Ícone do site Crônicas da Surdez – Surdos Que Ouvem – por Paula Pfeifer

5 coisas que você deve saber antes de comprar aparelho auditivo

Se você vai comprar o seu primeiro aparelho auditivo, precisa ter acesso a algumas informações importantes que farão diferença nesse processo. Quando você tem algum grau de surdez, precisa ficar atento a alguns dos prejuízos da perda auditiva não tratada, como isolamento social, depressão e até declínio cognitivo.

1: Converse com outros usuários

A melhor ferramenta que existe hoje na internet aqui no Brasil para você entrar em contato direto com milhares de usuários de aparelhos auditivos e pedir dicas, orientações e indicações é o GRUPO SURDOS QUE OUVEM. São 18.000 pessoas prontas para tirar as suas dúvidas.

Torne-se membro ANTES de adquirir o seu aparelho auditivo e tenha acesso a opiniões reais de quem comprou aparelho auditivo recentemente, como preço, qualidade, durabilidade, pós-venda, garantia, etc.

2: Encontre um fonoaudiólogo de confiança

De extrema confiança, eu diria.

Se o aparelho auditivo mais caro e recém lançado do mundo não for corretamente ajustado à sua perda auditiva por um profissional que leve  os protocolos recomendados a sério, de nada vai adiantar esse investimento.

Você pode pedir indicação de profissionais na sua cidade no Grupo Surdos Que Ouvem, e recomendamos fortemente que você faça isso.

3: Experimente pelo menos 3 modelos de 3 marcas diferentes

Ok, você está ansioso querendo passar logo para a fase em que se torna um usuário de aparelhos auditivos. A PIOR coisa que você pode fazer é experimentar aparelhos apenas em um local e apenas de uma marca – e saiba desde agora que você vai sofrer uma enorme pressão para isso.

Para conhecer a sonoridade de vários aparelhos, você precisa testar vários modelos e marcas diferentes! Desse modo, será capaz de escolher aquele que, na sua opinião, possui a melhor qualidade sonora.

Nada de afobação e de fechar negócio no primeiro local por pressa ou preguiça.

Pesquise, compare preços, teste por alguns dias nos ambientes que você frequenta. Uma dica: alguns fonoaudiólogos trabalham de modo independente (isso é super comum nos Estados Unidos e na Europa) e são uma mão na roda para quem não quer ficar perambulando por aí e perdendo tempo. Com eles, você consegue testar diferentes marcas e modelos no mesmo lugar.

Fique esperto com conversas do tipo “Vendemos apenas uma marca porque ela é a melhor!”

4: Informe-se sobre mapeamento de fala

Com o Mapeamento de Fala é possível observar se  a fala está ou não sendo amplificada em todas as frequências, de acordo com a sua perda de audição.

Se este “mapa” mostrar que a fala não está sendo amplificada adequadamente, o fonoaudiólogo fará os ajustes apenas nas frequências que necessitam de mais ganho para tornar a fala audível, o que torna os ajustes muito mais precisos.

Dê preferência ao local que ofereça este serviço.

5: Aparelho auditivo não é como óculos e nem é ouvido novo

A adaptação leva tempo e envolve muito esforço e comprometimento da sua parte. Não espere milagre e alinhe as expectativas.

Quem ouve é o cérebro e, sendo assim, dê tempo ao tempo e USE o seu aparelho auditivo o dia inteiro. Toda vez que sentir vontade de desistir ou estiver muito irritado, volte ao Grupo Surdos Que Ouvem e aconselhe-se com outros usuários.

Dessa forma, a sua jornada com a surdez será infinitamente mais fácil e mais leve.

LEIA MAIS:

Sair da versão mobile