Site icon Crônicas da Surdez – Surdos Que Ouvem – por Paula Pfeifer

Implante coclear pelo SUS: tudo o que você precisa saber

implante coclear SUS

O implante coclear é uma das maravilhas da tecnologia do mundo moderno. E o melhor, está disponível em nosso Sistema Único de Saúde, o SUS. Como e onde você pode buscar essa reabilitação auditiva?

Quais os critérios para o implante coclear pelo SUS?

Os critérios completos definidos pela portaria 2.77/2014 do Ministério da Saúde podem ser consultados aqui. Bem resumidamente, são nos casos de:

Perda auditiva bilateral (nos dois ouvidos) de grau severo a profundo quando os aparelhos auditivos convencionais não têm resultados satisfatórios. 

Para cada caso, avalia-se a idade em conjunto com outros fatores, como o psicológico, de desenvolvimento de fala, entendimento com os aparelhos auditivos (AASI) e as estruturas do ouvido, que serão analisadas pelo otorrinolaringologista com os exames de imagem.

Além da perda auditiva bilateral severa a profunda, são analisados critérios como o tipo da perda, se é pré-lingual (antes de aprender a falar) ou pós-lingual (depois de aprender a falar), o reconhecimento de fala com aparelhos, a adequação psicológica e motivação da família e o compromisso em cuidar dos implantes. 

Portanto, o quanto antes você precisa entrar na fila de espera para ter o seu caso analisado por uma equipe especialista. 

Primeiro Passo para fazer Implante Coclear pelo SUS

A maioria dos centros especializados em implante coclear do SUS aceitam pacientes somente via encaminhamento do posto de saúde do SUS, mas existem alguns que recebem pacientes por inscrição diretamente no próprio centro, por email ou pelo site.

Portanto, primeiro passo: ir ao centro de saúde (unidade básica / posto de saúde) do SUS mais próximo de você para iniciar o processo. 

 

E onde estão os centros do SUS de implante coclear do Brasil? 

Rio Grande do Sul

 

Santa Catarina

 

Paraná

 

 

 

 

São Paulo

 

 

 

 

 

 

Rio de Janeiro

 

Minas Gerais

 

 

 

 

 

Espírito Santo

 

Brasília

 

Bahia

 

Pernambuco

 

 

Rio Grande do Norte

 

Ceará

 

 

Piauí

 

Pará

 

Sergipe

 

 

Goiás

 

Fonte: Grupo de Implante Coclear do HC-FMUSP e CNES/DataSUS

 

Você sabe de mais algum lugar que esteja ativo no atendimento de implante coclear pelo SUS ou tem alguma informação sobre a lista?

Mande pra nós no paula@cronicasdasurdez.com para atualização. Uma relação completa de estabelecimentos habilitados, entre públicos e particulares, para o implante coclear você pode consultar aqui neste banco de dados do SUS. 

Principais Dúvidas

Mas o implante coclear do SUS é bom?

Há no mundo 5 marcas de implante coclear, e apenas 4 com permissão no Brasil. Então, as marcas implantadas pelo SUS são as mesmas implantadas em planos de saúde, ou seja, não tenha dúvidas quanto à qualidade.

Pode apenas mudar o modelo, às vezes pelo SUS é o último modelo lançado, e na maioria das vezes é um modelo anterior, mas todos ainda “vigentes”, ou seja, não estão obsoletos.

Sobre o profissionalismo das equipes, não há dúvidas, o serviço público conta com hospitais universitários pioneiros e com muitos anos de experiência no assunto. Não há motivo nenhum para ter receio!

Se fiz pelo SUS, tenho que ser sempre atendido pelo SUS?

Não, se você tiver um plano de saúde depois, poderá fazer todo o acompanhamento, manutenção e troca do processador externo pelo plano, como também a cirurgia do outro ouvido, caso já não tenha feito os dois lados pelo SUS.

O SUS troca os processadores dos ICs (parte externa)? 

Sim, mas este processo ainda está em implementação  no país, pois a portaria MS 375 de 2019 regulamentando a troca e manutenção dos processadores é recente. Para a troca da parte externa, os critérios são: 

  “A troca deve se dar por um dos seguintes motivos: 

  1. a) quando o processador de fala tiver 7 anos ou mais de uso e se encontrar em obsolescência e descontinuado, devidamente oficializado pelas empresas que comercializam a prótese no País; 
  2. b) em razão de mau funcionamento atestado pelo médico e pelo fonoaudiólogo, (…)
  3. c) em caso de perda, furto ou roubo, devidamente comprovados por boletim de ocorrência;” 

Segundo as diretrizes gerais para implante coclear e implante ancorado no osso, na teoria deveria ter a manutenção de baterias, cabos, desumidificadores, ganchos, antenas, ímãs e outros componentes pelo SUS. Infelizmente, na prática são pouquíssimos os centros que conseguem atender a esta demanda.

Muitos usuários optam por tentar sempre trabalhar onde possuem plano de saúde para poder ter toda essa assistência, ou pleiteiam na Defensoria Pública. De qualquer maneira o primeiro passo é solicitar a manutenção onde você é atendido. 

Vale a pena ir longe para fazer o IC? 

Pense no seguinte: tendo a chance, seja ela grande ou pequena, de ouvir, quão longe você estaria disposto a ir? O que são alguns dias de viagem comparados a uma chance de ter muitos anos de uma audição melhor?

O implante coclear é recomendado a quem já não tem mais nada a perder de audição. Então se for preciso dar a volta ao mundo, dê! E lembre-se de pedir nos posto de saúde orientações sobre o Tratamento Fora de Domicílio do SUS, que providencia transporte, alimentação e hospedagem, quando necessário. 

Veja na lista acima que em São Paulo há 3 centros de implantes destacados em vermelho, de Ribeirão Preto, Marília e Unicamp, pois aceitam pacientes de todo o país. Você pode fazer também o Passe Livre Federal para viajar e fazer o implante, leia aqui mais informações. 

Está no caminho para fazer o implante, mas quer mais informações e relatos de outros usuários? 

Sair da versão mobile