Menu
Crônicas da Surdez

Às vezes a surdez me irrita

A surdez irrita – e irrita muito em alguns momentos e situações. Escrevi esse post na época em que usava aparelhos auditivos – hoje uso dois implantes cocleares – e tinha surdez severa-profunda. Trabalhava no atendimento ao público e chegava em casa quase sempre zonza de tanta leitura labial.

Olhando para trás, percebo que a surdez me irritava mais na época em que eu fugia da reabilitação auditiva, achando que me virava bem e não precisava usar aparelhos auditivos.  E me irritava mais ainda quando eu me escondia atrás dela, esperando mais das pessoas do que elas conseguiam me dar e gostando de estar no papel de vítima incompreendida.

Após os implantes, a vida ficou mais fácil porque o som passou a entrar e fazer sentido. A irritação diminuiu, até desaparecer. Hoje em dia, posso dizer que para a surdez me irritar, algo muito épico precisa acontecer.

Se a surdez te irrita, meu conselho é: faça uma auto-análise. Como? Que tal começar fazendo a si mesmo as perguntas abaixo?

  • Estou preso no armário da surdez?
  • Uso meus aparelhos auditivos só de vez em quando?
  • Estou fugindo de fazer minha parte no que diz respeito à minha reabilitação auditiva?
  • Tenho vergonha de falar para os outros que sou surdo?
  • Ponho a culpa nos outros por várias situações que acontecem no dia-a-dia?
  • Tenho dificuldade de comunicar às pessoas próximas como me sinto quando elas fazem algo que me magoa?
  • Estou sentado no sofá à espera de um milagre, como a cura pelas células tronco?
  • Acho os aparelhos auditivos horríveis e enormes?

Se você respondeu SIM a qualquer uma das perguntas acima, é hora de uma auto-crítica. A surdez é pessoal e intransferível, e ela ativa alguns comportamentos bem infantis na gente. Se não tomarmos cuidado, podemos nos transformar em crianças birrentas que ficam apenas apontando o dedo para os outros e não fazem a sua parte.

Ninguém pode enfrentar a nossa surdez por nós, não tem jeito. Vejam o meu caso: uma década presa no armário da surdez, muito tempo fingindo que não precisava de reabilitação auditiva, muito tempo odiando meus aparelhos auditivos, muito tempo curtindo e alimentando uma depressão e uma paralisia de viver, muito tempo esperando um milagre, sentindo pena de mim mesma e achando que os outros é que eram culpados por tudo o que me acontecia de ruim e por todos os meus sentimentos feridos.

Se tivesse continuado com essa vibe e essa atitude, JAMAIS teria saído do armário, passado a amar meus aparelhos, mudado de atitude, começado esse blog, ajudado tanta gente e voltado a ouvir através da tecnologia. A surdez vai ser uma prisão mental se você se propor a viver nela, caso contrário, sem chance.

Por isso, imponha a si mesmo uma meta: dar o melhor de si. Ir dormir toda noite sabendo que usou seus aparelhos o dia todo, treinou o cérebro e o ouvido o máximo que pôde, ensinou outras pessoas sobre a sua deficiência auditiva, ajudou outras pessoas com o mesmo problema, tentou resolver os conflitos que você acha que são culpa da surdez com os que estão envolvidos neles.

A vida fica infinitamente mais leve e melhor quando assumimos a responsabilidade que nos cabe!

Como a surdez me irritava em 2010

Às vezes a surdez me irrita. No geral, acho que lido muito bem com ela. Aprendi a ter uma paciência sobre-humana com as outras pessoas e suas grosserias, gracinhas, pressa e impaciência. Respiro, conto até 100 se precisar e tento não me abalar. Fazer o quê se isso é consequência da minha má audição?

Não ouvir me estressa menos do que precisar ter todo esse jogo de cintura com os outros. Mais do que tudo, também aprendi a ter paciência comigo e com as minhas limitações.

Porém, às vezes perco as forças. Sinto vontade de me isolar, esquecer que existe o mundo. Fico triste, irritada e me abalo. Isso acontece quando me deparo com situações em que fica nítida a minha desvantagem em relação àqueles que ouvem perfeitamente. Sou forte, mas não sou um mestre zen.

Não me importo em confessar isso para vocês pois sei que passamos pelas mesmas situações. Em casa, no trabalho, nas relações sociais. Sou humana, e de vez em quando deixo a peteca cair. Quando isso acontece, sinto vontade de desligar os aparelhos auditivos e ir para o meu canto, ficar quieta, sem precisar lidar com ninguém.

Não sei o que desencadeia isso em mim. Pode ser algo mínimo, como ver a cara de irritação de alguém que falou algo que não entendi. Ou ouvir a famosa frase ‘você não está de aparelho?’. Pode ser porque tentei de todas as maneiras entender uma frase ou palavra e não rolou. Frustração.

Em relação à surdez, acho que nada faz mais sentido do que aquela frase que diz que ‘cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é’.

E vocês, como lidam com esses dias em que a surdez irrita muito?? 🙂

Entre para o Grupo Crônicas da Surdez no Facebook

Sobre

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 38 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

39 Comentários

  • Maria Joao Silva
    06/01/2020 at 11:27 pm

    Tenho uma surdez severa desde nascença. Sempre vivi em contato com pessoas que ouvem dai tive que adaptar ao mundo delas. Fazia todo o esforço para tentar nao transparecer que era surda. O resultado: a maior parte das pessoas acham que falo/ ouço muito bem. O que nao é verdade, é principalmente disfarce. Confesso que ai a surdez me irritava, era um obstáculo que pormais eu tentasse ultrapassar nao conseguia.
    Recentemente estou a aprender a aceitar como sou. Mas confesso que estou um pouco perdida. Devia explicar/demostrar as pessoas que mais que metade das vezes nao percebi o que estao a falar? Ou devia continuar num mundo de faz de conta para agradar as pessoas ouvintes (menos a mim)?

    Responder
    • Pryscilla Cricio
      04/08/2020 at 5:12 pm

      Olá Maria,

      Tudo bem?

      Venha para o nosso grupo fechado no Facebook com mais de 15.300 pessoas com deficiência auditiva que usam aparelhos ou implantes. Para se tornar membro, é OBRIGATÓRIO responder às 3 perguntas de entrada.

      https://www.facebook.com/groups/CronicasDaSurdez/

      E para receber avisos sobre nossos eventos e cursos, por favor, clique e responda 4 perguntas (leva 30 segundos):

      https://forms.gle/MVnkNxctr1eahqR5A

      Estamos te esperando!

      Abraços,

      Equipe Surdos Que Ouvem

      Responder
  • Raissa
    02/01/2020 at 4:25 pm

    Nasci com a audição perfeita mas aos 16 anos, após fortes traumas emocionais veio a depressão, a labirintite é a surdez. No começo todos achavam que era frescura, que eu queria chamar atenção, que eu estava desatenta mas 10 anos se passaram e muitas audiometrias, ressonancia, exames e investigação foi feita pra concluir que minha perda foi emocional.
    Nesses 11 anos de surdez passei 10 sem aparelho e como eu costumo fingir que entendo o que dizem, achan que eu nao sou surda e nao preciso de aparelho.
    Quando entrei, ha 2 anos, na empresa que trabalho, eu falei da minha deficiencia bi lateral e que poderia ter problemas com telefone, mesmo assim me deram a chance. Quando o telefone tocava eu queria me esconder debaixo da mesa pois fiquei com trauma por grosserias horriveis que ja ouvi como por ex “logo se vê o nivel de contratacao da empresa por pegar alguem como você pra trabalhar” ou também ” você é burra igual uma porta” por nao entender o que ele falava.
    Por fim.. A empresa que estou hoje fez uma ação durante as minhas ferias e quando retornei me presentearam com o par de aparelhos. Quando entendi que tinha toda uma adaptação eu falei pra todos da empresa que precisaria deles nessa jornada e pra nao perguntarem se o aparelho nao funciona quando eu nao ouvir algo.
    Falei que aparelhos melhores sao mais de 20 mil e duram SÓ 5 anos (ai eles entram em choque).
    Eu procuro levar na boa. Quando conheço alguem ja aviso que sou deficiente auditiva no primeiro -an? Que eu falo rsrs.
    Lido bem, dou risada quando entendo algo errado, faço isso virar leve.
    Mas as vezes me irrito e me sinto inferior tb, apenas nao me abato.

    Responder
    • Pryscilla Cricio
      04/08/2020 at 5:18 pm

      Olá Raissa,

      Tudo bem?

      Venha para o nosso grupo fechado no Facebook com mais de 15.300 pessoas com deficiência auditiva que usam aparelhos ou implantes. Para se tornar membro, é OBRIGATÓRIO responder às 3 perguntas de entrada.

      https://www.facebook.com/groups/CronicasDaSurdez/

      E para receber avisos sobre nossos eventos e cursos, por favor, clique e responda 4 perguntas (leva 30 segundos):

      https://forms.gle/MVnkNxctr1eahqR5A

      Estamos te esperando!

      Abraços,

      Equipe Surdos Que Ouvem

      Responder
  • Bia
    01/09/2019 at 7:04 pm

    Me encontro na mesma situação, é difícil! As pessoas perdem a paciência ao falar comigo, tem dias que minha mente e minha atenção tá tão cansada que nem consigo fazer leitura labial, a vontade é fica calada e não tentar entender mais nada. A melhor coisa é chegar em casa e ir para o quarto , respirar fundo!

    Responder
  • Andrea
    04/05/2017 at 11:20 pm

    Pois é, estou lendo tudo e me vejo em muitas dessa situações citadas por vcs. Só q nas minhas audiometrias não dá perda auditiva. Mas já tem algum tempo q me queixo de não ouvir direito, meus colegas de trabalho fazem muita gozação e em casa tbm…estão perdendo a paciência comigo…. meus filhos, meu marido. Hoje mesmo por não conseguir escutar direito no telefone , deu a maior confusão em casa, era p eu ir p shopping…não escutei, fui p casa….fiquei tão triste…..me sentindo sozinha, impotente…sei lá…
    Recentemente fui diagnosticada com Síndrome de Meniere, os sintomas são zumbidos, tontura e possibilidade de perda auditiva. Mas na minha audiometria minha escuta é perfeita. A otorrino pediu p eu fazer exame de Processamento Auditivo, já marquei. Vamos ver……
    Percebo q tem lugares que fico ainda pior, no shopping, restaurantes….não sei se é questão de acústica….estou hoje bem triste . Acho q hoje me dei conta q realmente estou c problemas e como vc mesmo disse, mais difícil é perceber o qto perdemos, o qto deixamos de interagir e nos isolamos. Desculpe o desabafo… quem sabe alguém saiba me dizer algo sobre essa Síndrome.

    Responder
  • Elenice Miranda
    30/08/2016 at 11:55 am

    Fico muito triste, calada e isolada. A vida continua, respiramos fundo e mãos à obra. Atualmente estou desempregada e está difícil retornar ao mercado de trabalho. A idade, 47 anos, já não ajuda e com surdez piorou. A discriminação ainda é grande. Ainda não surtei.

    Responder
  • vera lucia polido knihs
    03/08/2012 at 5:52 pm

    Eu tenho 59 anos,e uso aparelhos,a vários anos,moro em Itajai-SC a 20 anos,mas em maio de 1.997 ,sofri um grave acidente de carro,fiquei 1 mês em coma,tive traumatismo craniano,mas eu já tinha audição comprometida,mas com o acidente de carro que sofri,comecei a fazer fisoterapias quase todos os dias,pois agora eu ando ,mas na rua só acompanhada,fazia também fonodiologia,para aprender a falar,ai a fono pediu para eu passar no otorrino,pois ela achava que tinha perca de audição,e foi comprovado uso aparelhos nos dois ouvidos,tem dias que fico tão revoltada pois além de não conseguir andar sózinha,ainda sou surda,me revolto,mas em seguida me conformo,pois acabo pensando,tem pessoas em situação pior,é que fico revoltada,mas essa revolta dura pouco tempo,meu filho de 36 anos também está com problemas de surdez,ele também usa aparelhos,mas a surdez dele é menor que a minha graças a Deus,mas infelismente ele também tem esse problema,se não me engano chama ostoclerose eu acho que é esse nome,essa doença é hereditária,tenho uma sobrinha que tem,minha irmã e minha avó também tinham.Mas temos que aceitar nossas limitaçãoes,mas tem horas que a gente que tem dificuldades para ouvir se revolta.

    Responder
  • Adriano dos Santos
    19/08/2011 at 2:50 am

    Aff, me dá uma raiva e eu me isolo. Me perguntam pq estou quieto, e fico assim pois evito de gozações e tals, pq se eu continuar a reclamar, pode continuar a discussão e com certeza vou perder algo novamente, e ficar dependendo dos outros e falando “o quê?” toda a hora… é um saco!!! Odeio realmente pessoas q dizem: “está com os aparelhos?”, “seus aparelhos estão ligados” ou “aumenta o volume dos aparelhos aê”. Confesso q tento ignorar, mas já ignorei demais! Não consigo falar o q penso e evito puxar assunto com quem não conheço! Evito simplesmente porquê vou perder algo do q estão falando… Mas, tento viver, pois sempre tem quem goste não! O ruim é conhecer pessoas novas! Mesmo assim, me identifiquei muito com o seu post! Desde já, abraços!

    Responder
  • Alane
    25/05/2011 at 6:53 pm

    Pois é, de tanto as pessoas me tratarem mal e me chamar de surda eu comecei a pesquisar na net e encontrei vocês.
    Tenho notado que não estou ouvindo direito, as vezes quando as pessoas falam comigo e eu não entendo faço cara de interrogação dai as pessoas se irritam em repetir a frase, isso machuca muito pois parece que somos surdos porque queremos. O que acaba acontecendo é a vontade de se insolar para não ter que aguentar a falta de paciência das pessoas.
    Meu pai tem problemas de audição, etá usando aparelho, se tonou um pessoa mais participativa mais alegre e menos nervoso.

    Alguem pode me dizer se esses problemas auditivos são ereditários?

    Responder
  • MONICA
    11/05/2011 at 12:04 am

    EU TAMBÉM FICO MUITO IRRITADA AS VEZES!!! TENHO VONTADE DE SUMIR DO MAPA!!!
    UMA COISA MUITO CONSTRANGEDORA É ALGUEM FALAR ALGUMA COISA, A GENTE ENTENDER OUTRA E OS OUTROS RIREM DA NOSSA CARA!!
    NAO DÁ OUTRA, SUMO DE PERTO E DESABO NO CHORO!!!
    É MUITO RUIM, PARECE QUE SOMOS ASSIM PQ QUEREMOS SER!
    ISSO NÃO É ENGRAÇADO, É TRISTE!!!

    Responder
  • Luiz Gustavo Teixeira
    24/04/2011 at 1:05 am

    Bom, a surdez é algo relativamente novo pra mim, mas, me vi em algumas situações que você descreveu.
    E eu também deixo a “peteca cair” algumas vezes.
    Mas é como você mesma disse, temos que ter consciência das nossas limitações.
    Minha tática, digamos assim, é evitar o confronto…rs, não vou em lugares que não conheço muito bem, o que podem me trazer problemas, porque às vezes fico chateado com que não entende que está falando com um surdo.
    Mas é asssim, vida que segue, e estavos vivos vamos viver….rs
    Luiz Gustavo Teixeira – Santos/SP.

    Responder
  • Ana Néry
    28/03/2011 at 12:02 am

    oiii , me identifiquei muito com seu relato, sinto a mesma coisa, a dificuldade do dia a dia me irrita sim, dá vontade de fugir de tudo e de todos, se isolar.
    Tive perda auditiva leve a moderada dos 05 aos 18 anos, conseguia lidar bem com tudo, me virava sozinha, ouvia musica, telefone , enfim, não me atrapalhava em nada. Mas dos 18 anos em diante tudo foi se tornando um pesadelo, minha perda tá progredindo, hoje estou com 28 anos, e é tudo muito difícil, me sinto muito sozinha, não consigo participar de reuniões familiares, ou com amigos, é uma tortura, tem que ter alguém do meu lado para ficar repetindo e contando o que está se falando, sabe….não entendo mais músicas, telefone, enfim, minha vida mudou muito, as coisas que faziam antigamente, não dou conta mais, me sinto muito mal por isso. É muito difícil lidar com isso, eu não estou conseguindo. e as pessoas não compreende que é difícil. não entendem…. por isso acho sim que a deficienia auditiva é irritanteee…. !

    Abraços…
    Ana Néry – Araçatuba – SP

    Responder
  • _pollyanat (Pollyana Teixeira)
    11/03/2011 at 8:21 pm

    As palavras que eu precisava ler hoje, @sweetestpblog ! Pq hoje, eu quase mandei alguém p aquele lugar! http://bit.ly/h3IcYs

    Responder
  • Janise Bottin Suardi
    05/03/2011 at 6:49 pm

    Sim, a surdez me irrita e muito. Primeiro, porque adoro falar, conversar, ouvir músicas, rádio, pessoas, e acabo me sentindo muito só. Além disso, tem a questão de ser dependente de outra(s) pessoa(s). Existe a questão de ser ajudada, se alguém escreve o que não entendi, mas também existem pessoas que não gostam de escrever. Então, eu acabo me isolando, chorando muito por me sentir muito mais só. Outra questão ainda é o barulho que escuto nos ouvidos, principalmente com o aparelho que uso para reativar as células auditivas. Abraços.

    Responder
    • Crônicas da Surdez
      15/03/2011 at 11:03 am

      Janise,
      A surdez irrita a todos nós, com certeza.
      Mas não temos como escapar dela.
      É uma questao de aprender a levar a vida com mais leveza.
      Beijos,

      Responder
  • Mariana
    04/03/2011 at 11:15 pm

    Agora que vou começar a fazer curso de lingua japonesa acho que realmente vou precisar de um aparelho.
    Eu não sabia que tinha como conseguir de graça, então obrigada por informar, vou me informar onde consigo aqui na minha cidade.
    Obrigada pelas respostas, foram muito uteis

    Responder
    • Crônicas da Surdez
      15/03/2011 at 11:05 am

      Que bom que te ajudamos!
      bjos,

      Responder
    • D.Damas
      30/03/2011 at 12:59 pm

      Ola mariana ,estive sumido por uns dias e nao vi que tinha ido para a batalha, , mas me diz uma coisa e como ésta agora , alguma novidade de aquisição do aparelho ? quando conseguir , se ja conseguiu nos diga como foi , abçs estou torcendo

      Responder
      • Mariana
        04/05/2011 at 11:42 pm

        Minha mãe disse “não tem de graça aqui na cidade vou tentar comprar um”, mas, bem, “tentando comprar” ela já está desde o ano passado, prometeu ‘n’ vezes, mas nunca passa de promessas.
        Agora é minha tia quem tá me prometendo, espero que ela esteja seria sobre isso, porque já estou até perdendo as esperanças.
        No meu curso de japonês não escuto absolutamente nada, quando falam comigo apenas finjo que entendi e acabo ignorando pra não prolongar a conversa.
        Em casa tenho que pedir ‘n’ vezes pra repetir, e às vezes continuo sem entender.
        Quando vou ao correio, mercado ou outro lugar para comprar, tenho que ficar sempre olhando para o computador para ver os preços, porque nunca escuto quando me dizem.
        Tá um verdadeiro inferno… a unica coisa que me consola é eu ainda poder ouvir minhas músicas preferidas.

        Responder
        • Demer damas
          05/05/2011 at 4:03 pm

          Ola mariana , não perca a esperança , continuamos na torcida para que vc consiga um aparelho para vc , aproveitando esse espaço , certo dia eu encontrei um site de uma empresa que achei muito interessante e a paula permitiu que a informação fosse divulgada aqui no blog , bom o local é http://www.solarear.com.br , para quem esta em São Paulo o endereço Rua Aimberê, 436 São Paulo CEP 05018-010 Brasil fone :11 2614-9241
          Nesse site tem informações muito boas que um aparelho saindo por 300 reais , essa empresa estava numa reportagem da revista epoca do dia 04/04/2011 , tem varios produtos inclusive um carregador solar para pilhas que por sinal é bastante útil , qual usuario aqui que ja ficou sem uma pilha num fim de semana e pior num feriado prolongado . nem gosto de lembrar isso aff .
          Bom no seu curso de Japonês é fundamental que vc não finja que entendeu pq se não é tempo perdido , não tenha vergonha , diz logo não entendi prof , pergunte ate entender vai ser melhor pra vc , o conhecimento será melhor. Em casa pergunte mesmo , pergunte um milhão de vezes , ate para torrar a paciência de sua tia e ela cumprir o prometido 🙂 tenho certeza que um dia vc consegue .

          Responder
          • Mariana
            06/05/2011 at 4:20 am

            Mandei um email para esse site, vou esperar um retorno.

  • Mariana
    03/03/2011 at 9:49 pm

    Por problemas neurologicos tenho a audição diminuida no ouvido esquerdo e sou completamente surda no lado direito.
    Como não tenho dinheiro pra comprar um aparelho todo dia tenho que lidar com situações chatas de não ouvir. Raramente saio de casa, mas já é um sufoco por não entender o que minha mãe diz, abano a cabeça (mesmo sem entender nada) e volto pro computador. Pra sair de casa, (quando sei que vou ter que me comunicar com alguém) levo minha prima, ela é quem conversa e resolve tudo pra mim.
    O unico alivio é ainda ouvir com o ouvido esquerdo, pelo menos posso me enfiar no quarto e escutar minhas músicas preferidas.

    Responder
    • Crônicas da Surdez
      04/03/2011 at 10:09 am

      Te enviei email.

      Responder
    • Demer damas
      04/03/2011 at 12:15 pm

      Ola mariana , bom vamos tentar alguma coisa para melhorar essa situação , olha só um aparelho auditivo tem varias formas que vc pode tentar adquirir um, alguns exemplos , governos estaduais sempre tem seus departamentos para doação de proteses auditivas .. etc , é uma burocraccia normal , tipo exames audiometricos , essas coisas , depende de cada local . mas sempre se consegue , basta vc querer , se informar que vc encontrará um meio. hoje em dia , existe inúmeras empresas que vendem os aparelhos que necessitamos, algumas empresas parcelam o valor em inúmeras prestações , uma delas é a siemens que eu ja vi parcelar em 24 meses, isso ajuda e muito, e um aparelho auditivo tem uma vida média de 10 anos , depende de cada um cuida de seu bom amigo. ja usei por 12 anos sem problemas so pequenas revisões. Mas vc vai falar ha é caro , claro que é caro , mas alguns sortudos que tenha uma perca auditiva leve , o aparelho sera muito mais baratos. o meu caso é severo profundo , no meu caso so serve se for “ferraris ” aparelhos com muita potencia . mas tem aparelhos com perca auditiva leve com preço dentro da realidade . ha quer preço .ja vi aparelhos de 1000, e tambem de 8 mil , não adianta a pessoa inventar , o aparelho é praticamente algo pessoal , são feitos testes e mais testes para acertar o tipo correto para vc. Como é que vc vai fazer no dia que sua prima não puder te ajudar ? quanto a sua mae , toda mae é mae e é paciente , olha pro rosto de sua mae , e começa a tentar fazer leituras labiais, isso vai ser incrivel para vc . peça para repetir o que disse e assim por diante . Não é uma boa idéia se isolar em sua casa , vc um dia vai precisar , vc um dia vai precisar estudar , trabalhar , e como fará ? enfrentar o mundo logo é a melhor forma para vc superar isso , e desejo boa sorte .

      Responder
  • Greize
    20/01/2011 at 8:10 pm

    Sobre o caso da Denise, foi justamente por isso que hj, se faz IC, apenas qdo não tem mais nda de audição nos ouvidos.Pq no passado segundo meu otorrino, quem fez e usava aparelhos tiveram duas referências sonoras, fazendo o cérebro ter um desgaste mto grande!

    Responder
  • Caio
    18/01/2011 at 3:08 pm

    Isso aconteceu ontem comigo. Na verdade, so tomei conhecimento do blog ontem devido a uma dessas “crises”( o que graças a Deus são bem raras), mas chateia muito quando ela é desencadeada, como a Paula disse, e comigo aconteceu quando um amigos (sera mesmo amigo?) começou a me chamar quando estava de costas e porque viu que eu estava sem aparelho. Não escutei como esperado e mas a gargalhada entre ele mais 3 ja estava rolando solta.
    Caí no recolhimento a noite, fiquei insone vim pra internet no intuito ler alguma coisa relacionado a deficiencia auditiva…e bingo! Encontrei esse blog maravilhoso que considero superimportante pois serve como amparo sentimental e uma troca de experiencia entre todos nós que temos muito em comum.
    Parabens Paula por nos proporcionar essa psicologia de apoio em grupo virtual!

    Responder
  • demer damas
    15/01/2011 at 6:12 pm

    Ola pessoal , belo blog paula, tenho surdez severa profunda e surdo total de um ouvido, passei por aqui por acaso estou procurando novidades de um novo aparelho , devido ao meu grande amigo siemens phoenix 303 se danificou , tem tanta coisa que irrita um deficiente auditivo , vamos la , comigo na infancia alguem lhe chamar de surdo ou tu é surdo ? hehe era o mesmo que chamar para briga e tinha que se garantir porque ia se machucar ,era muito nervoso por causa da situação , hoje tenho la minha paciencia, minha mae falou meu filho tenha paciencia se todo mundo te chamar de surdo , surdão , etc e vc partir paara a briga vc vai ter que brigar com o mundo inteiro, tem razão ne, a partir dai tive que aprender a ter paciencia, as vezes perdemos ela , ou ela se esgota ,ou estamos num dia incrivelmente ruim, se nesse dia alguem me perguntar o que é na orelha corria o risco de receber uma tremenda resposta mal educada.
    Foi assim ate o fim da adolescencia , e a partir daí entrando na fase adulta , é a fase em que nós vamos para a luta , para tentar trabalho , a coisa complica muito , ja foi pior ninguem no passado contrata um deficiente surdo hoje ja esta um pouco melhor , apesar de ser funcionario público , conquistei a minha vaga no estudo , vejo que esta muito melhor mas pode melhorar, no meu trabalho o fato de nao usar o telefone ja me causou transtornos profissionais , sendo remanejado para varios locais , o pessoal tem a mania horrorosa de pensar que o deficiente é idiota , que é um retardado , tem muita gente que paga um preço alto por achar que sou um desses tipos , e me transformo no pior individuo anti social do planeta. pedir amigo ou amiga para resolver problemas por telefone , é ruim essa parte, num bom filme na televisão o closed caption não funcionar , falo que é folga do funcionario ou ferias da maquiniinha , mas sem as letrinhas fica dificil. um fulando estas a falar com vc e começa a gritar ou fala para o chão , esse eu chamo de mal educado e pedindo para ser inimigo irritante eim, tem tambem algumas vantagens são pequenas mas são , um vizinho adora fazer da rua um baile de carnaval, desligo o meu amigão e vou dormir tranquilo , chefe quando começa a ter crise de autoridade de ser o tal , desligo o aparelho e fico ate o cara se cansar , ai o cara pergunta vc entendeu , e eu hã ? barulhos de um onibus, metrô , simples desliga e fica tranquilo , mas é isso aí a vida continua , coisas irritantes sempre vamos ter , não temos para onde correr força a todos 🙂

    Responder
  • Greize
    06/01/2011 at 11:25 am

    Hj a surdez me irritou demais, se ouvisse bem pegava minhas malas e sumia, odeio ter que depender dos outros!!e sim as vezes vc fica calada as as vezes vc explode!!!
    AFFFF

    Responder
  • Denise de Salles
    27/12/2010 at 1:07 pm

    Olá pessoal. Começo dizendo que não sou deficiente auditiva, mas sou esposa de um. Meu marido desde os dezoito anos tem apenas 10% de audição direita e a esquerda era normal, até que no dia 13.09.2007 ele dormiu ouvindo e acordou surdo do ouvido esquerdo. Diagnóstico: surdez súbita. Tentamos reverter a situação que não foi possível e em 15.12.2007 ele se submeteu ao implante coclear. Então, hoje, ele usa um aparelho auditivo do lado direito e um implante do lado esquerdo. Não é fácil ser surdo, mas também não é fácil estar ao lado de um. Ele se irrita muito com a sua situação, até porque o cérebro dele stressa, ele tem duas referências sonoras: de um lado o som normal (com o aparelho houve apenas 25%, se tanto), e do outro o som completamente digitalizado. Esse estresse acaba virando sempre uma irritação, mas fazer o que não é? Desde o início eu sempre faço com ele o que eu gostaria que ele fizesse, se fosse comigo, agora: paciência é fundamental, para TODOS, os deficientes e seus familiares, amigos, etc. Eu só sei de uma coisa, quando alguém na sua família fica surdo, você fica também. Percebi que aquele que se torna surdo começa a evitar a falar, fica mais calado. Quem está do lado tem que ter a percepção, ser sensível e estar junto, incluí-lo na situação. O otorrino, quando operou o meu marido perguntou o que eu sentia depois que ele ficou surdo. Brincou dizendo que quem fica surdo fala alto, uma vez que perde a percepção da altura que está falando, deixa o outro surdo também. Aí eu respondi que não, ele ficou surdo e eu muda, porque ele evitava falar e se expressar. Isso não pode acontecer.
    A surdez irrita? Imagino que não seja fácil e tenho certeza que irrita sim, agora, apesar de difícil, penso que o certo é aprender a conviver com essa situação. Calma! Exercitar a calma também ajuda. Parar, respirar e continuar a vida. Temos que viver bem, cada um do seu jeito, não é mesmo? Fácil???? Não é para ninguém. Abraços a todos. Descobri esse espaço e desejo visitá-lo sempre. Denise

    Responder
    • Crônicas da Surdez
      27/12/2010 at 1:58 pm

      Denise,
      Te enviei um email.
      Acho que seria muito legal se tu compartilhasse tuas experiências conosco!
      Bjosss

      Responder
  • Gui Chazan
    22/12/2010 at 11:29 pm

    Já faz algum tempo que não me irrito com isso…

    Quando acontece, fico anti-sociável. Evito a conversa quando posso… mas algumas pessoas vêm ao meu encontro. Restrinjo minhas “explosões emocionais” na minha mãe e irmã, quando resolvem me torrar a paciência – pior que elas normalmente têm razão…

    Exceto por uma vez, nunca desligo o aparelho e o implante. Falta tremenda de respeito pelas pessoas que me ajudam a ouvir. Mas que dá vontade de desligar, dá. “Muita calma nessas horas”.

    Responder
  • Leticia Yumi
    22/12/2010 at 12:31 pm

    Não sei como fazer esse comentário, é minha primeira vez que comento… Mas quem liga? Meu nome é Leticia, fiz 15 anos em agosto, sou deficiente auditiva desde que nasci, uso aparelho auditivo desde que tinha 1 ano, tenho implate coclear desde quando completei 3 anos… Poucas pessoas sabem o que é isso na minha idade. Nem sempre surdez me irrita, ai, como posso explicar isso? Todos dias, tenho que desligar e ligar, guardar, trocar baterias, limpar, e tudo para meu aparelho para eu poder ouvir melhor. Eu tinha raiva no começo quando era criança mas já virou rotina. Hoje em dia, não sei o que eu seria sem meu aparelho, nem consigo imaginar onde eu estaria. Toda vez que ficava triste, aos poucos, começo a lembrar que tenho amigos, minha família, minha cama, minhas botas (sério, minhas botas são lindas!), minhas viagens inesquecíveis fora do Brasil e… Tudo que não se pôde imaginar que meus pais fizeram por mim. Mas, surdez não é única coisa que me irrita, tem minha irmã caçula que me irrita profundamente, minhas cachorras, meus professores, meus amigos e muitos por aí. Confesso que fiz muitas besteiras só por se achar uma aberração por não ouvir perfeitamente e que não me orgulho por ter feito.

    Responder
  • Samara Correia
    18/12/2010 at 11:32 am

    Assim como tem dias que acordamos de mal humor, pensando que somos feias, sem coragem de sair de casa, tem dias que acordamos sem coragem de (sem vontade) de superar os desafios da surdez durante o dia. Nesses dias, coisas básicas como alguém falando ‘você não está de aparelho?’ é o fim da vida!

    Mas, o importante é não deixar isso levar mais que um dia!

    bjus

    Responder
  • Greize
    14/12/2010 at 3:23 pm

    Paula vc não tem que ser forte o tempo tdo, ficamos tb com o clichê “vcs são guerreiras”.Uii acho q tdos prefeririam guerrear menos e Ouvir mais rssr. SOMOS HUMANOS, tem dias q estamos bem outros não .E tem dias q não ouvir, irrita demais, ainda mais em final de ano, gente que loucura, lojas lotadas, ruas lotadas, tdos gritando com os outros ,sem paciência com ninguém, se vc não ouve direito então aff espírito natalino sei.Tô correndo!hehe
    Gosto de um versículo q diz: o homem vê o exterior, mas Deus o interior.Só Ele sabe o que se passa la dentro do nosso coração!!
    Agora p/ descontrair, ficar 100% Zen?Só num mosteiro,please, pq é voto de silêncio direto me ajuda ai.kkkkkkk
    Bjussss Flor!!

    Responder
  • Bia Maia
    14/12/2010 at 2:09 pm

    Paulinha, não tenho nenhuma deficiência auditiva, mas na vida ninguém está livre de problemas, não é mesmo? Não estou querendo de modo nenhum minimizar as suas dificuldades, é que cada um sabe onde te aperta o calo. Deixar a peteca cair é normal, se frustrar, achar que não é bom o bastante, que está em desvantagem quando comparado aos outros…
    E se a gente consegue se livrar dos sons que vem de fora, os que vem de dentro nunquinha ficam silenciosos…
    o blog tá ótimo, viu!
    Beijos!

    Responder
  • Ju Queiroz BsB
    14/12/2010 at 1:29 pm

    Eu não tenho problemas de audição, mas imagino, isso mesmo, só imagino, como você se sente. Se se sentir triste ou irritada , extravase da maneira que achar melhor. E sim, continue praticando a paciência. Porque ela num é virtude bosta nenhuma, é prática pura!!!! Eu sei que em alguns momentos ficamos fragilizados ou nos sentimos abalados, mas bola para frente. Todo dia é dia de superação.
    Gros bisous, madame!

    Responder
  • 14/12/2010 at 9:05 am

    Choro, fico triste, logo, lembro que existo, e passa toda raiva.

    Bjs

    Responder

Escreva um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.