Crônicas da Surdez Deficiência Auditiva

Surdos que ouvem

Não lembro quando criei a expressão SURDOS QUE OUVEM e comecei a usá-la freneticamente nas redes sociais, especialmente com a hashtag #surdosqueouvem (só no Instagram já são mais de 760 fotos!). Acho que foi no ano passado e, desde então, toda a nossa rede de surdos oralizados passou a usar também. Toda vez que explicava para alguém que era uma surda oralizada, a pessoa me olhava e dizia: “O quê? Surda o quê?“. Convenhamos, não é uma expressão intuitiva ou fácil de entender para quem não está familiarizado com o assunto deficiência auditiva

A #surdosqueouvem surgiu justamente com o intuito de simplificar a explicação. É muito mais simples dizer a alguém que você é um surdo que ouve do que dizer que é um surdo oralizado – pare por cinco segundos para pensar no significado de oralizado.

O que é um surdo que ouve?

Bem, é um surdo que ouve! Como? Através da tecnologia dos aparelhos auditivos, implantes cocleares e próteses auditivas implantáveis. A cabeça do brasileiro padrão está setada para conectar surdez com língua de sinais, mas chegou a hora de atualizar o repertório, afinal, estamos em 2018! Você acha que um surdo que ouve é novidade? Só que não! 🙂

Um surdo que ouve pode ouvir através da audição que lhe resta (chamamos de resíduo auditivo). Caso você não saiba, existem vários graus de deficiência auditiva (leve, moderado, severo, profundo), e todos eles, na maioria dos casos, se beneficiam do uso de aparelhos auditivos. Os casos que os aparelhos não ajudam mais (deficiência auditiva severa e profunda) são em geral resolvidos com um implante coclear. Nenhum desses dispositivos cura a surdez, mas eles permitem que pessoas que não ouvem com sua audição natural ouçam através da ajuda da tecnologia.

Não é incrível? Bem, eu acho incrível. Afinal, tenho surdez (ou deficiência auditiva, chame como quiser) de grau profundo nos dois ouvidos. Tenho dois ouvidos biônicos (implante coclear) e com eles consigo até mesmo falar no telefone ou conversar com alguém no escuro. Sem eles, não escuto absolutamente nada!

Não podemos deixar de falar também das pessoas que não são usuárias de tecnologia nenhuma mas são capazes de “ler” os lábios e, assim, entender o que os outros estão dizendo. São surdos que não ouvem, mas se comunicam como qualquer pessoa, e sem o uso de língua de sinais. E há também os surdos que não ouvem e não falam e somente usam Libras. Se você é novato por aqui, aposto que nunca imaginou que havia tanta DIVERSIDADE na deficiência auditiva! 🙂

Onde se escondem?

São milhões e milhões de pessoas com algum grau de surdez espalhadas pelo Brasil. Você já parou para observar a quantidade de lojas de aparelhos auditivos que existem na sua cidade? São muitas!!! E já parou para pensar por que elas existem? Porque é muita gente que precisa usar aparelhos auditivos para ouvir melhor. Ou seja, tem muiiiitooooo surdo que ouve por aí! Basta começar a prestar um pouco mais de atenção nas orelhas das pessoas!

Mas e o surdo clássico?

Você deve estar falando do velho estereótipo de surdo que qualquer pessoa aprendeu na escola ou na TV. O ‘surdo mudo’, o surdo que não fala, que não ouve absolutamente nada e se comunica através da língua de sinais. Eles são chamados de surdos sinalizados – ou seja, surdos que usam sinais.

Acessibilidade

Acessibilidade para surdos que ouvem não tem nada a ver com Libras! Precisamos de legendas em todo vídeo (seja Netflix, aula virtual, YouTube, filme no cinema, etc) e nos programas de TV (no Brasil é bizarro, a maioria dos canais pagos só legenda se o programa tiver áudio em outra língua!). Além disso, seria incrível se tivéssemos acesso ao aro magnético com facilidade no Brasil – ele é muito comum nos EUA, na Argentina e na Europa e praticamente um desconhecido aqui. Ele torna possível que um usuário de aparelho auditivo ou implante coclear consiga compreender a fala humana com mais facilidade num ambiente com ruído.

Nós ouvimos através da tecnologia, mas isso não nos devolve a perfeição da audição natural. Por isso as legendas são TÃO importantes para nós!

E você?

É um surdo que ouve? Não deixe de postar nas redes sociais uma foto sua com seus aparelhos auditivos ou implante coclear com a hashtag #surdosqueouvem para fazer com que mais e mais pessoas entendam como é que a gente funciona! Vamos todos ajudar juntos a desmitificar a surdez e, principalmente, mostrar para o mundo a diversidade que existe dentro dessa deficiência! Afinal, se não fizermos isso, seguiremos sentindo na pele as consequências da invisibilidade e da falta de acessibilidade!

Vídeos sobre surdos que ouvem

TEDx Talks Surdos Que Ouvem

Deficiente auditivo ou surdo?

 

26 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

2 Comentários

  • Oi meu nome é genivaldo sofri uma qUE da de umais altura de 3 MT. E por isso perfurou o tipano.tenho perca profunda. Mas não tenho condições de comprar um aparelho de audição. .VC poderia me ajudar a diquir ir. Um aparelho auditivo. Que Deus lhe abençoe muito. Me tl.041997015361

  • Gostei muito deste seu artigo. Infelizmente,a grande maioria das pessoas não entende como funciona o ouvido e os diferentes tipos e graus de surdez…
    Quero aproveitar para,mais uma vez,comentar sobre a necessidade de legendas.
    É primordial que elas estejam em TODOS os filmes,series,tanto dos canais pagos ou não!!!
    Deveria haver um sistema opcional a todos eles assim: um botão do controle que vc usa para acionar se quer com legenda ou não.Não seria ótimo ?!
    Quanto ao cinema,antes dessa novidade(?) TODOS os filmes estrangeiros eram legendados e nunca vi ninguém reclamar…
    Tenho surdez neurosensorial desde os 4 anos(sarampo)(e há mães que não querem vacinar seus filhos…),grave no ouvido D e severa no E. Uso AASI no D há 33 anos.
    E – acho que poucos conhecem – uso fone de ouvido sem fio para ouvir a TV. Maravilha! Pq o AASI ajuda,mas não resolve tudo…então,com ele não perco UMA palavra!
    Mas,qual foi minha surpresa qdo adquiri uma tv nova e ( descobri q a maioria) não possui mais a entrada de áudio para conectar o fone de ouvido!!! Só pode por bluetooth!!! Perguntei então se tenho que adquirir 2 tvs: 1 para mim e outra para as pessoas da família…!! Arff
    Nós somos os “deficientes” mais ignorados!…bjs

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.