Menu
Aparelhos Auditivos / Deficiência Auditiva

Idosos com deficiencia auditiva: 10 dicas para ajudar

Que os idosos não aceitam muito bem o uso dos aparelhos auditivos, não é novidade para ninguém. Depois de vencer esse obstáculo, chegam os obstáculos práticos do dia a dia, e aí, as dicas para ajudar com isso são preciosas. 🙂
Convidei a Fonoaudióloga Isabella Rodrigues (Rio de Janeiro) para dar 10 dicas para ajudar os idosos com deficiência auditiva que começaram ou vão começar a usar aparelhos. O motivo do convite: minha avó e meu sogro são pacientes da Isa, e eu sou testemunha da calma e da paciência que ela tem com eles. Essas dicas são fundamentais porque, na maioria dos casos, o envolvimento da família (e, às vezes, do cuidador) é necessário e faz toda a diferença.

A surdez e os idosos

Envelhecer não é tarefa fácil para ninguém. Aos poucos vamos tendo que enfrentar as mudanças impostas pelo nosso corpo. Nossa pele, cabelos e joelhos não são mais os mesmos. E muitas vezes nossos ouvidos também não.
Em geral, a perda auditiva surge gradativamente. Caso não seja tratada, causará um grande impacto na qualidade de vida do idoso. A falta de audição afeta diretamente os relacionamentos em família e causa a privação de hábitos de diversão – como teatros, restaurantes, televisão, cinema, palestras, etc.
Aos poucos, ela vai conduzindo o idoso para o isolamento e a depressão. Se você é filho, cuidador ou familiar de um idoso com deficiência auditiva, faça o possível para que a surdez dele(a) seja tratada o quanto antes.
Ouvir bem é essencial para mantermos nosso cérebro conectado. A falta de estímulo já é responsável pelo aparecimento de problemas cognitivos como alterações na memória e até doenças como o Alzheimer. Aí, fica a pergunta: com tanta tecnologia que nos permite ouvir, porque ainda achamos normal que um idoso fique no mundo do silêncio ?

Admitir a  surdez continua sendo o maior obstáculo

Após a fase de aceitação, novos horizontes irão se abrir e já será possível buscar reabilitação através do uso de aparelhos auditivos. Seu uso exigirá rotinas diárias e cuidados com a higienização de olivas , moldes, filtros, bem como troca de baterias e desumidificação . Qualquer falha em um desses processos acarretará problemas na amplificação desestimulando o idoso ao seu uso.
A escolha de um circuito adequado baseado no dia a dia do idoso, suas dificuldades e suas habilidades motoras facilitarão o manuseio e consequentemente sua adaptação.

10 dicas sobre o uso de aparelhos auditivos:

1: Limpe suas olivas diariamente

Ao utilizar com frequência seus aparelhos auditivos, o cerúmen, a umidade e a própria oleosidade presente na pele do conduto contribuem muitas vezes para sujar e entupir a oliva e os moldes auriculares. Para mantê-los limpos faça regularmente a assepsia de suas olivas e moldes antes de guardar no estojo.

2: Troque seu filtro de cera com regularidade ou sempre que estiver entupido

O funcionamento do aparelho é afetado ou até interrompido pela obstrução do filtro por cerúmen. Observe sempre ao fazer a limpeza como está o filtro, se ele estiver com cera, efetue a troca antes que a obstrução parcial ou completa diminua a amplificação do som ou deixe seu aparelho mudo.
Este filtro está presente nos aparelhos Intras e nos aparelhos de Receptor no canal.
  1. Observe se a passagem de som está sempre desobstruída
  2. Troque suas pilhas no período correto indicado pelo seu Fonoaudiólogo
  3. Sempre guarde no estojo e nunca deixe em ambientes úmidos como banheiro
  4. Manuseie seus aparelhos auditivos sempre com as mãos limpas e nunca coloque em cima de lugares que possam estar contaminados.
  5. Caso tenha dificuldade motora nunca escolha um aparelho que tenha uma bateria pequena e de pouca duração
  6. O uso de aparelhos com baterias recarregáveis são bem indicados para pessoas com alterações visuais, motoras e de memória
  7. Coloque diariamente o aparelho no desumidificador , pois isso evita a oxidação e aumenta a vida útil do circuito
  8. O acompanhamento Fonoaudiológico é muito importante e deverá ser feito com periodicidade

1: Limpe suas olivas diariamente

Ao utilizar com frequência seus aparelhos auditivos, o cerúmen, a umidade e a própria oleosidade presente na pele do conduto contribuem muitas vezes para sujar e entupir a oliva e os moldes auriculares. Para mantê-los limpos faça regularmente a assepsia de suas olivas e moldes antes de guardar no estojo.

2: Troque seu filtro de cera com regularidade ou sempre que estiver entupido

O funcionamento do aparelho é afetado ou até interrompido pela obstrução do filtro por cerúmen. Observe sempre ao fazer a limpeza como está o filtro, se ele estiver com cera, efetue a troca antes que a obstrução parcial ou completa diminua a amplificação do som ou deixe seu aparelho mudo. Este filtro está presente nos aparelhos Intracanal e nos aparelhos de Receptor no canal.

3: Tubos de molde e Hook

Observe se a passagem de som está sempre desobstruída. É comum a presença de gotículas de água no interior do tubo do molde formadas pela condensação. A medida que essas gotículas vão se deslocando a umidade pode chegar até o filtro que fica localizado dentro do Hook.
Muitas vezes o aparelho acaba ficando mudo não por um problema técnico e sim porque algo está obstruindo o som. Atenção nunca sopre o tubo plástico para desobstruir, a saliva poderá infectar seu molde e causar uma infecção em seu conduto. Use o acessório correto que é uma bombinha de limpeza. Troque o tubo plástico do seu molde de preferência de 3 em 3 meses ou até antes caso estejam muito rígidos. Este tubo e filtro estão presentes nos aparelhos Retroauriculares.

4:Troque suas baterias no período correto indicado pelo seu Fonoaudiólogo.

Cada tamanho de bateria tem um número de horas de duração estipulados, porém alguns fatores influenciam diretamente no aumento do consumo como: sistemas de conectividade como o bluetooth, automatização e recursos do circuito e número de horas utilizados pelo usuário. Troque sempre sua bateria no período correto informado pelo seu Fonoaudiólogo e verifique sempre seu estado ao abrir o compartimento. Se estiver “estufada” ou com sinais de vazamento jogue fora mesmo que ainda esteja com carga.

5: Cuidados com a umidade e o suor

A umidade com certeza é o maior vilão para qualquer circuito eletrônico e afeta diretamente o bom funcionamento dos aparelhos auditivos. Ao tomar banho nunca deixe seus aparelhos dentro do banheiro, o vapor presente no ambiente irá danificar o seu aparelho. Muita atenção também com spray de cabelo, protetor solar e perfumes . Faça uso desses produtos antes de colocar o aparelho no ouvido.
O suor merece uma atenção especial, por ser ácido danifica mais rapidamente o circuito. Se a sua sudorese é intensa redobre os cuidados. O uso do desumidificador elétrico é essencial para preservar a conservação e aumentar a durabilidade do aparelho e deverá ser diário.

6: Cuidados com a higiene

Sempre manuseie seu aparelho auditivo com as mãos limpas e nunca coloque em cima de superfícies que possam estar contaminadas. Muitos casos de infecção no ouvido começam pelo manuseio dos aparelhos com as mãos contaminadas por dinheiro, jornais, revistas.

7: Dificuldade motora e visual

Caso tenha dificuldade motora ou visual nunca escolha um aparelho muito pequeno ou que tenha uma bateria que exija trocas constantes. Nestes casos o uso dos aparelhos com baterias maiores ou com baterias recarregáveis são mais indicados. Os aparelhos com baterias recarregáveis também são indicados para pessoas com problemas cognitivos e de memória, pois são mais fáceis de serem manuseados pelos cuidadores e pela família.

9: Periodicidade

Após as primeiras etapas da adaptação o uso do aparelho auditivo deverá ser diário e de forma constante mesmo que o usuário passe muitas horas do dia sozinho. O uso frequente dos aparelhos auditivos ajudam o cérebro a interpretar os sons, dando a eles significado. A escuta com menor esforço facilita uma maior interação social diminuindo então o risco de declínio cognitivo. Quanto menor o tempo de privação auditiva melhor será o prognóstico com o aparelho auditivo.

10: O papel do Fonoaudiólogo

O acompanhamento Fonoaudiológico é parte muito importante da adaptação dos aparelhos auditivos. Os atendimentos deverão respeitar uma periodicidade que são prescritas pelo profissional no momento da adaptação e durante o tratamento.
Retornar nos prazos estabelecidos é fundamental para um bom funcionamento do aparelho e garantir ao usuário a audibilidade necessária. É uma relação duradoura, então a empatia, a experiência e a confiança são fatores fundamentais que deverão ser levados em conta na hora da escolha !

Entre para o Grupo Surdos Que Ouvem no Facebook

Sobre

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 38 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

Sem comentários

    Escreva um comentário

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.