Aparelhos Auditivos

Por que os aparelhos auditivos custam caro?

Uma das perguntas mais frequentes que recebemos é ‘Por que o aparelho auditivo custa tão caro?‘. É uma pergunta mais do que compreensível, já que aparelhos auditivos requerem um investimento alto. Aos recém-chegados: recomendamos fortemente que você leia o post inteiro, com calma.

Quanto custa um aparelho auditivo?

Geralmente, o preço de UM aparelho auditivo varia entre R$2.000 e R$15.000.

O custo de AASI’s tipicamente inclui a audiometria inicial, a consultoria do profissional, a consulta para fazer o molde, o molde (ou vários) e as posteriores consultas para ajustar os aparelhos durante um período pré-determinado de tempo. Também costuma incluir revisões e a garantia, que pode ser de 1 até 3 anos. Às vezes, o valor inclui pilhas também.

Por que os aparelhos auditivos são tão caros?

Os preços dos AASIs incluem as consultas iniciais e as posteriores que serão feitas pelo seu fonoaudiólogo. Portanto, você não estará pagando apenas pelo aparelho, mas também por todo o serviço incluído.

Ainda, o processo de fabricação de aparelhos auditivos é caro, por ser resultado das pesquisas necessárias para a evolução da tecnologia auditiva. Milhões de dólares são gastos anualmente pela indústria para melhorar continuamente o funcionamento destes dispositivos.

As questões regulatórias e de registro, no Brasil, encarecem cada vez mais o seu custo. Embora a carga tributária que incide sobre um AASI seja baixa e eles sejam isentos de vários impostos (leia sobre isso aqui) a burocracia envolvida na sua aprovação e registro no Brasil requer custos exorbitantes, e se torna cada vez mais complexa. É por isso que um AASI lançado no exterior chega aqui às vezes dois anos depois (isso, quando chega).

O número de aparelhos auditivos vendidos todo ano ainda é muito pequeno, fazendo com que o custo continue alto. Em comparação, aparelhos celulares são muito comuns, permitindo que a prosperidade dessa indústria e, como resultado, os consumidores pagam mais barato por eles.

Ajuda se você pensar nos AASIs como um investimento a longo prazo. Considere o seguinte: se você compra um par por R$10.000 e o mesmo dura quatro anos, você está gastando R$208 por mês, ou R$6,84 por dia.

Porque alguns aparelhos auditivos são bem mais caros do que outros?

Há uma enorme variedade de aparelhos auditivos no mercado hoje para atender aos mais diferentes estilos de vida e bolsos. Duas coisas determinam o preço destes dispositivos enquanto produto: estilo e tecnologia.

Estilo: Hoje em dia, os AASI’s vão desde os minúsculos que ficam dentro do canal auditivo até os mais largos que ficam atrás da orelha. Os menores são em geral mais caros graças à precisão e tecnologia necessárias para criá-los e também à dificuldade de fazer com que uma tecnologia tão avançada caiba num dispositivo tão pequeno.

Tecnologia: Todos os aparelhos auditivos têm uma tecnologia básica de processamento de som, mas alguns possuem tecnologias mais avançadas do que outros.  Os mais caros têm as últimas novidades em tecnologia de redução de ruído, conectividade sem fio, etc. Portanto, são logicamente mais caros que os modelos básicos.

Porque não é boa ideia comprar aparelhos auditivos baratos online?

Um aparelho auditivo é um equipamento médico complexo e precisa ser ajustado corretamente por um fonoaudiólogo. AASI’s devem se adequar ao estilo de vida, aos ouvidos e à perda auditiva do paciente.

No Brasil, pelo que nos consta, não é permitida a venda online de aparelhos auditivos – existem alguns sites que oferecem apenas o produto, sem o serviço, mas observe que eles nunca são 100% transparentes, não há CNPJ, endereço, contato, nada que identifique quem realmente vende.

Os aparelhos ‘baratos’ que você vê online, em geral, são amplificadores auditivos que podem até mesmo prejudicar a sua audição. É impossível que você mesmo consiga, sozinho, descobrir qual o melhor AASI para o seu caso ou então ajustá-lo depois. Você irá precisar de um fonoaudiólogo tanto na escolha, quanto na regulagem/adaptação.

Aparelhos auditivos são mais baratos no exterior?

No Brasil, com o dólar geralmente nas alturas, não compensa – na maioria dos casos – você comprar aparelhos auditivos no exterior. A não ser quando, após consulta com um fonoaudiólogo de confiança, você já saiba exatamente qual modelo vai comprar. Aí, caso o modelo esteja com o preço muito mais em conta lá fora, pode ser bom negócio se você tiver o valor total, pois parcelamento não será uma opção.

Lembrando sempre que você terá que pagar separadamente pelos ajustes do seu aparelho no Brasil. Não é possível saber, com certeza absoluta, de quantas consultas de ajuste um paciente precisa para ficar bem adaptado.

Informe-se sobre a garantia internacional que algumas marcas de AASIs fornecem para quem os compra num país, mas os ajusta e reside em outro país. Neste site você consegue facilmente descobrir preços médios de AASIs nos Estados Unidos.

A reclamação dos pacientes

A maioria das pessoas, ao descobrir que precisa de aparelhos auditivos, não faz ideia da sua média de preço. Ao chegar à loja/consultório, imagina que custe tanto quanto um par de óculos. E muita gente desiste da reabilitação auditiva quando descobre que não é assim.

Quando lemos ou ouvimos que “ouvir não tem preço“, discordamos. Tem um preço, sim, e para podermos ouvir também precisamos ter condições de arcar com esse preço.

É fácil falar para alguém pegar um empréstimo e comprar o AASI que precisa. Mas e quem não tem acesso a crédito? Ou ao valor que precisa de crédito? E as pessoas que irão se endividar durante 4 anos ou mais para pagar por um AASI e, um ano depois, ele não servirá mais para a sua perda auditiva? Há que se pensar nisso, pois ocorre com frequência.

Também compreendemos o lado do paciente que, como qualquer consumidor, busca o melhor preço. Se ele quer comprar o produto e pagar pelos serviços do profissional de sua confiança separadamente, ele deveria poder fazer isso de forma descomplicada. Especialmente porque muitos pacientes não irão precisar de 5, 10 ou 15 consultas até estarem adaptados aos novos AASIs.

A reclamação dos profissionais

Muitos fonoaudiólogos reclamam sobre a comissão pela indicação que alguns médicos cobram deles. Pelas informações que temos, as marcas de AASI no Brasil seguem regras rígidas de complliance, o que significa que elas não podem pagar comissão em dinheiro para médicos, sob pena de ter que responder criminalmente por isso.

Quando um profissional paga comissão para outro, está ferindo códigos de ética e conduta e, principalmente, destruindo a confiança dos pacientes. Ninguém é obrigado a pagar comissão e, quem o faz, está bem ciente dos motivos que os levam a fazer e das consequências disso. Denúncias devem ser feitas aos órgãos competentes. O Conselho Federal de Fonoaudiologia e o Conselho Federal de Medicina estão aí para receber denúncias e ambos contam com Ouvidoria.

As grandes marcas, ao mesmo tempo em que vendem AASIs em lojas próprias, também fornecem AASIs para fonoaudiólogos venderem nas suas clínicas. É uma competição difícil. Mas é como a banda toca no mundo inteiro.

Para acontecer a separação entre produto e serviço, tributaria e legalmente falando, é preciso que a loja ou profissional possua dois CNPJ’s. Um de produtos (com tributação muito menor) e um de serviços (com tributação em média de 17%). Isso encarece os seus custos e nem todos (especialmente aqueles com pequenas lojas ou clínicas) terão condições de arcar com eles.

Os profissionais também reclamam da falta de valorização profissional, pois os pacientes costumam achar que tudo é grátis e que um fonoaudiólogo deve trabalhar grátis. Em defesa das pessoas com deficiência auditiva, precisamos dizer: infelizmente, o modelo praticado há décadas no Brasil e no mundo passa a impressão de que tudo é ‘grátis’. Basta ver as propagandas de AASIs ou entrar nos sites dos grandes fabricantes.

Os consumidores são apenas a ponta do iceberg, e suas percepções da indústria como um todo são fruto de suas experiências e da comunicação que recebem. É preciso mais transparência e consistência na comunicação.

Definitivamente, não posso pagar! E agora?

Clique aqui e leia o post que preparamos para que você tenha as informações que precisa sobre como conseguir o seu aparelho auditivo através do SUS. É direito de todo cidadão brasileiro ter acesso à saúde auditiva através do Sistema Público de Saúde.

Como já foi sugerido por alguns fonoaudiólogos (e nós concordamos): os pacientes deveriam dedicar mais atenção e cobrar mais do governo sobre verbas e profissionais de saúde auditiva destinados ao SUS. A percepção de que tudo o que vem do SUS é ruim ou de que o SUS nos faz um ‘favor’ ou nos ‘dá’ algo precisa ser quebrada. O maior agente fiscalizador é o cidadão!

Dicas para novos usuários

Busque indicações com pessoas de confiança que usam aparelhos auditivos (seja de profissionais, marcas ou modelos de aparelhos).

Pense no seu estilo de vida e se o AASI que você quer comprar se encaixa nele, mas não esqueça que o mais importante é que o aparelho auditivo atenda a sua perda auditiva e tenha reserva de potência para o caso dela vir a piorar. 

O atendimento pós-venda é fundamental. Recebo diariamente de reclamações de pessoas que se sentiram lesadas ao comprar aparelhos auditivos, por isso, não posso cansar de repetir: conhecimento é poder. Leia e informe-se antes sobre o assunto. Caso se sinta lesado de alguma forma, procure o PROCON ou o Conselho Federal de Fonoaudiologia e informe-se sobre os seus direitos.

Cada vez mais larga na frente quem tem a transparência como premissa, além, é claro, do atendimento ético.

A questão explicada por um fonoaudiólogo

Dr. Cliff possui um canal no Youtube com quase 80.000 assinantes e tem ótimos vídeos explicativos. Neste vídeo abaixo, ele fala quais são os 5 principais motivos que tornam os aparelhos auditivos caros, na sua visão.

  1. Pesquisa e desenvolvimento de novos produtos
  2. Não é um mercado de massa (mesmo que haja mais de 466 milhões de pessoas no mundo com DA incapacitante)
  3. Falta de competição (apenas 6 grandes fabricantes mundiais)
  4. Ainda não há AASIs vendidos diretamente ao consumidor (só o produto)
  5. O custo envolve produto e serviço

LEIA MAIS SOBRE O ASSUNTO

NYTimes: Por que aparelhos auditivos são tão caros?

Quanto custa um aparelho auditivo?

Academia Americana de Audiologia: guia do audiologista sobre AASIs, amplificadores e PSAPs

Entre no Grupo Surdos Que Ouvem

 

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 38 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

40 Comentários

  • Olá. Eu fiquei surdo do ouvido direito em 2009. Fiz audiometria e tomei medicamentos na época tais como exit e prednisona e depois de 15 voltou ao normal. Agora em dez/2019 e de repente fiquei surdo do mesmo ouvido. Fiz audiometria e tomei predsim, mais contínuo surdo e com zumbido. Constou que estou com perda auditiva sensorioneural de grau moderado no ouvido direito e perda auditiva mista no ouvido esquerdo. Agora tenho que fazer uma ressonância magnética dos ossos temporais para verificar se não há um tumor na região. Será que vou ter que usar aparelho auditivo definitivamente. Esta é a minha pergunta .

  • Tenho a possibilidade de comprar um aparelho nos Estados Unidos por pouco mais da metade do preço do Brasil. Existe dificuldade de regulagem aqui no Brasil. É possível encontrar fonoaudiólogos que não estejam vinculados à marca para fazer as regulagens?

  • Em Portugal até vão na casa das pessoas fazer todos os testes e apresentar o produto da marca para você experimentar.
    Se você não tiver interesse não compra, não é obrigado a nada, completamente gratuito.

  • Olá bom dia, meu é Lourdes tenho um problema de audição e agora estou com muita dificuldade, preciso realmente usar um aparelho. preciso da sua ajuda Paula eu quero o menor que tem, sei que são muito caro. Mais pode me ajudar na marca quais são os melhores por favor e pode me indicar um lugar pra eu comprar que divide mais vezes?
    Obrigada!

    • Oi Maria!
      Não sei se te ajuda, mas até setembro todas as lojas Telex no Brasil estão oeferecendo descontos especiais para leitores do site Crônicas da Surdez.
      Entre no site http://www.telexbr.com.br que lá você encontra o WhatsApp de contato deles, que te ajudam a achar a loja mais próxima e te informam direitinho sobre os descontos.
      Beijos

  • Me chamo IZABEL tenho deficiência auditiva do meu ouvido esquerdo já com 100% de perda, mas agora começo sentir o direto também já não esta normal. Ate então nunca usei aparelho, porque esta mt caro e o SUS demora uma eternidade , estou na fila de espera já faz tempo.
    Eu lhe pergunto posso comprar qualquer aparelho sem indicação medica? e qual o aparelho que vc me indica.

  • Boa tarde,

    Sou fonoaudióloga e trabalho com indicação e adaptação de aparelhos auditivos. Uma dica muito importante é saber sobre o pós venda:como é feito, quem vai atender e se tem custo. Muitos centros auditivos são de empresários que só visam o lucro e que não valorizam o profissional, especialista que é o fonoaudiólogo, muitos não ficam na empresa por longo prazo, pois não tem o valor que deveriam ter, sem treinamentos, sem condições boa de trabalho e de ferramentas. Rotatividade grande do profissional e usuários de aparelhos auditivos descontentes. Muitos compram o aparelho auditivo porque se identificam com o profissional e sentem a confiança, logo passa se um tempo e o profissional já não está mais no local. Tenho experiência em alguns centros auditivos e colegas que sabem como funciona esse mercado. Muita atenção quando escolher o profissional e principalmente a assistência de pós compra. Todos são leigos em marcas e modelos de aparelhos auditivos, então primeiramente se identifique com o profissional e tenha a certeza que ele vai te atender pelo menos na fase de adaptação do aparelho auditivo de seis meses a um ano. Fico a disposição para dúvidas.

  • É um absurdo o preço desses aparelhos no Brasil. Literalmente um roubo. É como se não fosse uma necessidade médica, premente. E como tudo neste país acaba em roubalheira, essa industria do aparelho, é também uma vergonha. Cadeia nesses pilantras.

  • Oi, Paula.

    Fiz Audiometria, e, constou inflamações nos 2 ouvidos. De primeiro, o Médico, está começando só com Remédios. Pediu para ir já pensando, não precisa pressa, pois, vá que a medicação me ajude, Mas pediu,
    para ir pensando, talvez, num Aparêlho. Essa sema iniciei, com o medicamento, para ativar a circulação
    nos ouvidos, para num retôrno com êle, se for de meu interêsse, êle mesmo faz a indicação para fazer o Aparêlho. Medicação é Betaistina 24 mg. É um médico da USP-Ribeirão. Que me diz ? Abraço, bj.

    Paulo

      • oi paulo
        no seu caso sem você fez um audiometria e foi constatada a perda auditiva, entao deve pensar no uso de aasis, referente a você ter os ouvidos inflamados, e so com medicamentos mesmo,
        referente a essa zoeira que você fala, isso nao e mais que zumbido, o mesmo pode ter varias causas,de acordo com varios estudos sobre este tema foi constatado que as de 15% dos brasileiros apresentan zumbido, e ate hoje o unico metodo para controlar o mesmo e o uso de aasi para zumbido
        espero ter ajudado

  • Excelente site. Informações valiosas para quem precisa usar aparelhos auditivos,
    Valeu. Muito obrigado.

  • E PURA SACANGEM PREÇO APARELHO SURDEZ BRASIL LADROAGEM O MOLDE A GENTE PAGA FONO OS CONVENIOS PAGAM PARA QUEM TEM CONVENIOS UM EXAME FONE NÃO FAZ O APARELHO AQUI CUSTAR O DOBLO DO QUE LA FORA PORQUE CUSTA O DOBRO É FALTA DE INTERESSE DO GOVERNO BRASILEIRO RESOLVER ISSO PQ É PURO ASSALTO

  • O problema maior do custo de um aparelho na verdade , é a velha ladroeira , que é feita emcima da desgraça alheia no brasil .
    No japão você compra aparelhos em até super mercado a 5,00 reais .
    Quanto a tecnologia envolvida , hoje, é muito fácil, tudo feito por maquinas , quantos e quantos aparelhos muito mais complexos são feitos muito mais baratos . Afinal um aparelho de surdez é apenas um amplificador de sons e não justifica tamanha ladroeira emcima .

  • A carga tributária sobre aparelhos para surdez não alta vejam:

    Na importação:
    Imposto de importação: isento
    Imposto sobre Produtos industrializados: isento
    ICMS: Zero%
    PIS: 2,10%
    COFINS: 10,65%
    TOTAL: 12,75%

    Impostos incidentes na revenda (varejo)
    ICMS: Zero% (Estado de São Paulo)
    ICMS: Zero% (Estado do Paraná)

  • Ola Paula meu bebê ganhou os aparelhinhos do SUS são da marca Phonac e também tem toda a assistência que precisa aqui na minha cidade. Porém a duvida, você sabe me dizer se são bons os aparelhos que o SUS fornece ou por serem gratuitos são inferiores aos comprados…
    Obrigada desde já!

      • Olá Paula, sou usuaria de aparelho auditivos faz alguns anos e tenho a perda severa. Estou na fase de trocar de aparelho, gostaria de um menor! Estou fazendo um teste do Lyric da Phonak e achei fantástico , mas o valor esta muito salgado para mim porque o pagamento e feito todo ano do montante. Você teria um modelo para me indicar que seja meio parecido em tamanhos do Lyric ?

  • Ola boa Tarde.
    sou deficiente auditivo desde criança, ja tive varios aparelhos ao longo da vida mas nunca usei um aparelho por mais de um dia, normalmente so o uso pára ouvir algo do meu proprio interesse, nao é por vergonha, embora eu sinta vergonha em usar, é mais porque o mesmo aparelho apesar da moderna tecnologia, nao faz distinçao quando estamos perante um grupo de pessoas a coversar, quando alguns conversam ao mesmo tempo que outros se torna uma verdadeira confusão, entao eu logo guardo o aparelho por esse motivo mesmo, sou portugues, e em portugal a propria casa que vende os aparelhos fazem todos os tipos de teste de audiologia e fonetica, nao precisa ir a um especialista para fazer esses testes, infelizmente aqui no Brasil a casa que quer vender os aparelhos nao fazem esse tipo de exame, nos mandam consultar um laboratório para o fazer o dito exame e so depois levar o mesmo para escolher o aparelho mais adequado, sendo assim estou com receio de comprar ca no Brasil, o que acha? e como devo proceder?
    obrigado

  • Paula, você recomenda algum lugar para comprar aqui no Rio e onde tenha uma fono de confiança. Obrigada, Ana Caroline Rocha

    • Eu tenho este site em meus favoritos, quando o meu queimar provavelmente irei entrar em contato com eles.

      Se alguém já falou com eles, gostaria de ouvir sua história.

  • se eu soubesse disso quando comprei meus aparelhos com certeza teria evitado muitos aborrecimentos.

  • acontece, os aparelhos auditivo hoje dia piorou muito relação antigamente, antigamente durava media 10 anos, ate molhava e durava. hoje dia 1 gota de aqua, aonde local do corpo que mais suam, que mais molha o aparelho, nao tem nenhuma porva de agua, isto e aburdo, hoje dia quase todos aparelhos tem prova de agua, relogio celulares e maquinas de fotografias, etc. porque aparelho de audiçao nao tem? aparelhos analogico sao bem mais robustos do que aparelho digitais. pessoas estao pedido a volta aparelho analogico por ter durabilidade e robusto

  • Olá, Paula

    Gostaria de saber se você tem algum conhecimento sobre a empresa Direito de Ouvir? Estou querendo fazer minha compra com eles, mas não sei se devo.

    Desde já, grata.

  • Bom dia, Paula!
    Sou leitora recente do seu blog, faz umas 2 semanas que eu o conheci.
    Já fiz o pedido do seu livro “Crônicas da Surdez” e estou esperando chegar! =D

    Este post me caiu como uma luva, pois, ultimamente, ando pensando seriamente em comprar um AASI.
    Estou pesquisando bastante sobre tudo o que eu devo fazer (procedimentos e etc), e também sobre onde ou qual marca comprar.

    Uma dúvida que eu tenho, é justamente sobre os gastos que terei que ter antes da compra do aparelho. Terei que pagar uma consulta com um otorrino para pedir uma audiometria; depois pagarei tbm a audiometria… (Bom, acho que é isso).
    E minha dúvida é: Depois disso eu já tenho que procurar o lugar onde comprarei o aparelho, e eles já terão um fonoaudiólogo para me atender? Todos os custos estarão inclusos no aparelho então, né…?!

    Enfim,eu já sei da minha perda auditiva, porém a ultima audiometria que fiz já tem uns 2 anos. Precisarei fazer uma nova para que o otorrino me dê o laudo para o uso do aparelho…

    Bom, se puderem me ajudar com alguma dica, agradeço… Pois toda a dica para quem não sabe nada, é bem-vinda! =P
    Obrigada pelo post, Paula. Gosto muito de ler tudo o que você posta! 😉

    • Não sou entendido em audiometria . contudo tenho conhecimento que vão passar a existir aparelhos auditivos quase invisíveis com uma estética extraordinária , e cuja afinação dos db é automática por componentes electrónicos de alta qualidade que quaisquer signatário com deficiência auditiva pode usar sem quaisquer problema, Estes produtos parecem ser patenteados por médicos da especialidade e podem ser adquiridos talvez em farmácias e outros estabelecimentos de saúde e outros representantes etc, afim de evitar especulações “,

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.