Menu
Zumbido no ouvido

MELHOR REMÉDIO para ZUMBIDO no OUVIDO: olha o GOLPE

melhor remédio para zumbido no ouvido

O melhor remédio para o zumbido no ouvido se chama INFORMAÇÃO. A internet está abarrotada dos mais variados tipos de golpistas safados que ganham fortunas vendendo tratamentos ‘milagrosos’, técnicas infalíveis e aparelhos auditivos e remédios que ‘curam’ ou ‘aliviam’ o zumbido no ouvido. Se você chegou até esse post, agradeça aos seus – você venceu um festival de anúncios de falsos remédios e falsos profissionais da saúde que pipocam mais do que mato na internet.

O zumbido no ouvido, também conhecido como tinnitus, é o nome dado a sons que escutamos cuja fonte não é o mundo exterior. Ele é muito comum: milhões de pessoas sofrem de zumbido no mundo inteiro, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. A maioria esmagadora dos casos de zumbido é causada por uma PERDA AUDITIVA. O zumbido no ouvido é um sintoma, não uma doença.

Eu tenho zumbido desde os 6 anos de idade, e já contei minha experiência com zumbido no ouvido neste post. Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010 e, nestes treze anos recebendo milhares de relatos de pessoas que convivem com o zumbido, devo dizer que NUNCA conheci uma pessoa que tenha sido curada do zumbido do ouvido quando ele é causado por uma perda auditiva. Se você por acaso for este ser iluminado, entre em contato! Queremos te conhecer, rsrsrs.

Segundo o Dr. Luciano Moreira, estudos realizados para estimar a frequência de zumbido na população mostram que 80% das pessoas já experimentaram algum episódio e 20% o sentem de maneira mais contínua. Ironicamente, a perda auditiva (nos seus diversos tipos e origens), capaz de privar as pessoas de sons importantes do dia a dia, também acaba “criando sons que não existem”, sendo ela a principal causa de zumbido. Outras causas podem ser de ordem vascular, neurológica, tumoral, psiquiátrica, traumática, muscular ou articular.

Antes de arriscar sua saúde e gastar seu dinheiro com o besteirol golpista oferecido na internet, leia esse post com atenção até o final. Caso contrário, você corre o risco de achar que enfiar cera quente de vela no ouvido é normal, que cone hindu vai te ajudar, que a vitamina que custa R$30 na farmácia e os golpistas põem um nome sugestivo e vendem a R$300 vai resolver, que massagens e tapinhas repetitivos no ouvido farão alguma coisa, que um aparelho auditivo de R$40.000 vai te curar, que o floral de Bach sei lá de qual tipo vai sumir com o zumbido e por aí vai.

Profissionais “especialistas em zumbido no ouvido”: peça indicação a outros pacientes que têm perda auditiva (o Clube dos Surdos Que Ouvem é o lugar ideal para isso). O que mais tem na internet são “doutores zumbido” que nunca cursaram medicina ou que são formados em outras áreas médicas (como fisioterapia, por exemplo) e que não serão capazes de ajudar pessoas que têm zumbido causado por perda auditiva. Se esse for o seu caso, o start da jornada é o médico otorrino. E muito cuidado com os anúncios no Google de ‘doutores’ que não informam seu CRM, seu nome completo e ainda prometem curas e resoluções. O golpe tá aí, cai quem quer.

A verdade é que conviver com o zumbido, especialmente para os novatos, pode ser torturante. Entretanto, como alguém que tem zumbido a vida inteira (faço 42 anos esse ano e convivo com o zumbido no ouvido desde os 6 anos) posso te dizer que é perfeitamente possível se acostumar a ele. Basta se propor a isso. Zumbido causado por perda auditiva não tem cura, mas tem tratamento. Quando eu usava aparelhos auditivos, ao tirá-los, a sensação era de que ele estava 1000x pior. Sabe por que? Porque quem ouve é o cérebro. E o cérebro de uma pessoa com perda auditiva que usa aparelhos auditivos presta atenção aos sons que os aparelhos trazem, não ao zumbido. Então, quando os sons trazidos pelo zumbido cessam (na hora de dormir ou na hora do banho), o cérebro volta a ter foco no zumbido. Aí o treinamento mental depende da sua atitude. Se você ficar obcecado em prestar atenção ao zumbido ou passar o tempo todo reclamando dele quando está sem os seus aparelhos, sua vida vai ser um inferno. No meu caso, eu tratava de focar minha atenção em outra coisa e logo esquecia que o zumbido estava ali. E cuidado: muita gente usa o zumbido no ouvido como desculpa para não tratar a própria perda auditiva, o que é um erro monumental. É como precisar de óculos, não usá-los, e achar que sua visão vai melhorar milagrosamente.

Convite: entre para o Clube dos Surdos Que Ouvem e converse com 21 mil pessoas que têm perda auditiva e zumbido. Você vai se surpreender com os relatos, as experiências e o modo como cada um lida com o próprio zumbido no ouvido.

Como funciona o zumbido no ouvido?

De acordo com a Harvard University, esta é a explicação sobre o funcionamento do zumbido no ouvido, nos casos de PERDA AUDITIVA:

zumbido no ouvido

As ondas sonoras viajam pelo canal auditivo até o ouvido médio e interno, onde as células ciliadas da cóclea ajudam a transformar as ondas sonoras em sinais elétricos que então viajam para o córtex auditivo do cérebro através do nervo auditivo. Quando as células ciliadas são danificadas – por ruído alto ou drogas ototóxicas, por exemplo – os circuitos do cérebro não recebem os sinais que estão esperando. Isso estimula a atividade anormal nos neurônios, o que resulta na ilusão de som ou zumbido.

O que fazer em caso de zumbido no ouvido?

A primeira coisa a fazer é procurar um médico otorrinolaringologista, de preferência um que seja especializado em surdez. Caso seja descartada a hipótese de perda auditiva, o médico vai lhe encaminhar para o especialista correto. Caso o seu zumbido no ouvido seja causado por perda auditiva, torne-se membro do CLUBE DOS SURDOS QUE OUVEM e converse com 21.000 pessoas que têm perda auditiva e zumbido. Elas podem te aconselhar e compartilhar suas experiências com você, para que você não caia em golpes, não jogue seu dinheiro no lixo nem arrisque a sua saúde à toa.

 

O que não fazer em caso de zumbido no ouvido

  1. Não começar a investigação do seu zumbido por um médico otorrinolaringologista (a maioria dos casos de zumbido é causada por perda auditiva)
  2. Achar que um aparelho auditivo específico tem o poder de “curar” o zumbido
  3. Comprar remédios pela internet aleatoriamente (é tudo golpe)
  4. Acreditar em curas milagrosas
  5. Acreditar em curas caseiras
  6. Colocar qualquer coisa dentro do seu ouvido (como a tal terapia com cera quente de vela que um maluco divulga por aí)
  7. Achar que aromaterapia e florais vão resolver zumbido no ouvido
  8. Cair na malandragem do zumbido espiritual

As causas do zumbido

  1. Perda auditiva (na MAIORIA dos casos)
  2. De ordem vascular
  3. De ordem neurológica
  4. De ordem tumoral
  5. De ordem psiquiátrica
  6. De ordem traumática
  7. De ordem muscular
  8. De ordem articular

Quais condições têm o zumbido como sintoma?

O zumbido é um sintoma de mais de 75% de todos os distúrbios que afetam nossos ouvidos. A maioria das pessoas com perda auditiva também apresenta zumbido. Algumas maneiras pelas quais as pessoas desenvolvem perda auditiva que causa zumbido:

Remédios que podem causar ou piorar o zumbido no ouvido

Segundo a Harvard University, esses são os remédios que podem causar ou piorar o zumbido no ouvido:

  1. Aspirira e outras drogas anti-inflamatórias não esteróides, como ibuprofeno
  2. Alguns antibióticos, incluindo ciprofloxacina, doxyciclina, gentamicina, eritromicina, tetraciclina, tobramicina e vancomicina.
  3. Drogas anti malária como cloroquina e quinino
  4. Alguns anticonvulsivantes como carbamazepina e valproic acid
  5. Alguns remédios anti-câncer, incluindo cisplatina and vincristina
  6. Alguns diuréticos (quando ingeridos de forma intravenosa e em altas doses) incluindo bumetanida, furosemida e torsemida
  7. Antidepressivos tricíclicos

Você pode ter zumbido sem ter perda auditiva

De acordo com a Cleveland Clinic, Há cerca de 200 condições de saúde diferentes que podem causar zumbido, e aqui estão alguns exemplos:

  • Disfunção da articulação temporomandibular (ATM): O zumbido é um sintoma comum da ATM, que é uma condição causada por inflamação ou irritação dos músculos e articulações.
  • Objetos estranhos alojados em seu ouvido: Às vezes, objetos estranhos como canetas ou lápis usados para limpar os ouvidos acabam rompendo os tímpanos.
  • Excesso de cera (cerúmen): A cera pode bloquear seus ouvidos e afetar sua audição.
  • Alergias: O congestionamento de alergias pode afetar sua trompa de Eustáquio. Este tubo conecta o ouvido médio e a parte posterior do nariz. O congestionamento que bloqueia a trompa de Eustáquio pode impedir que o som chegue ao seu ouvido.
  • Schwannoma vestibular (neuroma do acústico): Este tumor benigno (não canceroso) afeta os nervos que se conectam ao cérebro e controlam o equilíbrio e a audição. Pessoas com neurofibromatose tipo 2 geralmente apresentam schwannomas vestibulares.
  • Otosclerose: a otosclerose causa um crescimento desordenado da cadeia ossicular do seu ouvido médio.

 

CLUBE DOS SURDOS QUE OUVEM

clube dos surdos que ouvem

Como MEMBRO do Clube dos Surdos Que Ouvem, você tem acesso às nossas comunidades digitais, conteúdos exclusivos, descontos em produtos e acesso aos nossos cursos. E o mais importante: a sua jornada da surdez deixa de ser solitária e desinformada e passa a ser muito mais leve, simples e cheia de amigos.

São 20 mil usuários de próteses auditivas com os mais diferentes tipos e graus de surdez para você conversar sobre as suas dúvidas a respeito do universo da deficiência auditiva.

Estar em contato direto com quem já passou pelo que você está passando faz toda a diferença! Vem com a gente aprender a retomar a sua qualidade de vida e a economizar milhares de reais na hora de comprar um par de aparelho auditivo – ou até mesmo a como conseguir aparelhos auditivos grátis quando você não tem grana para comprar do próprio bolso!

Se você for mãe ou pai de uma criança com perda auditiva, uma das comunidades digitais do Clube é um Grupo de Telegram com centenas de famílias se ajudando mutuamente todos os dias.

 











About Author

Paula Pfeifer é uma surda que ouve com dois implantes cocleares. Ela é autora dos livros Crônicas da Surdez, Novas Crônicas da Surdez e Saia do Armário da Surdez e lidera a maior comunidade digital do Brasil de pessoas com perda auditiva que são usuárias de próteses auditivas.

No Comments

    Leave a Reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Iniciar conversa
    Clube dos Surdos Que Ouvem
    Grupo SURDOS QUE OUVEM