Aparelhos Auditivos Crônicas da Surdez

Preço de aparelho auditivo: o que você precisa saber

Foto: Shutterstock

No Brasil, uma das tarefas mais difíceis para uma pessoa com deficiência auditiva é descobrir o preço de um aparelho auditivo. Se você buscar informações sobre preço de aparelho auditivo no Google, infelizmente não vai encontrar. Fiz uma busca e apenas encontrei anúncios de lojas de aparelhos auditivos, mas nada sobre preços.

Essa é uma informação que você só vai conseguir com facilidade se perguntar a outras pessoas que já compraram sobre o valor que pagaram. Sugiro que você entre para o grupo do Crônicas da Surdez no Facebook pois as pessoas falam abertamente sobre esse assunto por lá, basta perguntar – a maioria dos membros é usuário de aparelhos auditivos. Na última pesquisa que fizemos no grupo, cada usuário informou quanto pagou pelo(s) seu(s) e chegamos a uma média de R$4.000 por UM aparelho de modelo com tecnologia básica.

Os consumidores reclamam dos preços dos aparelhos auditivos em todos os países do mundo, isso não é exclusividade do Brasil. Neste artigo, intitulado “Os americanos estão pagando muito caro pelos AASI’s“, você consegue um panorama do mercado americano, por exemplo.

Argumentos

Já ouvi argumentos dos dois lados: de quem vende e de quem compra. O argumento principal de quem vende é o de que se trata de um dispositivo médico, ou seja, não consideram correto informar o valor de algo que a pessoa nem sabe se é o que é de fato indicado para o caso dela.

O argumento principal de quem compra pode ser resumido em uma pergunta: por que tanto mistério? Imagine que você quer comprar um carro e liga para a concessionária para perguntar o preço. Como resposta, ouve: “Só diremos o preço se você vier pessoalmente na loja!“. É exatamente isso que acontece neste caso. Para nós, enquanto pacientes e consumidores, é muito chato ter que passar por isso.

O que está incluído no preço

O modelo de negócio da venda de aparelhos auditivos no mundo todo é basicamente igual: ao preço do produto, são acrescentados os impostos e um pacote de serviços. No Brasil, o paciente compra os aparelhos auditivos e geralmente o preço total engloba a audiometria inicial, dois anos de garantia, um ou dois anos de pilhas, consultas de regulagem por um ano ou dois, revisões, manutenção, etc.

O que você de fato precisa

Existem aparelhos auditivos para todos os gostos e bolsos. Quando o paciente tem um poder aquisitivo maior, pode se dar ao luxo de comprar o top de linha sem precisar raciocinar muito. Quando o orçamento é mais apertado, deve-se avaliar alguns fatores como, por exemplo, quais tecnologias farão diferença efetiva no seu dia-a-dia. Quais são as suas dificuldades auditivas? Quais são as suas reais necessidades de conectividade? O aparelho tem reserva de potência? Como a surdez lhe afeta nas situações de entendimento de fala?

Os aparelhos são divididos nas categorias básico, intermediário e top. Cada categoria irá possuir recursos específicos. O que você precisa, mesmo, é de um AASI que amplifique o som para que você possa escutar, mas no mundo tecnológico em que vivemos, apenas isso não basta. Avalie as suas necessidades e busque a opção que é adequada ao seu orçamento.

Muitos pacientes reclamam que, quando vão a uma loja de aparelhos, sempre tentam lhes vender o mais caro de todos. O segredo é procurar toda a informação possível sobre o assunto e ir preparado para fazer perguntas, bem como ter noção do teor de verdade das respostas recebidas. Digo e repito: informação é poder! Nem sempre o mais caro é o que melhor atende nossas necessidades e nossa perda auditiva. Informe que é leitor do Crônicas da Surdez e a fono que lhe atender saberá que você é uma pessoa bem informada.

O mais valioso

A expertise de regulagens do fonoaudiólogo é fundamental! Esse profissional é a peça-chave no seu sucesso com a adaptação aos aparelhos auditivos. Em função do modelo de negócios atual das vendas de aparelhos, as pessoas acabam tendo uma ideia muito errada sobre o trabalho dos fonoaudiólogos, como se fosse eternamente grátis ou, pior, muito simples. Não é. Sem um profissional que tenha experiência com regulagens, tanto faz comprar uma Ferrari ou um Fusca.

Se existe algo que não tem preço nessa história é poder contar com um profissional de fonoaudiologia de confiança, que nos trate como seres humanos e não meros clientes, que nos mostre o caminho mais tranquilo e financeiramente viável para a resolução de nossas questões auditivas. Peça indicação a outros usuários! 😉

A sedução da discrição

Me desculpem os fonoaudiólogos que me lêem, mas eu perco o respeito por quem incentiva e reforça a ‘discrição‘ quando falamos de aparelhos auditivos. Por que? Porque isso é um apelo horroroso para fechar uma venda usando como recurso a vergonha que o paciente sente da sua surdez. Fonoaudiólogos têm um papel seríssimo na desmitificação da deficiência auditiva e deveriam, sim, educar seus pacientes quanto a isso.

Passo todos os dias por lojas de AASI e leio “aparelhos invisíveis“, “aparelhos discretíssimos“. Em primeiro lugar, saibam que os aparelhos auditivos ‘invisíveis’ ajudam apenas perdas muito, muito leves. Em segundo lugar, saibam que, em vez de tentar disfarçar o indisfarçável, o certo é comprar um aparelho auditivo que seja adequado à sua perda auditiva. Acreditem se quiser, mas muita gente compra aparelhos intracanais que nem atendem a sua perda simplesmente porque eles são ‘discretos’. Santa ignorância, Batman!

Não há nada para se envergonhar. Não compre vergonha a preço de ouro. Afinal, querer esconder algo que custa R$5000, R$10000, R$15000 me parece uma insanidade sem tamanho. Imaginem pagar R$100.000 num carro discreto, praticamente invisível. Oi?

Os impostos: dessa você não sabia

A grande maioria das pessoas acredita que os preços dos aparelhos auditivos são altos por causa dos impostos embutidos na compra, mas estão redondamente enganadas. A explicação técnica é bem simples, legislação tributária básica.

As alíquotas do II e IPI são zero. As alíquotas de PIS e COFINS na importação são 2,1% e 10,65%. Não existe isenção para esse item, infelizmente a isenção de PIS  e COFINS em casos parecidos é para material hospitalar vendido para hospitais.

O PIS e COFINS pagos na importação podem ser compensados na apuração mensal se a empresa optar pelo lucro real no IRPJ, senão esses valores se incorporam no custo do item e a empresa acaba pagando mais 0,65% e 3% destas contribuições quando vender o item. Como exemplo isso significa que um aparelho importado por 100 reais e vendido por 200 reais estará sujeito a tributação de R$12,75 (lucro real) ou R$20,05 (lucro presumido).

E fique de olho na sua Nota Fiscal! O CFOP deve ser de “Venda”, não de “Amostra”. O de “amostra” não entra no total do faturamento e por consequência não estaria sujeito à tributação. O correto é venda.

Posso deduzir o valor do aparelho auditivo do Imposto de Renda?

Não, não pode. Os aparelhos auditivos são equiparados, pela Receita Federal, às lentes e os óculos – que também não podem ser deduzidos como despesas médicas. Além disso, eles já são isentos da maioria dos impostos, portanto, em termos tributários praticamente não haveria o que deduzir.

Uma última dica

Você pode contatar as lojas que vendem as marcas que lhe interessam e ser bem específico quando perguntar o preço. É diferente perguntar “Quanto custa um aparelho auditivo?” e “Gostaria de saber o preço de um retroauricular que atenda perda auditiva profunda e não tenha recursos de conectividade“. Assim fica mais fácil conseguir a informação sem precisar perder uma manhã ou tarde de trabalho indo pessoalmente até a loja.

Não deixe de ler o post “Por que os aparelhos auditivos custam tão caro?

71 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 34 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

6 Comentários

  • Paula, boa tarde, vc poderia informar o nome das fonos e onde te atenderam?Siemens e Phonak , é isso?)Moro em Niterói no RJ !
    Mt obgda, bj.

    • Olá Mayra, tudo bem? Tbm moro em Niterói e estou em fase de adaptação com um aparelho da Siemens pela Comunicare, na Lopes Trovão. Você já usa aparelho? Alguma dica de fono/aparelho por aqui?

      Obrigada!

  • Gostaria de te fazer uma pergunta. Estou morando nos EUA e foi indicado uso do aparelho para os meus filhos, Oticon Sense Pro. Porém devo retornar para o Brasil esse ano. Eu consigo fazer a manutenção desse aparelho quando voltar ou devo esperar para comprar no Brasil. O problema é que na idade deles, 4 e 5 anos e com perda auditiva moderada,eles precisam adaptar assim que possível. O que vc me aconselha? Obrigada pelo seu blog. Tem me ajudado muito.

  • Eu estava procurando algo pra comparar preço e não foi possível.

    Mas achei um link da Phonak Pro sobre os preços. Deixo claro que os preços não se aplica pra nós. Porém é muito curioso e achei interessante compartilhar.

    Logo depois achei outro link.
    Ambos os links são fornecidos por agências governamentais canadenses sobre segurança e saúde no local de trabalho e compensação de trabalhadores que buscam os preços justos.

    Olha os preços nesse link da phonakpro:
    https://www.phonakpro.com/content/dam/phonakpro/gc_ca/en/resources/Forms/WSIB%20Pricing%20Sheet.pdf

    Outro site contendo quase todas as marcas e modelos com respectivos preços:
    http://www.workplacenl.ca/download.aspx?ID=9FE63A93-F612-459B-8F92-2BB8998E65AC

    Ambos os sites são do Canadá. Um fica na província Newfoundland and Labradortem e o outro em Ontário.
    http://www.wsib.on.ca
    http://www.workplacenl.ca/aboutwhscc/aboutwhscc.whscc

    Lembrando que está em dólar canadense.

  • Eu estava procurando algo pra comparar preço e não foi possível.

    Mas achei um link da Phonak Pro sobre os preços. Deixo claro que os preços não se aplica pra nós. Porém é muito curioso e achei interessante compartilhar.

    Logo depois achei outro link.
    Ambos os links são fornecidos por agências governamentais canadenses sobre segurança e saúde no local de trabalho e compensação de trabalhadores que buscam os preços justos.

    Olha os preços nesse link da phonakpro:
    https://www.phonakpro.com/…/WSIB%20Pricing%20Sheet.pdf

    Outro site contendo quase todas as marcas e modelos com respectivos preços:
    http://www.workplacenl.ca/download.aspx

    Ambos os sites são do Canadá. Um fica na província Newfoundland and Labradortem e o outro em Ontário.
    http://www.wsib.on.ca
    http://www.workplacenl.ca/aboutwhscc/aboutwhscc.whscc

    Lembrando que está em dólar canadense.

Deixe seu comentário