Destaques Histórias dos Leitores

A história da Paloma: surda oralizada e biomédica

‘Meu nome é Paloma, tenho 22 anos de idade e sou mineira. Descobri minha deficiência com 11 meses! Hoje tenho deficiência auditiva profunda bilateral, comecei a usar  aparelho auditivo com 1 ano de idade. Sou oralizada e faço leitura labial! Cada vez que trocava o AASI por um mais moderno descobria um barulho novo, escutava alguma coisa nova. Faz uns três anos que estou uso um AASI, aprendi coisa nova com ele, comecei a escutar barulho baixinho que não ouvia , comecei a ouvir passarinho cantar, coisa q não tinha ouvido porque o barulho era muito baixo mesmo! Barulho da sanduicheira quado ela apita que está pronto comecei a ouvir também…

Amo usar aparelho auditivo, aprendi muita coisa com ele e não sei o que seria da minha vida sem, pois com ele posso ouvir as coisas! Fiz faculdade de Biomedicina, fui morar a uns 200km longe da família. Concluí a faculdade no final de 2015! Sou recém formada, Biomédica.

A minha mãe estava fazendo faculdade de Fonoaudiologia e precisou parar para poder cuidar de mim, já que eu precisava de atenção. Ela começou a me ensinar a falar, me ensinou as cores, me fez usar aparelho auditivo. Quando comecei a usar, era pequenininha e queria ficar tirando toda hora porque incomodava demais, mas minha mãe me falava para colocar e ficava sempre no meu pé para usar;  ela saía comigo na rua mostrando os barulhos e explicava qual barulho era, assim fui aprendendo as coisas. Fiz muita arte com o aparelho, porque eu era pequena e não entendia as coisas. Um dia peguei o AASI e joguei na privada, meu pai ficou apavorado porque era muito caro!

Daí ele pegou o secador e salvou o aparelho que, graças a Deus, funcionou! Depois meus pais ficavam me explicando que não podia fazer essas coisas…Minha mãe pegava a bicicleta dela, me colocava na cadeirinha e me levava na fono na APAE de Itanhandu – durante o caminho, ela parava mostrando e explicando cada barulhinho. Comecei a gostar do aparelho auditivo e não queria tirar mais do meu ouvido, porque comecei a ouvir barulhos! Minha mãe me ensinou muita coisa antes de eu entrar para a pré-escola, então quando entrei já sabia mais do que as outras crianças. Durante a escola aprendi as coisas, evoluí normalmente, apenas tinha uma deficiência auditiva. Usava meu aparelho auditivo o tempo todo.

Quando entrei para o ensino fundamental no Objetivo passei a sofrer preconceito, fui excluída muitas vezes de fazer trabalho em grupo, não conseguia interagir! Sempre tinha panelinha de meninas, não conseguia participar desse grupos e ficava em isolada. Quando estava na 8 série, pedi para ser trocada de sala, porque estava sofrendo muito com as meninas! Aí fiz novas amizades, as meninas me ajudaram muito, elas me chamavam pra sair, para ir na casa de uma e outra, dormir na casa delas, ficamos muito amigas e ficamos juntas até o ensino médio! Quando chegou no segundo ano do ensino médio, a escola resolveu juntar as duas salas, daí começou tudo de novo – meninas da outra sala começaram a falar mal de mim, várias se afastaram, apenas 5 ficaram ao meu lado e nos formamos juntas.

Passei na faculdade de Biomedicina em uma faculdade particular, consegui bolsa de estudos, graças a Deus, porque meus pais não tinham condições de pagar a faculdade mais a moradia e a comida. Fui embora para São José dos Campos em janeiro de 2012, para começar a fazer faculdade de Biomedicina, fui morar com mais 2 duas meninas em um apartamento! Tive dificuldade de interagir com as meninas na faculdade, fazia trabalho em grupos diferentes, trocava toda hora. Ficava incomodada com isso, mas levava na boa. Os professores da faculdade eram mais inclusivos do que no ensino médio. Não tive problemas nem precisei explicar sobre minha deficiência auditiva, bem diferente do que aconteceu no ensino médio, quando eu precisava correr atrás dos meus direitos e brigar o tempo todo com a escola.

A faculdade foi tranquila e sem muita dificuldade! Graça aos professores que tiveram muita paciência e atenção comigo e à minha coordenadora do curso que sempre perguntava se estava tudo bem! Meu único problema foi a questão das amizades, pois não consigo fazer amizade até hoje! Não consigo mais tirar o aparelho auditivo pois aprendi muita coisa com ele. Apenas tiro para tomar banho e para dormir;  para dormir é uma maravilha, porque você não ouve nada e ninguém te incomoda, rsrsrs! Quando morava sozinha meu pai comprou um negócio pequeno que você coloca na lâmpada e marca a hora para ela acender – assim que eu acordava.

Sou grata à minha mãe que me fez usar e gostar de usar aparelho auditivo, forçou, me ensinou a falar – ela queria que eu falasse para que pudesse interagir com as pessoas. Ela ficava muito preocupada pensando como eu iria me virar no mundo, com língua de sinais era tudo mais difícil! Por isso ela queria que eu falasse para eu pudesse ser independente. Sem ela e meu pai não sei o que seria de mim!

Preciso continuar treinando, é muito bom fazer isso! Assim você vai aprendendo a ouvir os sons de cada palavra, pode pedir pra sua mãe, seu pai, namorado, marido, amiga, seja quem for que você queira, peça para que eles ajudem você, falando as palavras de costas para você advinhar o que estão falando! Assim você vai treinando os sons de cada palavra e vai guardando na memória. Temos que aproveitar o aparelho auditivo e descobrir as coisas com ele! Está ouvindo algum barulho diferente? Pergunta pra alguém que esteja ao seu lado que barulho é, assim você vai guardando cada vez que ouve um barulho novo! Um belo dia você irá ouvir e já vai saber que barulho é, não vai precisar ficar perguntando. Mas não tenha vergonha e pergunte quando precisar! Estamos aqui para aprender!

Meus pais vivem à procura de algo melhor para mim, correm atrás de aparelho. Sou grata a eles por me fazerem falar, não depender deles e ter uma vida normal! Agradeço ao meu namorado também, que sempre teve paciência comigo durante nossos cinco anos de namoro – eu falava algumas palavras erradas, ele dava risada e me ensinava a falar do jeito certo! Hoje sou Biomédica, escolhi essa profissão pois amo ajudar as pessoas.”

142 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

21 Comentários

  • Meu Deus Paloma!!! Que história mais linda… Me identifiquei muito com você, fico feliz por saber que conseguiu vencer todos os obstáculos, que uma pessoa que tem deficiência auditiva enfreta! Te desejo todo o sucesso do mundo!!!!
    Um beijão…

  • Muito boa a história de Paloma, infelizmente existem muitas pessoas preconceituosas neste mundo, e só o fato de usar aparelho auditivo não nos torna diferente de ninguém, sofro um pouco ,tenho deficiência auditiva moderada bilateral, escondo o aparelho com os cabelos devido ao medo do preconceito dos outros, e assim vou seguindo a vida, sou feliz e não sei o que seria de mim sem os aparelhos.

  • Ao ler essa crônica senti um rio de lágrimas á escorrer sobre minha face como véu de uma cascata a cair sem som; fiquei em estado de letargia, tudo ao meu redor em silêncio total, senti no íntimo de alguns segundos o qual tanto a Paloma e todo mais do mundo da surdez, como o silêncio é um previlegio, pois tornam e moldam essas pessoas como um ser especial, especial com alma de caráter, sentimentos e valores a ser passados a nós simples seres que não possuímos esse poder, dom de superação, ensinando a todos que obstáculos não existem, talvez o que exite é a intolerância, que só o ser humano é capaz também de desenvolver!

  • Ao ler essa crônica senti um rio de lágrimas á escorrer sobre minha face como véu de uma cascata a cair sem som; fiquei em estado de letargia, tudo ao meu redor em silêncio total, senti no íntimo de alguns segundos o qual tanto a Paloma e todo mais do mundo da surdez, como o silêncio é um previlegio, pois tornam e moldam essas pessoas como um ser especial, especial com alma de caráter, sentimentos e valores a ser passados a nós simples seres que não possuímos esse poder, dom de superação, ensinando a todos que obstáculos não existem, talvez o que exite é a intolerância, que só o ser humano é capaz também de desenvolver!

  • Que história linda, Paloma. Só nós sabemos das dificuldades, conquistas porque não é fácil não é mesmo? Abraços.

  • Parab?ns, Paloma!Sou de Passa Quatro e professora no Roosevelt, onde sua mãe estudou. Lembro- me do seu nascimento e estou comovida e feliz em saber como vocês venceram e tão bem esta deficiência. Vá em frente! Você merece uma vida de realizações e alegrias e a terá, tenho certeza!

  • Parab?ns, Paloma!Sou de Passa Quatro e professora no Roosevelt, onde sua mãe estudou. Lembro- me do seu nascimento e estou comovida e feliz em saber como vocês venceram e tão bem esta deficiência. Vá em frente! Você merece uma vida de realizações e alegrias e a terá, tenho certeza!

  • Parabéns Paloma, parabéns Elaine que Deus continue sempre as iluminando pois graças a história de vida de vocês, a superação de vida que vocês exemplão tenho forças para sempre caminhar e procurar e guiar meu filho na melhor instrução para sua deficiência que eh sim uma dificuldade e não uma impossibilidade! Agradeço todos os dias a Deus por ter encontrado em um simples salão sua Avó Meire que eu em um momento de desespero,chorando, ela me acalmou o coração e me contou sua história e conheci sua mãe Elaine que sem nem me conhecer me estendeu as mãos, me aconselhou, me ajudou e hoje meu filho usa aparelho audivo e creio que todo esse esforço,toda essa minha procura não será em vão! Creio em um belo futuro ao meu filho assim como sua mãe acreditou no seu e hoje você se tornou essa bela mulher Biomédica e com o coração cheio de vontade de oferecer o bem as pessoas! Agradeço-as hoje é sempre! Obrigada

  • Parabéns Pá,vc é um exemplo de superação!!!!!!
    Temos muito orgulho de vc,sabemos q sua trajetória está só começando…vc ainda vai longe.Deus te abençoe sempre??

    • Parabéns Pá,vc é um exemplo de superação!!!!!!
      Temos muito orgulho de vc,sabemos q sua trajetória está só começando…vc ainda vai longe.Deus te abençoe sempre??

  • Parabéns Pá,vc é um exemplo de superação!!!!!!
    Temos muito orgulho de vc,sabemos q sua trajetória está só começando…vc ainda vai longe.Deus te abençoe sempre??

  • Parabéns Paloma!! Que Deus te abençnas sempre…Guiando seus passos e te protegendo de todo mal…
    A Karen tbm enfrentou e ainda enfrenta muitos preconceitos…inclusive em trabalhos de grupo na faculdade . As vezes chega em casa chorando.. Mas eu oro e entrego as dificuldades dela nas mãos do Senhor Jesus.
    E tenho fé q tanto ela quanto vc terão um futuro brilhante.. pq são lutadoras.
    Ela até hj ñ gosta de usar aparelhos..ñ sei mais o q faço???
    Muito lindo esse seu depoimento… Deus abençoe vc e sua família..

  • Parabéns Paloma por vc ser exatamente como é, aos seus pais pela educação, atenção, paciência, amor e determinação! Que seu futuro seja repleto de coisas boas! Vc merece o que há de melhor!

  • Muito lindo!Sempre admirei você Paloma!Vc é linda, guerreira!Parabéns aos pais tbm, muito dedicados!Deus te abençõe !Bjs!

  • Oi Paloma.
    Sua história tem muito em comum com a minha.
    Estou com 40 anos, possuo perda auditiva severa bilateral e uso AASI desde os 12 anos de idade.
    Assim como vc, tive pais incríveis e uma mãe mega inteligente que me incluiu na sociedade e na escola sem a ciência de todos… (para evitar ou amenizar meu sofrimento decorrente de discriminação e do preconceito, diga-se de passagem, vertiginosamente mais intenso que na atualidade, minha limitação foi escondida – literalmente).
    sofri muito na fase escolar, perdi o interesse pela escola, cheguei a ser chamada de “lerdinha” por uma coordenadora, tive dificuldade para fazer e manter amigos, mas acabei cursando uma faculdade (Direito) e me formando precocemente (precisei me emancipar para colar grau – eu tinha 20 anos quando concluí o curso). Logo em seguida passei na prova da OAB e comecei a advogar.
    Exerci a advocacia por 08 anos, mas devido à dificuldade de exercê-la por conta da perda auditiva, prestei e passei em um primeiro concurso público aos 29.
    Hoje sou Oficiala de Justiça, tenho 2 filhas moças (01 com perda auditiva) e um marido maravilhoso, que como o seu namorado sempre foi paciente comigo (estamos juntos há 25 anos).
    Então minha flor, siga em frente!
    Continue plantando. A colheita é certa!
    Também vou continuar, principalmente para que a minha filha e as próximas gerações nos aceite com naturalidade e percebam que não somos menos! Que temos capacidade e competência.
    Continuarei para que minha filha não seja vista como eu fui…com olhar de piedade.
    Para que não esperem pouco dela, como esperaram de mim…
    Vamos em frente. Vamos continuar surpreendendo…? e nos superando.
    Boa sorte!
    Bjs.

    Raquele.

  • Parabéns Paloma !! Você é merecedora de seu Sucesso !! Parabéns Tbm Elaine e. Alessandro pela Linda filha !! Que Deus continue guiando seus passos Paloma !! Bjs

  • Quanto orgulho minha filha Paloma…quase não cabe em meu peito…obrigada meu Deus por ter me concedido essa benção de ser mãe dessa guerreira e exemplo de vida e superação…

  • Muito linda sua história Paloma. Me identifiquei em muitas coisas mas, o que me chamou atenção foi o fato de sua mãe ensinar você a falar, interpretar os sons e usar o AASI. A minha também fez tudo isso! Escolheu uma linda profissão! Parabéns e que você encontre muitas flores em seu caminho pessoal e profissional. Bjs.

    • Linda história, minha mãe sempre teve problema auditivo, falávamos com ela e ela não nos ouvia, ficava excluída das conversas, ela escutava pouco, faz uns quatro anos que ela está usando o aparelho e mudou muito a nossa vida, pois agora ela pode sentar a mesa e interagir com todos, ela está com 65 anos, e é bom muito vê-la feliz! Parabéns pela sua história de superação, muito bela!

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.