Crônicas da Surdez Fonoaudiologia

Valorize o seu fonoaudiólogo

O modelo de negócio da indústria da audição no Brasil conduz os pacientes a uma desvalorização do profissional de Fonoaudiologia. O fonoaudiólogo é peça fundamental na nossa reabilitação auditiva! O problema é que as pessoas não se aprofundam nessa questão…

Como assim? Vamos lá! A maioria absoluta dos pacientes adquire seus aparelhos auditivos em lojas que vendem apenas uma marca. Elas oferecem promoções interessantes e o preço final contempla o atendimento do fonoaudiólogo para os ajustes do aparelho durante algum tempo – em geral 1 ou 2 anos. Em vários países, isso não funciona assim – você adquire o aparelho e paga por fora os serviços de ajustes, audiometria, moldes, etc.

Isso faz com que as pessoas criem a mentalidade de que o serviço do fonoaudiólogo deve ser eternamente grátis, já que o aparelho auditivo não é um item barato. O fato de parecer grátis não quer dizer que seja grátis. A pessoa que paga, digamos, R$10.000 por um par de aparelhos e os ajusta duas ou três vezes num ano gasta o mesmo que a pessoa que paga R$10.000 por um par de aparelhos e precisa de pelo menos umas dez visitas à loja para ajustá-los. Seria MUITO melhor pagar separado pelos serviços efetivamente usados, não acham?

Antes que eu esqueça, para aqueles que acham que estão ganhando ‘pilhas grátis’ ou qualquer coisa ‘gratuita’ ao comprar AASI, fica a dica: não existe almoço grátis. Tudo está embutido no preço final pago por você, de alguma forma – não importa onde você for adquirir os seus aparelhos.

 

Antes de desvalorizar o trabalho do seu fonoaudiólogo, saiba que…

Aparelho auditivo não faz milagre

Mesmo se você puder comprar o aparelho mais caro disponível no mercado hoje, isso não é garantia alguma de que você conseguirá o resultado que almeja. São muitos os fatores envolvidos nesse quebra-cabeças: tempo de privação sensorial, tipo de perda, linguagem, estimulação, treinamento auditivo, memória auditiva, aparelho correto, etc. Você está comprando um equipamento eletrônico que vai lhe ajudar a ouvir, não o resultado que você espera dele. Não esqueça que aparelho auditivo é uma ajuda, não um ouvido novo. Quem mais se decepciona são aqueles que têm expectativas altíssimas e acham que tudo será como antes – ou que conseguirão rapidamente façanhas como falar ao telefone e não depender mais da leitura labial.

Reabilitação auditiva leva tempo

Ninguém se adapta prontamente a um aparelho auditivo. Nem em uma semana. Nem em um mês! Leva tempo, e requer muita paciência e empenho da nossa parte. Se você espera sair da loja e no mesmo dia estar “ouvindo e entendendo tudo”, meu amigo, o problema é você e não o seu fonoaudiólogo. 

Quem ouve é o cérebro

O fonoaudiólogo e o aparelho auditivo são duas grandes ajudas para levar a informação auditiva ao seu cérebro! Agora, como ele se comportará com esse estímulo, infelizmente, a ciência ainda não é capaz de desvendar. Cada caso é um caso, e a surdez é como uma impressão digital: única.

Separe o joio do trigo

Experiência requer anos de estrada, e as marcas de aparelhos auditivos lançam novos produtos o tempo todo, ou seja, os fonoaudiólogos precisam estar em constante atualização. Ir a congressos, fazer cursos, se especializar, comprar livros e tudo o que é necessário para estar atualizado requer investimento financeiro – de volta ao ‘não existe almoço grátis‘! Você não pode esperar que um fonoaudiólogo recém formado que foi contratado por um centro auditivo tenha a mesma expertise de um que regula aparelhos há muitos anos e trabalha por conta própria. Muitos profissionais que são experts acabam abrindo seus próprios negócios, seja uma clínica, seja uma loja de AASI multimarcas. Não espere que um profissional ultra experiente e especializado não cobre pelo seu trabalho ou trabalhe por valores irrisórios – você espera isso do seu médico, por acaso?

Siga as suas recomendações

As pessoas costumam seguir ao pé da letra o que os médicos dizem, mas o mesmo não acontece com o aconselhamento dado pelos profissionais da fonoaudiologia. Você está fazendo o que o seu fono lhe pediu para fazer? Está seguindo as suas recomendações? Está usando o AASI do modo como ele pediu que fizesse? Está cuidando e higienizando seus AASI como ele ensinou?Ah, pois é!

E por último…

Se cheguei aonde cheguei como usuária de aparelhos auditivos e de implantes cocleares, devo quase tudo às minhas fonos. Sem o conhecimento que elas têm, sem os anos de estudo e estrada, sem a dedicação, sem o comprometimento e sem a ética que sempre tiveram comigo, eu certamente teria desistido de usar meus AASI’s e jamais teria chegado a fazer um IC. Um bom fonoaudiólogo faz TODA a diferença na vida de uma pessoa com deficiência auditiva! Valorize o seu fonoaudiólogo!

 

Leia mais!

Preço de Aparelho Auditivo 2018

Qual a melhor marca de aparelho auditivo?

Grupo Crônicas da Surdez no Facebook

7 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

1 Comentário

  • Parabéns pelo texto e pelas palavras. Sou fonoaudióloga na área e me senti muito bem com tudo que vc escreveu. Obrigada!

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.