Menu
Deficiência Auditiva / Surdos Que Ouvem / Viajante Biônica

10 dicas para APRENDER INGLÊS com DEFICIÊNCIA AUDITIVA

aprender inglês com deficiência auditiva

Aprender inglês quando você tem DEFICIÊNCIA AUDITIVA requer algumas adaptações, mas não fique pensando que é impossível ou dificílimo. Tudo vai depender do seu empenho na missão. Quando eu era adolescente, meu maior sonho era aprender inglês, mas eu precisava contornar dois desafios: a falta de grana para fazer um bom curso e a minha deficiência auditiva.

Como desistir de aprender inglês não era uma opção, eu usava a minha mesada para comprar a revista Seventeen na banca de jornal e depois passava tardes inteiras fazendo, sozinha, a tradução de todas as matérias que estavam nela. Foi assim, consultando dicionário e os livros da escola, que eu aprendi o inglês escrito. Treinando todos os dias, sem querer largar tudo na primeira dificuldade.

Hoje em dia tudo é infinitamente mais fácil. Existem milhares de apps gratuitos e pagos para aprender inglês, a internet está aí na palma da mão, existe Google Translator, infinitos streamings com milhões de filmes e séries em inglês e até serviços de conversação com pessoas nativas na língua em tempo real. Só não aprende quem não quer. Quando eu era jovem, não existia NADA disso. A gente tinha apenas uma ou duas aulinhas de inglês na escola por semana, e era muito.

Como eu já tinha surdez severa na adolescência, decidi manter meu foco em aprender a leitura labial em inglês enquanto construía vocabulário e aprendia os tempos verbais e a estrutura da língua. Inglês é muito mais fácil do que o português, que tem inúmeros tempos verbais diferentes. Não adiantaria nada sentar e chorar porque não conseguia ouvir e entender as coisas, pelo contrário. Se tivesse ido por esse caminho, hoje não teria fluência na língua. Ainda bem que decidi sentar e me esforçar até conseguir.

Em 1997, quando a NET chegou à minha cidade e minha avó se tornou assinante, dei um upgrade no meu aprendizado, porque passei a assistir séries como Dawsons Creek, Felicity, Friends, Seinfeld, Friday Night Lights e muitas outras. Meu vocabulário cresceu e minha leitura labial floresceu. Aprendi muitas expressões idiomáticas e escutei tudo o que pude com os meus aparelhos auditivos.

Até fazer um implante coclear, em 2013, eu treinei o ouvido em inglês ouvindo músicas direto no aparelho auditivo todos os dias. Ouvia o que dava, entendia o que dava. Isso me ajudou demais depois, quando me tornei uma surda que ouve com dois ouvidos biônicos. A partir de novembro de 2013, tudo mudou para mim porque me tornei capaz de ouvir e entender tudo o que eu ouvia em inglês depois de fazer um implante coclear. Isso foi um divisor de águas na minha vida porque finalmente aquelas palavras todas entravam na minha cabeça e faziam sentido.

Continueu vendo séries e filmes e ouvindo músicas todos os dias, para que meu cérebro construísse sua memória auditiva na língua inglesa após tantos anos de privação auditiva. Em 2019, quando venci o Facebook Community Leadership Program e tive que enfrentar o desafio de ir para os EUA diversas vezes e passar semanas falando apenas em inglês com pessoas do mundo inteiro, meu aprendizado deu um salto quântico.

Fui obrigada a OUSAR FALAR e a pôr tudo o que eu sabia para fora. Eu morria de vergonha no início, mas já na primeira semana tive que dar uma entrevista em inglês ao vivo, num evento das Nações Unidas. Eu tremia de nervoso, mas fui lá e enfrentei o medo. Desde então, vivo um processo de tentar melhorar minha pronúncia todos os dias. Hoje, estou infinitamente melhor do que em 2019. O segredo é praticar muito, sempre, e nunca desistir de melhorar. Agora só falta realizar o sonho de um dia morar fora para viver imersa 24hs na língua.

10 dicas para aprender inglês com DEFICIÊNCIA AUDITIVA

  1. Foque no que é possível: a parte escrita
  2. Ganhe vocabulário
  3. Aprenda leitura labial
  4. Ouse falar nas oportunidades que tiver
  5. Use a tecnologia a seu favor
  6. Estude com amigos
  7. Contrate um professor particular
  8. Use os apps de conversação com nativos
  9. Leia alguma coisa em inglês todos os dias
  10. Escute alguma coisa em inglês todos os dias

Foque no que é possível para aprender inglês

Se a deficiência auditiva te impede de ouvir e entender a maioria das coisas que você ouve em inglês, mantenha foco total na parte escrita. Escrever bem em inglês é requisito básico na vida profissional de qualquer pessoa e abre muitas portas em inúmeras situações.

Ganhe vocabulário em inglês

A melhor maneira de ganhar vocabulário é traduzindo livros, textos, letras de música e tudo o que for possível dentro da sua realidade. Prepare o dicionário e mãos à obra. Com papel e caneta na mão, você vai gravar o vocabulário adquirido com muito mais facilidade na memória.

Aprenda leitura labial em inglês

Aprender a ler lábios em inglês requer vocabulário, boa memória e dedicação. Assista a séries e filmes com áudio e legendas em inglês e fique atento ao movimento das bocas dos personagens. Com treino, todo mundo é plenamente capaz de aprender a ler lábios em inglês. Neste post eu mostro um curso de leitura labial em inglês que comprei em 2012.

Ouse falar em inglês

A pronúncia só melhora com a prática. Não fique travado por vergonha ou por achar que vai pronunciar alguma coisa errado. Fale bastante em todas as oportunidades que tiver. Treine sua pronúncia em inglês conversando com o Google Transcribe – quando nossa pronúncia está boa, ele consegue fazer legendas em tempo real de tudo o que falamos, sem erros.

Use a tecnologia a favor da sua deficiência auditiva

Se os seus aparelhos auditivos tiverem conectividade bluetooth, ouça podcasts famosos em inglês. Nos EUA, a acessibilidade é levada a sério e os podcasts costumam ter a transcrição de todo o conteúdo. Dessa forma, você pode ler enquanto ouve o que é dito e, assim, treinar o cérebro e construir memória auditiva nesta língua.

Estude com amigos

Monte um grupo de estudos e contrate um professor que articule bem os lábios e tenha a voz alta e clara. Assim, todos praticam num ambiente seguro com quem compreende os desafios da deficiência auditiva.

Surdez e intercâmbio em inglês

Conheça a história da Natasha, que venceu o medo e foi fazer um intercâmbio num país de língua inglesa.

Estudar na Columbia University

Neste post eu conto como foi ter estudado na Columbia University em 2019. Tive acessibilidade em todas as aulas: a universidade me proporcionou um estenotipista que fazia legendas perfeitas em tempo real do que tudo o que era falado. Resultado: todos os colegas queriam sentar ao meu lado para aproveitar as legendas…

Grupo SURDOS QUE OUVEM

Você se sente sozinho? Solitário? Não tem com quem conversar sobre a sua surdez? Gostaria de tirar mil dúvidas sobre os seus aparelhos auditivos? Gostaria de conversar com pessoas que já usam implante coclear há bastante tempo? Precisa de indicação de otorrino especializado em surdez e fonoaudiólogo de confiança?

Somos 22.000 pessoas com algum grau de deficiência auditiva no Grupo SURDOS QUE OUVEM. Para ganhar acesso a ele, basta se tornar Apoiador Mensal do Crônicas da Surdez a partir de R$5.



NOSSAS REDES SOCIAIS

LIVROS CRÔNICAS DA SURDEZ

Neste link você encontra os seguintes livros:

  1. Crônicas da Surdez: Aparelhos Auditivos
  2. Crônicas da Surdez: Implante Coclear
  3. Saia do Armário da Surdez

RECEBA NOSSAS NOVIDADES NO SEU EMAIL

Clique aqui para receber.

About Author

Paula Pfeifer é uma surda que ouve com dois implantes cocleares. Ela é autora dos livros Crônicas da Surdez, Novas Crônicas da Surdez e Saia do Armário da Surdez e lidera a maior comunidade digital do Brasil de pessoas com perda auditiva que são usuárias de próteses auditivas.

No Comments

    Leave a Reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
    Iniciar conversa
    Clube dos Surdos Que Ouvem
    Grupo SURDOS QUE OUVEM