Aparelhos Auditivos Crônicas da Surdez Deficiência Auditiva

Surdez moderada: o que você deve saber sobre esse grau de deficiência auditiva

*Post escrito por Danielle Kraus Machado

Em 2017 falamos aqui sobre surdez moderada bilateral. Nesse grau de surdez, é muito comum ter dificuldade de entender um nome próprio, um número ou uma sigla, e tudo o que não é algo comum do dia a dia. É ouvir pelo contexto e adivinhar aquelas palavras não compreendidas, com ajuda dos sons e leitura labial.. Um “Bom dia, tudo bem?” até é fácil, mas para as palavras diferentes, compreender exige ouvir cada som: e é aí que está a nossa maior dificuldade.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a OMS, a surdez moderada é quando na audiometria a média de decibéis nas frequências entre 500Hz e 4000Hz está entre 41dB e 60dB, se for a partir de 60dB, já é o início da surdez severa. Na prática, é quando a pessoa ouve o choro de um bebê e de uma buzina, mas tem muita dificuldade de ouvir uma conversa em volume normal e não escuta cochichos.

A perda auditiva moderada é como você ouvir a televisão e parecer que é uma palavra em português, outra em chinês, outra em russo, de novo uma em português…Uma salada daquelas! E aos poucos, vamos imaginando o que devem ser aqueles sons: mas nem sempre acertamos!

Essa perda auditiva nos dá a falsa impressão de oscilar entre dois mundos, como se fôssemos surdos e ouvintes, dependendo da situação auditiva! Quando ouvimos algo sem os aparelhos auditivos (AASI), ou achamos que ouvimos bem demais com eles, começamos a duvidar se somos surdos ou não…

Começam os pensamentos: “Será que não escuto mesmo? Será que não sou só desatento como dizem? Será que minha audição está piorando ou melhorando?”…Mande embora já essas dúvidas! Por causa delas muitos ignoram a reabilitação auditiva e deixam para usar aparelhos auditivos só depois de muitos anos, o que torna a adaptação mais difícil. E, claro, faça audiometrias frequentemente, para que os AASIs sejam ajustados corretamente.

E já garanto a vocês: a adaptação com os aparelhos auditivos pode até ser demorada ou difícil, mas vale totalmente o esforço, mesmo que no começo tudo pareça muito alto e diferente! Temos diversos modelos de próteses auditivas que atendem o grau moderado, e a dificuldade no começo é comum: como estamos acostumados a ouvir certos sons de forma “natural”, sem aparelhos auditivos, então qualquer som “artificial” no começo é estranho.

Por isso a importância de um bom relacionamento e confiança no fonoaudiólogo que realizará os ajustes e acompanhamento de sua adaptação. Com o tempo e paciência, o som dos AASIs se misturam com os sons que ouvimos sem os aparelhos auditivos e a audição parece bem natural.

Enfrentando a Surdez Moderada

E quando mostramos ao mundo nossas orelhas “movidas a pilhas”, os julgamentos vêm de todos os lados: nos julgam ouvintes e até desdenham, achando que a surdez moderada “não é nada, é só uma surdez-inha”, e também passamos alguns perrengues pelo oposto, quando nos tratam como incapazes porque não ouvimos, como se fôssemos crianças ou sem poder de interpretação…É, fácil nunca foi. Mas como lidar com isso?

Não se prejudique! Você em primeiro lugar. Não vale a pena trocar o seu bem estar e participação social por manter as aparências para quem não está nem aí para sua surdez. Fale que precisa de legendas, de leitura labial, comunicação por escrito ou outros recursos, senão, ninguém saberá, e assim o prejuízo será seu!

É horrível quando todos estão interagindo ao nosso redor, não avisamos nada sobre a nossa surdez e ficamos sem entender nada nas conversas. Só temos a ganhar quando falamos das nossas dificuldades e sobre como contorná-las.

Surdo, eu?

E sim, você tem surdez! Em vários momentos surgem dúvidas quanto a isso, mas lembre-se de que ouvir qualquer coisa não significa ouvir bem: podemos até ouvir um caminhão passando pela rua, ou o aspirador de pó ligado, mas do que adianta essa audição sem conseguir fazer uma simples ligação telefônica ou conversar sem leitura labial? Você que tem surdez moderada precisa sim de reabilitação auditiva e próteses para ouvir!

Não permita que façam pouco caso de sua surdez. Tem gente que faz piada com “ser meio-surdo”, acha que é besteira e ignora nossos pedidos de falar devagar. Nessas situações, temos que ser disseminadores da informação, explicando que mesmo em grau moderado existem limitações, e que não somos menos merecedores de acessibilidade ou legendas só porque não somos totalmente surdos!

Aproveite o que há de bom: o “modo silêncio” ao desligar e retirar os aparelhos auditivos para dormir ou em locais muito barulhentos. E a conectividade que é maravilhosa, que pode ser por acessórios bluetooth para ouvir músicas, ou para palestras, onde o som é enviado diretamente aos seus AASI. E agradeça também pelo resíduo auditivo, aquilo que você ainda ouve naturalmente, pois em caso de aparelhos no conserto ou revisão, você não fica no absoluto silêncio.

Surdez moderada

A surdez moderada me enganou durante muitos anos, pois como eu pensava que ouvia “razoavelmente bem”, sequer passou por minha mente que era a perda auditiva que me dificultava entender os professores, o telefone e os filmes na TV. Eu pensava que era algum déficit de atenção, ou que não tinha “aprendido” a assistir televisão e que um dia aprenderia…Mas era só a surdez moderada, tão sorrateira, me fazendo crer que ainda ouvia bem!

Não deixe sua vida passar em silêncio, se você não usa aparelhos auditivos ainda, não precisa esperar usar para começar o processo de aceitação: fale sobre a surdez e pesquise muito, que assim a jornada ficará mais leve. Se você já usa próteses auditivas e não se sente satisfeito, ou tem mas não usa, procure profissionais especializados para ontem. se dê uma nova chance! Pois você está prejudicando seus relacionamentos e perdendo qualidade de vida.

Não tenha medo de a surdez progredir para os outros graus: hoje temos aparelhos auditivos que suprem até a surdez profunda, e também implantes cocleares ou próteses ancoradas no osso, para os casos onde os AASI já não têm bons resultados. Ou seja, estamos na melhor época de todas, na história da humanidade, para ter surdez. Faça amigos que te compreendam e cuide da audição que ainda tem, porque a surdez é moderada, mas a felicidade não!

Venha para o Grupo Crônicas da Surdez no Facebook

Seja o primeiro a amar.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

2 Comentários

  • Excelente seu artigo .Posso compartilhar para o público ?
    Tenho surdez moderada , herança de minha mãe , minha irmã também tem . Tenho 75 anos e uso aparelho há 6 meses , minha vida mudou , atendo telefone , converso em grupo me inclui outra vez na sociedade . Sempre aviso que sou “deficiente auditiva “ , se falar sou surda , as pessoas paralisam e não sabem como agir .
    Obrigada por todos seus artigos !

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.