi uma das coisas mais incríveis que já experimentei. Imagino o quanto isso é e vai ser maravilhoso para os bebês e crianças usuários de Nucleus 6, que ficarão livres de fios para sempre e de quebra terão uma qualidade sonora incomparável.

Assistir filmes e documentários no iPad

Eu prendo o Mini Mic (ele vem com um prendedor tipo clipe atrás) bem na saída de som do iPad e assim posso treinar meu inglês e meu espanhol enquanto assisto a filmes e documentários. É tão bom!!

Correr na esteira ouvindo a TV

Na academia que frequento todas as esteiras têm uma TV própria, e só sai som dela pelos fones de ouvido que as pessoas acoplam. Coloco um fio pequenininho no Mini Mic e engato ele na saída de som da esteira. E aí perco a hora caminhando com prazer, pois é definitivamente maravilhoso ficar ouvindo os seriados e jornais. O mais legal é que as legendas nunca são fiéis às falas dos personagens, então fico me achando o máximo por entender as falas do jeito certo e discordar das legendas. Academia sempre foi um lugar silencioso pra mim e, por isso, chato. Nunca pude desfrutar do prazer de ouvir música enquanto malhava, então hoje dou um tremendo valor a isso.

Atender o telefone

Até isso dá para fazer com o Mini Mic. Fiz o teste esses dias. Basta ligar o fiozinho nele e no iPhone. A diferença do Phone Clip (que vem no Kit Adulto) é que o Phone Clip é 100% hands free, ou seja, com ele dá pra falar no telefone enquanto você dirige, lava a louça ou qualquer outra coisa. Com o Mini Mic é preciso clicar no aparelho celular para atender, e aí o som vem direto pro IC. E o celular tem que estar perto para que o Mini Mic transmita a nossa voz para o interlocutor. Não é a coisa mais prática do mundo, mas quebra um galhão. Acredito que telefones sem fio com bluetooth sejam igualmente compatíveis com o Mini Mic.

Dirigir prestando atenção no GPS

Nessa situação é ótimo ter a opção de receber um som limpo, alto e claro direto no implante, sem distrações. Mesma coisa, só conectar o fiozinho no Mini Mic e no GPS e pronto, o som vem direto pro implante coclear.

Ver TV

Eu não tenho o TV Streamer (não sei se ele já está à venda no Brasil, inclusive) que é um dos três acessórios wireless compatíveis com o Nucleus 6. Para ver TV usando o Mini Mic é muito simples. Basta deixá-lo perto da saída de som da TV que ele funciona como nas aulas/palestras.

Ouvir música

Pode ser no celular ou num aparelho de som. Você apenas conecta o fiozinho no Mini Mic e no aparelho em questão que a conexão entre eles envia a música direto para o implante. E o melhor, sem nenhum som externo (basta pedir essa programação para a fonoaudióloga). Acho que essa é a funcionalidade que acho mais ‘ficção científica’, afinal, raciocinem comigo: quando é que um ouvinte vai imaginar que eu estou concentrada fazendo alguma coisa e ouvindo música sem fio ao mesmo tempo, sem nenhum outro som para incomodar? Tem coisas que só um implante coclear faz por você…

Conversar com alguém de longe

Fiz isso numa viagem ao Uruguai e foi muiiiito legal. Na verdade tenho que editar o vídeo do dia em que eu e o Luciano decidimos conversar cada um numa ponta diferente de uma piscina gigantesca. Tudo o que ele falava láááá de longe parecia que estava falando ao pé do meu ouvido, mas ele não ouvia nada do que eu dizia, hahahaha!! Me diverti. E fizemos um teste e o Mini Mic aguentou muito mais distância do que ele normalmente suporta (7 metros segundo a Cochlear). O Lu ficou numa ponta da piscina e eu fui caminhando o mais longe que pude e ainda assim ouvia no IC tudo o que ele falava – acho que estávamos a uns 20 metros um do outro, sem paredes e nenhum tipo de interferência.

36 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

13 Comentários

  • Boa tarde Paula!!!
    Gostaria de saber se no nucleus 6 tem algum cabo para falar no telefone fixo? Minha filha não consegue ouvir direito. Apenas no celular.

  • Oi Paula, uma duvida.
    Recebi o Mini mic 2 hoje é no post você comenta sobre conectar um fiozinho no Mini mic e no iPad (iPhone também da?) que cabo é esse?
    Aguardo.
    Lilian

  • Olá,

    Conheci seu site ontem. É bastante útil. Parabéns!

    Poderia dizer qual o tipo de perda auditiva você tem? E você saberia indicar algum médico no Rio de Janeiro que faça implante coclear. Eu poderia pesquisar na Internet, mas não é isso que eu quero. Preciso de um médico recomendado, de preferência, por outro médico.

  • Oi Paula.
    Meu AASI tem o mini mic, que não adquiri por dois motivos: preço alto e não serve em telefone fixo.
    Com meus AASI consigo atender o celular e o telefone de casa, pelo viva-voz. Já no meu serviço, o telefone não tem o viva-voz. Dia desses acompanhei meu esposo ao hospital para que ele passasse por um exame de rotina. Enquanto ele espera por sua vez, em outra sala, ele ligou no meu celular. Sempre atendo pedindo que “espere um pouco, estou colocando o celular (ou telefone) no viva-voz”. Ao fazer isso, acho que o microfone do celular estava muito alto. Enquanto falava com meu marido, notei que as pessoas olhavam pra mim com reprovação. Após deslisgar, ajeitei o fiozinho do meu AASI e disse sorrindo, sou surda. Não queria constranger ninguém, mas as pessoas têm que parar de julgar os outros. A mulher ao meu lado não sabia o que dizer.
    Sinto muito, mas não tive outra alternativa.
    Bjs

  • Olá Paula, muito interessante isso tudo, mas se a pessoa quiser todos estes recursos sem “se desligar” do que estão falando a sua volta, é possível???

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.