Acessibilidade Implante Coclear Tecnologia

Como usar o Aqua+ da Cochlear (e entrar na água ouvindo)

Com muito orgulho posso dizer que fui a primeira usuária do Aqua+ da Cochlear no Brasil. O meu chegou na semana passada e, no sábado, finalmente fui testar. Escolhi a praia porque achei que piscina seria muito café-com-leite, rsrsrs. Na minha afobação pela novidade, levei pilhas descartáveis e aí cometi o erro fatal: ele só pode ser usado com bateria recarregável. Então, eis o que aconteceu comigo: eu montava o Aqua+, ia pro mar, demorava pra mergulhar (ficava enrolando na beirada) e ouvia o aviso PIPIPI uns 5 minutos depois e ploft, a pilha acabava. Comecei a ficar de cabelo em pé achando que tinha entrado água no meu implante coclear e ele tinha pifado, até que o santo Google me explicou o que eu estava fazendo de errado. Por isso, fica a dica: usar somente com bateria recarregável, pois a pilha comum precisa de ar para funcionar e o Aqua+ veda completamente o IC.

 

IMG_6841 IMG_6842

 

Desde que voltei a ouvir tinha o sonho de entrar na água e continuar ouvindo. Ir para a praia e para a piscina não tinha a graça que poderia ter, afinal, quando me dava vontade de mergulhar a primeira providência era voltar para o silêncio. Ficava observando as pessoas conversando na piscina, no mar e chateada por não ter aquilo.

O Aqua+ permite aos usuários dos implantes cocleares Nucleus 5 e Nucleus 6 da marca Cochlear mergulhar e nadar em água doce ou salgada. É possível mergulhar até 3 metros de profundidade com ele por um período ininterrupto de 2 horas. Fiz um vídeo mostrando como montar o Aqua+, assistam:

Vamos às informações técnicas. O kit é este da foto abaixo. Ele vem com um estojo protetor, safety line (acessório de segurança para prender na roupa), Mic Lock (para prender melhor na orelha, pode ser usado por crianças e adultos), antena especial para água e ímã especial para água, além de duas capinhas à prova d’água. Cada capinha pode ser usada 50 vezes, portanto o kit nos permite 100 usos. Na hora de comprar você precisa saber qual é a força do ímã que você usa – eu uso o ímã 3, é o número que está escrito nele.

Ele está à venda na loja virtual da Politec Saúde (clique aqui para ver) que é a representante da Cochlear no Brasil. Custa R$1.250 e pode ser parcelado em até 10x no cartão de crédito. Em comparação ao Aqua, o Aqua+ é infinitamente melhor em termos de custo-benefício, segurança e design. Se formos falar em termos de $$, cada uso sai por R$12,50. O email de contato da Politec Saúde é  pssa@politecsaude.com.br e o telefone, (011)-4195-6001.

 

FullSizeRender

 

Ouvir enquanto está no mar, na piscina, fazendo snorckel, surfando, tomando banho de cachoeira, fazendo rafting, andando de caiaque e qualquer outra coisa que envolva água é muito legal. Meu próximo teste vai ser tomar banho ouvindo, já que não lembro quando foi a última vez que pude fazer isso.

Como o processador fica dentro da capinha, o som fica diferente enquanto estamos com ele fora d´água, pois os microfones são super sensíveis e até o movimento da capinha em contato com o processador faz bastante barulho. O som ambiente fica esquisito, sim, mas ainda assim é muito melhor entrar na água ouvindo do que não ouvindo. Eu não usei o Mic Lock para prender melhor o Aqua+ na orelha na primeira usada porque na minha ele ficou bem posicionado e não caiu. Mas em nome da paz de espírito e da segurança propriamente dita, é o correto a fazer.

Para finalizar, devo dizer que fiquei feliz feito criança ao entrar no mar OUVINDO. O barulho da água tem um grande poder sobre mim e era um dos sons que eu mais ansiava voltar a ouvir após o IC.

 

aquaAqua++boys+pool

 

 

Dicas:

  • anote em algum lugar número do uso, data e local para ter controle das vezes já usadas;
  • seque a capinha ao voltar para casa antes de guardar;
  • coloque seu IC no desumidificador após o uso com o Aqua+;
  • use o dispositivo de segurança prendendo-o no biquíni;
  • homens podem prendê-lo usando uma camiseta ou então com um boné ou óculos de natação;
  • se vai usar o Aqua+ na praia, muito cuidado ao montá-lo para que ele não caia na areia!
33 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

11 Comentários

Deixe seu comentário