Menu
Implante Coclear

Dicas para se adaptar ao implante coclear

Chegou o dia da ativação do seu implante coclear? É claro que iríamos fazer um post com dicas para se adaptar ao implante coclear. A adaptação ao IC é um processo, e você deve encará-lo sem ansiedade e comparações com outras pessoas. Seja paciente! O som inicial pode ser esquisito, e a descoberta de quão barulhento é o mundo pode ser um pouco perturbadora.

Este post traz algumas dicas muito úteis para você se adaptar ao implante coclear e navegar por esta estrada da melhor maneira possível.

Leia o manual do seu aparelho!

Parece bobo dar uma dica dessas, mas poucas pessoas se dão ao trabalho de ler o manual com calma. O fonoaudiólogo responsável pela programação do seu implante vai lhe ensinar muitas coisas sobre ele no dia da ativação. Mas lembre-se que, entre a ansiedade, o nervosismo e a quantidade de informações novas, será difícil gravar todas as instruções para lembrar delas depois.

As marcas possuem vídeos explicativos em seus canais no Youtube sobre como colocar a bateria, cabo da antena, como usar o controle remoto, como fazer o pareamento com dispositivos via  bluetooth, como trocar o programa ou configurar o volume, entre outras coisas.

Ler manual vai te preparar para lidar com qualquer problema do seu aparelho! Então, mãos à obra! 🙂

Primeiros meses após a ativação…

Leve sempre com você o controle remoto do seu processador de fala para alterar o volume do som em diferentes ambientes ou alternar entre diferentes mapas. Entrou em um restaurante muito barulhento e se sentiu incomodado? Abaixe o volume. A voz das pessoas está muito alta? Abaixe o volume. Está difícil ouvir aquele som específico? Aumente o volume e veja se melhora. Ter o controle sempre à mão na fase de adaptação vai lhe ajudar a ter mais conforto auditivo.

O tempo de uso do implante coclear é uma das chaves para a melhoria do som que o seu cérebro percebe.  Por isso, é preferível diminuir o volume diante do desconforto auditivo do que desligar o IC. Desligar e desistir do uso ao menor sinal de dificuldade e desconforto não são atitudes inteligentes.

Meu processador de fala cai da orelha. E agora?

Às vezes o IC (especialmente em crianças) fica caindo da orelha, e isso atrapalha a adaptação. Temos alguns truques que podem te ajudar! 🙂

  1. Fita de peruca: corte um pedacinho da fita de peruca e cole no processador de fala antes de colocá-lo atrás da orelha. Essa fita tem alta fixação e garante que ele permaneça no lugar.
  2. Gancho do processador de fala: alguns modelos vêm com diferentes ganchos (earhook) e podem ter diferentes tamanhos. Experimente-os até encontrar um que encaixe bem na sua orelha.

E o ímã?

Quando o ímã está fraco, a antena fica frouxa e pode se soltar com facilidade. Neste caso, comunique a sua equipe médica para realizar a troca do ímã por um mais forte. O imã ideal é aquele que não fica nem frouxo, nem apertado. Cada pessoa possui uma espessura diferente da pele, por isso as forças dos ímãs podem variar.

Eu sinto dor na região de antena/imã!

Após usar o seu IC durante o dia inteiro, você pode sentir um pouco de sensibilidade na área – o que é normal durante o período de adaptação. Com o tempo, essa sensação melhora. Caso sinta muita sensibilidade, converse com seu médico. Se a sensibilidade for tolerável, desligar o IC e tirá-lo um pouco pode ajudar a melhorar. Só você conhece os seus limites.

É muito importante prestar atenção à força do seu imã. Se o imã estiver mais forte do que o necessário para a sua pele, isso irá causar dor e/ou vermelhidão na região por excesso de pressão. Peça para alguém observar e verificar se a região está vermelha ou com alguma ferida. Diante desses sintomas, diminua a força do imã e comunique isso à sua equipe médica.

Alguns modelos de processador de fala permitem rosqueamento do imã para afastá-lo da pele, diminuindo a sua força. Porém, em alguns casos, isso pode não ser suficiente e será necessário trocar o ímã por um de menor força.

No caso de usuários dos processadores de fala, do modelo Kanso (Cochlear) ou Rondo (MED-EL), não é possível rosquear o ímã. Mas há alguns truques para diminuir a força do ímã e trazer mais conforto: colar na traseira do processador um adesivo redondo de EVA ou Band-Aid redondo (que podem ser colados um em cima do outro, criando camadas).

Conheça o seu corpo e seus limites

Às vezes a fase inicial de adaptação ao IC pode trazer cansaço físico e mental, além de dor de cabeça. Após um dia agitado e de muito esforço auditivo, se você se sentir esgotado, desligue o IC, permitindo que o seu cérebro descanse.

Novos mapas, que em geral são mais potentes, podem nos deixar cansados e irritados nos primeiros dias de uso. Isso é normal.  O fonoaudiólogo costuma deixar o mapa antigo no seu IC por precaução, e também para lhe permitir acompanhar a sua evolução e poder comparar as diferenças de percepção sonora entre um mapa e outro. Lembre-se: sempre que você passar muitos dias não gostando de como o novo mapa é, a melhor opção é retornar ao fonoaudiólogo e fazer novos ajustes.

O que faço para melhorar o som do meu IC?

Embora a gente fale repetidamente que você deve esquecer as expectativas, todo usuário novato de implante coclear alimenta as suas. A fórmula mágica para a melhoria do som é: tempo de uso + paciência + treinamento auditivo + novos mapeamentos.

  • Tempo de uso do IC: Assim como ninguém perde 30kg em um mês se decide emagrecer, ninguém passa a ouvir e entender tudo o que ouve após incontáveis anos de privação auditiva num passe de mágica. Você pode começar usando o IC algumas horas todos os dias, mas sua meta deve ser sempre a de usar da hora em que acorda até a hora que vai dormir, tirando apenas para tomar banho.
  • Paciência: Tenha paciência com o seu progresso e não se compare com outras pessoas. Cada caso é um caso! Cada pessoa é única, tem o seu próprio ritmo e resultado! Comemore cada pequeno ganho diário.
  • Treinamento auditivo: o seu cérebro precisa aprender a interpretar os novos estímulos tão diferentes do seu implante coclear, por isso o treinamento auditivo é fundamental para a sua evolução. O que seria treinamento auditivo? Ouvir músicas, ler e ouvir audiobooks, ver filmes com legendas, prestar atenção ao no ambiente ao seu redor, treinar palavras, frases e muito mais!
  • Neste post você acessa um compilado de dicas de aplicativos gratuitos para fazer treinamento auditivo em casa. Se tiver possibilidade, procure um fonoaudiólogo especializado em treinamento auditivo e faça sessões com ele. Nem todo mundo precisa de sessões individualizadas de treinamento auditivo, mas no início, elas são de muita ajuda para qualquer novo usuário.
  • Mapeamento: é a programação que um fonoaudiólogo especializado fará no seu implante coclear. Novo mapeamentos significam acesso a novos sons, mais refinados, mais altos. No primeiro ano de uso do implante coclear, o ideal é que você vá fazer um novo mapa a cada um ou dois meses. Para progredir e ter melhores resultados, você precisará fazer novos ajustes de tempos em tempos. No segundo ano, é provável que o espaço de tempo entre cada novo mapa seja maior. Dica: ao sair da consulta de mapeamento, já deixe a próxima marcada.

Chegou o dia do novo mapeamento do IC…

  • Faça um diário com anotações das suas percepções (positivas e negativas) e mostre para o seu fonoaudiólogo;
  • Converse  sobre as possibilidades de diferentes programas e filtros para diferentes situações sonoras com o seu fonoaudiólogo (cada marca possui suas peculiaridades)
  • Peça sempre para que seu mapa anterior permaneça no seu IC, por segurança (caso você não se acostume à nova programação) e para comparação.

Sinto incômodo ao ligar o meu IC!

Algumas pessoas relatam desconforto ao ligar o implante coclear após passarem muito tempo no silêncio. Alguns modelos fornecem a possibilidade de você ligar o som em um volume baixo que vai automaticamente aumentando, até normalizar. Isso ajuda a melhorar a sensação de ligar o implante coclear, já que o som chega aos poucos e mais suave! Converse com o seu fonoaudiólogo sobre esta possibilidade.

Um jeito mais fácil de resolver esse desconforto, se e quando ele acontece, é ligar o seu implante num ambiente silencioso. Por exemplo, no seu quarto, com portas e janelas fechadas. Após alguns minutos, você se desloca para outro cômodo com mais barulho e vai se acostumando.

Trabalho em equipe!

Envolva a sua família, seus amigos e seu fonoaudiólogo na sua adaptação. Explique o que lhe ajuda, o que lhe irrita e como eles podem colaborar com o processo.

Se tiver a oportunidade de ter um fonoaudiólogo especializado em treinamento auditivo envolvido nessa fase inicial, você pode ter acesso a relatórios sobre o seu progresso. Com isso, o profissional que faz os seus mapas terá um ótimo material em mãos para criar novas estratégias para melhorar a sua audição! Após o mapeamento, ela pode fazer um relatório para a fonoaudióloga de terapeuta auditiva avaliar as mudanças do seu mapa e elaborar um treinamento auditivo em cima disso.

Por último

Busque uma rede de suporte e apoio online. Recomendamos o Grupo Surdos Que Ouvem no Facebook, com mais de 16.000 membros. Para que sua adaptação ao implante coclear aconteça da melhor forma, o som deve ser confortável e você deve se sentir confiante, compartilhando suas dúvidas, medos e progressos com pessoas que já passaram por isso

Aproveite o mundo e explore os novos sons! Boa sorte!

*Post escrito com a colaboração de Maria de Menicucci

Sobre

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 38 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

Sem comentários

    Escreva um comentário

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.