Menu
Aparelhos Auditivos / Deficiência Auditiva / Surdos Que Ouvem

Como funciona um aparelho auditivo

Quando descobrimos que temos algum grau de surdez, queremos saber como funciona um aparelho auditivo. Os aparelhos auditivos funcionam como uma grande engrenagem que opera em sintonia. Para o funcionamento de um aparelho auditivo serão necessárias algumas peças-chave: microfone, amplificador, receptor, bateria, adaptadores, além do chip de processamento sonoro. Tudo isso deve estar em harmonia e pleno funcionamento, garantindo que o usuário receberá o melhor som que o seu aparelho auditivo pode oferecer. Tudo será personalizado pelo seu Fonoaudiólogo para se adequar às suas necessidades auditivas.

Grupo SURDOS QUE OUVEM

Você se sente sozinho? Solitário? Não tem com quem conversar sobre a sua surdez? Gostaria de tirar mil dúvidas sobre os seus aparelhos auditivos? Gostaria de conversar com pessoas que já usam implante coclear há bastante tempo? Precisa de indicação de otorrino especializado em surdez e fonoaudiólogo de confiança?

Somos 22.000 pessoas com algum grau de deficiência auditiva no Grupo SURDOS QUE OUVEM. Para ganhar acesso a ele, basta se tornar Apoiador Mensal do Crônicas da Surdez a partir de R$5.

Como funciona um aparelho auditivo?

  1. Os microfones captam os sons;
  2. Esses sons serão analisados pelo chip de processamento;
  3. Os sons amplificados são enviados para o receptor;
  4. Esses sons serão transmitidos pelo receptor para o ouvido interno através do tubo do molde ou o tubo fino com o receptor dentro do ouvido;
  5. No ouvido interno os sons serão transformados em impulsos elétricos;
  6. Os impulsos são captados pelo cérebro onde serão processados.

O som percorre um caminho passando por todos os componentes miniaturizados até chegar aos ouvidos. Nesse percurso, todas as peças devem estar íntegras para a engrenagem funcionar corretamente: a finalidade é transformar a onda sonora em significado para o usuário.

Embora todos os aparelhos tenham uma construção similar, eles podem ter diferenças na qualidade sonora, quando captam os sons e na inteligibilidade de fala. Quanto mais alta a qualidade do aparelho auditivo, mais natural será a experiência auditiva do usuário. Isso porque ele oferecerá recursos como largura de banda, controle de volume automático, gerenciamento de ruído e supressor de feedback.

A mais avançada solução auditiva também oferece uma gama de opções para personalização, além da habilidade de conexão com inúmeros dispositivos, como telefones celulares, televisão, telefone fixo, dentre outros.

Você encontrará a mais avançada tecnologia nos modelos mais novos e, consequentemente com preço mais elevado. Mas fique tranquilo: existem modelos e preços de aparelhos para se adequar a todos os gostos e orçamentos. O seu Fonoaudiólogo poderá recomendar um modelo baseado nas necessidades auditivas, tipo de vida, e dentro do seu orçamento.

O segredo do funcionamento do aparelho auditivo

Essa é básica: para que o seu aparelho auditivo vá funcionar, você precisa usá-lo. E usá-lo o dia inteiro, sem desculpas e sem desistir. A adaptação aos aparelhos auditivos leva tempo, paciência e USO constante. Afinal, quem ouve é o cérebro e ele precisa fazer uma certa ginástica até começar a entender esses novos estímulos sonoros como o seu novo padrão de escuta.

Uma forma simples de entender a tecnologia das soluções auditivas é compará-la com os telefones celulares. Em relação ao smartphone, nosso companheiro inseparável de todos os dias, o aparelho auditivo tem tanta tecnologia quanto os celulares. Ele precisa que a bateria seja trocada para se manter funcionando; precisa de limpeza no molde/domo ou qualquer que seja o adaptador do paciente para a correta passagem do som; precisa ficar longe da umidade, detritos, calor excessivo e evitar quaisquer outras condições desfavoráveis que possam prejudicar o seu bom desempenho.

Outra informação crucial é que quanto mais tempo o paciente usa seu aparelho, melhor ele aprende sobre o seu funcionamento: qual é a posição que melhor se acomoda na orelha; quando deve-se trocar o filtro, domo ou molde; qual é a orelha que ouve melhor ao telefone. O usuário estabelece uma relação de confiança e dependência e, a solução auditiva vai fazer parte dessa rotina de forma contínua por muitos anos. Isso tudo ajuda o usuário a dar feedback preciso para o seu Fonoaudiólogo durante as sessões de acompanhamento. A cada sessão ficará mais fácil extrair o que há de melhor da solução auditiva que você utiliza.

Cada ser humano é único e, consequentemente, tem suas particularidades para entender sua solução auditiva, que irá acompanhá-lo na maravilhosa jornada ao mundo dos sons.

NOSSAS REDES SOCIAIS

LIVROS CRÔNICAS DA SURDEZ

Neste link você encontra os seguintes livros:

  1. Crônicas da Surdez: Aparelhos Auditivos
  2. Crônicas da Surdez: Implante Coclear
  3. Saia do Armário da Surdez

RECEBA NOSSAS NOVIDADES NO SEU EMAIL

Clique aqui para receber.

About Author

Paula Pfeifer é uma surda que ouve com dois implantes cocleares. Ela é autora dos livros Crônicas da Surdez, Novas Crônicas da Surdez e Saia do Armário da Surdez e lidera a maior comunidade digital do Brasil de pessoas com perda auditiva que são usuárias de próteses auditivas.

5 Comments

  • Moon
    30/05/2018 at 12:20 pm

    Gostaria de saber de que material acostuma ser feito o exterior do aparelho, se a parte que fica perto do canal auditivo é feito de silicone ou não e o que protege o sistema do aparelho. Obrigado!

    Reply
  • Karinne
    17/04/2018 at 9:17 pm

    Minha mãe utiliza aparelho auditivo, mas mesmo assim tem dificuldade em entender as frases na tv. Desejo saber se é normal? Ele utiliza há poucos dias.
    Grata!

    Reply
  • […] é a sua desculpa para não usar aparelho auditivo? Várias pessoas sucumbem à adaptação aos aparelhos auditivos pois esta é uma experiência […]

    Reply
  • […] A audição desempenha papel fundamental no desenvolvimento da linguagem e no desenvolvimento cognitivo da criança. Desde o nascimento, as crianças estão aprendendo com os sons significativos (fala) e com os sons do ambiente. Conforme elas crescem, aprendem a expandir seu vocabulário e aprendem novos conceitos. Dessa forma, a criança que tiver uma perda auditiva poderá apresentar atraso no desenvolvimento da fala e nas habilidades cognitivas, principalmente quando esta perda ocorrer na idade mais crítica: nos três primeiros anos de vida. Portanto, quanto mais precocemente a perda auditiva for diagnosticada e tratada, maiores serão as chances de sucesso no processo da habilitação/reabilitação auditiva e de linguagem da criança. […]

    Reply
  • Marta
    29/09/2017 at 9:08 pm

    Mesmo sabendo da deficiência e convivendo com as dificuldades de um deficiente auditivo para estudar e trabalhar demorei mais de 24 anos para aceitar esta realidade e procurar ajuda profissional. Contudo coloquei meus aparelhos e fiquei chocada de saber o quanto eu deixei de viver (ouvir), nem sabia que meu xixi fazia barulho e a água da torneira então…

    Reply

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Iniciar conversa
Clube dos Surdos Que Ouvem
Grupo SURDOS QUE OUVEM