Menu
Aparelhos Auditivos

Sinais de que você precisa de aparelhos auditivos

A perda auditiva em geral começa de modo imperceptível, mas alguns sinais são claros de que você precisa de aparelhos auditivos! Fiz uma lista dos principais, que são clássicos. Porém, não esqueça: ao menor sinal, procure um otorrinolaringologista de confiança! 😉

A TV começa a perfurar os ouvidos alheios

Acho que esse é o sinal mais gritante de todos. Você põe a TV num volume altíssimo e ainda assim acha baixo. O resto da família começa a surtar com o barulhão e te pede para diminuir mas, se fizer isso, você não ouve mesmo! Pode saber que até o vizinho de cima já está pensando em te aconselhar a fazer uma audiometria…

A sala de aula vira sala do pânico

Ouvir mal e precisar frequentar escola/faculdade não é para os fracos. Você começa a escolher um lugar estratégico para ter visão panorâmica da sala inteira e evitar passar pelo constrangimento de ver alguém berrando seu nome porque te chamou 5x e você não ouviu. Professores falando de costas = entendimento zero. Entender o que a turma do fundão diz? Nem pensar!

Você começa a cantar como a Solange do BBB

Quem lembra da Solange cantando tudo errado? Ouvir errado = cantar errado. E o mais engraçado é que depois, quando passamos a usar aparelho auditivo e a entender as coisas corretamente, nos damos por conta dos micos épicos que pagamos assim.

As pessoas comentam que você está berrando

E você prontamente responde: EU NÃO ESTOU BERRANDO NÃO. Aos berros, claro. O tom de voz de quem ouve mal é alto e incomoda aqueles que não têm deficiência auditiva. Portanto, se as pessoas próximas  e as nem tão próximas assim comentarem que você fala alto demais ou berra, já sabe. Sinal luminoso de alerta!

Ligações telefônicas viram tortura

Seu interlocutor pergunta ‘como vai’ e você responde que hoje é quarta-feira? Quem nunca… Quando temos perda auditiva falar ao telefone é um martírio pois não há nada mais desagradável do que pedir que a pessoa repita cem vezes o que disse – e ainda assim não entender!! Muitos pensam que ainda dão conta do recado mas não percebem que só falam ao telefone com a mãe, o pai, o marido; pessoas cujas vozes são muito fáceis de desvendar em função do convívio intenso.

Participar de conversas com várias pessoas é como estar perdido num aeroporto chinês

Quando fica difícil entender o que mais de uma pessoa diz numa conversa, sinal de alerta. A atitude de quem precisa de AASI’s numa situação dessas é ficar olhando para o chão, para o teto, mexendo no celular e se sentindo perdido num aeroporto chinês – o povo fala, fala, fala e você não entende bulhufas do que estão dizendo.

Repetidos momentos “Velha da Praça da Alegria”

Quem lembra daquela velhinha? Eu lembro como fica em pânico se assistir aquele programa porque me identificava demais com ela! Foram milhares de vezes em que estive em conversas nas quais me perguntavam “X” e eu respondia “Y” sem a menor cerimônia. Pior que isso só quando eu parava de prestar atenção em conversas com várias pessoas e de repente decidia voltar pro papo e soltava alguma frase e todos me olhavam e diziam: “Mas acabamos de falar isso”. Se você entende errado regularmente, tem algo errado aí.

As pessoas perguntam se você ouviu coisas que você não ouviu

“Você não ouviu baterem na porta?”, “Você não ouviu que eu te chamei?”, “Você não ouviu o alarme do carro?”, “Você não ouviu a porta bater?”, “Você não ouviu a campainha?”, “Você não ouviu o interfone?” – e por aí vai. E não, você não ouviu.

Os outros começam a perguntar se você é surdo

Quem ouve capta direitinho os ‘escorregões’ de quem não ouve. Quando um ouvinte percebe que a gente não ouve em diversas situações as antenas levantam. Se você desconfia que ouve mal e te fazem a temida pergunta ‘Você é surdo?’, melhor correr pro médico. Muitas pessoas gostam de se enganar dizendo-se desatentas ou distraídas. Mesmo o mais distraído dos ouvintes ouve quando lhe chamam ou entende o que lhe dizem.

Se você se identificou com algum ou alguns dos sinais, busque um otorrinolaringologista de confiança e faça uma audiometria. Tentar fingir que a sensação de isolamento trazida pela surdez não existe é uma das tarefas mais cansativas para quem não ouve ou ouve mal. Busque ajuda, busque qualidade de vida e vá ser feliz. 😉

Sobre

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 38 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

3 Comentários

  • Gregório
    27/12/2017 at 4:41 pm

    Eu sempre dediquei minha vida à música, sempre foi meu hobbie. Meu irmão andou pegando ódio disso recentemente, porque ele dedica a videogames e tem inveja do meu lado artístico, aí ele berrou tão alto no meu ouvido que tive perda auditiva. Vou ter que ouvir música baixo e falar baixo.

    Responder
  • Juliana Malafaia
    04/03/2016 at 3:03 pm

    Eu também falo baixinho, e ninguém entende o porque. Acho por falar baixo quem não me conhece bem acha que devo estar mentindo. Qualquer coisa que falo as pessoas pedem pra repetir, só que na minha cabeça tô falando super alto!! Vai entender.

    Responder
  • Cah
    23/08/2014 at 12:58 am

    Realmente vc listou os mais importantes alertas da deficiência auditiva.
    Porém, minha voz é baixinha e as pessoas acham incrível qdo falo da minha surdez por causa desse tom suave…

    Responder

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.