Acessibilidade Crônicas da Surdez Deficiência Auditiva

Legendas: recurso de acessibilidade universal

Depois das rampas acho que as legendas – o famoso closed caption  – são o recurso de acessibilidade mais universal de todos. Infelizmente, nem todo mundo é fã, e é difícil compreender porque isso acontece, já que as legendas ajudam também os ouvintes em inúmeras situações. Toda vez que vejo uma TV ligada fora de casa já vou checando se o CC está ativado. E constato que invariavelmente não está nos locais em que deveria estar, como revendas de aparelhos auditivos e consultórios médicos. Uma coisa tão básica, um ato tão banal e ainda assim deixado de lado – talvez por isso eu me choque quando me deparo com a indiferença das pessoas que trabalham prestando serviços a quem não ouve. Já ouvi de uma secretária de consultório que ela não ligava o CC porque “era muito feio“.

No Brasil foi feito um lobby da pesada pela dublagem da programação da TV fechada. Soube que rolaram até pesquisas encomendadas que diziam que as pessoas achavam muito mais fácil ouvir um programa/filme dublado do que ter que acompanhar as legendas.  Fico me perguntando quando é que os os ouvintes vão perceber que eles também são beneficiados por este recurso. E penso que quando isso acontecer, quando surdos E ouvintes saírem juntos em defesa do closed caption, as coisas vão mudar. Afinal, os ouvintes são muito mais numerosos do que nós.

Aos queridos ouvintes que precisam de motivos para abraçar a causa, enumero alguns! A união faz a força e espero que vocês se convençam da importância das legendas na TV, no cinema e em qualquer programação cultural. 🙂

-services-closed caption

Quando você quer entender a TV num ambiente muito barulhento

Depois que passei a usar um implante coclear, o mundo ficou barulhento para mim. E isso me fez perceber como faz diferença se o closed caption estiver ativo em locais nos quais é impossível tanto para seres humanos quanto para cyborgs entender o que é dito na TV em função do som ambiente. Exemplo: você está almoçando na praça de alimentação de um shopping na hora de maior movimento e quer acompanhar uma notícia no jornal do meio dia. O único jeito de conseguir fazer isso é acompanhando as legendas. De grande valia tanto para surdos, quanto para ouvintes.

Quando você quer aprender outros idiomas

Posso dizer que muito do que sei de inglês e espanhol se deu através…do closed caption!! Ouvir o áudio original acompanhando legendas faz com que nosso cérebro grave a informação de um jeito mil vezes mais efetivo. A parte boa é que no geral os canais estrangeiros legendam muito bem suas programações, e os filmes que baixo no iPad também vêm com ótimas legendas. Aprendi a ler lábios em inglês e espanhol assim também! Lia rapidíssimo a legenda e ficava focando na boca dos personagens. Tiro e queda. E se essa tática ajuda quem não ouve, imaginem o quanto ajuda os ouvintes fazer o mesmo.

Quando você pega um vôo intercontinental

Quando ouvintes que não dominam outras línguas e também não fazem leitura labial precisam passar mais de 10 horas sentados num vôo, aposto que amariam ter a opção de ativar o closed caption na sua língua materna. Taí uma grande causa ouvintes/surdos: pela legendagem da programação em várias línguas em todos os vôos internacionais. E para os ouvintes que acham que isso é besteira, só desejo que peguem um vôo para Dubai com programação, áudio e legendas em árabe. Beijo!

Quando você tem em casa uma criança que está aprendendo a ler

Imagine que ótimo seria se o seu filho que está aprendendo a ler e é viciado em algum programa de TV ou seriado pudesse ativar o closed caption da TV e encontrar legendas bem feitas num português impecável. Certamente isso o ajudaria a evoluir muito mais rápido. Já li uma pesquisa que fala sobre os benefícios do CC nessa questão. Só que, para que cheguemos neste nível, os ouvintes precisam exigir não só mais legendagem, mas legendagem de QUALIDADE na TV brasileira. Abracem a causa conosco!

Quando você não está ouvindo direito

Ninguém escapa de ter uma otite, uma bela gripe, um episódio de zumbido capeta e várias outras coisas que afetam a audição. Imagine-se momentaneamente surdo e perceba como seria maravilhoso ligar a TV e ter 100% da programação com legendas – e legendas bem feitas, sem erros. A acessibilidade que me ajuda hoje pode te ajudar amanhã.

Quando você percebe que seus pais e avós já não ouvem mais como antes

Atire a primeira pedra quem não tem um pai/mãe ou avô/avó que já escuta mal e põe a TV no último volume. Toda família tem alguém assim em casa. Quando percebemos, nossos idosos já desistiram de assistir jornais e novelas porque não conseguem mais acompanhar os diálogos. E se eles não quiserem/puderem usar aparelhos auditivos, o único recurso que resta é o closed caption. Ah, claro: não se esqueça de que você também vai envelhecer e pode precisar. Espero que o CC no Brasil já tenha melhorado até lá! 😉

Quando você deixa de ser um ser humano egoísta que só pensa no próprio umbigo

Muitos, mas muitos ouvintes MESMO agem como se closed caption fosse uma besteira desnecessária. Se não fosse assim, a dublagem não teria dominado o país. Quando as pessoas que ouvem entenderem de uma vez por todas que podem vir a precisar de legendas um dia e que elas ajudam as pessoas que não ouvem a poder ter acesso à cultura, o panorama vai mudar. Se você é ouvinte, deixe seu egoísmo de lado e abrace a causa.

Venha para o Grupo Crônicas da Surdez no Facebook

Leia mais sobre Acessibilidade

38 amaram.

Sobre a Autora

Paula Pfeifer Moreira

Escrevo o Crônicas da Surdez desde 2010, e também escrevo o blog Sweetest Person desde 2007. Sou bacharel em Ciências Sociais pela UFSM, escritora e empresária. Moro no Rio de Janeiro e tenho 36 anos. Meu diagnóstico é de deficiência auditiva bilateral neurossensorial e progressiva. Tenho Implante Coclear nos dois ouvidos. Em 2013 lancei o livro Crônicas da Surdez (Ed. Plexus) e em 2015, Novas Crônicas da Surdez: epifanias do implante coclear (Ed. Plexus), que já foi traduzido para o inglês.

1 Comentário

  • Ola Paula.
    Realmente a união faz a diferença, pena que muitas vezes não somos compreendido nem mesmo entre nossos familiares.
    Valeu muito essa matéria.
    abraço

Deixe seu comentário