Menu
Armário da Surdez / Surdos Que Ouvem

Armário da Surdez: a história da Marta

armário da surdez

Meu nome é Marta, tenho 57 anos e moro no Rio de Janeiro. Sou uma surda que ouve. Vou compartilhar um relato de como saí do armário da surdez.

Trabalho como consultora de beleza da empresa Mary Kay e moro com meu irmão mais novo na zona norte. Uso aparelho auditivo nos dois ouvidos pois minha surdez é bilateral desde a infância. Sódescobri aos 48 anos, quando participei de um processo seletivo pra trabalhar como telefonista e fiz a minha primeira audiometria.

O ARMÁRIO DA SURDEZ

O que me fez entrar pro armário da surdez foi o preconceito, chacotas, piadinhas que faziam comigo e eu não reagia. Com isso passei a ter vergonha da minha surdez e dos aparelhos auditivos que tentava esconder de todo jeito.

Quando conheci o Grupo Surdos Que Ouvem e comecei a ler os comentários e posts, percebi quantas pessoas vivem com o mesmo problema que eu. Não tinha noção, porque nunca me envolvi, nunca procurei saber de pessoas com perda auditiva ou seja, eu não me considerava deficiente auditiva. Essa era a verdade.

Então me senti mais leve e passei a me interessar mais sobre o assunto e aprender também. Foi o primeiro passo pra melhorar minha qualidade de vida.

Não tinha coragem de assumir pra mim mesma que tinha uma deficiência auditiva. Eu dizia que não ouvia muito bem, mas na realidade não ouvia quase nada. Tinha vergonha de avisar para as pessoas que não escutava, ou que era surda.. Até que comecei a seguir o Crônicas da Surdez, ouvir a Paula falar, ler seus relatos pessoais e passei a ter uma grande admiração por ela. Aí a ficha caiu! Ela passou por tudo que passei, tem perda auditiva como eu, sinto admiração por ela e nenhuma por mim mesma. Por que? E comecei a mudar comigo mesma e depois com as pessoas. Foi libertador!!

Como sair do armário da surdez mudou a minha

Passei a caminhar sozinha e também a reconhecer minhas habilidades, parei de pedir as pessoas pra me acompanharem sempre que ia numa consulta médica, ou numa repartição pública, porque não ia entender as pessoas e não queira ficar pedindo pra repetir.

Vi que era desnecessário fazer isso já que poderia fazer sozinha avisando que sou deficiente auditiva e pedindo pra falarem com mais clareza e devagar. Minha vida social e minha comunicação melhoraram absurdamente!

Um conselho para você

Se aceite, se ame, se admire!! Podemos desenvolver habilidades incríveis!! Esse é o nosso diferencial. Eu nunca desisti, não consegui concluir meus estudos, pois minha família não percebeu minha surdez (por incrível que pareça) mas consegui meu certificado do ensino médio fazendo o ENCEJA. Use aparelhos auditivos, eles ajudam muito! Não tenha vergonha de usá-los , mas orgulho de poder ter esse recurso para ouvir melhor.

Pode acreditar, é libertador sair do armário da surdez!

 

NOSSAS REDES SOCIAIS

LIVROS CRÔNICAS DA SURDEZ

Neste link você encontra os seguintes livros:

  1. Crônicas da Surdez: Aparelhos Auditivos
  2. Crônicas da Surdez: Implante Coclear
  3. Saia do Armário da Surdez

RECEBA NOSSAS NOVIDADES NO SEU EMAIL

Clique aqui para receber.

LEIA MAIS SOBRE SURDEZ

About Author

Moro no Rio de Janeiro e tenho 39 anos. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Sou autora dos Crônicas da Surdez e Novas Crônicas da Surdez.

No Comments

    Leave a Reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Marque a sua consulta na Clínica Sonora